Cafezal

Confira as vencedoras da 2ª edição do Concurso Florada Premiada

Na última sexta-feira (22), durante a Semana Internacional do Café (SIC), o Grupo 3corações realizou a cerimônia de premiação do Concurso Florada Premiada. Nesta 2ª edição, a competição recebeu mais de 600 inscrições de cafeicultoras de todo o País.

As grandes campeãs receberam R$ 25 mil, uma viagem missão técnica para a Costa Rica e a compra de um lote pelo dobro da cotação. As segundas colocadas ganharam R$ 15 mil e a compra do lote pelo dobro da cotação. Já as terceiras tiveram seus lotes adquiridos pelo dobro da cotação.

Além disso, o melhor café de cada região também foi premiado com a compra pelo dobro da cotação, assim como os 100 melhores cafés do concurso, que foram adquiridos R$ 300 acima da cotação. Confira o pódio das categorias:

Via úmida

1º lugar Daiana Aparecida Juliano da Silva – 91,50 pontos
2º lugar Sônia Maria Lopes Sanglard – 89,79 pontos
3º lugar Ana Cláudia dos Reis – 88,73 pontos

Via seca

1º lugar Maria Simone Prock Borges – 92,04 pontos
2º lugar Sandra Lelis da Silva – 90,15 pontos
3º lugar Luciene Aparecida Santos Mota – 88,88 pontos

Na ocasião, o Grupo também anunciou o Padre Fábio de Melo como embaixador do Projeto. Ele esteve presente na cerimônia de premiação do concurso. “É uma honra contar com Pe. Fábio de Melo como embaixador do Florada, agregando tamanha sensibilidade em prol das produtoras. Hoje é dia de celebrar às conquistas das cafeicultoras”, disse Patrícia Carvalho, líder do Projeto na 3corações.

TEXTO Redação • FOTO NITRO Historias Visuais

Café & Preparos

Café como protagonista em sessão de degustação

Durante o painel “Os paladares e os cinco gostos básicos” foi abordado o protagonismo do café dentro das degustações por se tratar de uma bebida complexa em sabores como o vinho. Doce, salgado, ácido, amargo e umami (sensação agradável que dá água na boca e deixa um gosto duradouro) podem ser percebidas em torno de uma xícara. “Todos os sentidos têm que estar conectados para sentirmos o sabor da bebida”, comenta o palestrante Daniel Carvalho, fundador da 55 Coffee Hub.

A harmonização de um café fermentado do cerrado mineiro – preparado por Paulinha Dulgheroff, do Mundo do Café – com queijo e chocolate foi oferecida para os participantes, “para que eles relatassem a experiência sensorial da combinação desses alimentos”, diz Hellen Maluly, presidente da Associação Brasileira de Ciências Sensoriais.

A proposta do painel foi mostrar que além do café ser uma bebida complexa, muitos outros fatores (ambiente, xícara utilizada, por exemplo) também influenciam na experiência do sabor.

TEXTO Janice Kiss, direto da Semana Internacional do Café • FOTO Nitro

Barista

Campeões na Semana Internacional do Café

A Semana Internacional do Café terminou hoje (22/11) com o resultado dos Campeonatos Brasileiros de Barismo e do Coffee of The Year (COY).

Foram três dias em que o público pôde votar nas amostras de café arábica e canéfora do COY até chegarmos nos campeões Wilians Valério e Neuza Maria e Luiz Claudio (arábica e canéfora). Neste ano ocorreu um recorde de amostras, foram 500 recebidas e degustadas por profissionais até chegarem nas 180 amostras selecionadas que estavam na sala para prova.

Já os campeonatos 2020 o título de Campeão de Cup Tasters foi para Phelippe Nascimento ; Brewers: Julia Fortini e Barista: Leo Moço.

Os 10 melhores arábicas e os cinco melhores canéforas foram degustados, às cegas, pelos visitantes durante os três dias da SIC. Chegando nesse ranking:

Arábica

1º lugar Sítio Recanto dos Tucanos – Willians Valério
2º lugar Sítio Rancho Dantas – Leidiomar Moreira Menegueti
3º lugar Café Portilho – Gislene da Silva Portilho
4º lugar Sítio Joia da Forquilha – Jose Emilio Magro
5º lugar Fazenda Uaimii – Marcio Alves de Oliveira
6º lugar Fazenda São João Grande – André Campos
7º lugar Fazenda Kutz – Sivanius Kutz
8º lugar Sítio Refúgio do Cedro – Cedro do Carmo
9º lugar Fazenda Bom Jesus – Lucas Lancha
10º lugar Sítio Indaia – Neusa Venturin Pansini

Canéfora

Bicampeão – Sítio Grãos de Ouro – Neuza Maria da Silva de Souza e Luiz Claudio de Souza
2º lugar Sítio Rio Limão – Dione Mendes Bento
3º lugar Sítio Sering – Giovanio Cesar Sering
4º lugar Fazenda Bom Retiro – Gustavo Sturm
5º lugar Aldeia Kabaney – Wilson Nakodah Surui

Além disso, ocorreram os Campeonatos de Barista, Cup Tasters e Brewers. Confira os campeões!

Cup Tasters

1º lugar Phelippe Nascimento
2º lugar Edimilson Generoso
3º lugar Matheus Tinoco

Brewers

1º lugar Julia Fortini
2º lugar Garam Um
3º lugar Luis Felipe Xeviar
4º lugar Rafael Mendes
5º lugar Thiago Santos
6º lugar Djuly Mendes

Barista

1º lugar Léo Moço
2º lugar Boram Um
3º lugar Vitor Haubert
4º lugar George Gepp
5º lugar José Ricardo Teles
6º lugar Julia Silva

TEXTO Natália Camoleze, direto da Semana Internacional do Café • FOTO Nitro

Café & Preparos

Cafeicultura valoriza produtos e ações sustentáveis

A sustentabilidade tem sido tema recorrente durante a sétima edição da Semana Internacional do Café (SIC), em Belo Horizonte, MG. Durante o painel Produtos e Ações Sustentáveis para a Cadeia do Café, realizado na Cafeteria Modelo, a torrefadora Fabíola Jungles apresentou o projeto paranaense Consolida (do qual é idealizadora), criado em 2017, e que tem o objetivo de promover o protagonismo feminino na produção cafeeira.

Segundo ela, os aspectos social e econômico que compõem a sustentabilidade estão presentes no projeto, além da visibilidade da mulher no campo, tema bastante atual na cafeicultura e agronegócio como um todo. “Encontramos cafeicultoras que dividem de igual por igual os negócios da família, mas elas não têm uma conta bancária própria”, comenta.

Por outro lado, Marcelo Brussi, da Minas Hill, empresa sediada em Melbourne, na Austrália, contou sobre sua experiência na comercialização de cafés brasileiros no mercado externo. Não é incomum, segundo ele, o cliente “relevar” a qualidade em detrimento das condições ambientais e de trabalho nas lavouras. “É inaceitável para os consumidores australianos e neozelandeses, por exemplo, tomarem uma xícara de café que não respeite essas condições”, diz.

Durante a feira, Brussi lançou a Harvest, um saco de plástico fabricado com um percentual de milho em sua composição, diminuindo o consumo de energia na produção. Ele serve como um “forro” da tradicional saca de juta para evitar a contaminação do alimento. O produto não contém metais pesados, BPA (substância tóxica utilizado na fabricação de plástico) e organismos geneticamente modificados (GMO, na sigla em inglês). A previsão para a saca ser comercializada no Brasil é fevereiro de 2020 e o preço dela está estimado em torno de três dólares.

TEXTO Janice Kiss, direto da Semana Internacional do Café • FOTO Gustavo Baxter / NITRO

Barista

Conheça os finalistas dos Campeonatos Brasileiros de Barismo

Na noite desta quinta-feira (21/11) anunciaram os semifinalistas de Cup Tasters e os finalistas de Brewers e Barista.

Confira a lista:

Cup Tasters

Wellington Pereira (Cocarive – São Lourenço)
Ramon Ribeiro (Sancoffee – Santo Antônio do Amparo)
Phelippe Nascimento (Exportadora de Cafés Carmo de Minas – Carmo de Minas)
Sillas Silva (Ouro Verde Corretagem de Café – Ibiraci)
Matheus Tinoco (Kaffeemaskiner – São Vicente)
Leandro Salles (Sabiá Laranjeiras Specialty Coffee – São Sebastião da Grama)
Renato Arriel (Café das Amoras – Belo Horizonte)
Vinícius de Souza (Nutrade – Varginha)

Brewers

Garam Um (Um Coffee co – São Paulo)
Djuly Mendes (Autônoma – Franca)
Thiago Santos (Sensory Coffee Roastets – São Paulo)
Rafael Mendes (Descubra Café – Franca)
Júlia Fortini (Academia do Café – Belo Horizonte)
Luis Felipe Xavier (Pernambuco)

Barista

José Ricardo Teles (Café do Mercado – Porto Alegre)
Boram Um (Um Coffee Co – São Paulo)
Leo Moço (Moço Bento Rolding – Curitiba)
Vitor Haubert (The Coffee – Curitiba)
George Gepp (Borsoi Café Clube – Recife)
Júlia Silva (Octavio Café – São Paulo)

 

TEXTO Redação

Cafezal

Divulgada a lista dos 35 melhores cafés do Coffee of the Year 2019

Ontem, 20 de novembro, primeiro dia de Semana Internacional do Café (SIC), foram divulgadas as 35 melhores amostras do Coffee of the Year 2019, sendo 25 de café arábica e 10 de canéfora. Confira quem são:

Categoria arábica

Rafael Ribeiro Vinhal – Fazenda Estrela – Serra do Salitre – Cerrado Mineiro
José Renato Rodrigues Alves – Chácara Vista Alegre – Piatã – Chapada Diamantina
Neusa Venturin Pansini – Sítio Indaia – Venda Nova do Imigrante – Montanhas do Espírito Santo
Renato Caetano Domingos – Fazenda São João Batista – Campos Altos – Cerrado Mineiro
Marcio Alves de Oliveira – Fazenda Uaimii – Ouro Preto – Microrregião do Quadrilátero Ferrífero
Gislene da Silva Portilho – Café Portilho – Luisburgo – Matas de Minas
Lucas Lancha Mei Alvez de Oliveira – Fazenda Bom Jesus – Cristais Paulista – Alta Mogiana
Waldemar Ferreira de Paula Neto – Sítio Vista do Brigadeiro – Pedra Bonita – Matas de Minas
Wilians Valério – Sítio Recanto dos Tucanos – Alto Caparaó – Caparaó
Rejane Faleiros de Moraes – Fazenda Boa Esperança – Ibiraci – Sul de Minas
Francisco Souza Guimarães – Fazenda leia mais…

TEXTO Redação

Mercado

Mercado internacional vai exigir cafés com produções sustentáveis

No futuro breve, a cafeicultura ligada à produção sustentável em todos seus aspectos (ambiental, social e econômico) tende a ser considerada a “nova onda” do café. A análise é de Marcos Young, consultor da Boot Coffee Campus (escola de treinamento e consultoria), nos Estados Unidos, durante palestra sobre a posição do café brasileiro no mercado internacional.

Segundo ele, as mudanças climáticas estão fazendo com que o consumidor se torne mais exigente em relação à origem do produto: “em qual área foi plantada, quais são as condições de trabalho na lavoura, o produtor foi bem pago?” – são perguntas que ele aponta como decisivas na hora da compra. A consultoria Boot Coffee Campus fez sua própria pesquisa em torno do tema. Entre 12 itens abordados, a sustentabilidade apareceu em nove deles.

O produtor Clayton B. Monteiro, da Fazenda Ninho da Águia, na região do Alto Caparaó, Minas Gerais, tem essa percepção com os clientes internacionais já algum tempo. Além da qualidade do grão e da complexidade de sabores da bebida, o mercado externo valoriza informações sobre manejos de produção, preservação ambiental, qualidade de vida do produtor e família, entre outros. “Tudo isso se transforma em precificação do produto”, diz.  Talvez por ter adotado a agroecologia para o plantio de café desde o início, Clayton Monteiro tem essa percepção de tendência do mercado desde cedo.

O torrador francês Antoine Netien, fundador da Clima, na França, concorda com as análises dos colegas de painel, e lembra das muitas imagens que o café brasileiro já teve lá fora. Começou como produto exótico, para dar energia, depois commodity, café de qualidade e há algum tempo com todas as questões que envolvem a produção. “Ficou mais complexo, é a imagem do país por trás de uma xícara”, afirma.

TEXTO Janice Kiss, da Semana Internacional do Café

Mercado

SIC inicia com a presença do Governador de MG Romeu Zema

A Semana Internacional do Café começou hoje (20/11) com muitos cafés, novidades e trabalho para incluir cada detalhe.

A abertura oficial foi às 13h e contou com a presença do Governador do Estado de Minas Gerais Romeu Zema; Secretária de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Ana Maria Valentini; Diretor-Presidente da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais, Dante de Matos; Presidente da FAEMG e do Sebrae Minas, Roberto Simões; Diretor de Planejamento da Café Editora, Caio Alonso; Vice-Presidente de Assuntos Públicos da Nestlé Brasil, Gustavo Bastos; Presidente do Sistema Ocemg, Ronaldo Scucato; Vice-Presidente do Conselho de Administração do SICOOB Central Crediminas e Presidente do Conselho de Administração do SICOOB CREDICAF, João Batista Bartoli de Noronha; Presidente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), João Martins da Silva Junior.

Todos chegaram a uma conclusão em comum de que o caminho é a qualidade, acima de tudo e a SIC é essencial para fazer a ponte entre toda a cadeia. Para o presidente da CNA, João, a produção está cada vez mais eficiente e a tecnologia é uma grande aliada.

Para o Diretor de Planejamento da Café Editora, Caio Alonso, a SIC cresceu 25% neste ano o que mostra a potencialidade do café. “Estamos construindo com os maiores leia mais…

TEXTO Natália Camoleze, direto da Semana Internacional do Café • FOTO Nitro

Mercado

Angelica Salado fala sobre mercado global de café em painel durante a SIC

Este primeiro dia de Semana Internacional do Café contou com painéis importantes sobre diversos temas voltados para produção, mercado e consumo final da bebida. Um deles foi o “Será que o Brasil já é o maior consumidor do mundo? Oportunidades para o Consumo de Qualidade”, mediado pela diretora de conteúdo da Revista Espresso, Mariana Proença.

Debatendo sobre o consumo brasileiro atualmente e as ondas do café, Angelica Salado, da Euromonitor International, foi uma das participantes da ocasião, abordando o papel do Brasil no contexto mundial do mercado de café. Dentre os dados apresentados, um dos destaques foi o café coado. “Continuamos tendo uma expectativa positiva não só para 2019, como também para os próximos anos”, disse.

Angelica também trouxe dados sobre o mercado mundial. Em alguns países da América do Sul e em grande parte da Ásia, a tendência é o crescimento das cafeterias. Em parte das nações europeias, o que mais tem crescido são os formatos convenientes. Já no Brasil, alguns países da América do Norte e da Europa, o que mais cresce é o consumo de café em cápsula e de alto valor agregado.

Para ela, uma das tendências do consumidor para os próximos cinco anos é a rastreabilidade. “Adotar padrões de consumo orientados por valores éticos não precisa ser apenas sobre sustentabilidade ambiental”, disse. Além disso, outro interesse do público para o período é o consumo rápido, lojas menores leia mais…

TEXTO Gabriela Kaneto, da Semana Internacional do Café • FOTO Thais Fernandes