Cafeteria & Afins

“Coffee Festival” chega ao Brasil e anuncia a primeira cidade

Principal festival mundial que está presente em Londres, Milão, Amsterdã, Nova York, Los Angeles e Cidade do Cabo aterrissa em São Paulo em junho de 2020

Realizado há mais de dez anos em diversas partes do globo, o Coffee Festival, marca da britânica Allegra Events, chega ao Brasil em 2020. A primeira realização será em São Paulo, a cidade escolhida para sediar o evento de estreia no maior país produtor e consumidor de café do mundo.

Programado para o mês de junho, o São Paulo Coffee Festival terá como foco o público consumidor final: coffee lovers e novos apaixonados por café especial. Com a proposta mundial de unir cultura, gastronomia, arte e café, o Coffee Festival é anual e tem como atrações a presença de cafeterias, baristas, micro-torrefações, competições, experiências sensoriais, exposições, filmes e apresentações musicais da cidade.

“Com uma cena moderna de cafeterias, milhares de empreendedores e ótima gastronomia, estamos muito entusiasmados de chegar a maior cidade da América Latina e incentivar a comunidade do café a vivenciar espaços de experiências em torno de uma xícara de café!”, anuncia Jeffrey Young, diretor-geral e fundador da Allegra.

Segundo a marca, o local e a data do São Paulo Coffee Festival serão anunciados em breve.

Mais informações no Instagram: @saopaulocoffeefestival

TEXTO Redação • FOTO Divulgação

Mercado

Conheça quem ganhou e quem comprou os melhores cafés de São Paulo

Em cerimônia de lançamento hoje, 13/12, os melhores cafés das principais regiões cafeeiras paulistas foram reconhecidos no Palácio dos Bandeirantes, em São Paulo (SP). A celebração faz parte da 17ª Edição Especial dos Melhores Cafés de São Paulo e a seleção especial dos melhores cafés paulistas de 2019 foi feita durante o 18º Concurso Estadual de Qualidade do Café de São Paulo – Prêmio Aldir Alves Teixeira, cuja premiação aconteceu no Museu do Café, em Santos, no fim do mês de novembro.

“É dirigido aos produtores de café, para que sejam escolhidos os melhores cafés em grão cru, que tem a melhor bebida e sabor e que podem ser oferecidos para a indústria, para ela compre e pague preços melhores do que o mercado”, explica o presidente-executivo do Sindicafé-SP, Nathan Herszkowicz.

As empresas que compraram os cafés finalistas do concurso industrializaram os produtos que chegam ao consumidor em embalagens com selos numerados e exclusivos de identificação.

Nesta edição, foram 44 sacas de cafés das categorias Natural (22), Cereja Descascado (18), Microlotes (4) e nano lote (1), adquiridas em leilão por indústrias de café e cafeterias.

O valor total da venda alcançou R$ 64.140,00. Participaram do leilão as empresas Café Toledo, Café Baronesa, 3Corações, Torrefação Baobá, Sr. Espresso Cafés, Reynaldo Anauate, Suplicy Cafés, Coffee Lab, Barisly Café, Dengo Chocolate, Exotic Café, Cafeteria do Museu, Café Caiçara, Il Barista e Café Morro Grande.

Esta ação é uma iniciativa da Secretaria de Agricultura e Abastecimento de São Paulo, por meio da Coordenadoria de Desenvolvimento dos Agronegócios (Codeagro), em parceria, com a Câmara Setorial de Café, e conta com o apoio, além da ABIC, do Sindicato da Industria de Café do Estado de São Paulo e da Associação Comercial de Santos.

“O café celebra a relação entre campo e cidade da maneira mais pura e direta. É a bebida que mais se revolucionou nos últimos anos. Hoje as pessoas procuram cafés diferentes, com denominação de origem”, afirmou o secretário de Agricultura e Abastecimento, Gustavo Junqueira. As empresas Exotic Café e Grupo 3 Corações também foram premiadas nas Categorias Ouro e Diamante, respectivamente.

18º Concurso Estadual de Qualidade do Café de São Paulo – Premio Aldir Alves Teixeira

 

Entidade

Categoria Colocação Produtor Cidade Nota final
Assoc Agrop. Barra Grande

De Caconde

ML 1º lugar Mariana Martins de Souza Divinolândia 8,68
Ass.dos Cafeic.Montanha de Divinolândia ML 1º lugar Donizete Aparecido Auriglietti Divinolândia 8,68
Assoc. dos Cafeic. do Ribeirão de Santo Antonio N 2º lugar Marcelo Luiz Thezolin Divinolândia 8.65
Ass.Agrop. Barra Grande de Caconde N 3º lugar Marcilio Aparecido Souza Divinolândia 8.63
Asso. dos Cafeicultores Vale da Grama N 4º lugar Lucia Maria da Silva Dias São Sebastião da Grama 8.63
Ass. dos Prod. Caf[es Especiais de Sta. Luzia CD 5º lugar Arnaldo Franco de Moraes & Outros Santo Antonio Jardim 8,58
Ass.dos Cafeic.Montanha de Divinolândia N 6º lugar Rodrigo José de Avila Divinolândia 8,56
Asso. dos Cafeicultores Vale da Grama CD 7º lugar Lucia Maria da Silva Dias S.S. da Grama 8,52
Sindicato Rural de Amparo CD 8º lugar Reginaldo Faria dos Santos Serra Negra 8,48
Sindicato Rural de Caconde NL 8º lugar João Hamilton dos Santos Caconde 8,48
Assoc.dos Cafeicultores Vale da Grama CD 9º lugar Antonio Gabriel Taramelli S.S Grama 8,39

ML = Microlote / N = Café Natural /CD – Café Cereja Descascado / NL = Nanolote

TEXTO Mariana Proença • FOTO Divulgação

Mercado

Vote na Espresso para melhor revista de café do mundo!

Ontem (13), o Sprudge, site norte-americano especializado em café, divulgou quem são os finalistas que concorrem ao prêmio Sprudgie Awards e adivinhem? A Espresso está novamente participando da categoria “Melhor revista de café”!

A premiação tem como objetivo celebrar e parabenizar os diferentes segmentos dentro do universo do café, como torrefações, produtores, produtos, filmes/vídeos, revistas, mídias sociais, podcasts e cafeterias.

Bora votar na Espresso? É super fácil! Basta clicar aqui, ir até a categoria “Best coffee magazine” e selecionar “Revista Espresso (Brazil). Ao final é necessário colocar seu nome e clicar em “enviar”. Não é preciso votar em todas as categorias, mas se quiser pode!

Vamos trazer para o Brasil o título de melhor revista de café do mundo! O link estará disponível para votação até 3 de janeiro. Chama a galera!

TEXTO Redação • FOTO Café Editora

Mercado

Blue Bottle faz promessa de desperdício zero nos EUA até o final de 2020

A Blue Bottle Coffee comprometeu-se a tornar todos os seus cafés dos Estados Unidos ‘zero desperdício’ até o final de 2020. O compromisso da empresa envolverá a remoção de itens populares de uso único, como xícaras, contêineres e sacolas de café de varejo.

“Recentemente, acordamos com o fato de que nossos lindos copos e canudos bioplásticos não estavam sendo compostados, apesar de serem 100% compostáveis”, escreveu Bryan Meehan, CEO da Blue Bottle. “Muitos acabaram em aterros sanitários, onde não puderam se decompor. Então, mudamos para canudos de papel e copos de papel de cana-de-açúcar, mas isso ainda não é suficiente. Ainda consumimos em média 15 mil copos descartáveis ​​de uso único por café por mês apenas nos EUA, o que totaliza 12 milhões de copos por ano. Queremos mostrar aos nossos clientes e ao mundo que podemos eliminar copos descartáveis ​​enquanto servimos nosso café delicioso”, completou.

Nenhuma cadeia de café do tamanho da Blue Bottle já experimentou a eliminação de copos de uso único, que nas últimas cinco décadas se tornaram essenciais. Enquanto isso, a cidade de Berkeley, na Califórnia, está pilotando um programa de copos reutilizáveis de café após uma votação no conselho da cidade que exigirá que todas as empresas cobrem uma taxa de 25 centavos pela venda de xícaras de uso único.

A empresa não disse se o programa de desperdício zero será implementado em seus locais no exterior, mas no comunicado Meehan explicou que a Blue Bottle planeja pilotar a estratégia em um café na área da baía de São Francisco.

De acordo com a carta, os hóspedes deverão trazer seu próprio copo ou fazer um depósito para um copo da casa. Os cafés com grãos integrais serão vendidos a granel ao invés de sacolas descartáveis e outros itens necessários precisarão de recipientes reutilizáveis. “Chegou a hora de acelerar e fazer coisas difíceis. É nossa responsabilidade para a próxima geração mudar nosso comportamento”, disse Meehan.

TEXTO As informações são do Daily Coffee News / Tradução Juliana Santin

Mercado

Natal cafeinado: opções para presentear quem ama café!

Chegou a época do ano em que todo mundo quer ganhar presente! Para você, que ama produtinhos de café, aí vai a nossa dica (ou melhor, as nossas dicas!). Confira a listinha que fizemos com alguns itens para este Natal:

Bolsas de juta

Buscando reduzir o impacto ambiental causado por produtos que são descartados após o uso, a Cotton Bags & Co. criou as coffee bags, bolsas feitas através do reaproveitamento das sacas de café. Além do design diferenciado, as peças possuem tecido interno personalizado e opções de alças que podem ser de couro, juta ou algodão. Preço: varia de acordo com a peça Mais informações: www.instagram.com/cottonbagsco

Xícaras illy

A empresa italiana lançou uma coleção em que a ideia é que a xícara seja uma tela em branco para que artistas contemporâneos de todo o mundo desenvolvam suas artes! No e-commerce brasileiro, estão disponíveis as linhas assinadas por Olimpia Zagnoli, Mauricio Galiberti, Ron Arad, Marc Quinn e Max Petrone. Preço: R$ 110 a R$ 445 Mais informações: http://bit.ly/2PpNoSy

Sabonetes de café

Gosta do cheiro do café? Inspirada no formato do grão, a Kapeh lançou esse kit com três sabonetes em barra: café verde, café maduro e café torrado. Todos eles são feitos a partir de extrato de café e manteiga de Karité em massa 100% vegetal. Preço: R$ 38,90 Mais informações: http://bit.ly/38kdj6M

Canecas de cerâmica

Feitas à mão, as canequinhas do Moka Clube passam por um processo de produção em ritmo mais lento, sendo modeladas do início ao fim do processo. As cerâmicas são finalizadas com queima de alta temperatura (1230 graus) que garante maior resistência. Cada peça é única! Preço: R$ 59 Mais informações: http://bit.ly/2P5x8Y8

Kit Hario v60

Conhece alguém que está começando a entrar no mundo dos cafés especiais? O método japonês é uma ótima alternativa para dar de presente, já que é fácil de usar e resulta em uma bebida limpa. O kit contém uma jarra de vidro de 600 ml, um coador tamanho 02, 40 filtros de papel branco e um dosador. Preço: R$ 129 Mais informações: http://bit.ly/353houc

Camisetas cafeinadas

Por que não vestir café também? Para aqueles que gostam de sair por aí mostrando que amam esse grãozinho, a Pura Caffeina trabalha com camisetas 100% algodão, dos tamanhos PP ao GG. Essa, que faz sucesso entre o pessoal do mercado, traz a frase “A vida é feita de coragem e café”. Preço: R$ 45 Mais informações: http://bit.ly/36gtIY6

Bônus: faça uma criança feliz!

A cafeteria paulistana True Coffee e a advogada e educadora social Bruna Dorneles criaram o projeto Natalatte. A ação se resume em: leve um brinquedo (novo ou usado em bom estado) e troque por um cappuccino da casa! Gostou? O projeto vai ser realizado no sábado, 14 de dezembro, a partir das 10h, na nova unidade da cafeteria. Endereço: Rua Quintana, 717 – Brooklin Paulista – São Paulo (SP). Mais informações: www.truecoffeeinc.com.br

TEXTO Redação • FOTO Divulgação

Mercado

3corações lança edição limitada Rituais Regiões do Mundo

Durante a Semana Internacional do Café deste ano, realizada em novembro, em Belo Horizonte (MG), a 3corações lançou sua nova linha de edição limitada, a Rituais Regiões do Mundo, que conta com quatro pacotinhos de arábica de origens diferentes: Indonésia, Colômbia, Etiópia e Kenya.

Segundo a marca, o primeiro, produzido na Ilha de Java, resulta em uma bebida com notas de cacau e frutas secas. O colombiano, por sua vez, tem sabor de chocolate e nozes. O Etiópia conta com notas frutadas e de chocolate ao leite. Já o Kenya traz notas cítricas e florais.

“O consumidor está cada vez mais envolvido e interessado pelo mundo do café e Rituais Regiões do Mundo chega com a missão de convidar mais e mais apreciadores a vivenciarem e conhecerem a longa jornada, repleta de significados, que os cafés especiais cumprem até chegar à xícara”, conta Roberta Prado, head de marketing do Grupo.

A linha está disponível apenas no e-commerce Café Store, por R$ 25,90 cada pacote de 250 gramas. Em breve, a novidade será comercializada, também, em lojas de varejo selecionadas pelo Brasil.

Mais informações: www.cafe3coracoes.com.br/rituais

TEXTO Redação • FOTO Divulgação

Cafeteria & Afins

Harina Café – Recife (PE)

Já com a ideia de montar uma cafeteria, a arquiteta Mariana Pita e seu irmão, o empresário Guilherme Pita, enxergaram, na cidade de Boa Viagem, a necessidade de um espaço dedicado aos grãos especiais. Um local onde as famílias pudessem almoçar ou simplesmente tomar uma xícara de café. Decidiram então montar o Harina Café.

O espaço, amplo, inaugurado em dezembro de 2017, tem jardins verticais e tijolinhos à vista nas paredes, itens que dão à casa um ar aconchegante. Além disso, para tornar a experiência mais agradável, a cafeteria dispõe de estacionamento e wi-fi. Para Mariana, a localização é um dos pontos positivos, já que se trata de uma rua tranquila.

Para beber e comer

Escolhidos a dedo, os grãos usados na casa são da variedade mundo novo, produzidos em São Sebastião da Grama (SP) e torrados pela Kaffe, de Recife. Mariana, afirma que, é possível encontrar notas de chocolate ao leite e caramelo na bebida, que pode ser feita nos métodos filtrados (clever e aeropress) e no espresso, tirado de uma Astoria. Também há opções com leite, como latte, cappuccino e mocha.

Em relação à culinária, o Harina Café produz cerca de 70% do cardápio. Uma vantagem é ter como principal fornecedor dos produtos a própria família, dedicada à panificação artesanal.

A casa serve sanduíches, torradas, tapiocas e omeletes. Na parte dos doces, o menu dispõe de tartaletes, madeleines, croissants e pain au chocolat. De acordo com a proprietária, o croissant, que é feito com manteiga francesa e farinha importada, é o mais pedido pelos clientes. Para as fomes maiores, de segunda a sábado o Harina oferece almoço, com sete opções de prato por dia, além de saladas.

Informações sobre a Cafeteria

Endereço Rua França Pereira, 137
Bairro Boa Viagem
Cidade Recife
Estado Pernambuco
País Brasil
Website http://www.instagram.com/harina.cafe
Telefone (81) 3090-6471
Horário de Atendimento Todos os dias, das 7h às 21h
TEXTO Gabriela Kaneto • FOTO Andréa Rêgo Barros

Cafezal

Produtor do Vale do Café, no RJ, tem saca arrematada por mais de R$ 11 mil

Mariana Proença, diretamente do Rio de Janeiro

Em resgate histórico da região do Vale do Café, produtor tem lance recorde para o concurso que completou a terceira edição

Nesta tarde, 30 de novembro, foi anunciado o resultado do III Concurso de Cafés Especiais do Estado do Rio de Janeiro. Cafés das regiões produtoras fluminenses conquistaram as finais do certame e tiveram destaque na mesa de cupping realizada no Palácio Guanabara.

Às cegas, cafeterias, torrefações e indústrias locais e nacionais provaram os cafés e puderam dar lances em leilão durante o evento.

Em 1º lugar na categoria natural ficou o produtor Paulo Roberto dos Santos, da Fazenda Florença, coroando um trabalho de qualidade iniciado em 2014 na região do Vale do Café com as antigas propriedades que produziam café no Estado. Localizada em Conservatória, a Fazenda retomou o plantio de café em 2017, com variedades novas e sob orientação da Universidade Federal de Lavras (UFLA) com a coordenação do professor Flavio Borem.

O projeto coordenado pelo Sebrae RJ tem o objetivo de revitalizar o Vale do Café, região histórica que foi responsável pelo produção de 75% do café do mundo.

Com muita emoção o produtor recebeu o prêmio e teve sua saca arrematada por R$ 11.500 pela Café Capital – indústria e cafeteria da cidade – que disputou lance a lance com o Supermercado Zona Sul. No fim, Luciano Inácio, da Capital, deu o maior lance: 

“Extrema emoção pois a Fazenda Florença foi uma tradicional produtora de café no século XIX e ficou quase 80 anos sem produzir café. E agora foi coroada com essa premiação”, fala Paulo Roberto.

Com 36 amostras, os produtores da região Serrana, Noroeste e do Vale do Café tiveram seus cafés da safra 2019/2020 provados por um time de Q-Graders da Academia do Café, em Belo Horizonte, em seleção prévia. Os 10 melhores foram conhecidos em cerimônia no Palácio Guanabara e, os cafés, participaram de leilão com torrefações, cafeterias e indústrias locais.

Segundo Moacyr Carvalho, presidente da Associação de Cafeicultores do Rio de Janeiro (Ascarj), hoje são 2.600 produtores de café no Estado que já foi o maior produtor do mundo. Em média são 50 hectares de pequenos cafeicultores, familiares e que produzem um total de 386 mil sacas/ano. 

Todos destacaram o potencial de consumo de café do Estado do Rio de Janeiro e a importância do investimento em qualidade para ampliar o mercado e agregar valor ao produtor, inclusive citado pelo novo Secretário de Agricultura do Estado, Marcelo Queiroz.

Reforçando o perfil do cafeicultor do Estado, o 1º lugar da categoria Via Úmida foi Paulo Ricci, da região do Noroeste do Estado, da cidade de Porciúncula, a quinta geração da família no café no Sítio Santa Reginalda e Bom Jardim. Com 23 hectares, Paulo explica que está desde que nasceu no café e que agora passa para o filho, Tiago, a responsabilidade da produção de qualidade, que começou em 2003.

O produtor teve a saca arrematada por R$ 6.500 em um coletivo de cafeterias: Beco do Café, Ás Café Ipanema e Academia do Café, que ficarão cada um com 20 kg do grão premiado.

Para Bruno Souza, coordenador do concurso e proprietário da Academia do Café, os cafés estavam muito complexos e os finalistas tiveram notas acima de 82 pontos. “Os produtores do Rio de Janeiro estão de parabéns e esse é um trabalho muito importante. É prazeroso ter esses cafés expressivos e de qualidade excepcional”.

Os demais café finalistas foram leiloados com valores altos, com média de R$ 4.000 a saca. 

Resultado Final:

Via Úmida
1º lugar: Paulo Henrique Ricci (Sítio Santa Reginalda e Bom Jardim – Noroeste – Despolpado – 85,56 pontos)
2º lugar: Fabiano Antonio de Oliveira Rodolphi (Sítio Vai e Volta – Noroeste – Desmucilado – 84,81 pontos)
3º lugar: Enio Geraldo Marteline Neles (Fazenda São Mamede – Noroeste – Despolpado – 84,75 pontos)
4º lugar: Everaldo Tardin Erthal (Fazendinha Bela Vista 1 – Serrana – Descascado – 84,38 pontos)
5º lugar: Alyne Silva de Almeida (Sítio Vai e Volta – Noroeste – Desmucilado – 82,56 pontos)

Natural
1º lugar: Paulo Roberto dos Santos (Fazenda Florença – Vale do Café – Natural – 84,69 pontos)
2º lugar: Evando José Menim (Fazenda Boa Esperança – Noroeste – Natural – 84,25 pontos)
3º lugar: Geraldo Vargas de Moraes (Fazenda Ribeira e Soledade – Noroeste – 83,38 pontos)
4º lugar: Enio Geraldo Marteline Neles (Fazenda São Mamede – Noroeste – 83,31 pontos)

O leilão arrecadou em disputados lances o recorde de R$ 11.500 pela saca do produtor Paulo Roberto dos Santos, via natural, da Fazenda Florença, no Vale do Café, em cerimônia comandada pela diretora-executiva da Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA), Vanusia Nogueira.

Na área externa do Palácio Guanabara foi realizada a feira de cafés especiais em que o público pode provar os grãos do Rio de Janeiro. Dentre as marcas presentes, os cafés dos finalistas e também o Café Iranita, o Café Monthal, dentre outros produtores de diferentes regiões.

*A jornalista viajou a convite da organização do Concurso de Cafés Especiais do Estado do Rio de Janeiro

TEXTO Mariana Proença • FOTO Mariana Proença/Revista Espresso

Mercado

Diretor Comercial da Minasul assume presidência da BSCA

Nos últimos dois anos, a Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA) teve como presidente Carmem Lucia Chaves de Brito, conhecida como Ucha. A partir de segunda-feira (02), Guilherme Salgado Rezende, atual diretor Comercial da Cooperativa dos Cafeicultores da Zona de Varginha (Minasul), assume.

Nos próximos 12 meses, Guilherme terá como vice-presidente Henrique Dias Cambraia, da Fazenda Samambaia, e Vanusia Nogueira segue como diretora executiva da BSCA.

Carmem Lucia Chaves de Brito e Guilherme Salgado Rezende

Guilherme Rezende é formado em Engenharia Agronômica pela Universidade Federal de Lavras (Ufla), onde também fez pós-graduação em Cafeicultura Empresarial. Na Minasul, entrou para o corpo técnico através de concurso, em 1998. Sua experiência com o cooperativismo o levou à Gestão do Departamento de Café, em 2010, posição que comandou até 2016, quando recebeu o convite para representar os cooperados à frente da Diretoria Comercial.

“A BSCA vem realizando um trabalho ímpar na promoção dos cafés especiais do Brasil em todo o mundo, assim como passou a intensificar as ações para ampliar o consumo interno através de diversas atividades. Pretendemos trazer leia mais…

TEXTO Redação • FOTO Divulgação