Cafezal

Através da agricultura regenerativa, illycaffè visa cultivo de café neutro em carbono até 2023

Jardines de Babilonia, na Guatemala

A produção de café – a principal fonte de receita de mais de 25 milhões de famílias em 50 países – está agora seriamente ameaçada pelo aquecimento global. De acordo com estimativas, grande parte da área atualmente utilizada para o cultivo de café não será mais adequada até 2050.

A descarbonização se tornou uma prioridade absoluta, não apenas para o café, mas para todo o setor agrícola, responsável por mais de 25% da emissão de gases de efeito estufa. A busca por rendimentos cada vez maiores, típica da agricultura convencional, levou a solos mais pobres e à perda de biodiversidade.

Esse ciclo vicioso pode se inverter e se tornar virtuoso com o desenvolvimento de um modelo produtivo regenerativo que sequestra o carbono do ar e regenera o solo com matéria orgânica, tornando-o mais fértil e potencializando suas defesas naturais. Esta é a abordagem experimental, baseada na aplicação da agricultura regenerativa do ecossistema, que a illycaffè está implementando na Guatemala e na Etiópia, para torná-la um modelo escalável.

“Se passarmos de um modelo de agricultura convencional para um não convencional, virtuoso e regenerativo, a agricultura pode até se tornar negativa em carbono, sequestrando carbono em vez de emiti-lo”, diz Andrea Illy, presidente da illycaffè. “O solo tem três vezes mais potencial de absorção de carbono como o da atmosfera enquanto o fertilizante orgânico alimenta o microbioma do solo, aumentando assim as defesas naturais das plantas, tornando o solo mais fértil e resiliente às mudanças climáticas, o que reduz sua dependência de fertilizantes e outros produtos químicos. Um solo mais saudável torna as plantas mais saudáveis ​​e, como resultado, alimentos mais saudáveis ​​para os humanos”, complementa.

Nas plantações de café com emissão zero do Jardines de Babilonia, na Guatemala, e Kokkere, na região de Oromia, na Etiópia, a illycaffè está aplicando os princípios da agricultura regenerativa. Graças ao uso das melhores práticas agrícolas selecionadas pelos agrônomos da illy, o equilíbrio do ecossistema é restaurado com o plantio de leia mais…

TEXTO Redação • FOTO Divulgação

Cafezal

4ª edição do Concurso Florada Premiada recebe mais de mil inscrições

Com o objetivo de dar visibilidade ao trabalho realizado por mulheres no campo, o Projeto Florada, criado pelo Grupo 3corações em parceria com a Aliança Internacional das Mulheres do Café (IWCA), promove o Concurso Florada Premiada, com apoio da Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA).

Em sua 4ª edição, o concurso recebeu um total de 1.005 inscrições de diversas regiões produtoras de café 100% arábica do Brasil. As premiações da competição são abrangentes e inclusivas, seguindo o pilar de inclusão do Projeto.

Neste ano, os prêmios somam R$ 100 mil em dinheiro e: uma viagem por sete dias em missão técnica para as campeãs de cada categoria com destino a Colômbia, com direito a acompanhante; compra dos lotes até pelo dobro da cotação; embalagens personalizadas com a história de cada cafeicultora através de fotos, vídeos e até assinatura de cada uma delas, garantia de compra para mais de 100 microlotes e, por fim, as grandes campeãs também terão seus microlotes à venda em um e-commerce exclusivo para cada uma via www.mercafe.com.br. Estes microlotes serão oferecidos também em supermercados do Brasil por meio de cafés em cápsulas, drip coffee, torrado & moído e em grãos.

“O Concurso Florada Premiada é uma importante iniciativa para reconhecer e valorizar o trabalho das cafeicultoras e também para proporcionar aos consumidores uma nova experiência com raros cafés que carregam histórias únicas por trás de cada xícara. Nós agradecemos imensamente a confiança de cada uma das centenas de cafeicultoras brasileiras, continuamos juntos nesta jornada” comenta Pedro Lima, presidente do Grupo 3corações.

A partir de agora, a BSCA começará, junto com o Head Judge Silvio Leite e uma equipe de degustadores especialistas em cafés especiais, a auditoria e todas as etapas de classificação, para que, em dezembro de 2021, a 3corações realize a cerimônia de premiação que acontecerá de forma on-line. Confira abaixo o cronograma das etapas:

Até 20/10 – Entrega de amostras
25/10 a 04/11 – Análise, classificação e degustação – Fase Classificatória #1
8/11 – Resultado da Fase Classificatória #1 – 100 lotes – Premiados para venda, 40 deles indicados para Fase Classificatória #2
9/11 a 26/11 – Depósito de lotes classificados nos armazéns
Até 26/11 – Entrega da amostra do lote classificado (3 kg)
1/12 – Análise, classificação e degustação – Fase Classificatória #2
Data a ser definida – Premiação e divulgação dos resultados

TEXTO Redação • FOTO Agência Ophelia

Cafezal

Cup of Excellence – Brazil 2021 divulga lista de produtores finalistas

Nesta quarta-feira (20), a organização do Cup of Excellence – Brazil divulgou a lista com os 40 produtores finalistas da edição. As amostras seguirão para os juízes internacionais e os cafés que confirmarem mais de 87 pontos serão anunciados em cerimônia no dia 18 de novembro e leiloados em 20 de dezembro. Confira quem são:

Na fase anterior, o júri nacional avaliou as amostras levando em consideração fatores como tipo, cor, aspecto, umidade, defeitos e qualidade de bebida. Desta avaliação, foram selecionadas as 40 melhores amostras. Agora, após a prova dos juízes internacionais, serão definidos os 30 campeões da edição brasileira de 2021.

Etapas da competição:
16 a 19/10 – Fase Nacional
20/10 – Resultado da Fase Nacional
21/10 a 5/12 – Oferta dos semifinalistas da Fase Nacional
21/10 a 14/11 – Fase Internacional
18/11 – Resultado da Fase Internacional e premiação dos vencedores
10 a 21/12 – Venda dos National Winners
20/12 – Leilão dos campeões do Cup of Excellence
20/02/22 – Pagamento aos campeões do Cup of Excellence
21/02/22 – Pagamento aos produtores National Winners

TEXTO Redação

BaristaCafezalMercado

É mulher e trabalha com café? Participe da pesquisa da IWCA Brasil

Para contribuir com o trabalho das mulheres em toda a cadeia cafeeira, a Aliança Internacional das Mulheres do Café do Brasil (IWCA Brasil) elaborou a Pesquisa IWCA Brasil – Perfil das Mulheres da Cadeia de Valor do Café.

Com a finalidade de alcançar maiores resultados na tomada de decisões e elaboração de projetos, a pesquisa são se limita apenas às associadas, mas a toda e qualquer mulher envolvida com a rede de café.

Quer preencher o questionário? Clique aqui.

TEXTO Redação • FOTO Vitor Barão

CafezalMercado

Dia Internacional do Café: Anna Illy fala sobre o café sustentável do Brasil em seminário on-line

No Dia Internacional do Café, celebrado em 1º de outubro, acontecerá o webinar Dia Internacional do Café: A Sustentabilidade do Café Brasileiro. O evento, realizado pela Embaixada do Brasil em Roma, contará com a presença de Anna Illy, presidente da Fundação Ernesto Illy e membro do Conselho Administrativo da illycaffè.

Anna falará sobre “O Brasil como fornecedor de café sustentável e de qualidade”, a partir do longo relacionamento da illycaffè com o produtor brasileiro de café e o investimento contínuo em qualidade sustentável. Essa parceria se estreitou com a criação de um prêmio de qualidade do café, em 1991, hoje conhecido como Prêmio Ernesto Illy de Qualidade Sustentável do Café para Espresso, em homenagem a Ernesto Illy, idealizador do concurso e pai de Anna, bem como com a implantação de um programa de fidelização de fornecedores, o Clube illy do Café, e as ações de difusão de conhecimento na área da Università del Caffè Brazil.

O seminário on-line visa divulgar as práticas de sustentabilidade ambiental e social no cultivo do café no Brasil, bem como a excelência e as variedades deste produto. O evento será realizado em português e italiano, contando com o apoio de tradução simultânea, a partir das 10h (horário de Brasília).

Clique aqui para se inscrever e conferir a programação completa.

TEXTO Redação • FOTO Divulgação

Cafezal

19º episódio da websérie da BSCA conta o surgimento do concurso de qualidade Cup of Excellence

Na quarta-feira (29) acontece o lançamento do 19º episódio da websérie “A História do Café Especial – O olhar da BSCA em 30 anos”, realizada pela Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA) em parceria com a Café Editora.

O vídeo da vez explica sobre a o surgimento do Cup of Excellence no Brasil, um dos principais concursos de qualidade de café no mundo. Para falar sobre o assunto, foram convidados: Silvio Leite, da Silvio Leite Café; Marcelo Weyland Barbosa Vieira, da Fazenda Lagoa – Alfenas Agrícola; Carmem Lucia Chaves de Brito, das Fazendas Caxambu e Aracaçu; Vanusia Nogueira, diretora-executiva da BSCA; Hidetaka Hayashi, da Hayashi Coffee Institute (Japão); Susie Spindler, da Alliance for Coffee Excellence (Estados Unidos); Shinji Sekine, da Wataru & Co. (Japão); Stephen Hurst, da Mercanta The Coffee Hunters (Reino Unido); Maria Dirceia Mendes, da SMC Specialty Coffees; Henrique Cambraia, da Cambraia Cafés; John Thompson, da Coffee Nexus (Reino Unido); Helivaldo Ferreira de Castro, da Sancoffee; e Gabriel Nunes, da Nunes Coffee.

Movimento da xícara ao grão

Com novos episódios lançados todas as quartas-feiras no YouTube da BSCA e no Instagram da Revista Espresso, o projeto busca levar informações relevantes sobre a cadeia do café especial ao consumidor final e a todas as pessoas que não possuem conhecimento deste universo, rebobinando o trajeto da bebida da xícara ao produtor e sua lavoura.

Com o intuito de aproximar as pontas do setor, a websérie conta com linguagem acessível e tradução em inglês. Deste modo, mais pessoas ao redor do mundo também podem conhecer de perto a história do café especial no Brasil e ficar por dentro de toda a qualidade da produção nacional!

TEXTO Redação • FOTO Agência Ophelia

Café & PreparosCafezal

Segunda temporada do programa No Pé do Café estreia no dia 2 de outubro

A EPTV Sul de Minas – emissora afiliada à Rede Globo no interior de São Paulo e Sul de Minas, apresenta a segunda temporada do programa No Pé do Café, com estreia marcada para o próximo sábado (2). Com nove episódios, o conteúdo será transmitido para toda a área de cobertura do Grupo EP, conglomerado de mídia com atuação em 317 municípios, nas regiões de Campinas (SP), Ribeirão Preto (SP), São Carlos (SP) e Sul de Minas (MG).

O programa é apresentado pelo engenheiro agrônomo Gustavo Rennó, que atua como cafeicultor, consultor e professor universitário. Além do conteúdo técnico, os episódios trarão outros assuntos relacionados ao café, apresentados pela jornalista Mariana Migliorini, bem como: consumo, experiências com a bebida, culinária, histórias das fazendas e seus moradores, tudo isso tendo a música como complemento para harmonizar o especial.

Richard Aguiar, diretor de Programação e Mídias Digitais do Grupo EP, comemora a realização da segunda temporada do especial: “O café é uma paixão nacional, que diz muito da cultura do nosso telespectador. Na primeira temporada, no Sul de Minas, nós trabalhamos um conceito muito técnico do agronegócio, focando mais no produtor rural. Agora, abrimos o leque de possibilidades, com um programa voltado também para o consumo, culinária, turismo cafeeiro e pautas do universo dos cosméticos, mostrando a aplicabilidade do café em produtos”.

Serviço
2ª temporada do programa No Pé do Café
Quando:
aos sábados, de 2 de outubro a 27 de novembro de 2021 (9 episódios inéditos)
Horário:
6h50
Exibição na EPTV

TEXTO Redação • FOTO Café Editora

Cafezal

Beleza para além da lavoura: Fazendas de café investem em diferentes intervenções artísticas

Que uma fazenda cafeeira é linda por si só, isso a gente já sabe. Mas, com o avanço da tecnologia e do turismo rural, muitas propriedades espalhadas pelo Brasil estão se revitalizando através de diferentes tipos de arte e colorindo o campo com outras cores!

A união entre o urbano e o rural

Uma delas é a Fazenda São Sebastião, em São Thomé das Letras (MG). Catarina Kim e seu esposo, Marcos Kim, decidiram apostar na paixão pela arte de rua, muito comum em grandes centros urbanos. Para isso, convidaram o grafiteiro Binho Ribeiro, um dos precursores da street art no Brasil, para dar novas cores ao barracão, ao terreiro, à colheitadeira e à casa de hóspedes da propriedade.

“A ideia de fazer o grafite do Binho na fazenda veio da época de quando morávamos em São Paulo. Quando fomos para a fazenda, sonhávamos em chamar alguém para fazer um grafite lá. E tem tudo a ver, porque é uma fazenda de pessoas de São Paulo. Queríamos essa mistura entre o rural e o urbano, um pouco da nossa história, minha e do Marcos”, conta Catarina.

Foto: Catarina Kim

Através de uma imersão na fazenda e no mundo dos cafés especiais, Binho elaborou desenhos combinando suas artes tradicionais, como a carpa – que tem uma simbologia muito positiva para os orientais – e elementos da própria fazenda, como os ramos do cafeeiro, os frutos, as flores e métodos de preparo da bebida. O resultado só pôde ser visto após três dias de execução. “Tínhamos esse sonho desde o começo, demorou um pouco, mas conseguimos, ficou lindo!”, comemora Catarina.

Inspiração para outras fazendas

A Fazenda Capadócia, em São Gonçalo do Sapucaí (MG), também vivenciou essa conexão entre o campo e a cidade, porém de uma forma diferente. “Tivemos a ideia quando começamos na jornada dos cafés especiais, em 2009, 2010. Eu queria representar cada parte do processo do café e todas as pessoas envolvidas”, explica o produtor Augusto Borges Ferreira.

Com a ajuda da equipe da cafeteria e torrefação Supernova Coffee Roasters, de Curitiba (PR), foi montado o projeto da “casa do barista”, que consistia na revitalização de uma casinha antiga localizada ao lado do terreiro. A ideia era que cada cômodo fosse temático e ilustrasse alguns dos processos por qual o café passa antes de chegar à xícara. Os desenhos ganharam leia mais…

TEXTO Gabriela Kaneto

Cafezal

Como funciona uma cooperativa? Assista ao 17º episódio da websérie da BSCA

Na quarta-feira (15) acontece o lançamento do 17º episódio da websérie “A História do Café Especial – O olhar da BSCA em 30 anos”, realizada pela Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA) em parceria com a Café Editora.

O vídeo traz detalhes sobre o papel das cooperativas na vida dos produtores brasileiros e como elas funcionam. A produção conta com a participação de José Marcos Magalhães, presidente da Minasul, para abordar o tema.

Movimento da xícara ao grão

Com novos episódios lançados todas as quartas-feiras no YouTube da BSCA e no Instagram da Revista Espresso, o projeto busca levar informações relevantes sobre a cadeia do café especial ao consumidor final e a todas as pessoas que não possuem conhecimento deste universo, rebobinando o trajeto da bebida da xícara ao produtor e sua lavoura.

Com o intuito de aproximar as pontas do setor, a websérie conta com linguagem acessível e tradução em inglês. Deste modo, mais pessoas ao redor do mundo também podem conhecer de perto a história do café especial no Brasil e ficar por dentro de toda a qualidade da produção nacional!

TEXTO Redação • FOTO Café Editora

Cafezal

Inscreva-se para o Coffee of The Year Brasil 2021 até 1º de outubro!

Já separou a sua melhor amostra? Até 1º de outubro estão abertas as inscrições para o Coffee of The Year 2021, concurso que tem como objetivo reunir os melhores cafés do Brasil e eleger os grandes destaques do ano!

Assim como no ano passado, os produtores interessados em participar podem se inscrever em quatro categorias: arábica, canéfora, fermentação induzida arábica e fermentação induzida canéfora, sendo as duas últimas menções honrosas.

Neste ano, com a Semana Internacional do Café acontecendo de maneira híbrida entre os dias 10 e 12 de novembro – na plataforma on-line e no presencial em Belo Horizonte (MG) – os visitantes da feira poderão degustar e votar em sua amostra favorita entre as finalistas, que serão 10 arábicas, 10 canéforas, 3 fermentação arábica e 3 fermentação canéfora. Além disso, o anúncio dos campeões do concurso também ocorrerá presencialmente no último dia de SIC.

“Em 2021 temos um novo desafio que é retomar a etapa do público provando os cafés no Expominas, em Belo Horizonte. Acreditamos que essa troca entre os visitantes da SIC e também essa referência de sabores da safra é extremamente importante como aprendizado para os produtores”, comenta Mariana Proença, diretora de conteúdo da Café Editora, uma das realizadoras do evento.

Os cafés inscritos

Serão aceitos cafés que no pós-colheita são levados aos processos:

– via seca (fruto seco com todas as suas partes constituintes, resultando nos cafés em coco/café natural);
– via úmida (cafés secos após a retirada da casca do fruto, podendo ainda, haver ou não, a retirada da mucilagem por fermentação natural ou com uso de desmuciladores mecânicos);
 fermentações induzidas ou controladas, onde leia mais…

TEXTO Redação • FOTO Café Editora