Mercado

Entrevista com Andrea Illy: “A Itália é amada em todo o mundo, por seu estilo de vida e seu café”

andrea_illy

A Itália está sediando de maio até 31 de outubro a Expo Milano 2015, megaevento que tem como tema a alimentação. Um dos pavilhões, em Milão, é dedicado ao café. A illycaffè, empresa italiana de mais de 80 anos, é responsável por esta área chamada de Coffee Cluster. O presidente da companhia veio ao Brasil e falou com a Revista Espresso sobre as atrações do evento, dentre elas o lançamento de um livro de sua autoria durante a Expo. E também sobre a preocupação do setor com as mudanças climáticas no mundo, que afetam diretamente os cafezais e as importações de cafés de empresas torrefadoras como a illycaffè.
Veja os principais momentos dessa entrevista exclusiva.

Como veem a mudança na qualidade do café por conta das questões climáticas? Como isso influencia o mercado?
O clima está mudando e o Brasil também é afetado, principalmente com secas e temperaturas mais quentes em algumas regiões de produção. É preciso diferenciar as práticas agronômicas, dependendo da situação. As alterações no clima comportam um clima muito errático, um por ser muito quente, outro por ser muito frio ou seco. Há algumas coisas básicas. A conservação da água. A irrigação é sempre necessária. Alguns agricultores dizem que a irrigação é também importante para baixar as temperaturas na plantação. Esse ano foi possível produzir uma boa quantidade de cafés naturais excelentes, o que normalmente não acontece, pois precisa fazer café descascado. Essas práticas serão necessárias no futuro, então é importante trabalhar agora para desenvolver variedades resistentes ao calor e à seca. Estabelecer um trabalho de adaptação utilizando todas as disciplinas da agronomia, com a tecnologia, biologia e tudo o que se tornar necessário.

Quais são as principais pesquisas que realizam na questão do clima, da planta e do desenvolvimento do cafezal?
Uma pesquisa que tínhamos no passado era de cafés descascados e hoje trabalhamos muito para reduzir a emissão de carbono e os resíduos fitossanitários. Hoje, outra pesquisa é sobre a diferenciação de qualidade na xícara, através de práticas agronômicas. Acho que deveríamos acelerar um pouco a pesquisa relacionada à da mudança climática, por que está indo mais rápido do que se imagina.

Quais serão as novidades da Expo Milano?
Estamos organizando a maior celebração do café da história, em Milão. A Expo é concentrada em torno da alimentação e, pela primeira vez da história, será a mais importante exposição de alimentação, considerando a importância socioeconômica do café.
As autoridades da Expo decidiram dedicar-se ao café especial e criaram o Coffee Cluster. A Illy foi escolhida para ser curadora de todo o programa. Vai ser uma enorme celebração do ponto de vista dos números, porque teremos seis meses de evento e um grande encontro entre países produtores e países consumidores.

leia mais…

TEXTO Mariana Proença • FOTO Fernando Sciarra/Café Editora

Café & PreparosCafeteria & Afins

Cafeteria em Denver, nos Estados Unidos, muda a vida de jovens moradores de rua por meio do café

photo 5 (3) Os amigos Mark Smesrud e Madison Chandler tinham um sonho: melhorar a comunidade de Denver, no Colorado (EUA), onde vivem, por meio do café. A ideia era contribuir de maneira positiva com os jovens moradores de rua locais, oferecendo uma oportunidade para mudar de vida, ter uma profissão e deixar as ruas. Assim nasceu a Purple Door Coffee. A cafeteria, aberta desde 2013, disponibiliza cursos gratuitos de administração de um estabelecimento, além de atendimento e habilidades do profissional barista, com o intuito de promover a inclusão no mercado de trabalho desses jovens. O projeto, que conta diretamente com o apoio da Dry Bones Denver – organização sem fins lucrativos que promove atividades relacionadas à nutrição e entretenimento para jovens de baixa renda -, busca contratar e empregar adolescentes e jovens adultos que queiram deixar a vida nas ruas para trás. O programa tem duração de 1 ano e é composto por aulas práticas e teóricas, além de atendimento psicológico aos participantes. Os funcionários devem exercer o trabalho regular de barista, além de cumprir com a responsabilidade de assistir duas aulas por semana. Uma das reuniões é chamada de “aula do currículo”, onde os jovens aprendem sobre higiene pessoal, orçamento e habilidades de entrevista. Já no encontro pessoal, os participantes se reúnem com uma treinadora, que promove a discussão de metas e como trabalhar as emoções pessoais.

Funcionário Mike preparando-se para fazer o café

Funcionário Mike preparando-se para fazer o café

A divulgação do projeto é feita através da instituição parceira, encarregada de comunicar aos moradores de rua a oportunidade oferecida na cafeteria. Ao inscreverem-se no programa, os interessados passam por uma entrevista que seleciona e orienta a contração. A loja, com fachada de cor roxa que dá nome ao lugar e remete a ideia de realeza e de que qualquer pessoal é atribuída de valores e merece ser tratada com cortesia e atenção, mantém um trabalho intenso na busca por servir um bom café. Segundo Mark, os baristas aprendem não só a servir o café, mas também sabem de onde ele vem e o trabalho que é feito até o grão chegar ao cliente final. photo (2) (3) O estabelecimento é mantido por meio de doações e lucros obtidos com as vendas da cafeteria, que conta, atualmente, com a ajuda de três funcionários. O programa já contribuiu com a contratação de oito pessoas e a formação de outras quatro desde que se iniciou.
Madison (à esquerda) e Mark na formatura da participante Jeena, no início do ano

Madison (à esquerda) e Mark na formatura da participante Jeena, no início do ano

Mike3 (3) Assista o vídeo sobre o projeto (em inglês) Purple Door Coffee from Purple Door Coffee on Vimeo. Aqui no Brasil, um trabalho semelhante vem sendo realizado pelo Sofá Café, em São Paulo, com a parceria de diferentes profissionais da área de café e alimentação, promovendo a inserção de jovens de baixa renda no mercado de trabalho em cafeterias. Mais informações Purple Door Coffee: www.purpledoorcoffee.com Fazedores de Café: sofacafe.com.br/projeto-fazedores-de-cafe

TEXTO Stephanie Schmiegelow • FOTO Divulgação/Purple Door Coffee

Mercado

Octavio Café lança linha de cápsulas de café

17123032680_0ee8d3b759_o O Octavio Café acaba de lançar a sua linha de cafés em cápsula. A coleção leva o nome de Preciosidades e está disponível em cinco diferentes versões: Topázio Imperial, Rubi, Ametista, Esmeralda e Safira. Cada tipo traz um perfil de torra distinto, com intensidades de sabor diferentes, para agradar paladares diversos. “A demanda de nossos clientes, a facilidade de preparo e o crescimento deste mercado motivaram o lançamento”, afirma Edgard Bressani, CEO do Octavio. O grão utilizado para o Topázio Imperial foi o Bourbon amarelo. Degustado por nossa equipe no dia de lançamento, esse café se mostrou saboroso, doce, com acidez equilibrada e muito frescor. Já para na caixa do Rubi está a variedade catuaí amarelo. O tipo Ametista traz a variedade catuaí vermelho. Já a versão Esmeralda apresenta grãos da variedade catucaí vermelho. E, por fim, a versão Safira foi elaborada com o icatú amarelo. Todos os cafés são das fazendas da marca, localizadas em Pedregulho (SP), na região da Alta Mogiana. As cápsulas são embaladas individualmente, em sistema “flow pack” que, de acordo com Edgard, preserva por mais tempo a qualidade do café encapsulado. Cada caixa conta com 10 cápsulas. Há a opção, ainda, da caixa “Selection” que vem com 10 unidades, mas com 2 sabores de cada um dos cafés oferecidos na linha. “Este é o nosso primeiro lançamento, mas vamos ter mais ao longo do ano, com edições especiais”, conta Edgard. 17123074020_ec3b5b0813_o A princípio as cápsulas podem ser adquiridas em supermercados e empórios de São Paulo, além do Octavio Café. A ideia é expandir a comercialização para o mercado do Nordeste e do Sul. Todas as cápsulas são compatíveis com as máquinas Nespresso. A marca planeja, ainda, o lançamento de um clube de café para os próximos meses. image001 Mais informações: www.octaviocafe.com

TEXTO Da redação • FOTO Divulgação/Octavio Café

Cafezal

Bahia é destaque em lançamento dos Cafés Premiados do Brasil

e45_IMG_0069 Regiões produtoras da Bahia foram destaque durante a 11ª Edição Especial dos Melhores Cafés do Brasil. Os cafés lançados por diferentes marcas são feitos com os grãos vencedores do 11º Concurso Nacional Abic de Qualidade do Café – Safra 2014, cujo campeão geral e da categoria Cereja Descascado é do município de Piatã e o vencedor da Categoria Microlote vem de Barra do Choça, ambos localizados na Bahia. O evento da última quinta-feira (30/4) marca a chegada ao mercado dos Cafés Premiados do Brasil, selecionados em concurso da Associação Brasileira da Indústria de Café (Abic) e adquiridos em leilão por torrefações e cafeterias. A iniciativa que reúne cafeicultores e indústrias, resultando nos lotes vencedores industrializados em embalagens de 250 gramas, que chegam a supermercados, lojas gourmet e cafeterias, em edição limitada e identificada com selo numérico. Durante o encontro, o produtor Cândido Rosa, de Piatã (BA) representou o campeão Antônio Rigno, sendo homenageado com certificado. Segundo Cândido, a vitória no concurso abriu as portas do mercado especializado para o município baiano. “Os produtores de Piatã, mesmo aqueles que não participaram de concursos ainda, já são vistos com outros olhos. Conseguem melhores preços quando dizem onde produzem”, revela. (Leia entrevista completa com os cafeicultores que também venceram o Cup of Excellence, em 2014). Ainda, segundo Nathan Herszkowicz, o diretor executivo da Abic, o destaque em meio à produção de cafés especiais se deve a somatória de alguns fatores. “O trabalho de técnicos e entidades apoiando o trabalho dos produtores é muito importante. Hoje, a diferenciação dos cafés de alto nível está muito ligada a origem, as regiões produtoras”, pontuou. O lote de Rigno, de seis sacas, teve duas delas adquiridas pelas empresas Grupo 2 Irmãos (Café Ghini) e Sobesa Indústria de Alimentos (Café Sobesa), que formaram o Consórcio Qualidade Brasil e pagaram R$ 5.000,00 cada saca, cerca de dez vezes acima da cotação do mercado. Esse foi o maior valor de aquisição pago por saca, o que rendeu para as empresas o título de Campeãs da Categoria Ouro. As outras quatro sacas do lote de Antônio Rigno foram arrematadas pela cafeteria Santo Grão, de São Paulo, por R$ 3.980 cada, totalizando R$ 15.920,00. Foi o maior investimento feito em qualidade, o que garantiu para a rede Santo Grão o título de Campeã na Categoria Diamante. Já o microlote campeão do concurso nesta categoria, de apenas duas sacas, com o café produzido por Eufrásio Souza Lima, em Barra do Choça, também na Bahia, foi arrematado pela cafeteria Armazém do Café, do Rio de Janeiro, que pagou R$ 2.500,00 por saca. Esse foi o maior lance por saca na categoria Microlote, o que rendeu à rede Armazém do Café o título de Campeã da Categoria Especial. Outro destaque nesta edição foi a participação da exportadora Starsantos que, no leilão, arrematou o lote do produtor José Clóvis Borges, de Divinolândia, São Paulo, campeão na Categoria Café Natural, e o lote de Café Natural de Greciano Lacerda Moura, de Espera Feliz, Minas Gerais. A empresa pagou R$ 1.350,00 cada saca do lote paulista (total R$ 8.100,00) e R$ 1.300,00 pelo café mineiro (R$ 7.800,00). Todos esses cafés foram exportados para a China. Confira os cafés desta 11ª Edição Especial: Categoria Cereja Descascado Café Ghini, Café Sobesa, Cafeteria Santo Grão – marcas elaboradas com o café produzido por Antônio Rigno de Oliveira na Fazenda São Judas Tadeu, em Piatã, Bahia. Características sensoriais: bebida aromática e equilibrado, com notas doces, frutas e chocolate, com leve nota de pêssego, acidez frutada e corpo aveludado. Café Baronesa e Café Supremo Arábica – marcas elaboradas com os grãos produzidos por Antônio Alves Vieira na Fazenda Baobá, em São Sebastião da Grama, São Paulo. Características sensoriais: bebida com fragrância frutada, com nota doce e frutada, com fundo achocolatado e caramelo, acidez média, encorpado. Café Ghini, Café Caiçara e Café Odebrecht – marcas elaboradas com os grãos produzidos por Marcos Lavoratto Novak, no Sítio Boa Esperança, em Ibaiti, Paraná. Características sensoriais: bebida com fragrância levemente frutada e com notas de caramelo, equilibrado. Categoria Cafés Naturais Café Ghini, Il Barista e Café Odebrecht – marcas elaboradas com os grãos produzidos por José Eduardo Correa Ferraz na Chácara Campina Verde, em Ribeirão Claro, Paraná. Características sensoriais: bebida com notas de caramelo a caramelo torrado, achocolatado, cereal, amêndoas e cítrico. Notas de banana-passa, com acidez média e encorpado. Café do Chef – marca elaborada com os grãos produzidos por Charles Souza Matos na Fazenda Gameleira 2, em Piatã, na Bahia. Características sensoriais: bebida com notas de especiarias, chocolate com acidez média alta, encorpado e residual sedoso. Categoria Microlote Armazém do Café – marca elaborada com o café produzido por Eufrásio Souza Lima, no sítio Boa Vista, em Barra do Choça, Bahia. Características sensoriais: bebida com notas amadeiradas, floral e amanteigado, com acidez frutada e sedosa, residual amendoado, doce e equilibrado. Café Ghini e Duetto Café – marcas elaboradas com os grãos produzidos por Adriano de Moura Bueno, no Sítio Ribeirão dos Pires, em Ibaiti, Paraná. Características sensoriais: bebida com notas de chocolate, avelã, amanteigado e nozes, com retrogosto de notas amadeiradas e notas abacaxi de fundo, acidez média, encorpado.   O material jornalístico foi produzido e publicado pelo site Café Point, parceira do Revista Espresso.

TEXTO Thais Fernandes • FOTO Alexia Santi/Café Editora

Mercado

Nespresso lança linha de chocolates no Brasil

, , , , A Nespresso começou a comercializar no Brasil a linha de chocolates da marca. Os chocolates são produzidos na Suíça e já são vendidos nos Estados Unidos e alguns países da Europa. Desenvolvidos exclusivamente para a harmonização com os cafés Nespresso, os chocolates estão disponíveis nas versões ao leite e amargo. O lançamento pode ser encontrado nas lojas da rede e custam R$ 39 (caixas com 40 unidades). Mais informações: www.nespresso.com

TEXTO Da redação • FOTO Divulgação

Mercado

Starbucks Brasil comemora 100 lojas com microlote

Brasil Nova Rezende_2

Na última quarta–feira (29/4), a Starbucks reuniu a imprensa para comemorar as 100 lojas espalhadas pelo Brasil. Para celebrar, todas as lojas estão servindo o Brasil Blend, um café vendido desde 2006. A novidade, no entanto, fica por conta do lançamento Brazil Nova Resende, um microlote selecionado em 74 pequenas propriedades do sul de Minas Gerais e torrado na Starbucks Reserve Roastery & Tasting Room, localizada em Seattle, no Estados Unidos.

O Brasil Blend é um café voltado para o público da América Latina (100% brasileiro), de torra média, com baixa acidez, processamento lavado e com notas de chocolate. Já o Brazil Nova Resende é elaborado com grãos de Minas Gerais, de torra escura, com baixa acidez, processamento natural e notas de ameixas vermelhas e figo seco, segundo a marca.

Para o gerente de marketing da Starbucks Brasil, Renato Grego, essas novidades caminham ao lado da estratégia global da empresa, que é a de oferecer produtos adaptados ao paladar e costumes de cada país. Para a elaboração desse novo blend foi feita uma pesquisa que, segundo Renato, constatou que o consumidor brasileiro gosta da experiência do momento, a experiência enquanto está tomando o café. Por isso, no Brasil, o café é servido com um acompanhamento. Para o espresso preparado com grãos da linha Brasil Blend será o mini muffin de chocolate. “O brasileiro gosta de ficar na loja, sentar e ser bem servido, por isso, a nossa estrutura para ter um espaço acolhedor. As comidas são típicas daqui, desenvolvidas para o brasileiro. Você não encontra pão de queijo e brigadeiro nas lojas dos Estados Unidos, por exemplo,” completa.

IMG_9398

O evento contou com a presença de Chad Moore, Starbucks Global Coffee Engagement. Segundo ele, o café brasileiro é especial, com sabores complexos e exclusivos. Norman Baines, diretor geral da Starbucks Brasil, também esteve no local e afirmou que são quatro décadas compartilhando café com milhões de clientes. “Hoje, temos o orgulho de oferecer aos clientes uma xícara de espresso preparado exclusivamente com o Brasil Blend, uma oportunidade de apreciar um dos melhores e mais raros cafés brasileiros da Starbucks Reserve”, disse.

IMG_9016

O Brazil Nova Resende da Starbucks vem de um microlote e, portanto, está disponível em quantidades limitadas por um curto período. Cada pacote de café em grãos é vendido por R$ 29,90 e pode ser moído ao gosto do cliente, sem custo adicional, em qualquer loja da rede.

TEXTO Natália Camoleze • FOTO Divulgação/Starbucks

Barista

Campeonato Xícara de Ouro elege barista campeã nacional

foto 2 A final da 6° edição do campeonato Xícara de Ouro, organizado pela Shell Select, em parceria com a Vitale Café, Ideal Work e Italian Coffee, aconteceu nesta última quarta-feira (29/4), no Hotel Estanplaza Paulista, em São Paulo, para eleger o barista campeão nacional da rede de lojas de conveniência dos postos Shell. O evento, que tem como objetivo promover os baristas da rede e estimular bons preparos de café, foi palco para a disputa das finalistas Antonia Fagna, de São Paulo (SP), e Andrea Santana, representando a cidade de Recife (PE) e eleita a campeã do torneio. As baristas foram avaliadas pela preparação de espresso longo, macchiato, cappuccino e mocha, além da bebida especial de assinatura, no tempo limite de 10 e 5 minutos, respectivamente.

Antonia Fagna preparando-se para sua demonstração

Antonia Fagna preparando-se para sua demonstração

Para a bebida de criação, Andrea utilizou chocolate alpino, espresso e leite vaporizado, diferenciando-se da bebida de sua oponente apenas pela ausência do uso de chantilly. “Eu não sabia que nós duas usaríamos os mesmos ingredientes, então resolvi apostar de última hora em colocar uma maior quantidade de chocolate”, revelou a campeã. As participantes deveriam usar apenas produtos disponíveis nas lojas de conveniência para preparar as bebidas, além de grãos da marca Vitale, provenientes das regiões de São Paulo e Minas Gerais. O torneio contou com a participação dos juízes Marco Mamana, sócio e diretor da Italian Coffee, como juiz sensorial, Edir Gaya, barista convidado como juiz qualitativo, e Gabriela e Fernanda Martins, como juízas técnicas. Para Marco, o destaque do evento se deu pela capacidade das participantes em preparar bebidas de qualidade. “Este é um movimento de vanguarda muito importante para o consumo interno de cafés no Brasil. O nível técnico está tão alto que as competidoras poderiam facilmente participar de campeonatos nacionais”, disse o juiz. Segundo uma das organizadoras do evento, Cristina Tosta, a competição recebeu cerca de 448 inscrições. As eliminações foram feitas através da avaliação de vídeos enviados pelos participantes e, posteriormente, pelo julgamento presencial, que selecionou quatro semifinalistas para disputar o campeonato regional. Entre elas estão Suzana Schreder, de Pomerode (SC), Elenilda Araujo, do Rio de Janeiro (RJ), Antonia e Andrea. A vencedora recebeu o prêmio de R$ 1.000 e a chance de ter sua bebida inclusa no cardápio dos estabelecimentos. foto 3

TEXTO Stephanie Schmiegelow • FOTO Café Editora

Mercado

Amma Chocolate inaugura Casa do Sabor em São Paulo

amma4

A Amma Chocolate inaugurou na última sexta-feira (24/5), sua primeira loja oficial em São Paulo, na região dos Jardins.

O espaço abrigará encontros, exposições e palestras com temas voltados ao universo do chocolate, da gastronomia e da preservação ambiental. Segundo um dos sócios da marca, Diego Badaró, o local escolhido para a abertura da loja reflete a preservação da história da cidade. “Escolhemos esse local, pois é um patrimônio cultural e arquitetônico da cidade e que ainda preserva uma parte da história de São Paulo e claro, do Brasil. E é esse o objetivo principal da nossa marca: o compromisso com a preservação (das matas e da cultura) e levar conhecimento ao nosso público”, afirma Diego.

amma2

No estabelecimento também será possível encontrar fotos de fazendas de cacau do sul da Bahia e fotos da fábrica e do processo de produção. Conta, ainda, com uma área para exposições de fotos históricas sobre cacau, garimpadas na biblioteca nacional e no Instituto do Cacau.

amma1

amma3

Além dos chocolates da marca, a casa também oferece quitutes preparados com produtos Amma e café elaborado com grãos da Terroá Cafés Especiais.
Serviço
Casa do Sabor
Local: Alameda Ministro Rocha Azevedo, nº1052, São Paulo – SP
Horário: de segunda a sábado, das 9h às 19h
Mais informações: http://www.ammachocolate.com.br ou (11) 3062-0240

TEXTO Da redação • FOTO Divulgação

CafezalMercado

Exposição de Sebastião Salgado reúne 75 fotos de cafezais pelo mundo

ILLY

Entre os dias 6 de maio e 27 de setembro, a Fundação Bevilacqua La Masa, em Veneza, na Itália, sediará a exposição “Perfume de um sonho – Uma viagem no mundo do café”, do fotógrafo Sebastião Salgado. A mostra contará com 75 imagens, capturadas durante a jornada do artista por cafezais de 10 países produtores. O trabalho, realizado a convite da illycaffè, com curadoria de Lélia Wanick Salgado, esposa do fotógrafo, homenageia trabalhadores agrícolas de todo o mundo. A exposição em Veneza será a primeira de muitas que acontecerão nos próximos três meses, em locais como Estados Unidos e Ásia.

Durante lançamento para imprensa, no dia 5 de maio, será lançado ainda um livro que dá nome a mostra. Além das imagens do fotógrafo, a publicação contará com textos do próprio Salgado, de Andrea Illy, CEO da illycaffè, do escritor chileno Luis Sepulveda e da crítica de arte italiana Angela Vettese. A exibição é parte de um projeto maior que a torrefação italiana apresentará ao público, por meio de uma série de eventos na segunda metade deste ano, não só em Veneza, mas também em Milão e Trieste, onde fica a sede da empresa. A partir do dia 1° de maio, Milão inaugura a Expo 2015, que terá como tema “Alimentando o Planeta, Energia para a Vida” e a illy é parceira oficial no evento, no comando do Pavilhão do Café, com a apresentação de diversas atrações relativas ao universo do café, do grão à xícara.

Serviço
Exposição “Perfume de um sonho. Uma viagem no mundo do café”
Data: a partir de 6 de maio
Local: Fondazione Bevilacqua La Masa, Piazza San Marco 71/c – Veneza – Itália
Mais informações: www.bevilacqualamasa.it/sebastiao-salgado

TEXTO Da redação • FOTO Sebastião Salgado/Divulgação illycaffè

BaristaCafezal

Encontro reúne produtores, torrefadores e baristas em Porto Alegre

coffee_cafe_torra_mao

Promover a interação entre produtor e consumidor e estimular o diálogo em todas as pontas da cadeia do café são os objetivos do evento Farmer2City, que será realizado entre os dias 29 abril e 1 de maio, em Porto Alegre (RS).

Organizado por Jonathan Hutchins, da microtorrefação de cafés especiais William & Sons Coffee Co., em parceria com a Café Fazenda Ninho da Águia e o Sítio Bela Vista, o encontro pretende levar mais informação ao consumidor e aos profissionais do grão, além de valorizar o trabalho do agricultor.

O evento contará com a presença dos produtores Clayton Barrossa, da Fazenda Ninho da Águia (MG), Alexandre de Andrade Emerich, do Sítio Bela Vista (MG), Moacir Aga Neto, da Federação dos Cafeicultores do Cerrado, Gabriel Drumond, sóciofundador do Mercado Brasco, Kyo Silva, barista da Qod Barbershop, Rodrigo Kirsch, fundador da Terça Expressa e Jonathan Hutchins, fundador e mestre de torra da William & Sons Coffee Co. Palestras, degustações e visitas em cafeterias estão na programação.

Serviço Data: 29 de abril a 1 de maio
Local: Anfiteatro do Centro de Eventos da Sogipa – Rua Barão do Cotegipe, 400 – Porto Alegre (RS)
Inscrições: R$ 30 (até o dia 28/4) e R$ 40 (no dia do evento)
Mais informações: farmer2city.com.br e contato@farmer2city.com.br

TEXTO Da redação • FOTO Alexia Santi