Cafeteria & Afins

Exprèx Caffè – Curitiba (PR)

exprex caffe terreo

Tradicional cafeteria de Curitiba e uma das primeiras a introduzir o café especial no mercado curitibano, a Exprèx Caffè surgiu em 1999. O nome francês remete ao café espresso, ainda uma novidade na cidade na época do lançamento. A casa tem ambiente aconchegante, com espaço para leitura e vários jornais, revistas e livros disponíveis para os clientes que quiserem relaxar por ali.

A gastronomia é diversa com opções de massas, omeletes e saladas como a de rúcula com frutas secas e a de folhas com queijo brie que podem acompanhar um grelhado. Pão de queijo, folhados e quiches também estão no cardápio.

xicara exprex caffe

Combinações
Os drinques de café fazem a fama do lugar que, desde 2008, conta com um blend próprio, produzido e torrado exclusivamente para a cafeteria pela Fazenda Baú. Entre as bebidas geladas estão o Coffee Shake, o Mocha Freddo e o Affogato di Menta. Para os dias mais frios, vá de Caldo Freddo, uma combinação curiosa de doce e picante, ou o clássico Irish Coffee. Também são servidos os tradicionais espresso, latte, macchiato e cappuccino que podem ser acompanhados do brownie, do parfait de frutas ou do crème brûlée com figo e morango.

Informações sobre a Cafeteria

Endereço Rua Quinze de Novembro, 784  lj 01
Bairro Centro
Website http://www.portal.exprexcaffe.com.br
Telefone (41) 3014-9579
Horário de Atendimento De segunda a sexta, das 9h às 21h. Fechado sábado, domingo e feriados.
TEXTO Natália Camoleze • FOTO Divulgação

Cafeteria & Afins

Artesanilo Café Bistrô – Curitiba (PR)

artesanilocafé

Em funcionamento desde 2013, o Artesanilo Café que também é Bistrô possui cardápio com massas, sanduíches e omeletes preparados com um toque caseiro e com personalidade. Doces e salgados artesanais também são especialidades. No espaço aconchegante, é possível provar opções do menu enxuto, mas bem elaborado, sempre destacando ingredientes frescos utilizados na culinária brasileira.

Café tem destaque
A casa oferece blend exclusivo, disponibilizado em dois métodos: espresso e coado na japonesa Hario V60. Serve outras bebidas elaboradas com café como Irish Coffee, Iced Cappuccino, feito com espresso duplo, leite gelado, açúcar e calda de chocolate. O cappuccino chega à mesa com um bonito latte art que anima o cliente e o affogato com sorvete de baunilha e espresso está entre uma das bebidas mais pedidas.

Dica do barista
Sonhos recheados com doce de leite, goiabada ou brigadeiro branco ficam ainda mais gostosos se acompanhados pelo espresso da cafeteria. O preparo é feito por baristas dedicados, que sempre sugerem diferentes experiências com café aos clientes.

Informações sobre a Cafeteria

Endereço Rua Nilo Peçanha, 1398
Bairro Bom Retiro
Cidade Curitiba
Estado Paraná
País Brasil
Website http://www.artesanilo.com.br
Telefone (41)3408-6338
Horário de Atendimento De terça a sábado, das 11h30 às 22h30; domingos das 12h às 17h
TEXTO Amanda Ivanov • FOTO Divulgação

Cafeteria & Afins

Gut Café – Niterói (RJ)

e45_gut2

A cafeteria oferece café e comidinhas e é também gestora do projeto Café com Talento, que tem o objetivo de envolver jovens da região na gastronomia. A iniciativa possibilitou que o barista André Fernandes ingressasse na área e hoje é ele quem organiza a casa. Salgados, pratos rápidos e doces estão no cardápio. O espresso, elaborado com blend Premier Gourmet, pode ser acompanhado pelo bolo caseiro de milho-verde com goiabada cascão.

Informações sobre a Cafeteria

Endereço Avenida Sete de Setembro, 131
Bairro Icaraí
Cidade Niterói
Estado Rio de Janeiro
País Rio de Janeiro
Website http://No Facebook: Gut Café
Telefone (21) 2714-0879
Horário de Atendimento De segunda a sexta, das 13h às 21h; sábados, das 8h às 17h. Fecha domingos e feriados

Receitas

Café espresso

café_espresso_receita

Ingredientes
• 7 g a 10 g de café moído para espresso
• 100 ml de água

Preparo
Disponha o café no porta-filtro e nivele delicadamente com os dedos. Faça a compactação, sem mexer o porta-filtro, pressionando levemente. Limpe ao redor do porta-filtro e compacte o café novamente, agora com mais força. Dê um flush (jato de água) e depois encaixe o porta-filtro na máquina. Faça a extração do café em cerca de 20 a 30 segundos. Mas, tanto o tempo da extração, quanto a quantidade de pó de café e a moagem são elementos a serem adaptados para cada tipo de café. O ideal é testar e provar as diferentes possibilidades com o seu café para encontrar a sua fórmula ideal.

FOTO Daniel Ozana/Estúdio Oz

Cafeteria & Afins

Molen Cafés Especiais – Manaus (AM)

molen_cafes_especiais

Com a ideia de oferecer cafés de qualidade, esta cafeteria inaugurada em março trouxe o conceito inédito à capital amazonense. O blend próprio é elaborado com grãos do Sul de Minas e do Cerrado Mineiro. Para acompanhar o espresso e o coado, serve quitutes de fabricação própria e da gastronomia regional, como o X-caboquinho, feito com tucumã e queijo coalho. Doces para todos os gostos compõem o cardápio que oferece ainda alfajores e cervejas importadas.

Informações sobre a Cafeteria

Endereço Av. Mario Ypiranga, 1.300 Manauara Shopping
Cidade Manaus
Estado Amazonas
País Brasil
Telefone (92) 8269-0066
Horário de Atendimento De segunda a sábado, das 10h às 22h; domingos e feriados, das 12h às 21h
TEXTO Amanda Ivanov • FOTO Divulgação

Receitas

Robusto

drinque_robusto_café

Ingredientes
• 20 ml de licor amaretto
• 20 ml de purê de pêssego (em calda)
• 20 ml de licor de damasco (apricot)
• 10 ml de suco de limão siciliano
• 10 ml de grappa tagliatella
• 10 ml de maple syrup
• 1 canela em pau
• 1 pitada de chocolate granulado

Preparo
Bata o pêssego no liquidificador até obter a consistência de um purê e reserve. Com ajuda da chama do fogão, queime a canela para extrair mais sabores e aromas. A seguir, aromatize a taça que será utilizada com a canela queimada e reserve. Bata todos os demais ingredientes, inclusive o purê de pêssego, na coqueteleira com gelo. Despeje na taça aromatizada, acrescente o gelo, a canela que foi queimada, uma pitada de chocolate granulado por cima e sirva.

FOTO Daniel Ozana/Estúdio Oz • RECEITA Marcelo Serrano, barman da Brasserie des Arts

Café & Preparos

Exclusivo no site: + entrevista com Silvio Leite

silvio_leite

Especialista em classificação, degustação e controle de qualidade de café, Silvio Leite tem mais de trinta anos de experiência no mercado cafeeiro. Exímio provador de cafés, é “cupper” certificado pela Specialty Coffee Association of America (SCAA) e participa como juiz em diversas competições de qualidade do grão. Silvio é o Personagem deste mês na revista e aqui você confere, com exclusividade, a continuação da entrevista publicada na Espresso #45.

Como é o trabalho de um classificador de cafés?
O classificador de café deve ser completo e pode atuar em áreas distintas, como produção nas fazendas, na comercialização com as empresas exportadoras e também importadoras e na indústria no controle da produção. Deve conhecer as classificações físicas, aplicando na análise física e sensorial. Todo o conhecimento é usado em todas as fases desde a produção até o café ser servido ao consumidor final. O classificador pode se especializar na parte das provas às cegas, perceber nuances de atributos de bebida como, tipos de acidez, se é doce, caramelo, sem defeito, e dar dicas para que as correções sejam feitas caso encontre problemas de processamento. Outra área é aquela que trabalha no comércio e ajuda as empresas a comprar, fazer a separação física, de bebida e preparar os blends de café, que atenda a demanda do mercado nacional e internacional, podendo trabalhar no Brasil ou no exterior. Pode atuar também nas torrefações na indústria, conhecimento físico e sensorial, um trabalho direcionado ao trabalho final de fábrica, por exemplo, compra o produto confere se esta de acordo e continua para ver se o esse alcança a expectativa que ele quer. É importante entender da parte econômica, de bolsa de mercadorias, como funciona a comercialização e como se definem os preços, conhecimento sobre mercado e, também, visando atender os clientes e feiras internacionais, é essencial saber se comunicar em inglês.

O que é importante na escolha para um bom café?
Profissionalmente falando, na hora de escolher um bom café, tenho que olhar seus atributos, o conjunto de suas qualidades. Para o consumidor que ainda não sabe detalhadamente todo este processo, tem uma ferramenta mais importante o “gosto ou não gosto deste produto”, ou seja, vou comprar ou não. Acho legal e sugiro fazer testes com diferentes produtos e conhecer um pouco mais cada um, comprar cafés diferentes e ver qual mais gosta. Primeiro, avaliar a torra, se gosta de uma elevada (escura) ou média, comprar, testar e memorizar os produtos que atingiram a expectativa de aroma e sabor. Pode-se diversificar, gostar de um mais encorpado, um mais ou menos ácido. Às vezes, pode-se encontrar esta diversidade em uma mesma loja. Importante na hora de escolher o café é testar. Tomara muito que seja aquele que te remeta a magia dos sabores memorizados da vida toda como o melhor já provado e que quando sinta vontade de tomar um café lembre-se daquele sabor, que toque a alma.

Para você, por que o café conquista tantas pessoas?
O café é prazer e compartilhamento. Por exemplo, em uma reunião de trabalho sempre tem um café, é o que traz energia, une os amigos. É como um elo para todos os momentos. Além de charme e prazer.

Qual método de preparo você mais gosta?
Eu amo café de filtro pela manhã, com uma torra clara, às vezes faço na french press, mas o de filtro é minha paixão. Na parte da tarde opto pelo espresso, curto e bem intenso.

Tem algum café que você destaca, algum que esteja chamado a sua atenção em suas degustações pessoais?
Gosto bastante do café da região da serra da Mantiqueira, em especial dos cafés de Carmo de Minas. Aqui da Bahia, o café da região da Barra do Choça, que ganhou o prêmio ABIC 2013, produzido pelo sr. Eufrásio Lima, tem me surpreendido muito. Também, os cafés da região de Mucugê e Piatã, que estou tomando o blend de dois lotes, da Fazenda São Judas Tadeu, tenho gostado bastante. Os cafés internacionais que mais tenho apreciado são o Yirgacheffe, da Etiópia, o Geischa, do Panamá, Narinõ, da Colômbia, e Huehuetenango, da Guatemala.

 

TEXTO Natália Camoleze • FOTO Guilherme Gomes

Café & Preparos

Galeria de fotos: baristas campeões visitam fazenda no Brasil

Hidenori Izaki, do Japão, vencedor do Campeonato Mundial da Baristas 2014, Christos Loukakis, da Grécia, 3º lugar na competição, e Lucas Salomão, vencedor do 3º Campeonato de Brewers – 2013, visitaram a Fazenda Daterra, em Patrocínio (MG).

O barista grego Christos Loukakis apreciando os grãos mineiros

O barista grego Christos Loukakis apreciando os grãos mineiros

 

Christos Loukakis e Hidenori Izaki selecionam grãos no terreiro suspenso

Christos Loukakis e Hidenori Izaki selecionam grãos no terreiro suspenso

 

O barista brasileiro, Lucas Salomão, vencedor do Campeonato de Brewers 2013, também participou da visita

O barista brasileiro, Lucas Salomão, vencedor do Campeonato de Brewers 2013, também participou da visita

 

Christos Loukakis preparando doses da bebida para serem provadas na conhecida prova de cupping

Terceiro colocado no mundial, Christos mostra sua arte de preparar espressos

 

Hidenori Izaki, campeão mundial de barista posa para a foto em cima do terreiro suspenso

Hidenori Izaki, campeão mundial de barista posa para a foto em cima do terreiro suspenso

 

Os três baristas brincam com grãos verdes nas peneiras

Os três baristas brincam com grãos verdes nas peneiras

 

Os campeões aproveitam um agradável piquenique na sombra do cafezal

Os campeões aproveitam um agradável piquenique na sombra do cafezal

TEXTO Amanda Ivanov • FOTO Lucas Albin/Agência Ophelia/Café Editora

Café & Preparos

Bruno Ferreira – Brother Hubbard, Dublin (IR)

bruno_fereira1

Em 2002, Bruno Ferrer Fox, como prefere ser chamado, ingressou na carreira de barista em São Paulo, trabalhando para a marca Cafeera. Dois anos depois, migrou para a Suplicy Cafés Especiais e, em 2006, conquistou a etapa São Paulo do Campeonato Brasileiro de Barista. Em 2010, alcançou a segunda posição na competição nacional e assumiu o posto de barista na Octávio Café e Bistrô, onde também lecionava cursos de formação de novos profissionais da área.

No ano seguinte, Bruno foi para Irlanda e, por lá, colocou em prática todo seu potencial no manejo de cafés especiais. Segundo ele, os diferentes sabores com que vem tendo contato são o ponto alto de sua carreira no exterior. “Na Irlanda a mudança da minha experiência foi com os sabores. Foi como se estivesse usando uma caixa de lápis de cores com modelos básicos para pintar e de repente encontro uma caixa com inúmeras cores e texturas aquareláveis. Os cafés daqui são surpreendentes”, conta.

Além disso, o fato de Bruno ter tido a oportunidade de conhecer uma plantação de café em solo brasileiro causa admiração e desejo de outros profissionais. “Os baristas que conheci aqui têm muita vontade de aprender e compreender como é uma fazenda de cafés e todos os processos, me perguntam como é estar lá, o trabalho dos cafeicultores… Sempre foi muito gratificante para mim e sempre respeitei muito essa etapa, mas nunca observei com este olhar de aventura que eles têm. Eles me fizeram perceber que compartilhar essa experiência é um trunfo”, disse.

Sonhador e confiante, para o futuro deseja ter seu próprio negócio, desenvolver suas ilustrações, viajar e visitar fazendas de café em vários países e diz que sente muita falta do pão de queijo brasileiro. “Aqui deveria ter! Os irlandeses não têm ideia dessa maravilha!”, conta.

TEXTO Amanda Ivanov • FOTO Paula Rúpolo

Café & Preparos

Italiana ou moka (desde 1933)

moka

Moagem: média grossa
Método: vácuo+pressão
Temperatura: quente
Rendimento: turma + dupla + individual
Tempo de preparo: médio

Feito na panelinha italiana de metal que se tornou um ícone do design mundial, produz um café bem intenso, lembrando o espresso.

Dicas: Além da água que deve ser colocada no compartimento inferior, coloque um pouco (algumas gotas) de água fria no compartimento superior. Assim, a água não passa tão quente pelo café, queimando-o. Sempre deixe a moka em fogo baixo.
Vantagens: custo, variedade de cores, formatos e tamanhos, e o resultado da bebida tem a potência e o corpo do espresso
Desvantagens: dificuldade de limpeza e bebida com amargor
Sugestão de Preparo da Espresso: encha o compartimento para o café (cerca de 2 colheres de sopa de café ou 20 g) + 150 ml de água.

FOTO Daniel Ozana/Estúdio Oz