Mercado

Love is in the air: 10 sugestões de presentes com café para o Dia dos Namorados

Quem tem um chamego que curte café levanta a mão! Neste sábado (12) é o Dia dos Namorados e, para te ajudar a acertar em cheio no presente, fizemos uma seleção de itens bacanas e úteis para você escolher qual é mais a cara do seu mozão. Vamos celebrar o amor e o café especial!

Para quem quer conhecer novos grãos

Essa caixinha linda da Manana Cafés vem com três pacotes de 50 g e um sticker holográfico. Os cafés foram cultivados nas regiões produtoras da Serra da Mantiqueira (MG), da Chapada Diamantina (BA) e do Caparaó (MG). Você pode escolher entre grãos ou moído.

Onde: www.mananacafes.com.br
Valor: R$ 37

Para quem busca uma nova experiência sensorial

Atenção, amantes de Curitiba! A Papila Cafés montou um kit composto por uma caneca de cerâmica de 300 ml da Mosca Cerâmica, um pacote de 200 g de café e um queijo canastra de 250 g da Queijaria Padan. Sabe o que combina tanto quanto vocês dois? Café e queijo!

Onde: www.instagram.com/papilacafes
Valor: R$ 120 leia mais…

TEXTO Gabriela Kaneto • FOTO Divulgação

Mercado

Parceria entre Grupo Utam e Recoffee Design cria peças artesanais a partir da borra do café

A partir do mês de junho, o Grupo Utam destinará seus resíduos gerados nos processos de produção e preparo da bebida para a criação de peças artesanais e exclusivas assinadas pela Recoffee Design, empresa de Ribeirão Preto (SP) que utiliza a borra do café como matéria-prima.

Além do fato das empresas terem sedes na mesma cidade, a pandemia de Covid-19 foi outro fator que aproximou as marcas. “Como nosso principal meio de obtenção de resíduo para matéria-prima são as cafeterias, com o fechamento imposto pela quarentena, o consumo nesses locais caiu, diminuindo a geração de borra de café”, explica a designer de produtos Ana Paula Naccarato, criadora da Recoffee ao lado do biólogo Sérgio Camargo. A dificuldade de encontrar a borra de café para suas criações gerou uma oportunidade: aproximou a designer à indústria cafeeira.

Com a parceria, todo o material destinado pelo Grupo Utam entra na linha de produção da Recoffee Design. A partir da borra do café e de elementos aglutinantes naturais, Ana Paula e sua equipe disponibilizam uma linha de mais de 60 modelos, entre biojoias, objetos de decoração e peças de revestimento de paredes, tudo no tom terroso que as diversas variações do café podem oferecer.

O Grupo Utam inaugura um novo processo com a iniciativa para reutilização do material orgânico que resta da sua produção, visando diminuir a parcela de lixo que é produzido e descartado em lixões e aterros sanitários. A proposta é minimizar a decomposição da borra de café no meio ambiente, de forma a diminuir os gases de efeito estufa e também de chorume.

Nos últimos anos, o Grupo vinha desenvolvendo pesquisas e levantamentos para encontrar parceiros para o desenvolvimento de soluções ambientais e encontrou, na criação da designer Ana Paula, uma finalidade de valorização artística e de fomento à economia criativa. “O projeto de reutilização da borra de café voltado para a criação de peças artesanais e leia mais…

TEXTO Redação • FOTO Divulgação

Mercado

Relatório da NCA e SCA traz dados sobre tendência de consumo de cafés especiais em 2021

A National Coffee Association (NCA) e a Specialty Coffee Association (SCA) uniram forças para divulgar um relatório que investiga as tendências de consumo de cafés especiais. Focado em categorias de especialidades para a publicação anual National Coffee Data Trends da NCA, lançada no início deste ano, o relatório ilumina as inúmeras maneiras pelas quais o consumo de café especial foi alterado pela pandemia Covid-19.

“Os dados mostram que 73% dos consumidores de cafés especiais têm maior probabilidade de sentir falta de suas cafeterias regulares, o que mostra como os negócios locais de café são importantes para nossas vidas diárias”, disse o CEO da SCA, Yannis Apostolopoulos, no anúncio de lançamento. “Esta parceria pioneira com a NCA nos permite levar análises de dados de consumidores para empresas de café especial para ajudá-las a superar este momento desafiador e voltar mais fortes do que nunca”, completou.

Todo o relatório de 64 páginas está disponível gratuitamente (com registro), mas aqui estão alguns dos argumentos mais interessantes, com dados baseados em pesquisas realizadas em janeiro de 2021:

Tendências gerais de consumo

36% das pessoas com 18 anos ou mais relataram beber cafés especiais no dia anterior, em comparação com 58% que relataram beber pelo menos uma xícara de café. Embora a pandemia certamente tenha afetado os padrões de consumo no curto prazo, isso pode ser motivo de preocupação para o setor de cafés especiais, uma vez que o leia mais…

TEXTO As informações são do Daily Coffee News / Tradução Juliana Santin • FOTO Andrea Tummons Ehymer

Mercado

Nespresso resgata cápsula Cafezinho do Brasil em homenagem aos seus 15 anos no País

Em celebração aos seus 15 anos no Brasil, a Nespresso resgatou uma de suas grandes homenagens ao mercado de cafés brasileiro e relançou, por tempo limitado, a linha Cafezinho do Brasil.

A variedade é composta por grãos arábica cultivados no Cerrado Mineiro, Espírito Santo, Carmo de Minas e Poços de Caldas, que provocam lembranças sensoriais aos apaixonados por café. De acordo com a marca, na xícara é possível encontrar um perfil sensorial intenso, com notas herbais, toque torrado e textura aveludada.

“A cultura do café brasileiro é rica, vibrante e profundamente arraigada no País. A bebida é sinônimo de boas-vindas: é oferecida a convidados na entrada de empresas ou de casa, permitindo que as pessoas compartilhem momentos por meio de um ‘cafezinho’. Essa conexão nacional nos inspirou a resgatar o Cafezinho do Brasil durante um ano tão especial para nós no país” diz Marcos Djinishian, head de Marketing da Nespresso no Brasil.

A linha ficará disponível até o dia 26 de junho ou enquanto durarem os estoques nos canais oficiais da Nespresso: boutiques, site, app ou telefone 0800 7777 737. Cada cápsula custa R$ 3,10 e a caixinha com dez unidades sai por R$ 31.

TEXTO Redação • FOTO Divulgação

Mercado

ÖUS e Your ID lançam coleção limitada inspirada no café

Para celebrar o bom dia e trazer o espírito do café no design, a marca curitibana de streetwear ÖUS, em parceria com a rede Your ID, lançou, no final de maio, uma coleção limitada inspirada na bebida!

Uma das novidades é o conjunto de porcelana decorado com artes inspiradas nos mosaicos presentes em edifícios paulistanos construídos no início do século XX, que remetem ao período em que a cidade cresceu devido ao ciclo do café.

As mesmas referências gráficas também estampam os outros dois lançamentos, a camiseta de manga longa e as palmilhas do tênis Phibo 1123, que ainda vem com uma etiqueta que faz referência ao rótulo de um pacote de café.

No site da ÖUS é possível encontrar a camiseta e o tênis, enquanto que o site da Your ID disponibiliza os três itens.

Mais informações: www.loja.ous.com.br e www.youridstore.com.br

TEXTO Redação • FOTO Divulgação

Mercado

Sacas premiadas do 17º Concurso Nacional ABIC de Qualidade do Café 2020 são vendidas por R$ 59 mil

Na última quarta-feira (26) aconteceu a cerimônia de premiação do 17º Concurso Nacional ABIC de Qualidade do Café – Origens do Brasil – Safra 2020, que tem como objetivo valorizar os melhores grãos do Brasil, tanto da espécie arábica quanto da canéfora (robusta/conilon), e as empresas que investem em qualidade.

Assim como em 2020, o evento foi realizado em formato totalmente on-line e, neste ano, bateu o recorde de inscrições: foram 54 amostras, onde 23 foram selecionadas para a fase final. A edição contou com 15 origens brasileiras diferentes, sendo elas:

Minas Gerais: Matas de Minas, Campo das Vertentes, Sul de Minas, Cerrado Mineiro, Chapada de Minas e Mantiqueira de Minas
São Paulo: Alta Mogiana e Média Mogiana Paulista
Bahia: Planalto Baiano – Chapada Diamantina e Vitória da Conquista
Espírito Santo: Caparaó
Paraná: Norte Pioneiro do Paraná e Norte do Paraná
Rio de Janeiro: Sul do RJ/Vale do Café
Rondônia: Matas de Rondônia

O leilão

Este ano, o leilão do concurso contou com a participação de 25 empresas e arrecadou um total de R$ 59.836 em 31 sacas negociadas. As vencedoras da edição foram a Café Excelsior, a Café Vasconcelos e a Grão Café.

Na categoria Ouro Arábica, a grande campeã foi a Café Excelsior, de Sorocaba (SP), que deu o lance de R$ 5.500 por saca de café do produtor Silvio Leite, da Fazenda Cerca de Pedra São Benedito, da Chapada Diamantina. Este reconhecimento é dado à empresa que paga o maior valor de aquisição por saca. A outra saca do produtor foi arrematada pelo Grupo 3corações no valor de R$ 5 mil. Deste modo, o microlote de Silvio conquistou R$ 10.500.

O segundo microlote mais disputado foi o do produtor Renee Van Der Goot, da Fazenda Harmonia, do Norte Pioneiro do Paraná, que totalizou R$ 6.400, sendo R$ 5 mil dado pela empresa Kaldi Cafés Especiais e R$ 1.400 pelo Grupo 3corações.

Já na categoria Ouro Canéfora, quem se destacou foi a Café Vasconcelos, de Araguari (MG), que fez o maior investimento por saca da espécie. Foi R$ 1.450 pago pela saca do leia mais…

TEXTO Redação • FOTO Café Editora

Mercado

Pesquisa Sebrae destaca que consumidor procura saber origem e produção dos cafés especiais

O Sebrae/NA – Unidade de Competividade e Unidade de Gestão Estratégica e o Sebrae/DF – Gerência de Negócios em Rede realizaram uma pesquisa on-line intitulada Cafés Especiais: Perfil e Sabor, entre os meses de outubro e dezembro de 2020, com profissionais da cadeia produtiva de cafés especiais.

Segundo os dados coletados, 52% dos profissionais da cadeia produtiva do café especial no Brasil estão há no máximo cinco anos nesse ramo.  “O nicho do café especial é totalmente novo no País, mas o fato de agregar valor ao produto e por haver uma procura maior, pelo consumidor, por cafés diferenciados, faz com que esse mercado tenha um grande potencial de expansão”, comenta o presidente do Sebrae, Carlos Melles.

De acordo com o estudo, o mercado dos cafés especiais conta cada vez mais com o perfil de empreendedores jovens e com uma participação maior das mulheres à frente desses negócios. Os empresários apontam a mudança de comportamento do consumidor, que têm se preocupado mais com a origem do grão e como ele é produzido.

Entre os produtores rurais que trabalham com cafés especiais, isso já representa em média 44% da produção total, a variedade catuaí amarelo é a mais cultivada entre os produtores e, no pós-colheita, o natural foi a resposta de 83% das pessoas. Os donos de torrefação, assim como os proprietários de cafeterias, levam mais em consideração o perfil sensorial, a pontuação do café e a origem do produto do que o preço que irão pagar.

O novo perfil desse consumidor reflete no aumento da produção dos orgânicos e com selo de Indicação Geográfica. “Os produtores de cafés especiais já estão produzindo cafés orgânicos. A tendência é que haja um incremento desses fatores pois há um mercado consumidor mundial ávido por produtos diferenciados”, pontua Carlos Melles.

O presidente do Sebrae destaca que a instituição tem trabalhado cada vez mais para a profissionalização desse mercado e para o aumento de registros de IG, além de estimular a participação desses empreendedores em concursos, em campeonatos nacionais e internacionais e na exportação do produto.

Segundo a pesquisa, os donos de cafeteria e torrefações levam mais em consideração o perfil sensorial, a pontuação do café e a origem do produto do que o preço que irão pagar na hora de escolher os grãos para comercializar. Em relação aos baristas, 50% dos que responderam tem especialização em cursos, 45% são prestadores e consultores de serviços na área, 30% é registrado como barista e 28% atua como freelancer. Em relação à cafeteria, o método hario v60 é o mais servido, com 72%, seguido da prensa francesa, com 63%, e da aeropress, com 52%.

TEXTO Redação • FOTO William Moreland

Mercado

Daterra realiza evento on-line e gratuito sobre empresas de café com certificação B Corp

Nos dias 1 e 2 de junho, das 13h às 16h (horário de Brasília), a Daterra Coffee realizará o The (B)ean – Diálogos sobre Empresas na Indústria do Café. Dedicado às empresas certificadas B Corp no setor, o evento on-line tem como objetivo inspirar a cadeia de cafés especiais através das experiências das empresas participantes.

Através de quatro painéis com dez palestrantes de diferentes segmentos, serão criados diálogos abertos, gerando novas ideias e até mesmo encurtando as distâncias entre as empresas com interesses semelhantes. Os participantes discutirão como as empresas de café podem gerar impacto positivo por meio de seus negócios, bem como o valor da certificação B Corp dentro do setor.

O evento contará com a presença de líderes da indústria do café: Equator Coffees, Counter Culture Coffee, Sustainable Harvest e Common’s Company, dos Estados Unidos; D R Wakefield e Origin Coffee, do Reino Unido; Daterra Coffee, do Brasil; Reunion Coffee, do Canadá; e Bocca Coffee, da Holanda; todas empresas certificadas pela B Corp.

Organizado pela produtora de cafés especiais Daterra Coffee, com apoio do B Lab Brasil, o The (B)ean será transmitido para todo o mundo em inglês e é gratuito. A programação completa pode ser acessada no site.

Serviço
The (B)ean – Diálogos sobre Empresas na Indústria do Café
Quando: 1 e 2 de junho
Horário: das 13h às 16h
Mais informações:
www.thebeanevent.com

TEXTO Redação • FOTO Agência Ophelia

Mercado

We can do this! Nova campanha do McDonald’s promove vacinação contra Covid-19 nos Estados Unidos

O ​​McDonald’s fez uma parceria com a Casa Branca para promover informações de vacinação em seus copos de café. A partir de julho, os clientes estadunidenses verão copos McCafé redesenhados com a campanha “We can do this” (“Podemos fazer isso”, em português), slogan criado pelo Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos para promover a confiança na vacina. Também inclui um endereço do site que direciona as pessoas para consultas próximas e informações de segurança.

A promoção durará várias semanas e o slogan será impresso em cerca de 50 milhões de copos. Antes disso, o McDonald’s disse que seu outdoor na Times Square, em Nova York, também exibirá informações sobre as vacinas a partir de maio.

“Todos nós queremos nos proteger e estarmos juntos com nossas comunidades novamente. Estamos animados em fazer a nossa parte pelas pessoas que servimos, fornecendo-lhes informações simples que podem ajudar a mantê-las seguras”, disse Genna Gent, vice-presidente do McDonald’s nos EUA para políticas públicas globais e relações governamentais.

Xavier Becerra, o secretário de Saúde e Serviços Humanos, disse em um comunicado que a parceria público-privada será capaz de fornecer informações confiáveis ​​sobre vacinas quando os clientes tomarem um copo de café ou pedirem uma refeição. “Este esforço ajudará mais pessoas a tomar decisões informadas sobre sua saúde e aprender sobre as medidas que protegem a si mesmas e suas comunidades”, acrescentou. O McDonald’s não foi pago pelo governo para esta promoção.

A campanha foi anunciada em março e tem como objetivo encorajar os norte-americanos a se imunizarem. Até agora, mais de 150 milhões de pessoas nos Estados Unidos receberam pelo menos uma dose da vacina.

TEXTO As informações são do CNN Business / Tradução Juliana Santin • FOTO Divulgação

Mercado

Projeto fornecerá energia solar para as lojas Starbucks em Nova York

A Generate, fornecedora de infraestrutura sustentável nos Estados Unidos, anunciou que seus primeiros seis projetos solares comunitários estaduais serão usados ​​para fornecer energia à cafeteria e torrefação global Starbucks Coffee Company.

Este projeto também fornecerá energia solar para comunidades em todo o estado de Nova York, incluindo até 24 mil famílias ao lado de empresas, organizações sem fins lucrativos, igrejas, universidades e lojas com foco em áreas carentes.

Os participantes do programa também receberão um desconto nas tarifas atuais de eletricidade como parte do programa Community Distributed Generation do estado de Nova York, que visa tornar a energia limpa mais acessível.

Os seis projetos solares da Generate fornecerão mais de 119.885 milhões de quilowatts-hora de energia solar para as lojas Starbucks em Nova York, apoiando o compromisso da empresa de se tornar “positiva em termos de recursos”.

A Starbucks também estabeleceu uma meta para reduzir sua pegada de carbono em 50% até 2030. “Na Starbucks, nossa visão é nos tornarmos positivos em termos de recursos, dar mais do que tiramos do planeta. Esta crise climática tem a ver com pessoas e, portanto, devemos nos concentrar nas pessoas que são desproporcionalmente impactadas por isso”, disse Michael Kobori, Diretor de Sustentabilidade da Starbucks.

O projeto solar da Generate é um dos primeiros projetos solares e de armazenamento comunitários em Nova York, com 23 projetos estaduais sendo construídos no total. Criado em colaboração com leia mais…

TEXTO As informações são do Global Coffee Report / Tradução Juliana Santin • FOTO Hamza Inayat