Mercado

Expocaccer lança edições especiais de cafés vencedores de concursos de qualidade

A Cooperativa dos Cafeicultores do Cerrado (Expocaccer) lançará uma edição especial com os cinco melhores cafés do Cerrado Mineiro, que foram vencedores dos primeiros lugares do 9° Prêmio da Região do Cerrado Mineiro, do Cup of Excellence e do Coffee of The Year.

Produzidos pelos cooperados da Expocaccer, os cafés serão apresentados nesta terça-feira (14), às 16h, em evento na cafeteria da cooperativa, a Dulcerrado, em Patrocínio (MG).

Para cada bebida foi elaborado um tipo de método e harmonização que melhor ressaltou o sabor e as qualidades sensoriais dos cafés. Tudo ficará à disposição gratuitamente para o público.

O lançamento dos campeões contará com a participação dos produtores premiados, que farão uma apresentação dos seus cafés e dos processos de produção realizados, e da jornalista, organizadora da Semana Internacional do Café (SIC) e diretora de conteúdo da Revista Espresso, Mariana Proença, que compartilhará um pouco da sua experiência e da importância dos concursos de qualidade para promoção dos cafés especiais brasileiros.

O evento integra a semana comemorativa do aniversário de 7 anos de funcionamento da Cafeteria Dulcerrado, que será celebrado entre os dias 12 e 18 de dezembro e foi organizado por meio de seu Departamento de Cafés Especiais da Expocaccer, como uma oportunidade de apresentação e promoção dos cafés.

O lançamento será marcado ainda pela entrega de cheques simbólicos aos produtores que tiveram seus cafés arrematados no Leilão do 9° Prêmio da Região do Cerrado Mineiro e também à Escola Estadual Irmã Gislene, instituição indicada pela Expocaccer, que concorreu ao Troféu Escola de Atitude do prêmio.

Produtores e cafés campeões

Ao todo, serão apresentados cafés nas variedades natural, fermentação induzida e cereja descascado, esta última com a primeira produção orgânica premiada na história da Região do Cerrado Mineiro, do produtor Ricardo Bartholo.

Bartholo é cooperado e ex-presidente da Expocaccer. Sempre engajado nas práticas sustentáveis, há 4 anos decidiu inovar e se dedicar a produção de cafés orgânicos, com alto rigor de qualidade. O resultado da leia mais…

TEXTO Redação • FOTO Tyler Nix

Mercado

Para os fãs de cafés em cápsula: Grupo Utam lança dois novos blends

O Grupo Utam acaba de lançar, para o mercado nacional, mais dois blends da linha Utam de cafés especiais em cápsulas: o Utam Gourmet Nero e Utam Uno D´oro. Compatíveis com sistema Nespresso, as novidades são edições especial e limitada.

O Utam Gourmet Nero conta com um blend exclusivo de grãos arábica com certificações da Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA) e da Rainforest Alliance, que garantem que o produto é sustentável. Com torra média, apresenta um corpo denso e cremoso na xícara, destacando notas de chocolate.

Já o Utam Uno D’oro, também composto por um blend de café arábica, serve uma bebida adocicada e suave. Com torra média, resulta em um corpo denso e cremoso, acidez média baixa e finalização prolongada.  A novidade está disponibilizada em latas com 25 cápsulas.

“Temos observado constantemente o comportamento de nossos consumidores e, por meio de pesquisas e levantamentos executados, projetamos uma cartela de blends para todos os tipos de gostos e expectativas. A meta do grupo é aprimorar de forma contínua o portfólio Utam, para que as pessoas tenham cada vez novas experiências com sabores e aromas de cafés especiais”, explica Ana Carolina Soares de Carvalho, diretora executiva do Grupo Utam.

As duas novas cápsulas monodoses podem ser encontradas na loja on-line do Grupo Utam por R$ 21,90 (caixa com 10 cápsulas do Utam Gourmet Nero) e R$ 39,90 (lata com 25 cápsulas do Utam Uno D’oro).

TEXTO Redação • FOTO Divulgação

Mercado

OIC e a possibilidade de uma brasileira na direção-executiva

Vanusia Nogueira acompanhada do presidente do CNC, Silas Brasileiro e do Deputado Evair Melo 

A Organização Internacional do Café (OIC), foi estabelecida em Londres em 1963, é a principal entidade intergovernamental para o café, reunindo governos exportadores e importadores para enfrentar os desafios do setor cafeeiro mundial por meio da cooperação internacional. Seus Governos Membros representam 98% da produção mundial de café e 67% do consumo mundial.

A missão da OIC é fortalecer o setor cafeeiro global e promover sua expansão sustentável em um ambiente de mercado para o aperfeiçoamento de todos os participantes do setor.

Já o diretor-executivo tem uma gestão de cinco anos, não podendo se reeleger. “Para o Brasil, os acordos internacionais são fundamentais para que a cooperação mundial atue estrategicamente. Estamos no país que é o maior produtor de café do mundo, e como representantes da produção, sabemos valorizar a indústria e a exportação, mas nunca se esquecendo que a produção é o primeiro passo”, explica Silas Brasileiro, presidente do Conselho Nacional do Café (CNC).

Na última segunda-feira (06/12) ocorreu uma reunião em que o Itamaraty, através do Embaixador Fernando Simas Magalhães – Secretário Geral de Relações Exteriores, reforçou a indicação de Vanusia Nogueira, diretora da Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA), como candidata do país para a diretoria executiva da Organização Internacional do Café (OIC), junto aos embaixadores representantes dos países produtores e consumidores. leia mais…

TEXTO Conselho Nacional do Café (CNC) • FOTO Divulgação e Leandro Alves/RG Comunicação

Café & Preparos

Saiba quem são os campeões dos Projetos Tribos e Florada do Grupo 3corações

O final de semana foi recheado de premiações do Grupo 3corações, transmitido no canal do Youtube e com apresentação de Patrícia Carvalho, responsável pelos projetos de cafés especiais do Grupo, e Luisa Nogueira, jornalista, apresentadora e cafeicultora, no sábado pudemos conferir os campeões do ProjetoTribos e no domingo do Florada Premiada.

Ambas as transmissões foram realizadas em Varginha (MG), diretamente da cafeteria Rituais Cafés Especiais. No sábado o evento de Tribos contou com participações de Pedro Lima, Presidente do Grupo 3corações; Silvio Leite, referência mundial em qualidade de café; Henrique Alves e Poliana Perruti, integrantes do corpo técnico do Projeto Tribos; DJ Alok (entusiasta do projeto e profundo admirador da cultura indígena); e Alex Atala, participante do projeto. O campeão ganhou R$ 25mil + R$ 3000/saca; o segundo lugar R$ 10mil + R$ 2000/saca e o 3º lugar R$ 8mil + R$ 1000/saca. leia mais…

TEXTO Redação • FOTO Divulgação

Cafezal

Noroeste Fluminense leva as duas categorias do 5° Concurso de Cafés Especiais do Rio com pontuação recorde

Realizada na tarde desta terça-feira, dia 7/12, no Palácio Guanabara, sede do Governo do Rio de Janeiro, a cerimônia de premiação da quinta edição do concurso guardou muitas surpresas e emoções. Produtores de diferentes regiões do Estado estiveram presentes para acompanhar o resultado.

O Rio de Janeiro tem tradição na produção de cafés, mas em 2016 começou a realizar um trabalho focado na qualidade dos grãos. Com a organização da Associação dos Cafeicultores do Estado do Rio de Janeiro (ARCARJ), incentivo do Sebrae Rio e da Emater-Rio, são realizados diversos projetos de assistência aos produtores nas regiões Noroeste, Serrana e Vale do Café.

Dentre as iniciativas criaram o Concurso de Cafés Especiais do Rio de Janeiro, que também tem o apoio da BSCA (Associação Brasileira de Cafés Especiais), do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento; da Secretaria de Estado de Agricultura; e da COOPERCANOL (Cooperativa de Produtores de Café do Noroeste Fluminense).

Resultado de 2021

Com a juíza principal Cecília Sanada, consultora e provadora de cafés, e mais oito classificadores de diferentes regiões, o concurso de 2021 teve a participação de 30 cafés, nas categorias via úmida (cereja descascado) e via seca (natural).

De acordo com Cecilia, os cafés “surpreenderam pois apresentaram muita qualidade. O que percebemos nas avaliações foram notas cítricas, florais, frutas tropicais e secas, corpo aveludado e doçura acentuada, além de finalização prolongada, nuances que são apreciadas por muitos compradores e acredito que os cafés têm muito potencial. Foquem na qualidade”.

Moacir Carvalho Filho, presidente da Ascarj: “Depois que o produtor é reconhecido, vai procurar cada vez mais melhorar o seu café e envolver a família. No Rio de Janeiro, 80% dos produtores do estado são de agricultura familiar e isso dá auto-estima e a vontade de vencer. Isso é o grande projeto com vários parceiros que torna estruturante e incentiva o produtor a investir no café”.

A apresentação dos resultados foi feita por Vanúsia Nogueira, diretora-executiva da BSCA. A associação conduziu as avaliações técnicas do concurso e que também apoiou ao leilão, com a participação de diversas cafeterias e torrefações. A futura diretora da Organização Internacional do Café (OIC), emocionou-se ao anunciar o grande momento histórico da tarde, o café de 90,50 pontos do produtor Estanislau Kostka da Silva e sua família, produtores no Sítio Duas Barras, no Noroeste Fluminense. “Um café produzido a 730 metros, na cidade de Bom Jesus de Itabapoana, que alcançou a pontuação ‘ninety plus’. É muita dedicação, trabalho e tecnologia envolvidos”.

A marca alcançada pelo café levou ao lance de R$ 9.450 pela saca comprada por duas torrefações brasileiras: Five Roasters e Café do Especialista, que irão torrar esse café no próprio Rio de Janeiro e em Varginha (MG).

A premiação reconheceu ainda os nove melhores cafés – quatro da categoria via seca e cinco da categoria via úmida. Abaixo segue a classificação e resultado do leilão:

Categoria via seca

Estanislau Kostka José da Silva, do Sítio Duas Barras, em Bom Jesus de Itabapoana, Noroeste Fluminense, vencedor da categoria via seca

1° lugar – Estanislau Kostka José da Silva, do Sítio Duas Barras (Bom Jesus de Itabapoana – Noroeste Fluminense). Variedade: catucaí 785/15. Pontuação: 90,50. Compradores: Café do Especialista e Five Roasters. Valor da saca: R$ 9.450

2° lugar – José Eugênio Erthal, da Fazenda Goiabal e Café Monthal (Bom Jardim – Serrana). Variedade: catuaí vermelho e amarelo. Pontuação: 87,88. Comprador: 3Corações. Valor da saca: R$ 5.500

3° lugar – Geraldo Zanirate Neles, da Fazenda São Mamede (Porciúncula – Noroeste). Variedade: catuaí 44. Pontuação: 87,00. Comprador: Cofice. Valor da saca: R$ 5.700

4° lugar – Cristiane de Fátima Freitas Aguiar Menezes, do Sítio Arataca (Varre-Sai – Noroeste). Variedade: catuaí amarelo. Pontuação: 85,75. Comprador: Cofice. Valor da Saca: R$ 4.300

Categoria via úmida

Produtores do Sítio Vai e Volta, de Varre-Sai, Noroeste Fluminense, que conquistaram as três primeiras colocações na categoria via úmida

1° lugar – Fidelis Rodolphi, do Sítio Vai e Volta (Varre-Sai – Noroeste Fluminense). Variedade: Japi. Pontuação: 88,00. Compradores: Café do Especialista e Five Roasters. Valor da saca: R$ 9.000

2° lugar – Alyne Rodolphi, do Sítio Vai e Volta (Varre-Sai – Noroeste Fluminense). Variedade: catucaí 785/15. Pontuação: 87,13. Compradores: Café Capital. Valor da saca: R$ 5.500

3° lugar – Maria Auxiliadora Rodolphi, do Sítio Vai e Volta (Varre-Sai – Noroeste Fluminense). Variedade: palma 2. Pontuação: 85,63. Comprador: 3Corações. Valor da saca: R$ 3.900

4° lugar – Maria Adriana Erthal, da Fazendinha Bela Vista 2 (Bom Jardim – Serrana). Variedade: rubi. Comprador: Café Capital. Valor da Saca: R$ 4.200

5° lugar – Everardo Tardin Erthal, da Fazendinha Bela Vista 1 (Bom Jardim – Serrana). Variedade: japi. Comprador: 3Corações. Valor da Saca: R$ 4.000

Marcelo Costa, presidente da Emater-Rio: “temos como prioridade a cafeicultura familiar e quero parabenizar a todos pelo trabalho e estamos trabalhando há mais de um ano em critérios para um selo de sustentabilidade para café e contamos com o apoio de muitas instituições e venho agradecer a todas as regiões representadas e trabalhando com a mesma finalidade e com a qualidade do café”

Sergio Malta, diretor de desenvolvimento do Sebrae Rio: “quero parabenizar todos os cafeicultores que participaram e aos técnicos do Governo do Estado que vêm fazendo um trabalho enorme em qualificar a cafeicultura fluminense e expresso o prazer do Sebrae em participar desse projeto”

Durante a cerimônia o Secretário de Agricultura do Rio de Janeiro, Marcelo Queiroz, juntamente com Jair Bittencourt, deputado da Alerj, ressaltou como “o café é grande exemplo para outras cadeias com associações propositivas, eventos cheios e sempre muito animadores. Quero ressaltar também o trabalho da Emater e o papel social que realizam. Também aproveito para anunciar o selo de cafés do Rio de Janeiro que teve o apoio de várias instituições como Sebrae, Emater, Associações”. O selo foi apresentado durante a cerimônia e será usado por cafeicultores do estado para representar a produção das regiões fluminenses.

O 5° Concurso de Cafés Especiais do Estado do Rio de Janeiro teve a transmissão ao vivo realizada pelo Instagram da Revista Espresso (a gravação está disponível).

TEXTO Mariana Proença • FOTO André Telles/Divulgação/Sebrae Rio

Cafezal

29º episódio da websérie da BSCA aborda a sustentabilidade na cafeicultura

Na quarta-feira (8) acontece o lançamento do 29º episódio da websérie “A História do Café Especial – O olhar da BSCA em 30 anos”, realizada pela Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA) em parceria com a Café Editora.

O vídeo traz informações sobre a importância da sustentabilidade na cafeicultura mundial, a redução de impactos no meio ambiente, a responsabilidade social e a mudança de hábitos dos consumidores, que estão cada vez mais atentos às origens dos produtos.

Para falar sobre o assunto, foram convidados: Thais Staut, da Qualicafex Specialty Coffee; Fabrício Andrade, da Sancoffee/Fazenda Samambaia; Henrique Cambraia, da Fazenda Samambaia/Cambraia Cafés; Felipe Mesquita, da SMC Specialty Coffees; Ubion Terra, da O’Coffee; Henrique Sloper, da Camocim Organic; Vanusia Nogueira, diretora-executiva da BSCA; Carmem Lucia Chaves de Brito, das Fazendas Caxambu e Aracaçu; Reymar Coutinho, da Pinhalense; Silvio Leite, da Silvio Leite Café;

Movimento da xícara ao grão

Com novos episódios lançados às quartas-feiras no YouTube da BSCA e no Instagram da Revista Espresso, o projeto busca levar informações relevantes sobre a cadeia do café especial ao consumidor final e a todas as pessoas que não possuem conhecimento deste universo, rebobinando o trajeto da bebida da xícara ao produtor e sua lavoura.

Com o intuito de aproximar as pontas do setor, a websérie conta com linguagem acessível e tradução em inglês. Deste modo, mais pessoas ao redor do mundo também podem conhecer de perto a história do café especial no Brasil e ficar por dentro de toda a qualidade da produção nacional!

TEXTO Redação • FOTO Vitor Barão

Mercado

Pesquisa da Euromonitor destaca busca por cafés mais sustentáveis na pandemia

A Semana Internacional do Café aconteceu no mês de novembro no Expominas, em Belo Horizonte (MG), e na plataforma on-line. O maior encontro do setor trouxe o debate de temas importantes, como a palestra “O que impactou a pandemia no consumo de cafés”, realizada no dia 10 de novembro.

A palestra aconteceu no Grande Auditório e contou com a participação de James T. Mclaughlin Jr., CEO da Intelligentsia Coffee, e Rodrigo Mattos, analista de bebidas quentes da Euromonitor International. A moderação foi por conta de Vanusia Nogueira, da Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA).

Os palestrantes discutiram sobre as mudanças de comportamento dos consumidores nos últimos dois anos e como será daqui para frente. Rodrigo Mattos explicou que, ao contrário dos Estados Unidos e da Alemanha, o consumo de café em casa não cresceu exponencialmente no Brasil, pois já havia esse hábito. Nos outros dois países, boa parte do consumo se dava nas cafeterias e, com a pandemia, os consumidores passaram a consumir o produto em casa.

“A linha de consumo do Brasil é uma das mais fortes em comparação com o crescimento do consumo do café mundial e, na minha opinião, por conta do café especial. Apesar de nós termos um mercado maduro de café, existe espaço para o crescimento do consumo”, destaca Rodrigo.

Em uma pesquisa realizada pela Euromonitor International, 78% dos consumidores brasileiros responderam que tentam ter um impacto positivo no meio ambiente através de ações diárias. Porém, os custos mais elevados dos produtos orgânicos ainda são um empecilho para o aumento da procura pelos consumidores, sendo atualmente um mercado de nicho.

Vale destacar que o consumidor está dando cada vez mais prioridade a como consome e ao que consome. Por isso, o meio-ambiente se tornou algo prioritário, especialmente devido aos recentes debates de desflorestamento e crise hídrica.

Um exemplo, nessa pesquisa, é que entre 2020 e 2021, o desejo por embalagens sustentáveis cresceu, refletindo o momento de vida em que a população brasileira vive: crises ambientais constantes. As duas principais características procuradas são a reciclagem e o biodegradável. Reutilizável também é uma tendência para se ficar atento.

Rodrigo Mattos destacou, durante a palestra, que a embalagem sustentável é uma grande tendência de consumo. “O consumidor busca a possibilidade de jogar fora o produto ou a embalagem sem culpa. Essa tendência está principalmente associada a opções biodegradáveis, já as compostáveis, apesar de boas, ainda não fazem parte da vida do consumidor médio”, explica.

Segundo os dados da pesquisa, na média por pessoa, foram consumidas 835 xícaras de café no Brasil ao ano. Até 2025, este número deve atingir 1050, o que daria 2,2 xícaras por dia. Já em relação ao preço foram R$ 34 reais por quilo de café no varejo, considerando grãos, torrado e moído, cápsula e solúvel. Se considerarmos o dólar, o Brasil gasta em média U$ 6,09 enquanto o mundo U$ 15,55.

Para acessar a pesquisa completa da Euromonitor, clique aqui.

TEXTO Redação • FOTO Sean Benesh

Mercado

Nespresso comemora 15 anos no Brasil com programas voltados para qualidade e sustentabilidade

A Nespresso completa 15 anos de atividade no Brasil em 2021 e paga 10 milhões de dólares em prêmio sobre a última safra comercializada com a companhia. Todas as 1.200 fazendas brasileiras que fornecem café para a empresa fazem parte do Programa Nespresso AAA de Qualidade Sustentável e serão contempladas pela iniciativa. Desde o início do Programa no Brasil, em 2005, a empresa realiza o prêmio anualmente como forma de reconhecimento ao bom trabalho de seus fornecedores.

“A Nespresso acredita que o café de qualidade e a sustentabilidade das comunidades agrícolas estão interligados e que, somente a partir da confiança e relacionamentos duradouros, é possível fazer a diferença. Reconhecer produtores que investem e acreditam nesse ciclo virtuoso e necessário para a perenidade das lavouras de café é o que a Nespresso faz, pois o que nossos fornecedores conseguem atuando de maneira sustentável é mais eficiência e maior produtividade”, afirma Ignacio Marini, BEO da Nespresso no Brasil.

As fazendas produtoras para Nespresso participam do programa de qualidade sustentável da empresa para auxiliar nessa melhoria de processos e renovação das lavouras. Esses produtores são avaliados em quesitos de gestão de suas propriedades para verificar se fauna e flora estão sendo protegidas, como a colheita é planejada e supervisionada e as condições de trabalho nas fazendas.

Os prêmios são fixos em dólar e sofrem somente diferenças na variação cambial – que é indexada no momento da venda do café. “A Nespresso realiza auditorias para garantir que 100% dos prêmios leia mais…

TEXTO Redação • FOTO Irene Kredenets

Receitas

Coquetelaria e barismo

Já parou para testar em casa um drinque com licor e café? Pois bem, a marca espanhola Licor 43 realizou a segunda edição do Licor 43 Bartenders e Baristas Challenge – etapa Brasil, campeonato que une bartenders e baristas em um desafio que busca o melhor e o mais novo coquetel que combine o Licor 43 com café. Reunimos aqui as receitas dos três campeões para você conhecer, preparar e se deliciar. 

1º lugar – Tropicália 

Ingredientes

– 50 ml de Licor 43
– 25 ml de café quente
– 20 ml de polpa de maracujá coado
– Gelo
– Folha de manjericão basílico

Preparo

Prepare 20 g de café (Thalita usou um catuaí amarelo da Chapada Diamantina) em 100 ml de água, no método french press, numa infusão de 3 minutos. Em uma coqueteleira, coloque o licor, o café, a polpa de maracujá coada e o gelo. Bata vigorosamente e sirva em taça coupé com coagem dupla, uma bola de gelo e uma folha de manjericão basílico. 

*Bartender Thalita Cacho (@thalitafcacho)
Thalita é sommelière de cervejas, com especialização em mixologia cervejeira e harmonizações. A profissional é mestra em estilos, técnica cervejeira, mixologista, bartender e consultora. Seu drinque foi inspirado no movimento cultural brasileiro Tropicália. Thalita busca redescobrir a coquetelaria do Brasil com um olhar próprio. 

2º lugar – 43 Fizz

Ingredientes

– 50 ml de café espresso
– 10 ml de suco de limão
– 45 ml de Licor 43
– Gelo
– Água tônica
– Casca de limão 

Preparo

Em um copo longo, coloque o café espresso, o suco de limão e o Licor 43. Complete com gelo e água tônica e mexa delicadamente com uma colher bailarina. Decore com uma casca de limão torcida. 

*Bartender Ricardo Takahashi Paulon (@japores)
Formado em Gastronomia, trocou a cozinha pelo balcão. Ricardo ressalta que a criação do drinque dá às pessoas a oportunidade de reproduzi-lo em diferentes locais do mundo, sem necessitar ser um super bartender ou ter equipamentos de bar.

3º lugar – Even Flow 

Ingredientes 

– 30 ml de Licor 43
– 60 ml de Irish Whiskey
– 3 dashes de bitter de laranja
– 2 cubos de gelo de café (a bartender utilizou 30 g de um café mineiro, preparado na french press)

Preparo 

Em um mixing glass coloque gelo, o licor, o Irish Whiskey, o bitter de laranja e misture. Em um copo baixo coloque as duas pedras de gelo de café e adicione a mistura. A bartender decorou uma lateral externa do copo com pó de café. 

*Bartender Bruna Ferreira (@bru_ferreirs)
Formada em Psicologia, ainda na faculdade começou a trabalhar como garçonete para complementar a renda. Depois que se formou, decidiu focar o ramo de bares e restaurantes. O objetivo no campeonato foi criar um coquetel que a representasse, e para isso utilizou os itens de que mais gosta e que são inspirações em sua vida. 

TEXTO Natália Camoleze • FOTO Daniel Ozana/Studio Oz

Cafezal

5º Concurso de Cafés Especiais do Estado do Rio de Janeiro promove os melhores da região

Com o objetivo de dar visibilidade às regiões cafeicultoras no estado do Rio de Janeiro e incentivar a adesão dos produtores à produção de cafés de qualidade, a Associação dos Cafeicultores do Estado do Rio de Janeiro (ASCARJ ), em parceria com o Sebrae Rio, a Secretaria de Estado de Agricultura (Seappa), a Emater-Rio e a Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA ), promove o 5° Concurso de Cafés Especiais do Estado do Rio de Janeiro.

Nesta terça-feira, dia 7 de dezembro, será realizado o leilão e o anúncio dos vencedores em cerimônia de premiação no Palácio Guanabara, a partir das 13h. Torrefadores, donos de cafeterias, baristas e especialistas em café estão convidados a participar. Para se inscrever é necessário preencher gratuitamente o formulário com dados pessoais.

A Espresso estará transmitindo ao vivo o evento pelo Instagram para quem não puder estar presencialmente. Serão leiloados lotes de cafés especiais de produtores em duas categorias: Úmida e Via Natural. Haverá premiação para os melhores cafés e também degustações.

O concurso conta com o apoio do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, da Secretaria de Estado de Agricultura e da Cooperativa de Produtores de Café do Noroeste Fluminense (COOPERCANOL).

Mais informações: www.instagram.com/ascarj.oficial

TEXTO Redação • FOTO Café Editora