Mercado

Indústria brasileira de café solúvel registra aumento nas exportações em 2021

Em mais um ano marcado pelo agravamento da pandemia de Covid-19, a Associação Brasileira da Indústria de Café Solúvel (Abics) destaca que ocorreram problemas na hora de distribuir produtos, como a falta de contêineres e de navios e a elevação dos fretes. Mas, apesar disso, o segmento de solúvel do Brasil se mostrou resiliente e, com investimentos das indústrias, bateu recordes em exportação e consumo interno.

O setor exportou o equivalente a 4,09 milhões de sacas de 60 kg de café solúvel para 98 países, o que representou um novo recorde ao avançar 0,6% na comparação com as 4,07 milhões de sacas registradas em 2020, até então o maior volume. Em receita cambial, o Brasil obteve US$ 566,2 milhões, superando em 6,1% as divisas alcançadas no ano passado (US$ 533,6 milhões).

Aguinaldo Lima, diretor de Relações Institucionais da Abics, destaca que os resultados de 2021 foram positivos diante de um cenário “surreal” de entraves logísticos e da disparada nos preços da matéria-prima. “O desempenho evidencia a capacidade de produção do café solúvel brasileiro, com nossas indústrias demonstrando resiliência. O crescimento de 0,6% é discreto, mas resultou no terceiro ano consecutivo de recorde histórico do volume exportado”, comenta.

No mercado interno, o segmento também teve desempenho expressivo, com o consumo equivalente a 985,3 mil sacas, ou o melhor desempenho das estatísticas da Abics, que adotou nova metodologia de coleta de informações mensais junto às indústrias nacionais. Esse montante implicou elevação de 5,9% na comparação com as 930,2 mil sacas consumidas em 2020.

“Internamente, o crescimento vigoroso foi proporcionado por uma maior percepção, por parte dos consumidores brasileiros, das qualidades e da versatilidade do café solúvel, que resultam do abraço das indústrias nacionais e das detentoras das grandes marcas à campanha ‘Descubra Café Solúvel’, coordenada pela Abics, nas redes sociais e junto a profissionais de barismo e cafeterias”, revela.

O diretor da Abics recorda que 2021 foi um ano marcado por grandes investimentos tecnológicos para modernização e ampliação do parque produtivo das indústrias brasileiras. Novas unidades de processamento começaram a operar nos estados do Espírito Santo e Paraná, além da previsão para o início das atividades, também em solo capixaba, de mais uma unidade no início de 2023.

“Esses investimentos, somados, ultrapassam R$ 1 bilhão e geram centenas de empregos, contribuindo com o social e a economia nesses Estados. Quando todas essas unidades estiverem em pleno funcionamento, no ano que vem, a capacidade de produção brasileira crescerá 18%, o que consolidará, ainda mais, o país como o maior parque industrial do mundo”, conclui Aguinaldo Lima.

O relatório completo está disponível aqui.

TEXTO Redação • FOTO Felipe Gombossy

Mercado

Vai uma geleia de café aí?

A parceria entre a Mermeleia Geleias Artesanais e o Café Campo Místico resultou em uma geleia de café ideal para harmonizar com sorvetes, bolacha de nata, queijos e pães. Foram cerca de dois anos de estudos e testes até chegar ao equilíbrio ideal entre textura, sabor e doçura.

Livre de conservantes, o produto artesanal é feito com grãos das variedades mundo novo e catuaí vermelho cultivados na Fazenda Campo Místico, em Bueno Brandão, no Sul de Minas. A torra do café também é feita pela microtorrefação da Campo Místico, em São Paulo.

O pote com 150 g da geleia de café pode ser encontrado no site das duas empresas por R$ 28.

Mais informações: mermeleia.com.br e campomistico.com.br 

TEXTO Redação • FOTO Carlos Cubi

Mercado

Pudding Pie e Amandha Barista se unem para comemorar os 468 anos de São Paulo

Para celebrar o aniversário de São Paulo, comemorado no dia 25 de janeiro, a Pudding Pie e a Amandha Barista presentearão todos os clientes que comprarem o pudim da Pudding Pie, durante o período de 24 a 30 de janeiro, com um pacote de café especial.

O café da promoção é um blend composto por grãos da variedade catuaí amarelo, produzidos no Espírito Santo, e da variedade obatã vermelho, cultivados na Alta Mogiana. Na xícara, a bebida traz notas de frutas secas, baunilha e açúcar mascavo.

Os pudins estão disponíveis nos sabores: tradicional, dadinho, pistache e nozes caramelizadas. Também entra na lista o pudim zero açúcar, feito com calda de mel. É possível pedi-los nos tamanhos individual, médio, grande e em formato de coração.

Serviço
Pudding Pie
Delivery: de segunda a sexta, das 8h às 18h; sábado e domingo, das 9h às 17h.
Retiradas: de segunda a sexta – Rua Alvorada, Vila Olímpia – São Paulo (SP)
Mais informações: @thepuddingpie e @amandhabarista

TEXTO Redação • FOTO Divulgação

Mercado

Nespresso apresenta linha de cafés gelados para refrescar o verão

A Nespresso traz de volta ao Brasil sua linha de cafés para serem consumidos com gelo. Além dos sabores Freddo Delicato e Freddo Intenso, a linha Barista Creations For Ice vem com o lançamento Coconut Flavour.

“Com a edição limitada Barista Creations For Ice, voltada para o consumidor final, queremos transportar o nosso público para uma experiência de verão. Essa é uma tendência de consumo divertida que tem tudo a ver com o brasileiro. Acreditamos no potencial do consumo com gelo em um mercado tão apaixonado pelo calor e pelo café como o Brasil”, ressalta Monica Lopes, Diretora de Marketing da Nespresso Brasil.

Na xícara, o Freddo Delicato apresenta notas frutadas de cafés do Quênia e da Indonésia, que ficam ressaltadas quando extraído com gelo. Já o Freddo Intenso traz a potência de grãos do Peru e da Indonésia, destacando notas amadeiradas e de cereal torrado em sua versão gelada.

O lançamento Coconut Flavour conta com aroma de coco e toque de baunilha. Ideal para ser consumido gelado, a dica da marca é extrai-lo na medida espresso (40 ml) e acrescentar quatro pedras de gelo + 90 ml de água ou leite gelado.

A linha Barista Creations For Ice é uma edição limitada. As três cápsulas podem ser encontradas no e-commerce da Nespresso por R$ 3,30 a unidade.

Mais informações: www.nespresso.com/

TEXTO Redação • FOTO Divulgação

Mercado

Confira as 10 principais tendências globais de consumo da Euromonitor

A empresa global de pesquisa de mercado, Euromonitor International, lançou o relatório “As 10 Principais Tendências Globais de Consumo 2022”, que define as tendências que vão motivar o comportamento dos consumidores e desafiar estratégias de negócios no próximo ano.

Segundo a pesquisa, mudanças radicais no estilo de vida motivaram os consumidores a tomarem decisões de forma intencional, consciente e ambiciosa em 2021. Agora, eles estão colocando os planos em ação, se aventurando e aproveitando o momento. As empresas precisam evoluir tão rápido quanto as mudanças de comportamento do consumidor.

Sempre com um plano B

Os consumidores encontram soluções criativas para comprar seus produtos desejados ou pesquisar as próximas melhores opções diante da grande escassez causada por interrupções das cadeias de abastecimento.

Agentes do clima

A eco ansiedade e a emergência climática promovem o ativismo ambiental para uma economia “net zero”. Em 2021, 35% dos consumidores no mundo reduziram ativamente suas emissões de carbono. leia mais…

TEXTO Redação • FOTO Alphacolor

Mercado

Fundação Ernesto Illy e illycaffè lançam 11º Mestrado em Economia e Ciência do Café na Itália

Na última segunda-feira (10) começou o 11º Ano Acadêmico do Mestrado em Economia e Ciências do Café – Ernesto Illy, com o objetivo de oferecer aos alunos formados em economia, engenharia e ciências agrícolas uma formação aprofundada sobre a cultura do café, da planta à xícara, no valor social do consumo do café e na cultura dos países produtores.

O Mestrado em Economia e Ciência do Café – Ernesto Illy conta com um conjunto de professores de instituições como a Universidade de Trieste, Universidade de Udine, Drexel University, Kedge Business School, MIB Trieste School of Management, Universidade de Pádua, Universidade de São Paulo (USP), Universidade de Trento, Universidade do Norte do Colorado, Universidade de Copenhagen e o World Coffee Research. Os parceiros que apoiam o Mestrado são a Universidade de Trieste, a Universidade de Udine e a SISSA – Scuola Internazionale Superiore di Studi Avanzati di Trieste (Escola Internacional de Estudos Avançados de Trieste). A Fundação Ernesto Illy contribuiu com 11 apoios econômicos e quatro parciais para estudantes vindos de países produtores de café. A Fundação Friuli confirmou para este ano letivo uma bolsa de estudos para um aluno da área de Udine.

Este ano letivo conta com 23 alunos matriculados de 16 países: Brasil, Colômbia, Costa Rica, Etiópia, Grécia, Guatemala, Honduras, Índia, Indonésia, Itália, Quênia, Moçambique, Nicarágua, Estados Unidos, Ucrânia e Uganda. Entre os 206 estudantes vindos de 33 países que se formaram nas 10 edições anteriores, 88% deles continuam ativos no mundo do café e melhoraram sua posição profissional após terem feito o Mestrado.

Pela primeira vez nos nove módulos, o curso será ministrado na modalidade híbrida e se estenderá ao longo de doze meses – de janeiro a dezembro de 2022 – tanto por meio de aulas on-line quanto com atividades laboratoriais no período de setembro e outubro, a serem realizadas na sede da illycaffè, em Trieste, na Itália, proporcionando aos alunos que trabalham a possibilidade de cursar o Mestrado.

Os diretores do Mestrado são Furio Suggi Liverani, nomeado pela illycaffè; Andrea Tracogna, nomeado pela Universidade de Trieste; e Pietro Romano, nomeado pela Universidade de Udine.

TEXTO Redação

Mercado

Sustentabilidade e remuneração justa: As principais tendências de consumo para 2022

Foto: Felipe Gombossy

A Fairtrade America lançou cinco tendências principais que terão efeito sobre como as marcas trabalham e impactam as pessoas e o planeta em 2022. De acordo com os dados, os consumidores procuram cada vez mais produtos de origem ética.

Mais da metade dos entrevistados do relatório bienal Fairtrade Consumer Insights, conduzido pela GlobeScan, confirmaram que mudaram suas opções de compra no ano passado para fazer a diferença em questões econômicas, sociais, ambientais ou políticas.

“Estamos entusiasmados com a forma como os consumidores estão demonstrando disposição para defender as pessoas e o planeta por meio de suas próprias escolhas diárias”, disse Peg Willingham, diretor-executivo da Fairtrade America. “Na Fairtrade America, continuaremos a fazer parcerias e apoiar empresas que desejam equilibrar o poder do comércio global para beneficiar os agricultores e trabalhadores por trás de nossos produtos favoritos. Estou ansioso para ver como as marcas assumirão esta causa em 2022”, afirmou.

A Fairtrade America prevê que os consumidores continuarão exigindo que as empresas se concentrem mais na sustentabilidade. Mais de um quarto dos entrevistados dizem que sempre ou geralmente baseiam suas compras em produtos de origem e produção sustentáveis.

Foto: Agência Ophelia

Os dados também preveem a defesa dos direitos humanos e salários justos. Em 2021, 73% dos compradores da Fairtrade estavam dispostos a pagar mais por um produto para garantir que os agricultores e produtores recebessem um preço justo.

Enquanto o mundo está reabrindo lentamente em meio à pandemia, a Covid-19 levou mais consumidores dos Estados Unidos a fazerem compras on-line, e essa é uma tendência que continuará em 2022.

A Fairtrade Australia também prevê que os compradores procurarão organizações e empresas que promovam a igualdade de gênero. Compradores frequentes da Fairtrade se preocupam mais do que a média com as causas das mulheres, de acordo com dados da pesquisa GlobeScan.

O relatório diz que há um desejo claro do consumidor de apoiar marcas que não apenas cuidam de suas próprias equipes e fornecedores, mas também contribuem para tornar o mundo um lugar melhor. 70% dos consumidores indicaram que a rastreabilidade é muito importante para eles e que estão dispostos a pagar pelas marcas que a fornecem.

TEXTO As informações são do Global Coffee Report / Tradução Juliana Santin

Mercado

Henrique Cambraia assume a presidência da Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA)

Pelo próximo ciclo de 12 meses, Henrique Dias Cambraia será o presidente da Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA). Conforme eleição do Conselho Diretor da entidade, ele sucede Guilherme Salgado Rezende e terá, como vice-presidente, Carmem Lucia Chaves de Brito (Ucha).

Para o novo presidente da BSCA, o grande desafio de sua gestão é dar continuidade à consolidação da imagem da cadeia de cafés especiais do Brasil e, cada vez mais, posicionar o país como um dos melhores produtores e exportadores com certificações de sustentabilidade do mundo.

“Os produtores brasileiros conquistaram grande espaço no mercado de cafés especiais ao longo dos últimos 30 anos, refletindo todo o trabalho que a BSCA faz desde sua fundação, em 1991. Agora, temos o objetivo de subir ainda mais a régua das qualidades, aromas e da consistência que o Brasil tem a oferecer ao mercado internacional, assim como aos consumidores brasileiros”, revela.

Carmem Lucia, vice-presidente, e Henrique Cambraia, novo presidente da BSCA

Diante da elevação de padrões internacional pretendida, Cambraia afirma que, para o mercado externo, a Associação tem o desafio e a oportunidade de mostrar ao mundo nossa diversidade, consistência de entrega, com altíssimos padrões de qualidade. “Nossos produtores, a cada dia, produzem qualidades que agradam ao mundo consumidor, de maneira sustentável, sempre envolvendo o respeito ao meio ambiente e à responsabilidade social, que são importantíssimos em tempos de mudanças climáticas e grandes desafios sociais”, comenta.

Já para o mercado interno, ele aponta que é preciso consolidar ainda mais a posição da BSCA como entidade que traz confiança e credibilidade nas certificações de cafés especiais. “Consumir um café com certificado BSCA é ter a garantia de saborear um produto realmente especial, de altíssima qualidade”, assegura. “Vamos enaltecer os trabalhos da Associação com foco em certificação e formação e educação de pessoas afins ao mundo dos cafés especiais, o que permite a conexão entre produtor e consumidor, de maneira transparente, com total rastreabilidade”, completa.

Cambraia destaca, ainda, a gestão de seu antecessor e celebra o fato de contar com Carmem Lucia a seu lado. “O Guilherme merece um agradecimento todo especial pela forma como conduziu a leia mais…

TEXTO Redação • FOTO Divulgação

Mercado

Guia de Cafés #12: dicas do que estamos tomando

Acabou o ano! Mas antes dele terminar, não podemos ficar sem os nossos cafés para as festas e para iniciar o ano de forma doce e saborosa. Recebemos dezenas de cafés nos últimos meses e neste Guia de Cafés recomendamos aqueles que foram recebidos pela nossa equipe e aprovados. A proposta é que possamos “assinar embaixo” de produtos com rastreabilidade e qualidade.

Aqui na redação da Espresso ainda estamos trabalhando todos de casa devido à pandemia do Coronavírus, faz 22 meses. Conte para nós que cafés está tomando e experimente essas novidades! As dicas de mais de 20 cafés desta leva da Espresso são grãos super variados. Quer nos enviar? Saiba como no fim desta matéria. Veja o que separamos para você:

Bom Retiro Café – Pau-Brasil

Produzido por: Fazenda Bom Retiro
Produtor: Gustavo Sturm
Região: Extremo Sul da Bahia
Espécie: canéfora
Variedade: conilon
Mais informações: Fazenda campeã do Coffee of The Year 2020 – Categoria Canéfora
Outros cafés da marca: Jacarandá-da-Baía
Compre aqui.

Café Rock Star

Produzido por: Sítio Grãos de Ouro
Produtor: Luiz Claudio de Souza
Região: Muqui (ES) – Sul do Espírito Santo
Espécie: canéfora
Variedade: conilon
Torrado por: Cafesul
Processamento: natural
Sensorial do café: marcante, vinho, caramelo e frutas vermelhas
Mais informações: Fazenda tricampeã do Coffee of The Year 2018/2019/2021 – Categoria Canéfora
Preço: R$ 39,90 (250 g) – Grão ou moído
Compre aqui.

Don Bento – Robusta Amazônico

Produzido em: Sítio Rio Limão
Produtor: Família Bento
Região: Cacoal (RO) – Matas de Rondônia
Variedade: robusta amazônico
Espécie: canéfora
Processamento: fermentação controlada
Torrado por: Don Bento
Sensorial do café: sabor de castanhas, caramelo e cacau. Corpo aveludado e acidez equilibrada
Compre aqui. leia mais…

Mercado

Home office ou híbrido? Pesquisa destaca tendências sobre novo cenário de trabalho

Foto: Andrew Neel

A Nespresso Professional, segmento da companhia responsável por soluções para escritórios, hotéis, restaurantes e cafeterias, traz a Pesquisa Nespresso Professional: O Futuro do Ambiente de Trabalho no Cenário Pós Pandemia, que busca compreender as tendências sobre o futuro do ambiente de trabalho neste momento de volta para os escritórios.

A pesquisa foi desenvolvido em parceria com os institutos de pesquisa Nestlé C.Lab, Ginger Strategic Research e Innova.La, com o propósito de fomentar diálogos por meio de conteúdo de relevância para o mercado brasileiro, principalmente com o cenário de retomada.

“O estudo da Nespresso Professional surgiu como uma consequência da série de questionamentos que temos visto sobre o futuro do trabalho, devido ao movimento de volta aos escritórios. Tal inquietude nos motivou a aterrissar essas dúvidas em algo tangível, como uma pesquisa, que pode nos guiar e inspirar durante o processo de retomada das atividades presenciais”, afirma Ignacio Marini, CEO da Nespresso Brasil.

A pesquisa analisa diversas esferas, como os novos modelos de trabalho, os escritórios e espaços, interação entre colaboradores e líderes, além de aspectos como produtividade, saúde mental e bem-estar, a partir de seis principais insights sobre o tema:

O brasileiro é sociável e o escritório promove essa comunicabilidade

No cenário pós-pandemia, as empresas precisarão adaptar seus escritórios pensando em ressignificar as relações entre os colaboradores. As perdas trazidas pela pandemia são claras. Se antes o espaço de trabalho trazia uma sensação de coletivo e contato próximo, agora o funcionário se sente distante e sozinho. Porém, o trabalho em casa também trouxe uma maior flexibilidade e mais tempo para ficar com a família.

Na pesquisa alguns dos problemas citados foram:

  • Diminuição de oportunidades de convivência com a equipe (72%)
  • Dificuldade de comunicação (31%)
  • Relacionamento mais impessoal (13%)

Isso mostra que, nessa retomada híbrida, que intercala o modelo presencial e remoto, os funcionários buscarão mais oportunidades de descontração e conversa com os colegas quando estiverem presencialmente no escritório, deixando as tarefas individuais para os dias que estiverem trabalhando de casa.

Desencontro entre visão dos gestores e colaboradores

Se por um lado os gestores acreditam que o home office pode melhorar o bem-estar dos colaboradores e permitir o equilíbrio entre vida profissional e pessoal, por outro a pandemia intensificou problemas relacionados à saúde mental. A maioria dos gestores sabe que é um tema que precisa ser discutido, mas será que estão ouvindo seus colaboradores e investindo em ações que realmente farão a diferença?

De modo geral, percebe-se uma unicidade na opinião dos gestores entrevistados. Porém, o paradoxo está relacionado às divergências encontradas na comparação entre essas respostas e as dadas pelos leia mais…