Café & Preparos

Coadores de pano: menos papel, mais café!

Morando no Brasil desde 2016, a barista venezuelana Giovanna Serrano idealizou o Fabrikafe, no início de 2020. Dois meses depois, no início da quarentena na cidade de São Paulo (SP), Giovanna decidiu pôr em prática as ideias, costurando os primeiros filtros de algodão cru.

“Com tanto tempo dentro de casa, vieram-me as lembranças das origens de minha família produtora de café na região de Portuguesa, na Venezuela. Cerquei-me de tecidos, fitas métricas e tesouras. Entre uma xícara e outra, fui desenvolvendo os primeiros modelos, guiada pela minha experiência como barista”, explica.

Hoje a marca tem uma loja on-line onde Giovanna recebe os pedidos. De acordo com ela, até novembro de 2020 já foram encomendados mais de 800 filtros de algodão. No e-commerce é possível encontrar modelos para Hario V60, Melitta, Clever e o tradicional coador de pano, e os preços variam entre R$ 18 e R$ 23.

Para a barista, o Fabrikafe se resume não apenas às vendas, mas também à sustentabilidade, ao consumo de cafés de forma consciente e ao diálogo constante sobre as experiências que envolvem a bebida.

Mais informações: fabrikafe.co

TEXTO Gabriela Kaneto • FOTO Divulgação

Café & Preparos

Museu do Café: 4 atividades on-line em abril para quem quer aprender mais sobre a bebida

Jim Kalligas

Voltando a maximizar a programação cultural on-line, o Museu do Café, da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, oferecerá lives e cursos gratuitos ao longo de abril.

A agenda, dedicada aos mais variados temas dentro do universo do grão, ocorrerá por meio das mídias sociais e outras plataformas digitais. O edifício da antiga Bolsa Oficial, onde o Museu fica localizado, está fechado desde o último dia 6, seguindo as determinações do governo estadual. Confira a agenda:

6/4, às 17h
Live “Conexões: um café com Portinari”

O Museu do Café iniciou, em 2020, uma série de transmissões ao vivo pautada pela ligação entre o seu acervo e o de outras instituições culturais do estado. A ideia é encontrar relações e intersecções, formando, assim, uma rede de construção de conhecimento. Neste ano, a programação especial, promovida em parceria com o Sistema Estadual de Museus de São Paulo (SISEM-SP), continua a desenvolver novos assuntos. No próximo mês, o parceiro será o Museu Casa de Portinari.

As equipes irão se reunir no YouTube do Museu do Café para apresentar as convergências das coleções e responder às perguntas dos espectadores. Participarão os pesquisadores Bruno Bortoloto e Pietro Amorim, a gerente geral Cristiane Maria Patrici e o assistente de acervo, Matheus Cardozo Maia.

7 a 15/4
Projeto on-line “Conexões: casa brasileira e café”

Nos próximos dias 7 e 15, os Museus do Café e da Casa Brasileira irão selecionar objetos relacionados ao preparo e consumo dessa bebida tão amada no País e abordar a sua relação a partir da troca de informações e perspectivas. A inciativa leia mais…

TEXTO Redação • FOTO Jim Kalligas

Café & Preparos

Universo de sensações: café com especiarias

Quem não curte um cappuccino com espuma de leite? Ou um chococcino pra esquentar os dias frios? O café é uma bebida muito querida no nosso país e muito presente no nosso dia a dia, sendo versátil nas mais diversas situações. Muitas misturas podem resultar em bebidas deliciosas e marcantes, sem apagar o verdadeiro gosto do café, mas vale lembrar que a diversidade de combinações não para por aí.

Para enriquecer as características do café e as sensações que ele propicia, podemos adicionar especiarias usadas em diversas culturas espalhadas pelo mundo, que, além de saborosas, trazem benefícios para a saúde. 

Quando bebemos ou comemos algo, buscamos sentir sabores e aromas que nos surpreendam através dos sentidos. Segundo a barista Paula Dulgheroff, as especiarias propiciam sensações no palato que são muito peculiares de cada uma delas, podendo realçar receitas e causar impressões emocionais e físicas.

4 especiarias para provar junto com o café

Canela
A canela pode ser polvilhada por cima da espuma do leite em um espresso, o que lembra bastante os quitutes caseiros por ser uma bebida aconchegante e saborosa.

Gengibre
Para acrescentar o gostinho do gengibre na bebida, o ideal é ralá-lo e filtrá-lo junto com o café. Com um sabor suave, é uma boa opção para ajudar com as vias aéreas e resfriados.

Cardamomo
Perfeito para o preparo de café turco. No modo de preparo, ferve-se o cardamomo junto com o café e a água fria e filtrada, resultando em uma bebida intensa e aromática.

Cravo
Um café coado junto com o cravo da índia é uma boa pedida para os dias frios. Para lembrar o gostinho do quentão das quermesses, pode-se filtrar o café e o cravo junto com canela em pau e gengibre ralado. 

Receitas

Junto com o café, as especiarias têm o poder de trazer para a xícara sensações picantes e uma vasta gama de aromas e sabores. Algumas especiarias possuem poder termogênico, antioxidante e até erótico! Clique aqui para conferir 3 opções de café com especiarias!

TEXTO Gabriela Kaneto • FOTO Daniel Ozana/Studio Oz

Café & Preparos

Estudo indica que casca e mucilagem do café podem ajudar na recuperação florestal

Um novo estudo descobriu que a casca do café e a mucilagem, que são retiradas no processo do café lavado, pode ser usada para acelerar a recuperação da floresta tropical em terras pós-agrícolas. Os resultados foram publicados no jornal Ecological Solutions and Evidence, da British Ecological Society.

No estudo, em 2018, pesquisadores da ETH-Zurique e da Universidade do Havaí espalharam 30 caminhões da casca e da mucilagem em uma área de 35 x 40 m de terra degradada na Costa Rica e, como controle, marcaram uma área de tamanho semelhante sem polpa de café.

“A área tratada com uma espessa camada se transformou em uma pequena floresta em apenas dois anos, enquanto a parcela controle permaneceu dominada por pastagens não nativas”, explica a Dra. Rebecca Cole, principal autora do estudo.

Os pesquisadores analisaram amostras de solo em busca de nutrientes imediatamente antes da aplicação e novamente dois anos depois. Eles também registraram as espécies presentes, o tamanho dos caules lenhosos, a porcentagem da cobertura do solo da floresta e usaram drones para registrar a cobertura do dossel.

A adição da camada de meio metro de espessura de casca e mucilagem eliminou as pastagens invasoras que dominavam o terreno. Essas gramíneas (família de plantas com folhas semelhantes a lâminas) costumam leia mais…

TEXTO As informações são do Technology Networks / Tradução Juliana Santin • FOTO Agência Ophelia

Café & PreparosMercado

São Paulo Coffee Festival é remarcado para 2022

Em comunicado divulgado nesta terça-feira (30) nas redes sociais da marca, a organização do São Paulo Coffee Festival anunciou que o evento, que estava planejado para acontecer na Bienal do Parque Ibirapuera entre os dias 25 a 27 de junho deste ano, foi remarcado para os dias 24 a 26 de junho de 2022 em decorrência da pandemia de coronavírus.

“Estávamos muito animados para encontrar todos vocês, tomar cafés de diversas origens e celebrar a cena dessa nossa bebida preferida em São Paulo, mas, infelizmente, com as complicações da pandemia de Covid-19, não poderemos estar juntos presencialmente este ano”, escreveram.

O evento, que busca promover os cafés especiais e a gastronomia local, faz parte do Coffee Festival, uma série de festivais que acontecem há mais de dez anos em diversas cidades do mundo, organizados pela Allegra Events, como Nova York, Cidade do Cabo, Amsterdã, Toronto, Paris, Los Angeles, Milão e Londres, este último que contará com uma versão on-line neste ano, em abril.

No Brasil a marca São Paulo Coffee Festival é uma joint venture entre a Allegra Events e a Espresso/Café Editora.

Serviço
São Paulo Coffee Festival
Quando: 24 a 26 de junho de 2022
Onde: Bienal do Parque Ibirapuera
Mais informações: www.saopaulocoffeefestival.com.br

TEXTO Redação • FOTO Divulgação

Café & Preparos

Guia de Cafés #7: dicas do que estamos tomando

Mês de março! Momento em que as fazendas estão se preparando para iniciar a colheita nos próximos meses. Completado um ano de pandemia de Covid-19, muitas marcas têm nos enviado cafés para divulgar novos trabalhos, produtos e lançamentos. Queremos então indicar os grãos especiais neste Guia de Cafés que foram recebidos pela nossa equipe. A proposta é que possamos “assinar embaixo” de produtos com rastreabilidade e qualidade.

Aqui na redação da Espresso estamos trabalhando todos de casa. Conte para nós que cafés está tomando e experimente essas novidades! Quem ainda continua trabalhando de casa, normalmente quer provar diferentes cafés e encontrar os preferidos.

As dicas de cafés especiais desta leva da Espresso são:

Mono Cafés Especiais – Fusão

Produzido por: Fazenda Esperança
Produtores: Bruno Souza e Dorvanil D’Agostine
Regiões: Cerrado Mineiro e Montanhas do Espírito Santo – Campos Altos (MG) e Vargem Alta (ES)
Variedades: catuaí amarelo e vermelho
Espécie: arábica
Processamento: natural e cereja descascado
Torrado por: Mono Cafés Especiais
Sensorial do café: doce de leite, caramelo, frutas vermelhas, acidez equilibrada,
Compre: www.cafestore.com.br
Preço: R$ 31,80 (250 g)

Conilon de Excelência Cooabriel

1º lugar no 17º Concurso Conilon de Excelência Cooabriel
Produzido por: Sítio Bela Vista
Produtor: Tiago Herzog Silva
Região: Nova Venécia – Espírito Santo
Espécie: canéfora
Variedade: Conilon
Processo: Natural
Torrado por: Trentino Cafés Especiais
Mais informações: www.cooabriel.coop.br leia mais…

TEXTO Redação • FOTO Mariana Proença e Giulianna Iannaco

Café & Preparos

Microtorrefação de Sorocaba (SP) presenteia vizinhos com pacotes de café

Com o objetivo de levar conforto neste período de isolamento social, os sócios da sorocabana 15 Coffee Company, Aline Codo, Daniel Carvalho, Mia Machado e Guilherme Moreira, resolveram estimular a política da boa vizinhança através da entrega gratuita de cafés especiais aos vizinhos da cafeteria e microtorrefação.

A iniciativa pretende distribuir pelo bairro, nas próximas semanas, pacotinhos de 50 g do café cultivado pela Aline: um catuaí 144, processamento natural, plantado a 945 metros de altitude na Fazenda Coqueiros, em Coqueiral (MG).

“É um momento muito complicado que estamos vivendo. Então pensamos em uma forma de aproximar mais nosso cliente e já que não podemos nos abraçar, oferecemos essas xícaras de café”, explica Daniel.

De acordo com ele, o presente também estimula o comércio local da região, pois apresenta ao público o negócio. “É uma forma de estimular as pessoas a dar preferência ao comerciante do bairro, girando o comércio da região e garantindo, assim, os empregos”, comenta.

Caso alguém também queira experimentar o café da iniciativa, o pacote de 250 g está a venda no site da 15 Coffee Company por R$ 25.

TEXTO Redação • FOTO Divulgação

Café & Preparos

Academia do Café oferece aula gratuita de introdução à prova de cafés especiais

Para quem quer aprender mais sobre cafés especiais, a cafeteria mineira Academia do Café realizará uma aula gratuita sobre introdução à prova de cafés especiais no próximo sábado (27), às 10h30, com o instrutor especialista Ivan Totti.

A ocasião é voltada para consumidores que querem aprender sobre análise sensorial de cafés, profissionais de outras áreas cafeeiras que desejam entender mais sobre as técnicas de prova e seleção de grão, e também para os curiosos e apaixonados por análise sensorial de bebidas em geral.

Ao fazer a inscrição no site para a aula gratuita, o participante receberá no e-mail cadastrado o link de acesso. A transmissão será inteiramente ao vivo em plataforma on-line e contará com duração de 40 minutos.

Alguns dos assuntos abordados serão: mitos e verdades sobre a prova cafés especiais, como escolher o melhor café, características ao paladar e olfato, como é a formação de sabor, além de qual caminho seguir para se tornar um provador de café profissional.

A edição gratuita marca o lançamento do curso de Degustação Técnica, também ministrado por Ivan Totti pela plataforma Hotmart, que será viabilizada em breve. Este curso será voltado para quem quer entender e saber provar e identificar as características de um café especial.

Serviço
Aula gratuita sobre introdução à prova de cafés especiais
Quando: sábado, 27 de março
Horário: 10h30
Inscrições: www.academiadocafe.com.br

TEXTO Redação • FOTO Agência Ophelia

Café & Preparos

A vida e as composições de Nando Reis

Compor é estruturar, juntar letras e palavras e escrever. Conversamos com Nando Reis sobre como é o dia a dia de produção da obra de um compositor que é referência para músicos nacionais e que deu forma, modelou e moldou muitas canções

Um quebra-cabeça em cima da mesa. Uma pequena bagunça para fazer as imagens da matéria. E Nando Reis topou todas as tentativas. “Vamos lá.” Cigarro, xícara de café e muitas ideias. “Vocês querem com cigarro?” Vários cliques, mesa arrastada, máquina de espresso funcionando e as fotos foram saindo. Diversão garantida. Muitas risadas depois, começamos com cronometrados quinze minutos que se transformaram em mais de uma hora e meia de muita conversa.

A tarde era tranquila. Nando iria ao jogo do seu time, o São Paulo, com os filhos, que aguardavam devidamente uniformizados. Na sala, alguns discos e o som logo na entrada mostram que ali vive um apaixonado por música. “Gosto de guiar e colocar um som no carro. Eu só não consigo ouvir música e ficar conversando, é estranho. Para mim música não é de fundo, me rouba a atenção e atrapalha a conversa. Não é um dogma, é só a forma como me relaciono com ela.”

O centro da conversa foi o processo de composição. Nando lançou em 2009 o disco Drês, que traz letras e músicas de sua autoria. “Eu adoro. É essencialmente prazeroso. O que mais gosto é de gravar disco para ter músicas para fazer os shows. Componho ininterruptamente. Não tenho o momento de compor para fazer o disco.” Desde 2002, ele mantém parceria com a banda Os Infernais. O processo de gravação de um disco tem uma forma, Nando leva as letras impressas e mostra as músicas no violão. E os arranjos e toda a criação final das composições são feitos em conjunto: “Tenho uma casa na Praia do Lázaro, em Ubatuba. A gente monta o equipamento no terraço e fica duas semanas todo mundo na mesma casa, dormindo e vivendo em função disso. Esta é a forma mais legal, porque fica fora de estúdio, num ritmo de vida mais coletivo. Como somos amigos, é gostosa essa convivência”.

Meu mundo ficaria completo

Compor sempre esteve presente na vida de Nando. Ele já esteve na lista dos dez maiores arrecadadores de direitos autorais no Brasil, de acordo com o Escritório Central de Arrecadação e Distribuição (Ecad), que contabiliza músicas tocadas em shows e execuções em rádio. Isto porque suas composições foram gravadas por bandas como Cidade Negra (Onde Você Mora, com Marisa Monte), Skank (Ainda Gosto Dela e Resposta) e Jota Quest (Do Seu Lado) e intérpretes como Cassia Eller (All Star, Relicário, Cegos do Castelo e O Segundo Sol) e Marisa Monte (Diariamente e Ainda Lembro).

“Desde criança escrevo poesias, dissertações, cartas. Tinha uma comunicação grande por correspondência com amigos que viajavam. Escrevia, desenhava e achava um barato ir aos correios escolher selos. Eu fiz muita poesia e as duas coisas se juntaram: tocar e escrever é a gênese do meu processo de composição.”

A trajetória começou como integrante dos Titãs, mas como compositor Nando criou uma identidade principalmente depois que começou a trabalhar com a cantora e compositora Marisa Monte. “Minha primeira música gravada fora dos Titãs foi no segundo disco da Marisa, com Diariamente. A partir desse momento comecei a trabalhar com muita gente e principalmente com Samuel Rosa, e deslanchou.”

Nando não é sistemático. Coloca como condição para compor estar concentrado e “isto é melhor quando sozinho, por isso eu componho muito no hotel quando viajo”. Em uma dessas viagens para o Rio de Janeiro, Nando conheceu Cássia Eller, na casa de Marisa Monte: “A Cássia era muito, muito tímida. Mostrei umas músicas pra ela nesse dia. Depois ela gravou uma música minha e mais duas outras e, em 1997, nos tornamos amigos e ficamos muito próximos”. Depois, ele esteve por quatro meses no Rio para gravar um disco e… “Invariavelmente eu ia pra casa dela e passávamos a noite inteira tocando, conversando e foi aí que ela me convidou pra produzir o disco Com Você Meu Mundo Ficaria Completo, em que ela gravou várias músicas minhas. Foram três anos de trabalho e a relação interrompida com a morte dela [em 2001]”.

Só cabe mesmo em mim

Nando já declarou em entrevistas que as vozes femininas que ele busca para interpretar suas letras são “uma espécie de canto de sereia do cordão umbilical”, e esta procura está diretamente ligada a sua mãe, que era professora de violão e cantava lindamente. “Ganhei o violão da minha avó e música sempre esteve presente lá em casa. Ninguém na família é profissional, eu que me tornei músico. Mas todo mundo comprava discos, ia a shows, isso desde muito pequeno, e assim continua com os meus filhos”. Em Drês, 12 músicas mostram um Nando que fala das paixões, das experiências, da família, da relação com a filha Sophia (em Só pra So), e em Mosaico Abstrato ele faz um convite para que o ouvinte entre em seus mais singelos e complexos sentimentos: E o que era longe hoje só é aqui/Tem rosto/E nome/De um jeito tão certo que só cabe mesmo em mim.

(Texto originalmente publicado na edição impressa da Revista Espresso referente aos meses março, abril e maio de 2010 – única publicação brasileira especializada em café. Receba em casa. Para saber como assinar, clique aqui).

TEXTO Mariana Proença • FOTO Gui Gomes

Café & Preparos

Instituto de Tecnologia em Alimentos oferece cursos e seminários on-line

Ao longo de 2021, o Instituto de Tecnologia de Alimentos (Ital), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, prevê a realização de 44 eventos on-line, sendo que 17 já estão com inscrições abertas no site.

O Ital fica em Campinas (SP) e realiza pesquisa, desenvolvimento, assistência tecnológica e difusão do conhecimento nas áreas de embalagem e de processamento, conservação e segurança de alimentos e bebidas.

Dentre as novidades, está um webinar gratuito da Comissão Internacional de Especificações Microbiológicas para Alimentos (ICMSF, International Commission on Microbiological Specification for Foods), que ocorrerá de 13 a 15 de abril.

O primeiro evento do ano será o curso “Regulamentos da Anvisa sobre embalagens e materiais plásticos destinados ao contato com alimentos”, que acontece na próxima semana. A capacitação é coordenada pelo Centro de Tecnologia de Embalagem (Cetea), que além de oferecer outros cinco cursos até novembro, promove de 12 a 15 de abril a 11ª Conferência Internacional de Embalagens Flexíveis, em parceria com a Tappi, organização dos Estados Unidos que congrega os setores de papel, embalagens celulósicas e embalagens flexíveis.

Outro evento com caráter internacional que ocorre em 30 e 31 deste mês é o “1º Seminário on-line sobre Projeto Sanitário para Indústrias de Alimentos”, organizado pelo Ital por ser Sede Regional do European Hygienic Engineering & Design Group (EHEDG), entidade europeia que agrega fabricantes de equipamentos, indústrias de alimentos, institutos de pesquisa e autoridades de saúde pública com o objetivo de aprimorar a segurança dos equipamentos utilizados pela indústria de alimentos e bebidas.

Em março também será a estreia dos eventos do Centro de Ciência e Qualidade de Alimentos (CCQA), com o curso “Microbiologia de alimentos: das técnicas de inoculação ao cálculo de resultados analíticos”, que está com inscrições abertas. Já os cinco módulos independentes do “Curso teórico de métodos de análise microbiológica de alimentos” ocorrem de 9 de abril a 7 de maio: Bolores e leveduras – Bacillus cereus; Enterobactérias – Clostridium perfringens; Staphylococcus spp e enterotoxina – Cronobacter sakazakii; Salmonella – Listeria monocytogenes e Contagem total de mesófilos aeróbios – Coliformes totais e Escherichia coli. A agenda da unidade ainda inclui “Webinar ICMSF – Atualização em inocuidade de alimentos” e os cursos “HACCP dos Fundamentos à Certificação” e “Métodos de análise microbiológica de alimentos”. leia mais…

TEXTO Redação • FOTO Green Chameleon