Café & Preparos

The Coffee Sensorium cria kit para treinamento de avaliação sensorial de cafés

No final do mês de abril, a The Coffee Sensorium iniciou a pré-venda do Kit de Sabores [café], uma ferramenta de treinamento sensorial que visa a padronização de referências para notas de aroma e sabor da bebida.

Desenvolvido em colaboração com o Departamento de Química da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), o kit permite a identificação e nomeação correta das notas que estejam associadas com características de qualidade ou defeitos do café.

“A nossa ideia foi criar um produto brasileiro que funcionasse como uma ferramenta de padronização de referências e descritores para sabor, ou seja, a referência será adicionada no café para identificação retronasal”, escreveu a The Coffee Sensorial.

O Kit de Sabores contém 21 referências, sendo elas: banana, maçã, cravo da índia, floral (doce), ervilha fresca, pepino, pão mofado, avelã tostada, borracha, medicinal (riado), cereal, pêssego, cereja, “verdolengo”, pera, laranja, chocolate, baunilha, açúcar caramelizado, queijo maturado e floral (herbal). Cada referência contém 25 doses (25 utilizações).

Para utilizá-lo, prepare o café filtrado e separe-o em amostras de 30 g. Adicione 4 gotas de uma determinada referência em uma amostra, misture e faça o cupping. Identifique as amostras de café com os mesmos números das respectivas referências. Deixe uma amostra sem referência, apenas com o café, para fazer alguma comparação.

O Kit de Sabores custa R$ 830 (pré-venda) e as entregas serão feitas a partir de 14 de junho. Em contribuição à pesquisa brasileira, 30% do lucro das vendas será destinado à compra de materiais de laboratório para a UFMG. O design do Kit foi feito pela artista Júlia Bertú.

Mais informações: www.instagram.com/thecoffeesensorium

TEXTO Redação • FOTO Divulgação

Cafezal

Espírito Santo conquista registro de Indicação de Procedência para cafés canéfora

Na última terça-feira (11), o Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI) concedeu o registro de Indicação Geográfica (IG), na modalidade Indicação de Procedência (IP), para os cafés canéfora (conilon) produzidos no Espírito Santo. O pedido havia sido feito pela Federação dos Cafés do Estado do Espírito Santo (Fecafés).

O estado, que é o maior produtor de canéfora do Brasil, é o primeiro a receber uma Indicação de Procedência para os cafés da espécie. “No país, o Espírito Santo é referência nacional e mundial no desenvolvimento da cafeicultura do café conilon, que foi iniciada no estado ainda em 1912, com a introdução das primeiras mudas e sementes do produto”, destacou a Revista da Propriedade Industrial (RPI), onde foi divulgada a conquista.

Com o registro, o estado capixaba chega a marca de três Indicações Geográficas conquistadas este ano. Em fevereiro, a região do Caparaó obteve o selo de IG na modalidade Denominação de Origem (DO) para cafés arábica, assim como a região das Montanhas do Espírito Santo, que conseguiu o título no começo do mês de maio.

Ainda de acordo com a RPI, o café conilon é o principal produto agrícola do Espírito Santo, sendo responsável pela geração da maior parte da renda e dos empregos no meio rural na maioria deles. Atualmente o estado possui uma área de aproximadamente 300 mil ha ocupada com a produção de café conilon e uma produção de 10 milhões sacas/ano.

TEXTO Redação • FOTO Agência Ophelia

Mercado

illy Art Collection apresenta obra de artista chinês Ai Weiwei

A illycaffè apresenta a nova illy Art Collection por Ai Weiwei, uma interpretação pessoal das renomadas séries de xícaras artísticas pelo artista chinês que é uma das pessoas mais influentes do século 21.

A novidade foi inspirada pelo famoso trabalho “Coloured Vases” de Ai Weiwei, criado em 2006, pegando vasos neolíticos antigos e mergulhando-os em latas de tinta industrial para remodelar sua aparência e função. Usando um processo de apropriação e destruição, Ai Weiwei retira objetos comuns de seu contexto diário e os transforma em obras de arte.

Em sua illy Art Collection, o artista ecoa as experiências e perspectivas em um objeto familiar e, com um de seus atos tipicamente inquietantes, nos convida a explorar nossa “posição” e a perspectiva a partir da qual olhamos o mundo em um determinado ponto do espaço e do tempo, mesmo que seja apenas para o tempo que leva para desfrutar de um café. “Estou muito feliz por fazer parte da illy Art Collection. Acho muito importante dar força à arte e ao design enquanto se bebe um bom café, porque isso afeta a vida de todos. Devemos nos divertir”, declarou Ai Weiwei.

“O projeto com Ai Weiwei é um evento excepcional e nós o celebramos com uma illy Art Collection especialmente valiosa e refinada. De uma grande personalidade, que teve um grande impacto na cultura nos últimos anos, falando sobre a complexidade da sociedade contemporânea, muitas vezes ironicamente, obtemos uma ilusão de ótica, uma beleza oculta que se torna manifesta se aprendermos a ver sem o equívoco de utilizar uma única perspectiva. Para nós, isso é o que o projeto illy Art Collection é: arte fornecendo uma visão através da beleza, e a arte de Ai Weiwei é uma nova e brilhante evidência disso”, disse Massimiliano Pogliani, CEO da illycaffè.

A coleção estará disponível no Brasil a partir de 19 de maio, tanto no e-commerce da illy quanto na loja física, nos seguintes formatos:

– 2 xícaras de espresso (decoradas nas cores dourada, preta, laranja e verde): R$ 298,00
– 2 xícaras de cappuccino (decoradas nas cores dourada e preta): R$ 359,00
– 4 xícaras de espresso (decoradas nas cores dourada, preta, laranja e verde): R$ 546,00
– 4 xícaras de cappuccino (decoradas nas cores dourada, preta, laranja e verde): R$ 669,00

A loja física da illy fica na Rua Haddock Lobo, 1497 – Jardins – São Paulo (SP).

TEXTO Redação • FOTO Divulgação

Mercado

Nescafé Dolce Gusto lança duas opções de cápsulas à base de bebida vegetal

A Nescafé Dolce Gusto anunciou a chegada das primeiras cápsulas de bebida vegetal com café ao mercado. São duas opções de sabores desenvolvidas para aqueles que adotam a alimentação vegana, vegetariana e flexitarianos, que são quem seguem uma mudança de comportamento para reduzir o consumo de origem animal.

O Macchiato Amêndoas é um produto marcado pela combinação das notas de amêndoas com o sabor do café levemente torrado. Já o Macchiato Coco traz uma mistura de grãos de café do sudeste asiático com a cremosidade do coco. Ambas as opções têm torra média, intensidade 5 e são zero lactose.

“Como marca, temos a preocupação de criar soluções inovadoras que satisfaçam a busca de nossos consumidores por produtos de origem vegetal, seja pela adoção de uma dieta diferenciada ou até mesmo pela busca de opções mais saudáveis”, comenta Tiago Buischi, Gerente Executivo de Marketing de Nescafé Dolce Gusto.

As novidades já estão disponíveis para o consumidor através do e-commerce da marca. A caixa com 12 cápsulas custa R$ 25,70.

Mais informações: www.nescafe-dolcegusto.com.br

TEXTO Redação • FOTO Divulgação

Receitas

Para qualquer hora: 3 combinações com iogurte para você se deliciar

Iogurte é um ingrediente versátil que combina com muitos acompanhamentos: frutas, granola, sucrilhos, geleias… Separamos 3 ideias deliciosas e saudáveis para você curtir!

Iogurte com granola

Ingredientes
– 1 ½ xícara (chá) de aveia
– 2/3 xícaras (chá) de nozes picadas
– 1/4 xícara (chá) de sementes de girassol
– 1/4 xícara (chá) de cranberry seco
– 1/3 xícara (chá) de coco em flocos
– 1 colher (chá) de canela
– 1 colher (sopa) de óleo de girassol
– 3 colheres (sopa) de mel
– 1 pitada de sal marinho

Preparo
Coloque em uma tigela os ingredientes secos (aveia, nozes, girassol, cranberry, coco, canela e o sal), depois junte os molhados (óleo de girassol e mel) e misture bem. Espalhe essa mistura sobre uma assadeira grande untada com óleo ou forrada com papel-manteiga. Preaqueça o forno a 180ºC (a gás) ou 160ºC (elétrico) e deixe assar em torno de 40 minutos até a granola ficar dourada, mexendo, às vezes, para ficar assada por igual. Deixe esfriar, guarde em um pote e prepare seu café da manhã ou lanche da tarde misturando uma porção generosa de granola com iogurte.

Rende 500 g

Iogurte com frutas

Ingredientes
– 1 ou 2 bananas-nanicas
– Colheradas (a gosto) de iogurte grego (preferencialmente)
– Amêndoas laminadas torradas (a gosto)

Preparo
Primeiro, coloque as amêndoas laminadas em um frigideira (sem manteiga ou outra gordura) e leve ao fogo para tostar. Cuidado para não queimar, pois as lascas ficam douradas rapidamente. Depois, corte as bananas em rodelas, coloque-as em uma tigelinha e cubra com o iogurte e as amêndoas. Se preferir, intercale esses ingredientes em camadas. Finalize com um pouco de mel. A receita é um curinga para as manhãs ou lanche saudável da tarde.

Rende 2 porções

Iogurte com geleia

Ingredientes
– 1 kg de morango (lavado, sem o cabinho verde e cortado em pedaços)
– 300 g de açúcar*
– 1 fava de baunilha**
– Suco de um limão-siciliano
– Raspas de um limão-siciliano
– Iogurte

Preparo
Junte em uma panela de fundo grosso os morangos, o açúcar, o suco e as raspas de limão, e deixe descansar por uma hora. Leve a panela ao fogo baixo, coloque a fava de baunilha (abra a vagem, raspe as sementes e acrescente à mistura, além da própria vagem aberta) e cozinhe até a geleia atingir uma consistência espessa. Faça o teste do ponto: coloque um prato no congelador, espere gelar e derrame uma colher de geleia sobre ele. O ideal é que ela esteja mais firme do que líquida. Quando estiver no ponto desejado, retire a fava de baunilha e coloque a geleia em um pote***. Sirva com iogurte natural.

Rende 300 g

*Aumente ou diminua a quantidade de açúcar a gosto

** Fava de baunilha é um ingrediente caro. Por isso, reaproveite ao máximo. Lave-a assim que retirar da panela e deixe secar em lugar arejado da cozinha. Depois de seca, ela é ideal para aromatizar açúcar que, por sinal, pode ser usado na receita das panquecas.

***Depois de cheio com geleia, o pote precisa passar por uma pasteurização para o produto não estragar. Forre o fundo de uma panela com um pano, coloque o pote bem fechado e cubra com 3/4 de água. A água tem que estar na mesma temperatura dos potes: se a geleia estiver quente, a água também precisará estar aquecida.  Abaixe o fogo da água depois que ela ferver e deixe entre 20 e 30 minutos. Retire o pote da panela, vire-o de ponta cabeça em uma tábua e deixe esfriar.

FOTO Daniel Ozana/Studio Oz

Receitas

Torta de frutas frescas

Ingredientes

Massa (Pâte sucrée)
– 225 g de farinha de trigo peneirada
– 25 g de farinha de amêndoas
– 100 g de manteiga gelada sem sal em cubos
– 1 ovo
– 100 g de açúcar cristal

Creme Patissière 
– 250 ml de leite integral
– 60 g de açúcar refinado
– 30 g amido de milho
– 2 gemas
– 1 ovo
– Meia fava de baunilha ou extrato de baunilha

Preparo

Massa
Na batedeira, junte a farinha de trigo, a farinha de amêndoas, a manteiga e bata com uma raquete em velocidade baixa até o ponto de areia. Numa tigela separada, misture o açúcar e o ovo e despeje na tigela da batedeira. Misture lentamente até a massa ficar homogênea. Faça um quadrado com a massa, envolva-a em filme plástico e leve para refrigerar por pelo menos 1 hora. Com um rolo e um pouco de farinha, abra a massa e forre o fundo de uma forma de 20 cm. Fure o fundo com a ajuda de um garfo e leve a massa para assar a 155 °C por aproximadamente 25 minutos ou até que fique dourada. Reserve.

Creme
Coloque o leite com a baunilha em uma panela de inox e ferva. Em uma tigela, coloque o ovo, as gemas, o açúcar e o amido e misture com um fouet. Despeje metade do leite sobre essa massa da tigela, misture bem e volte tudo para a panela. Em fogo médio, bata energicamente por pelo menos 5 minutos. Despeje a mistura sobre uma assadeira e cubra com filme plástico em contato direto com o creme. Deixe esfriar um pouco e refrigere. Assim que essa massa esfriar por completo, leve-a à batedeira e bata com a raquete até obter um creme liso. Coloque o creme sobre a massa e use a frutas de sua preferência para decorar, como manga, kiwi, frutas vermelhas e melão. 

Rende de 6 a 8 porções

FOTO Daniel Ozana/Studio Oz • RECEITA Vivianne Wakuda

O comportamento dos brasileiros com os especiais

O consumidor brasileiro de cafés especiais manifesta crescente interesse em novos métodos de preparo, origens produtoras e sustentabilidade, buscando e compartilhando conhecimento sobre esse universo particular. É o que indica estudo coordenado por pesquisadores da Universidade Federal de Lavras (Ufla), em parceria com pesquisador do Instituto Agronômico de Campinas (IAC). Em fase de publicação científica, o estudo traz informações inéditas sobre o mercado nacional de cafés especiais.

Analisaram-se 834 questionários, em que se estabeleceu o perfil dos consumidores brasileiros de cafés especiais e se propôs um modelo de segmentação para esse mercado, para melhor atendê-lo e orientar as estratégias dos atores dessa cadeia.

Observaram-se diferentes conceitos de café especial, principalmente pelo histórico de desenvolvimento da indústria nacional e pelo ainda restrito (porém crescente) conhecimento do público sobre os critérios de qualidade do produto. Assim, foram considerados especiais aqueles cafés com claros atributos de diferenciação na perspectiva do consumidor, seja por características organolépticas da bebida (sabor, aroma, corpo), seja por aquelas ligadas ao sistema de produção (certificações, orgânicos, entre outras).

Os principais critérios citados pelos pesquisados para identificação e diferenciação dos cafés especiais foram sabor e aroma; qualidade superior; torras mais claras e bebida mais suave; disponibilidade de maiores informações; certificações e/ou garantias da adoção de práticas sustentáveis; e proximidade dos cafeicultores.

Identificou-se importante tendência em reduzir ou mesmo eliminar o consumo de cafés tradicionais entre os consumidores de cafés especiais, que já fazem parte da rotina diária dos que responderam às questões (aproximadamente 60%). Além disso, 74% mostraram-se dispostos a aumentar o consumo de cafés especiais, o que demonstra o grande potencial desse mercado. leia mais…

TEXTO *Msc. Elisa Reis Guimarães, Prof. Dr. Paulo Henrique Leme, Prof. Dr. Daniel Carvalho de Rezende, Dr. Sérgio Parreiras Pereira e Prof. Dr. Antônio Carlos dos Santos.

Mercado

Nestlé investe em novo centro de inovação de produtos de café na China

A Nestlé anunciou uma série de novas iniciativas no subdistrito Guhe de Laixi, cidade de nível municipal em Qingdao, província de Shandong, leste da China. Isso inclui o estabelecimento de um centro de inovação de produtos para o desenvolvimento de café pronto para beber Nescafé, lácteos líquidos e outros produtos.

A empresa mencionou também a ampliação de sua capacidade produtiva e a promoção do desenvolvimento sustentável, abrangendo seus principais negócios de café, laticínios e suplementação alimentar.

Em 27 de abril, a Nestlé e o Governo de Laixi sediaram em conjunto a cerimônia de assinatura de novos projetos de investimento no subdistrito. O Governo diz que o novo projeto foi estabelecido no local por seu ambiente de negócios otimizado e serviços governamentais eficientes. Várias rodadas de negociações foram realizadas pelos governos locais para facilitar o desembarque bem-sucedido dos novos projetos.

“Queremos mostrar à sede da Nestlé China em Pequim nossa sinceridade em fazer parceria e o futuro brilhante da cooperação entre os dois lados”, disse Xu Donghui, secretário do Comitê de Trabalho do Partido do Subdistrito de Guhe, cidade de Laixi.

Como uma das primeiras empresas na China a anunciar um roteiro de carbono zero líquido, a Nestlé está ativamente engajada em processos para lidar com a mudança climática com seus parceiros em Laixi à medida que seus negócios continuam crescendo, comprometendo-se com emissões zero líquidas até 2050.

A empresa tem trabalhado para reduzir as emissões de carbono e o consumo de água, economizando um total de 600.300 toneladas de água encanada até o final de 2020.

No futuro, a Nestlé continuará trabalhando com agricultores, parceiros da indústria, governo e consumidores em uma tentativa de reduzir sua pegada de carbono e alcançar um desenvolvimento mais sustentável e de maior qualidade para a região.

TEXTO As informações são do Global Coffee Report / Tradução Juliana Santin • FOTO Matthias Oberholzer

Café & Preparos

Resiliência e xícara na mão: Como a cena de cafés em São Paulo tem enfrentado os desafios da pandemia?

Foto: Giulianna Iannaco

Como está o setor das cafeterias na maior cidade da América Latina neste mais de um ano de pandemia de Covid-19? São Paulo já passou por diversas faixas neste período: amarela, laranja, vermelha, roxa. A cada mudança alteram-se as regras para os estabelecimentos, que oscilam entre os status “atendimento reduzido”, “apenas para viagem”, “só delivery” e “tudo aberto novamente”.

E neste vai e vem fecham-se comércios para sempre, como é o caso da Hey Coffee!. A cafeteria que disseminava (e democratizava) a cultura dos cafés especiais no centrão da cidade, mais precisamente na Rua Dom José de Barros, encerrou as atividades em janeiro de 2021. “Já tínhamos o sentimento de que as coisas não iriam melhorar no começo deste ano. E também tem todos os outros fatores, como negociar aluguel todo mês e trabalhar apenas com um funcionário na operação”, conta Tiago Munch, fundador da casa.

Hey Coffee!, cafeteria que disseminava os cafés especiais no Centro de São Paulo. Atividades encerradas em janeiro de 2021 – Fotos: Divulgação

Devido à sua localização, a Hey Coffee! dependia muito do fluxo de pessoas que trabalhavam ou passavam pelo centro da cidade. Com o isolamento, a cafeteria perdeu forças, e por não ter a estrutura adequada, não conseguiu depender apenas do delivery. “Tivemos uma queda de uns 70% no movimento logo quando reabrimos, em junho. Como os escritórios seguiram fechados, assim como o SESC e a Galeria do Rock, todo aquele entorno que a gente alimentava deixou de existir. Isso impactou muito. Foi muito difícil ter que lidar com o estresse de tudo isso e ter que montar a operação de uma forma que ela sobrevivesse com o pouco de dinheiro que estivesse entrando”, lamenta o empresário. A economia do País, o aluguel alto, as contas e a segunda onda de contaminações resultaram na decisão do fechamento da cafeteria.

Pontos tradicionais que funcionavam há anos na cidade da garoa também se despediram dos paulistanos neste último ano. Na famosa Alameda Lorena, a unidade do Suplicy Cafés Especiais deu adeus em agosto de 2020. A decisão teve grande repercussão nas redes sociais, uma vez que a cafeteria servia xícaras da bebida no ponto desde leia mais…

TEXTO Gabriela Kaneto

Café & Preparos

SCA confirma realização da Specialty Coffee Expo em 2021 nos Estados Unidos

Em anúncio divulgado nesta quarta-feira (5), a Specialty Coffee Association (SCA) confirmou a realização da Specialty Coffee Expo ainda este ano. Cancelada em 2020 devido à pandemia, a feira acontecerá entre os dias 30 de setembro a 3 de outubro de 2021, em Nova Orleans, nos Estados Unidos.

De acordo com a organização, o evento seguirá um novo protocolo de segurança contra a Covid-19. “Ao lado de expositores de longa data, os eventos da feira que retornarão incluem o Best New Product Awards, o Coffee Design Awards, o Roaster Village, o US Coffee Championship e mais”, escreveu Yannis Apostolopoulos, CEO da SCA.

As inscrições serão abertas em 1º de junho. “Queremos agradecer a todos que permaneceram comprometidos com a missão da SCA e da Specialty Coffee Expo no último ano. Estamos ansiosos para receber nossos expositores e participantes em Nova Orleans”, comemorou.

Mais informações: coffeeexpo.org

TEXTO Redação