Café & Preparos

Coadores de pano: menos papel, mais café!

Morando no Brasil desde 2016, a barista venezuelana Giovanna Serrano idealizou o Fabrikafe, no início de 2020. Dois meses depois, no início da quarentena na cidade de São Paulo (SP), Giovanna decidiu pôr em prática as ideias, costurando os primeiros filtros de algodão cru.

“Com tanto tempo dentro de casa, vieram-me as lembranças das origens de minha família produtora de café na região de Portuguesa, na Venezuela. Cerquei-me de tecidos, fitas métricas e tesouras. Entre uma xícara e outra, fui desenvolvendo os primeiros modelos, guiada pela minha experiência como barista”, explica.

Hoje a marca tem uma loja on-line onde Giovanna recebe os pedidos. De acordo com ela, até novembro de 2020 já foram encomendados mais de 800 filtros de algodão. No e-commerce é possível encontrar modelos para Hario V60, Melitta, Clever e o tradicional coador de pano, e os preços variam entre R$ 18 e R$ 23.

Para a barista, o Fabrikafe se resume não apenas às vendas, mas também à sustentabilidade, ao consumo de cafés de forma consciente e ao diálogo constante sobre as experiências que envolvem a bebida.

Mais informações: fabrikafe.co

TEXTO Gabriela Kaneto • FOTO Divulgação

CafezalMercado

Governador e Secretário de Agricultura de SP falam sobre agronegócio no Fórum SuperAgro

Está sendo realizado nesta quinta-feira (8), de maneira virtual com transmissão via YouTube, o Fórum SuperAgro. Organizado pela Exame, o evento contou com a participação do Governador do Estado de São Paulo, João Doria (PSDB), e do Secretário de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, Gustavo Junqueira, no painel “Como o Estado de São Paulo incentivará o agronegócio em 2021 e 2022”.

Sobre o tema, Gustavo Junqueira destacou alguns projetos criados pelo Governo do Estado para conectar a cidade ao campo. “No caso do agro, nós temos o programa Cidadania no Campo, que busca levar o mesmo nível de cidadania que nós temos nas cidades para o campo. Isso passa fundamentalmente por um trabalho de tecnologia. Desde o início, o Governador tem liderado processos onde o Estado fica mais eficiente pela implementação de tecnologia. Nós fizemos uma parceria com o Google, em 2019, para que fosse feito todo o endereçamento de propriedades rurais no Estado de São Paulo, que são 350 mil propriedades. Isso é importante para a segurança, ganho de eficiência na logística, mas, fundamentalmente, para que a gente possa integrar os mercados e fazer tudo que a gente faz de grande nas cidades, no campo”, explicou.

O Secretário de Agricultura e Abastecimento também destacou o mapeamento digital de todas as estradas paulistas e o cadastramento de pequenos produtores rurais e supermercados a uma plataforma digital. “Há todo um programa de conectividade no campo, porque nada disso funcionará se não tiver uma ligação. Então começa um projeto dentro da Secretaria de Agricultura com o setor privado, que é o Conectar Agro, liderado pelo Governo para que a gente tenha conectividade no campo”, disse.

Relações entre o Brasil e o exterior

Em relação à crise de reputação brasileira quanto ao meio ambiente, que acaba tendo relação com o agronegócio, João Doria disse: “Apesar de nós termos a Ministra Tereza Cristina fazendo um esforço louvável, eu reconheço isso, é muito difícil um esforço isolado dentro de um Governo desconectado”.

Ele também comentou que o Brasil vive hoje a sua pior leia mais…

TEXTO Gabriela Kaneto • FOTO Felipe Gombossy

Mercado

Canal de vendas por WhatsApp e nova embalagem de vidro são apostas de grandes marcas

Foto: Yura Fresh

A Jacobs Douwe Egberts (JDE) divulgou nessa semana o novo canal de vendas das cápsulas L’OR. Trata-se de um chatbot feito exclusivamente para o WhatsApp. A novidade tem o intuito de reforçar o lado digital da companhia, oferecendo uma experiência real de compra pelo aplicativo de mensagens, além de estreitar o relacionamento com o consumidor.

O novo canal tem o objetivo de impulsionar as vendas das cápsulas L’OR para além dos canais tradicionais, como as lojas físicas e o e-commerce, oferecendo mais uma opção para os consumidores durante o período de isolamento social.

De acordo com Tina Cação, Diretora de Vendas da JDE no Brasil, o varejo digital é um dos segmentos que mais crescem no Brasil e no mundo. “A JDE está sempre buscando oferecer as melhores experiências para o nosso consumidor, trazendo os melhores cafés e criando experiências únicas”, afirma.

O novo canal de vendas da JDE pelo WhatsApp pode ser acessado através do número (11) 93281-5600. Durante o mês de abril, lançamento da novidade, quem acessar o canal ganhará 10% de desconto em compras realizadas.

Nas prateleiras

A Melitta acaba de ampliar seu portfólio e os consumidores do sul do País e de São Paulo poderão adquirir o Café Solúvel Melitta Tradicional em embalagem de vidro de 200 g.

Foto: Divulgação

O lançamento chega para atender os consumidores dessas regiões, principalmente nos estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, onde o volume de consumo de café solúvel em embalagem de vidro representa 50,6%, segundo pesquisa da empresa Kantar, que estuda o comportamento do consumidor.

“Adequamos nosso portfólio ao consumidor e ao mercado. Estamos sempre atentos ao comportamento de consumo para inovar e oferecer o melhor Café Solúvel Melitta, com aroma e sabor de café fresquinho”, explica Rosiane Wang, coordenadora de Marketing na Melitta. A nova embalagem já está disponível nos principais pontos de venda das regiões de lançamento.

TEXTO Redação

Mercado

Evento on-line Coffee Retail Summit trará palestras sobre negócios no café e como construir sua marca

Nos dias 13 e 14 de abril acontece o Coffee Retail Summit, um evento global on-line organizado pela Specialty Coffee Association (SCA). Ao todo serão 8 palestras por dia. A participação é gratuita e as inscrições podem ser feitas aqui.

No tema pandemia, serão abordados o cenário do varejo atual e como as empresas devem adicionar os cuidados para prevenção da doença para seguir à frente de todo o desafio.

Em negócios do café, os palestrantes irão debater sobre o que envolve um negócio de qualidade, não basta ter apenas um excelente café, mas a qualidade na administração é essencial. Serão apresentadas ferramentas que auxiliam no entendimento de onde a empresa se encontra agora e como tomar as decisões necessárias para melhoria dela.

Já construindo sua marca apresentará a importância da comunicação empresarial e do marketing para atravessar a pandemia. Segundo a organização, as pesquisas apontam que conectar-se com a comunidade local é a base para o sucesso no varejo.

A programação completa está disponível no site.

TEXTO Redação • FOTO Andrew Neel

Mercado

Pesquisa norte-americana destaca leve queda no consumo de café durante a pandemia

Uma pesquisa realizada nos Estados Unidos pela Associação Nacional do Café (NCA, sigla em inglês) aponta que 58% das pessoas no país tomaram ao menos um café no dia anterior, sendo que, em 2020, nesta mesma pergunta, o volume foi de 62%.

A Associação ressalta que os resultados não necessariamente indicam uma redução nos volumes de café consumidos nos Estados Unidos, já que muitas pessoas, trabalhando de casa, consomem mais café do que nos escritórios.

Grandes varejistas do setor cafeeiro norte-americano registraram aumento nos volumes totais vendidos durante a pandemia. Não está claro, no entanto, se este crescimento compensou a queda no consumo fora de casa. O fato das cafeterias ainda operarem com limitações pode ser um dos motivos para a queda no consumo de café.

A pesquisa afirmou que as pessoas estão consumindo a mesma quantidade da bebida pela manhã, mas que o consumo à tarde, um hábito muitas vezes relacionado a idas às cafeterias, diminuiu em 4 pontos percentuais.

“O café continua sendo, indiscutivelmente, a bebida favorita dos Estados Unidos, mesmo com o país inteiro em vários estágios de lockdown e uma forte queda no público das cafeterias neste ano”, explicou o presidente e CEO da NCA, Bill Murray.

Ele espera que o consumo aumente nos próximos meses, à medida que o país se recupera da pandemia de coronavírus. De acordo com a pesquisa, as pessoas seguiram divididas sobre quando se sentirão confortáveis para sair de casa para tomar café. 33% afirmaram que já se sentem confortáveis para voltar a frequentar as cafeterias, enquanto que 31% indicaram que irão esperar a pandemia terminar.

TEXTO As informações são da Reuters • FOTO Wade Austin Ellis

Mercado

Dúvidas para desenvolver seu negócio? Prefeitura de SP abre inscrições para curso on-line

A Prefeitura de São Paulo, por meio da Ade Sampa, agência vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Turismo, abriu inscrições para o Fábrica de Negócios. O programa, criado para potencializar negócios inovadores em estágio inicial, é realizado totalmente on-line. Os interessados podem se inscrever através deste link.

A atividade é composta por dois módulos, oferecendo workshops, oficinas, palestras e mentorias especializadas em diversas áreas do empreendedorismo. Tudo isso visando colocar no papel diferenciais competitivos para que essas iniciativas se tornem um negócio concreto.

O primeiro módulo tem o objetivo incentivar os participantes a trocarem informações sobre as percepções de seus negócios, reconhecerem oportunidades com base em suas vivências e estudos compartilhados. Com as diretrizes ensinadas, os microempreendedores serão capazes de assimilarem seu público-alvo, dominarem conceitos com maior acessibilidade, se conectarem com a sua região e inovarem nos seus ramos de atividade.

No segundo módulo, os componentes intensificarão suas ideias de projeto, entendendo e adquirindo métodos essenciais para legitimar o empreendimento. Dessa forma, será possível desenvolverem o Mínimo Produto Viável (MVP) e realizarem a primeira distribuição, de forma prática.

Saiba mais sobre o programa no site.

Serviço
Fábrica de Negócios
Horário: 19h às 21h
Quando:
1ª fase – “Tenho uma ideia, e agora?”: 12 e 14 de abril
2ª fase – “Teste o seu negócio pondo a mão na massa”: 16, 19, 22 e 26 de abril

TEXTO Redação • FOTO Green Chameleon

Café & Preparos

Museu do Café: 4 atividades on-line em abril para quem quer aprender mais sobre a bebida

Jim Kalligas

Voltando a maximizar a programação cultural on-line, o Museu do Café, da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, oferecerá lives e cursos gratuitos ao longo de abril.

A agenda, dedicada aos mais variados temas dentro do universo do grão, ocorrerá por meio das mídias sociais e outras plataformas digitais. O edifício da antiga Bolsa Oficial, onde o Museu fica localizado, está fechado desde o último dia 6, seguindo as determinações do governo estadual. Confira a agenda:

6/4, às 17h
Live “Conexões: um café com Portinari”

O Museu do Café iniciou, em 2020, uma série de transmissões ao vivo pautada pela ligação entre o seu acervo e o de outras instituições culturais do estado. A ideia é encontrar relações e intersecções, formando, assim, uma rede de construção de conhecimento. Neste ano, a programação especial, promovida em parceria com o Sistema Estadual de Museus de São Paulo (SISEM-SP), continua a desenvolver novos assuntos. No próximo mês, o parceiro será o Museu Casa de Portinari.

As equipes irão se reunir no YouTube do Museu do Café para apresentar as convergências das coleções e responder às perguntas dos espectadores. Participarão os pesquisadores Bruno Bortoloto e Pietro Amorim, a gerente geral Cristiane Maria Patrici e o assistente de acervo, Matheus Cardozo Maia.

7 a 15/4
Projeto on-line “Conexões: casa brasileira e café”

Nos próximos dias 7 e 15, os Museus do Café e da Casa Brasileira irão selecionar objetos relacionados ao preparo e consumo dessa bebida tão amada no País e abordar a sua relação a partir da troca de informações e perspectivas. A inciativa leia mais…

TEXTO Redação • FOTO Jim Kalligas

Mercado

Marca italiana Lavazza acredita em recuperação nas vendas de café em 2021

Na última quinta-feira (1º), o presidente-executivo da produtora italiana de cafés Lavazza, Antonio Baravalle, relatou em coletiva on-line que as receitas da empresa poderão se recuperar esse ano, mirando atingir ao menos o patamar de 2,2 bilhões de euros (2,58 bilhões de dólares) visto em 2019 e, ainda, avalia oportunidades de fusões e aquisições.

Em 2020, a Lavazza registrou vendas avaliadas em 2,085 bilhões de euros, com os negócios de varejo compensando apenas parte das perdas relacionadas à queda no consumo de café fora de casa.

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) somou 253 milhões de euros em 2020, queda de 13% em relação a 2019. O grupo também deseja retomar o nível de Ebitda alcançado em 2019, ou um patamar pouco abaixo deste.

Apesar do impacto negativo da pandemia de Covid-19 para o consumo de café em bares, restaurantes e escritórios, o grupo terminou 2020 com uma posição financeira líquida positiva de 102 milhões de euros.

“Se virmos oportunidades de fusões e aquisições, vamos tentar aproveitá-las, embora com grande atenção aos aspectos econômicos e financeiros”, explica Antonio Baravalle, acrescentando que, no momento, o grupo não possui planos concretos de aquisições.

A pandemia não interrompeu os investimentos da empresa. Segundo Antonio, a produtora de cafés irá aplicar um total de 50 milhões de euros para reduzir sua pegada de carbono e atingir a neutralidade em carbono até 2030.

O grupo sediado em Turim, no norte da Itália, não planeja uma listagem em bolsa no momento, já que tem atingido os resultados financeiros de que precisa e seus acionistas não procuram uma estratégia para deixar a empresa.

Antonio Baravalle espera, ainda, que as vendas em restaurantes e bares e o consumo de café em escritórios se recuperem gradualmente, acrescentando que o grupo não planeja mudar sua estratégia de longo prazo, que visa a expansão em todos os três segmentos.

TEXTO As informações são da Reuters, por Francesca Landini • FOTO Jeremy Ricketts

Café & Preparos

Universo de sensações: café com especiarias

Quem não curte um cappuccino com espuma de leite? Ou um chococcino pra esquentar os dias frios? O café é uma bebida muito querida no nosso país e muito presente no nosso dia a dia, sendo versátil nas mais diversas situações. Muitas misturas podem resultar em bebidas deliciosas e marcantes, sem apagar o verdadeiro gosto do café, mas vale lembrar que a diversidade de combinações não para por aí.

Para enriquecer as características do café e as sensações que ele propicia, podemos adicionar especiarias usadas em diversas culturas espalhadas pelo mundo, que, além de saborosas, trazem benefícios para a saúde. 

Quando bebemos ou comemos algo, buscamos sentir sabores e aromas que nos surpreendam através dos sentidos. Segundo a barista Paula Dulgheroff, as especiarias propiciam sensações no palato que são muito peculiares de cada uma delas, podendo realçar receitas e causar impressões emocionais e físicas.

4 especiarias para provar junto com o café

Canela
A canela pode ser polvilhada por cima da espuma do leite em um espresso, o que lembra bastante os quitutes caseiros por ser uma bebida aconchegante e saborosa.

Gengibre
Para acrescentar o gostinho do gengibre na bebida, o ideal é ralá-lo e filtrá-lo junto com o café. Com um sabor suave, é uma boa opção para ajudar com as vias aéreas e resfriados.

Cardamomo
Perfeito para o preparo de café turco. No modo de preparo, ferve-se o cardamomo junto com o café e a água fria e filtrada, resultando em uma bebida intensa e aromática.

Cravo
Um café coado junto com o cravo da índia é uma boa pedida para os dias frios. Para lembrar o gostinho do quentão das quermesses, pode-se filtrar o café e o cravo junto com canela em pau e gengibre ralado. 

Receitas

Junto com o café, as especiarias têm o poder de trazer para a xícara sensações picantes e uma vasta gama de aromas e sabores. Algumas especiarias possuem poder termogênico, antioxidante e até erótico! Clique aqui para conferir 3 opções de café com especiarias!

TEXTO Gabriela Kaneto • FOTO Daniel Ozana/Studio Oz

Café & Preparos

Estudo indica que casca e mucilagem do café podem ajudar na recuperação florestal

Um novo estudo descobriu que a casca do café e a mucilagem, que são retiradas no processo do café lavado, pode ser usada para acelerar a recuperação da floresta tropical em terras pós-agrícolas. Os resultados foram publicados no jornal Ecological Solutions and Evidence, da British Ecological Society.

No estudo, em 2018, pesquisadores da ETH-Zurique e da Universidade do Havaí espalharam 30 caminhões da casca e da mucilagem em uma área de 35 x 40 m de terra degradada na Costa Rica e, como controle, marcaram uma área de tamanho semelhante sem polpa de café.

“A área tratada com uma espessa camada se transformou em uma pequena floresta em apenas dois anos, enquanto a parcela controle permaneceu dominada por pastagens não nativas”, explica a Dra. Rebecca Cole, principal autora do estudo.

Os pesquisadores analisaram amostras de solo em busca de nutrientes imediatamente antes da aplicação e novamente dois anos depois. Eles também registraram as espécies presentes, o tamanho dos caules lenhosos, a porcentagem da cobertura do solo da floresta e usaram drones para registrar a cobertura do dossel.

A adição da camada de meio metro de espessura de casca e mucilagem eliminou as pastagens invasoras que dominavam o terreno. Essas gramíneas (família de plantas com folhas semelhantes a lâminas) costumam leia mais…

TEXTO As informações são do Technology Networks / Tradução Juliana Santin • FOTO Agência Ophelia