Café & Preparos

Semana Internacional do Café 2022 traz palestra sobre café à moda árabe

Muita gente não sabe, mas na Etiópia o café é consumido com sal e manteiga. Na Malásia, é comum encontrar o “café branco”, servido com leite condensado. A verdade é que, mesmo espalhada pelo mundo, a bebida tem uma identidade cultural de preparo em cada local. No segundo dia da Semana Internacional do Café, 17 de novembro, os visitantes poderão conhecer um pouco sobre os rituais nas aldeias árabes, por exemplo, e entender as diferenças e semelhanças com os brasileiros.

“O café, alimento saudável, é para a Civilização Árabe o sinônimo da generosidade e hospitalidade, reconhecido como o aroma do conhecimento, o sabor da felicidade e da sabedoria. O próprio pai da medicina moderna, IBEN SINA, já usava o café como medicamento, então imagina a importância desse produto”, conta o professor Ali El-Khatib.

A programação da SIC 2022 vai contar um pouco sobre esse encontro de culturas na palestra “Café à moda das aldeias árabes – história e degustação”, apresentada por Ali El-Khatib, professor universitário das áreas de relações internacionais e gestão cultural. Na ocasião de um de seus cursos, ele disse: “aprendi com meus pais a moer para fazer o café à moda das aldeias árabes. O café está em nosso DNA”. A experiência com o especialista acontecerá no espaço Cafeteria Modelo, das 11h30 às 12h30.

Ali El-Khatib, professor universitário das áreas de relações internacionais e gestão cultural

Diferenças e semelhanças

De acordo com levantamento encomendado em 2020 pela Câmara de Comércio Árabe Brasileira, árabes e descendentes formam 6% da população brasileira. Em termos de distribuição geográfica, 39% estão no Sudeste; 32% vivem no Nordeste; 17% no Sul; 6% no Norte e 5% na região Centro-Oeste. Os entrevistados indicaram 12 nacionalidades, entre os 22 países árabes, sendo: libaneses, sírios, marroquinos, sauditas, egípcios, palestinos, argelinos, jordanianos, líbios, somalis, barenitas e cataris.

Independentemente da origem, existe uma semelhança fundamental com a paixão dos brasileiros por café: a bebida como símbolo de hospitalidade. O café como elemento de conexão, como forma de compartilhar e fazer o outro se sentir bem-vindo. Já em relação às diferenças, talvez a mais emblemática seja mesmo o ritual de preparo. Enquanto aqui temos uma rotina um pouco mais simples, geralmente com o grão já torrado ou com o pó, nos países árabes, mesmo com algumas distinções regionais, o processo tem mais algumas etapas.

O café é feito em pequenos fogões à carvão ou fogueiras. Os grãos verdes são torrados em um tipo de frigideira e depois ficam um tempo esfriando. Depois disso, são triturados em uma espécie de pilão, onde é acrescentado o cardamomo, semente que tem sabor e aroma semelhantes ao gengibre. Só então acontece a fervura. Para conferir e experimentar o processo na prática, bem como o contexto cultural e o fundo histórico do café nas aldeias árabes, basta realizar o credenciamento gratuito para a SIC 2022. 

Sobre a SIC

A Semana Internacional do Café (SIC) é uma iniciativa do Sistema Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Minas Gerais (FAEMG), da Café Editora, do Sebrae e do Governo de Minas, por meio da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Minas Gerais (Seapa).

Realizada desde 2013, em Belo Horizonte, capital do maior estado produtor do país, a SIC tem como foco o desenvolvimento do mercado brasileiro e a divulgação da qualidade dos cafés nacionais para o consumidor interno e países compradores, além de potencializar o resultado econômico e social do setor. Em 2020, primeiro ano da pandemia, a SIC 100% Digital foi um grande sucesso. Teve 25 mil acessos, de 58 países e mais de 70 horas de conteúdo e 176 palestrantes com grande relevância no mercado nacional e internacional.

A edição de 10 anos tem patrocínios master das marcas Nescafé e Nespresso e do Sistema Ocemg; diamante, da 3 Corações; prata, da Sicoob; e bronze, da Melitta e Syngenta.

Serviço
Semana Internacional do Café 2022
Quando: 16 a 18 de novembro
Onde: Expominas – Av. Amazonas, 6.200, Belo Horizonte (MG)
Mais informações e credenciamento: www.semanainternacionaldocafe.com.br

TEXTO Redação • FOTO Alexandre Rezende/NITRO

Café & Preparos

Museu do Café promove 5ª edição da feira Mercado Coffee em Santos (SP)

Neste mês, o Museu do Café (MC) recebe a nova edição do Mercado Coffee, feira de produtos temáticos que reúne diversas marcas do universo cafeeiro. Na ocasião, o público terá a oportunidade de conhecer opções de grãos e métodos de preparo. O evento acontecerá no dia 1º de outubro (sábado), das 11h às 19h, e terá agenda especial que inclui apresentações musicais, atração infantil e oficinas gratuitas.

Quem for visitar o MC na data se deparará com diversos itens e artigos inusitados, todos atrelados ao grão, como bijuterias produzidas com cápsulas, manteiga, pão e cerveja de café. Este ano, participam da atração: 100% Café, ABICS, Academia do Barista, Bendito Café, Brownie Lovers 013, Cachaça Artesanal de Café do Mestre, Café Supreme, Cafeteria do Museu, Casa Baldoni, Cerveja Pós-DOC, Cesta Básica Artesanal, Crepe Mania, Estiva Cervejaria, Grandpa Joel’s Coffee, GURIA FAZENDO Arte, La Maga Empanadas Argentinas, Loja do Museu do Café, Madalena Brigadeiros, Natural Soap Anemone , Nude, Pipoque- se, Porto Gelato, Rei do Café, Soniarte Criações, Souvenir de Santos , Sweet Macaron, Tia Ada.

Além de várias opções de barracas, distribuídas no Boulevard em frente ao Museu, os visitantes terão a oportunidade de apreciar performances artísticas, oficinas temáticas, workshops e outras atrações, como a massagem com produtos de café, disponível das 11h às 18h. Outras atividades interativas também fazem parte da programação, como a palestra “O turismo de experiência no segmento da cafeicultura”, seguida de uma degustação de cafés especiais com Rogério Leite, da Casa Baldoni, às 14h. 

Para aqueles que gostam de experimentar a bebida com outras iguarias, como a cerveja, às 15h30 acontecerá o “Workchope” de cervejas com café, com Francisco Carvalho e Luciana Guimarães, da Cerveja Pós-Doc. O público poderá se deliciar, ainda, com o “Coffee in Good Spirits”, uma releitura cafeinada com infusão da Mantiqueira de drinks consagrados, com Grandpa Joel´s Coffee & Lassaleti London dry Gin, às 17h.

O Mercado Coffee é promovido com o apoio da Prefeitura Municipal de Santos e patrocínio do Sebrae. A visitação aos espaços expositivos do MC será gratuita na ocasião (9h às 18h, com bilheteria encerrando às 17h), e as senhas das atividades serão distribuídas na bilheteria do Museu 30 minutos antes de cada ação.

Serviço
5ª edição da feira temática Mercado Coffee
Quando: 1º de outubro
Horário: das 11h às 19h
Onde: Museu do Café – Rua XV de Novembro, 95 – Centro Histórico – Santos (SP)
Mais informações: www.museudocafe.org.br

TEXTO Redação • FOTO Thiago Gomes

Café & Preparos

Pesquisa revela que consumidores experimentaram novos cafés durante a pandemia

A indústria do café está ciente de que a pandemia forçou as pessoas a consumir mais café em casa. O que muitos ainda não perceberam, no entanto, é que os consumidores experimentaram cafés diferentes. E, como resultado, as preferências são mais diversas e estão evoluindo.

“Os consumidores de café são receptivos a experimentar coisas novas, o que significa que a inovação não deve parar durante uma pandemia”, disse Cheryl Hung, vice-presidente de pesquisa da DIG Insights Inc., que apresentou os resultados da pesquisa National Coffee Data Trends Study 2022 durante a conferência virtual da Associação Nacional do Café deste ano. A pesquisa, realizada durante duas semanas em janeiro, incluiu mais de 1.500 norte-americanos.

Os hábitos do consumidor evoluem

Enquanto mais pessoas voltaram ao trabalho, Hung disse que o hábito de fazer café em casa continuará para muitos consumidores. As principais razões são custos crescentes e preocupações com finanças pessoais. As notícias ainda são boas para as indústrias de café de varejo e foodservice, já que o consumo de café está em alta.

A porcentagem de adultos que tomaram pelo menos uma xícara de café ontem aumentou de 60% em julho passado para 66% em janeiro, o que Hung disse ser “estatisticamente significativo”. O número de janeiro é alto mesmo em comparação com os níveis de 2018 e 2019.

O maior consumo de café no dia anterior foi de 78%, entre 1954 e 1955, enquanto o menor foi em 1995, quando 47% dos adultos norte-americanos tomaram café um dia antes da pesquisa. Houve apenas alguns anos em que essa métrica estava abaixo de 50%. “É uma ótima notícia para nossa história de recuperação. Acho que nos dá muita esperança de que o café permaneça incrivelmente resiliente”, disse Hung.

Impacto da idade no consumo

O aumento pode ser sentido na maioria das faixas etárias, embora o crescimento mais forte venha dos consumidores de café mais velhos. Quase metade (48%) dos jovens de 18 a 24 anos tomou um café no dia anterior em janeiro, número semelhante ao de julho. Entre as pessoas de 25 a 39 anos, 59% consumiram a bebida, o que representa quatro pontos em relação a julho. 66% das pessoas de 40 a 59 anos, cinco pontos acima de julho. Quase três quartos (72%) daqueles com 60 anos ou mais, “o que é incrivelmente nove pontos a mais que em julho”, disse Hung. As tendências se mantêm em todas as regiões do país, embora o Nordeste e o Oeste tenham registrado os ganhos mais fortes.

Cafés especiais continuam crescendo

Foto: Chevanon Photography

Grande parte da recuperação também é impulsionada pelo café especial. Houve um ganho de 4%, para 43% das pessoas que tomaram pelo menos uma xícara de café especial no dia anterior à pesquisa, o que Hung disse ser um ganho significativo de julho a janeiro. Mais da metade (55%) das pessoas de 25 a 39 anos consumiu café especial ontem, o maior registro de todas as faixas etárias.

Os espressos voltaram aos níveis pré-pandemia: 16% tomaram pelo menos uma xícara de café espresso na semana passada após declínios na pandemia. Já cappuccinos e lattes mantiveram-se estáveis em 17%.

Enquanto os consumidores estão se tornando mais conscientes dos custos, os dados do NCDT não indicam qualquer sensibilidade ao preço na categoria de especialidades. “A boa notícia é que, embora estejamos começando a falar sobre inflação e aumento de preços, os consumidores ainda estão escolhendo cafés especiais”, disse Hung.

O café tradicional – aquele que não é fabricado a partir de grãos ou varietais premium – manteve-se estável em 42%, com pelo menos uma xícara sendo consumida no dia anterior. 

E o café fora de casa?

Foto: Juan Pablo Serrano Arenas

Em 2019, o consumo fora de casa foi de 35%, apresentando queda para janeiro de 2022, batendo 27%. A percepção da própria situação financeira está fortemente relacionada com o consumo de café fora de casa. Pouco mais da metade disse que será mais cauteloso quanto aos gastos nos próximos meses, enquanto um em cada cinco consumidores disse que tem uma perspectiva financeira pior do que há cinco meses.

No entanto, Hung disse que a indústria do café tem uma grande oportunidade de promover o café fora de casa, dada a crescente valorização do grão pelo consumidor. “Ela [a indústria] certamente tem um papel muito maior a desempenhar e um trabalho a fazer saindo da pandemia. Acho que o que está faltando nos últimos dois anos, falando por experiência pessoal, é a conexão social e emocional com o café”, disse a pesquisadora. Para ela, o consumo fora de casa não se recuperará aos níveis pré-pandemia até que mais pessoas retornem ao local de trabalho.

TEXTO As informações são do Vending Times / Tradução Juliana Santin

Café & Preparos

Sul de Minas recebe 4ª edição do São Lourenço Coffee Music

Nos dias 19, 20 e 21 de agosto, a cidade de São Lourenço (MG) recebe a 4ª edição do São Lourenço Coffee Music, evento que busca apresentar atrações e atrair cerca de 5 mil visitantes. O público poderá conferir diversas atividades de entretenimento, como shows, campeonatos, exposição de produtos, workshops e palestras. A entrada é gratuita mas as inscrições devem ser feitas aqui.

Confira a programação deste ano:

19 de agosto – Sexta-feira

5h30 – Voo de balão em São Lourenço
Agendamentos no site.

8h30 – Rota do Café Especial (Do pé a xícara)
Agendamentos no site.

9h30 – Abertura oficial do “Campeonatos Brasileiros de Barismo”
Representante: Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA) e Hélcio Junior (Unique Cafés Especiais)

10h – Início do campeonato

10h – Abertura dos estandes

14h – Rota do Café Especial – Do pé a xícara.
Agendamentos no site.

15h – Workshop sobre Torra Assistida – Unique Cafés
Torra guiada com degustações de diferentes cafés na torrefação da Unique Cafés (gratuito)

15h – Workshop de música com Adriano Campagnani
Tema: Técnicas Avançadas para baixo Elétrico
Local: Oficina de Música Eric Mathias

15h – Palestra com Arthur Resende
Tema: Concepção de Grooves baixo e bateria
Local: Oficina de Música Eric Mathias

18h – Palestra Sebrae com Emílio Alves Fonseca – Engenheiro Agrônomo
Tema: Educampo e a importância da gestão das propriedades Rurais

20h – Show com a Banda Intrepido Blues Quarteto

22h30 – Show com Adriano Campagnani e Bauxita  

20 de agosto – Sábado

5h30 – Voo de balão em São Lourenço
Agendamentos no site.

8h30 – Rota do Café Especial (Do pé a xícara)
Agendamentos no site.

10h – Abertura dos estandes

10h – Início do campeonato

10h30 – Palestra com Mariana Proença
Tema: Mulheres do café: Café de qualidade e gestão do negócio

14h – Rota do Café Especial (Do pé a xícara)
Agendamentos no site.

14h – Campeonato de Arremesso de Sacas de Café / Coffee Bean Bag Toss,
Vagas limitadas. Inscrições no evento (infantil e adulto)

15h – Palestra do Sebrae com Alessandro Hervaz- Aprocam / Associação dos Produtores de Café da Mantiqueira
Tema: Mantiqueira de Minas, uma Denominação de Origem com 25 anos de História

15h – Palestra com João Gabriel
Tema: Concepção rítmicas para guitarra na música instrumental latina.
Local: Oficina de Música Eric Mathias

15h – Workshop com Aloizio Horta
Tema: Improvisação para todos os instrumentos
Local: Oficina de Música Eric Mathias

16h30 – Palestra com Sérgio Vieira Júnior
Tema: Empreendedorismo e Autorresponsabilidade na gestão do seu negócio

18h – Anúncio dos finalistas do Campeonato Brasileiro de Barismo

19h – Show com a Orquestra de Violeiros de São Lourenço

20h30 – Show com a Banda Soul Much Blues

22h30 – Show com a Banda Macondos

21 de agosto – Domingo

5h30 – Voo de balão em São Lourenço
Agendamentos no site.

8h30 – Rota do Café Especial (Do pé a xícara)
Agendamentos no site.

10h – Abertura dos stands

11h – Palestra com Felipe Nascimento – Campeão Brasileiro de Degustação.
Tema: Como identificar um bom café

11h30 – Final do Campeonato Brasileiro de Barismo

14h30 – Palestra: Café Três Corações com Carolina Pardo Barreto
Tema: Cafés especiais e métodos de preparo

15h30 – Campeonato Brasileiro Cup Bier

16h30 – Workshop Júlio Bitencourt
Tema: Interplay
Local: Oficina de Música Eric Mathias

16h30 – Palestra Sebrae com Maria Paula Rocha – Bussines Maneger / Ascarive (Associação dos Cafeicultores do Vale do Rio Verde)
Tema: O comércio justo em prol da coletividade social

18h – Resultados e premiações do Campeonato Brasileiro de Barismo

19h – Show com Bitencourt Duo   

O 4º São Lourenço Coffee Music 2022 será híbrido, portanto, além de presencial, poderá ser assistido ao vivo através de transmissão pelo canal oficial do evento pelo YouTube. Serão várias horas de transmissão todos os dias, desde a abertura das atividades até o encerramento, com imagens da área do evento, das competições de barismo, dos shows e das entrevistas com visitantes, competidores, organizadores e patrocinadores.

Serviço
5º São Lourenço Coffee Music 2022
Quando: 19 a 21 de agosto
Onde: Praça João Lage, São Lourenço
Inscrições: www.gofree.co
Outras informações: www.productioneventos.com.br ou WhatsApp (31) 99151-0525

TEXTO Redação • FOTO Vitor Macedo

Café & Preparos

A Espresso quer saber: Como você consome o seu café?

Com a pandemia de covid-19 nos últimos anos, o hábito de tomar café sofreu mudanças, seja na qualidade do produto que está sendo consumido, seja na forma de preparar a bebida. Mas e aqui no Brasil, o ato de tomar o nosso café de todo dia sofreu alterações?

Para conhecer melhor nossos leitores e apaixonados por café, elaboramos a pesquisa “Como você consome o seu café?”, que servirá como base para a matéria de capa da próxima edição da Espresso, a #77. 

As perguntinhas giram em torno de qual formato de café você consome, como costuma preparar a sua bebida, onde prefere comprar o seu pacotinho e quais notas sensoriais você mais curte encontrar na xícara. O questionário é bem rápido e qualquer pessoa pode respondê-lo!

TEXTO Redação • FOTO Agência Ophelia

Café & Preparos

Origami Air S: Método japonês de preparar café!

Desenvolvido no Japão, o dripper ganhou destaque após ser utilizado no Campeonato Mundial de Brewers de 2019 pela barista chinesa Jia Ning Du, campeã da categoria.

Disponível nas versões acrílico e cerâmica, o Origami Air S conta com 20 ranhuras simétricas internas que fazem com que o filtro de papel fique mais rente às paredes do equipamento, possibilitando uma extração mais consistente que serve de 1 a 2 xícaras. Sua versatilidade permite que sejam usados tanto o filtro cônico da hario v60 (tamanho 01), quanto o flat da kalita wave 155.

Em maio, na cidade de São Paulo (SP), a Um Coffee Co. realizou a 1ª Origami Competition, que contou com a participação de 15 baristas. Com uma final totalmente feminina, a campeã da edição foi Jeane Artal, do Paraná. Aos interessados, a cafeteria paulistana vende o método em seu e-commerce e na unidade do Bom Retiro, por R$ 249.

Mais informações: www.umcoffeeco.com.br

TEXTO Redação • FOTO Gerson Cifuentes e Marta Dzedyshko

Café & Preparos

Consumo diário de café pode reduzir risco de lesão aguda de órgãos

De acordo com teorias anteriores apresentadas por especialistas, a artéria primária que transporta o sangue para longe do coração, a aorta, era conhecida por endurecer no passado. No entanto, pesquisas mais recentes sugerem que consumir regularmente três ou mais xícaras de café pode ajudar a prevenir a aterosclerose, uma condição na qual uma placa se acumula dentro das artérias e restringe o fluxo sanguíneo.

O consumo diário de café também demonstrou reduzir, em até 23%, o risco de lesão renal aguda (LRA), em que o órgão para de funcionar. As LRAs ocorrem apenas em um em cada 250 indivíduos, mas esse número sobe para um em cada cinco para aqueles que são frequentemente hospitalizados, sugerindo que o consumo de café pode ser benéfico para aqueles que estão enfrentando problemas de saúde.

Esta pesquisa expande o corpus de trabalho, examinando as vantagens para a saúde do café, que foi considerado protetor contra inúmeras doenças progressivas, como câncer, ou distúrbios neurológicos, como o Parkinson. Ainda não se sabe se esse efeito é causado pela cafeína ou por um dos compostos benéficos encontrados no café, como diterpenos, trigonelina ou ácido clorogênico.

Os pesquisadores descobriram que qualquer consumo regular de café reduzia o risco de falência de órgãos em 11% para LRAs, onde os rins falham como resultado de outra doença. Níveis mais altos de consumo regular ofereceram uma redução de 23% nas LRAs, o que pode ajudar as pessoas em risco a tomar precauções para prevenir a insuficiência renal.

Pesquisadores da Queen Mary University of London examinaram as respostas de mais de 8 mil participantes para a saúde do coração e não descobriram nenhuma conexão entre o consumo de café e a probabilidade de contração das artérias. Eles descobriram que consumidores assíduos de bebidas alcoólicas e fumantes eram mais propensos a consumir grandes quantidades de cafeína e ter um grau pior de aterosclerose, o que pode ter fornecido algumas dicas sobre como estudos anteriores chegaram às suas descobertas.

TEXTO As informações são do Newsroom Post / Tradução Juliana Santin • FOTO Ben Kolde

Café & Preparos

Fundação Ernesto Illy oferece bolsas de estudo em Trieste, na Itália

O mestrado internacional está com as inscrições abertas para a edição 2023. O curso, que tem como objetivo oferecer formação multidisciplinar sobre o mundo do café, é organizado por um grupo de líderes em educação: Universidade de Trieste, Universidade de Udine, International Superior School of Advanced Studies of Trieste (SISSA), AREA Science Park, illycaffè SpA e Fondazione Ernesto Illy.

Aos interessados, até 15 de julho é possível solicitar uma das bolsas de estudos fornecidas pelas Fundação Ernesto Illy, que oferece um auxílio financeiro a um limitado número de candidatos, de países diferentes, para cobrir custos totais ou parciais para frequentar o programa de mestrado.

Todo o ciclo produtivo do café, desde o seu cultivo até os serviços de alimentação, incluindo logística, trading e o processo de industrialização, serão abordados durante as aulas. O curso possui 400 horas de aulas segmentadas, divididas em 9 módulos didáticos: cinco econômicos e quatro científicos. As aulas serão ministradas em inglês, via internet, de janeiro a novembro de 2023. Haverá um período de 6 semanas (setembro a meados de outubro) em Trieste, na Itália, para aulas práticas presenciais.

O curso também tem como objetivo oferecer, consolidar e desenvolver relações entre as Universidades e o mundo dos negócios, transferindo o conhecimento tecnológico e cultural da illycaffè, o legado moral e científico do Dr. Ernesto Illy e o papel de Trieste como a cidade exemplo na produção de cafés diferenciados.

Mais informações: http://unicaffe.illy.com/en/courses/higher-education/universita_del_caffe_master

TEXTO Redação

Café & PreparosMercado

São Paulo Coffee Festival reúne cafés, comidinhas e experiências na Bienal do Ibirapuera

Voltado para o consumidor final, o São Paulo Coffee Festival é uma celebração da comunidade e da cultura do café, com diversas experiências gastronômicas e culturais: degustação de café das principais cafeterias e microtorrefações, oficinas interativas e sensoriais, coquetéis à base do grão, música ao vivo e arte, sem faltar, claro, as comidas que orbitam esse universo. O evento, marcado para os dias 24 a 26 de junho, é para todos os amantes da bebida!

O Brasil é conhecido por ser um dos grandes produtores de café. Nos últimos anos, observamos o aumento na preocupação em relação ao grão e seus processos, fazendo a categoria do café especial despontar, assim como o surgimento de novas cafeterias junto aos seus admiradores e frequentadores. Do café feito em casa ao especial das modernas cafeterias, seja ele com ou sem açúcar, a bebida faz parte do DNA brasileiro. 

Pela primeira vez no País, o festival internacional que nasceu em Londres e marca presença em Amsterdã, Cidade do Cabo, Los Angeles, Milão, Nova Iorque e Paris, aterrissa em São Paulo em um dos grandes cartões postais da cidade, na Bienal, localizada no Parque do Ibirapuera. 

Com expectativa de atrair mais de nove mil visitantes em três dias, o festival realizado pela Allegra Events há mais de dez anos, chega ao país em parceria com a Revista Espresso/Café Editora – empresa com mais de 19 anos de experiência em eventos e conteúdo de café especial. Na 11ª edição britânica, o evento contou com 30 mil visitantes. 

O público poderá participar de diversas experiências e atividades  do universo do café, entre elas: degustações da bebida e de comidinhas, workshops com profissionais, oficinas e espaços interativos, além de assistir ao Campeonato Brasileiro de Barista organizado pela Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA).

“A cena de cafés especiais de São Paulo é repleta de ótimos profissionais e cafeterias de ponta. O consumidor vai ter a alegria de conhecer tudo isso no festival e levar para casa experiências inesquecíveis. A ideia é que ele se sinta numa grande cafeteria e desfrute o melhor que esse universo pode proporcionar”, comenta Caio Alonso Fontes, diretor da Café Editora e organizador do São Paulo Coffee Festival.

Os espaços de experiência e interação para os visitantes no Festival serão:

  • O Laboratório – local reservado para bate-papo com os profissionais do universo do café;
  • Gastronomia – que recebe aulas com chefs e confeiteiros, como Vivianne Wakuda e José Barattino, que demonstrarão suas receitas especiais;
  • Latte Art Ao Vivo – com ações que envolvem a arte de “desenhar” no café utilizando o leite, como, por exemplo,  o TNT (competição de quem realiza o melhor latte art. Poderão participar profissionais e amadores), além de oficinas diversas sobre o assunto;
  • A Torrefação – onde serão debatidas, com profissionais da área, curiosidades e informações sobre essa etapa tão importante. O público ainda poderá torrar seu próprio grão com a ajuda dos especialistas;
  • Sensory Experience – que traz degustações guiadas que desvendam os aromas e sabores dessa bebida tão amada.

O evento tem patrocínio da 3corações e Nescafé. Apoio oficial do Café Orfeu, Café Santa Mônica com Philips Walita e Café Store. A realização é por conta da Allegra Events e Revista Espresso/Café Editora.  

Ingressos

Entrada e participação em toda a programação durante todo o dia, além de degustação de cafés e bebidas à base de café, oficinas interativas e experiência com baristas e chefs.

Diária (individual): R$ 50 (inteira), R$ 25 (meia entrada), R$ 10 (infantil – até 12 anos) e gratuito (crianças até 3 anos).
Combo 3 dias (individual): R$ 100 (inteira),  R$ 50 (meia entrada), R$ 20 (infantil – até 12 anos) e gratuito (crianças até 3 anos).
VIP Diário (individual):  R$ 95 – com direito ao kit com uma ecobag SPCF, cafés de patrocinadores, um copo SPCF e um Coffee Cocktail Drink.

Serviço
Quando:
24 a 26 de junho de 2022
Horário:
14h às 21h (sexta-feira) e 10h às 18h (sábado e domingo)
Onde:
Fundação Bienal de São Paulo – Parque do Ibirapuera (Avenida Pedro Álvares Cabral, s/n – Vila Mariana – São Paulo/SP)
Ingressos: www.ticketfacil.com.br/eventos/coffee-festival.aspx 
Mais informações: www.saopaulocoffeefestival.com.br

TEXTO Redação

Café & Preparos

Variáveis da extração: Dicas para melhorar o seu café em casa!

O que torna o café uma das bebidas mais consumidas no mundo é justamente a sua versatilidade. A relação entre a receita usada, o tempo de extração e o método escolhido pode fazer com que você tenha, na xícara, diferentes versões de um mesmo grão. Faça testes e encontre o seu próprio resultado! 

1- Diferentes moagens

Cada método necessita de uma moagem específica e isso varia de acordo com o tipo de filtro (papel, aço, metal) e o tamanho e a quantidade de orifícios do acessório. Apesar da indicação, dá para testar diferentes granulometrias e tempos de extração, que vão resultar em bebidas com características distintas na xícara. Você pode utilizar uma moagem mais fina para ter uma extração mais lenta, ou mais grossa para que a água passe mais rapidamente pelo pó. A cada teste, novas notas sensoriais podem ganhar destaque. Ache a fórmula que mais agradar!

2- Extração uniforme

Depois que o pó foi colocado no filtro, é interessante nivelar o café para que, quando jogada, a água preencha toda a superfície de maneira uniforme. Nessa etapa você também pode testar outras técnicas que visam a uma distribuição mais homogênea do líquido, como a Divot e a Kubomi. A técnica Divot consiste em fazer um furo no centro da superfície do pó com a ajuda de um palito (fino e comprido – estilo hashi). Já a Kubomi requer movimentos circulares em toda a camada do café: coloque o palito dentro do filtro, jogue todo o pó de café e faça movimentos circulares com o palito de fora para dentro, como uma espiral, até chegar ao centro. Ambas as técnicas ajudam na hidratação e na saturação do café na fase da pré-infusão.

3- Fluxo da água

O formato do bico da chaleira bico de ganso (ou goosenack) proporciona maior controle do direcionamento do fluxo da água e da quantidade despejada sobre o pó. Muitas receitas, principalmente as usadas em competições, exigem que sejam derramadas quantidades precisas de água, fazendo com que o fluxo seja controlado com base na combinação de tempo e peso. Além disso, um maior controle da turbulência da água (que são os movimentos feitos com a chaleira para que a água penetre igualmente em todo o pó) resulta em uma extração mais homogênea do café. Que tal elaborar a sua própria receita?

4- Pré-infusão

A pré-infusão consiste em jogar uma quantidade pequena de água por toda a superfície do café e esperar por alguns segundos para continuar o processo. É nessa etapa que é possível observar o blooming, aquelas bolhinhas que se formam quando a água toca pela primeira vez o pó. Essas bolhas são resultado da liberação do CO2 presente nos grãos. É o café respirando! Diversifique a quantidade de água e de tempo, ou simplesmente pule direto para a extração, e veja qual resultado você curte mais!

5- Os “ataques” 

Quando checamos uma receita passada por algum barista, é comum vermos alguns “ataques” indicados durante a extração. O ataque consiste na ação de despejar a água no pó de café. Nessa etapa, podem variar o número de vezes que se põe água, a quantidade que é despejada por vez, o tempo entre um ataque e outro e o local em que a água deve ser despejada. Essas variáveis podem determinar algumas características na xícara, como a intensidade da acidez e da doçura. A quantidade de ataques e a forma como a água é despejada fazem com que sejam extraídos diferentes sabores de um mesmo café.

6- Mexer ou não mexer?

Para acelerar o processo de extração ou para aumentar o contato do café com a água, alguns baristas costumam mexer o líquido depois que a água foi despejada sobre o pó. Isso pode ser feito utilizando uma colher, girando o porta-filtro ou fazendo movimentos circulares com a própria chaleira enquanto despeja a água. Os resultados podem ser variados, de positivos a negativos, uma vez que os fines (partículas muito finas resultantes da moagem) podem ser direcionados para as paredes do filtro, bloqueando o fluxo da drenagem do café. Mexer o café ainda divide opiniões e cada barista tem suas preferências, mas tudo é teste! Vá ajustando a sua receita até encontrar a combinação que mais agrada ao seu paladar.

Receita da barista Simoni Yamaguty

A receita sugerida é a proporção de 1 g para 15 g, ou seja, 20 g de café para 300 g de água. Durante a extração, serão realizados cinco ataques de 60 g cada um. Após o primeiro ataque, espere entre 30 e 45 segundos para que o blooming aconteça. Depois, faça os quatro últimos ataques, um de cada vez, com aproximadamente o mesmo intervalo de tempo, finalizando a extração total entre 2 minutos e meio e 3 minutos. 

*Para obter consistência no preparo, o uso da balança medidora é essencial! Já para facilitar a dosagem e a precisão exata dos ataques, os baristas equiparam a quantidade de água ao peso do pó (mililitros a gramas).

TEXTO Gabriela Kaneto • FOTO Daniel Ozana/Studio Oz