Barista

Supernova realizará competição de barista em Curitiba

Buscando testar as habilidades dos profissionais em diferentes áreas do barismo, de um jeito diferente e dinâmico, a cafeteria curitibana Supernova Coffee realizará no sábado, 24/3, das 18h30 às 23h30, o 1º Desafio Mestres do Universo – Edição Barista.

A competição resume-se em 16 competidores e quatro baterias eliminatórias. Para explorar desde o manuseio dos métodos de preparo até os pontos sensoriais, os três rounds e a final são compostos pelas seguintes etapas:

1º round – O participante deverá fazer sua melhor receita de aeropress para eliminar seu adversário e passar para a próxima fase;
– Lado a lado, os dois baristas terão sete minutos para regular os moinhos e entregar o café aos juízes. O de melhor resultado passará adiante;
– Para testar o cupping, estarão dispostos quatro grupos de xícaras. Em cada um deles irá conter uma xícara com café diferente. Os dois competidores que mais acertarem em menos tempo passarão para a final.

A última fase é a que mais se assemelha às competições tradicionais. Os finalistas terão que servir um espresso, um coado na hario v60 e um cappuccino com latte art. Vence quem finalizar em menor tempo e tiver a melhor montagem.

Como prêmio, o vencedor ganhará um Curso de Torra Fundamental SCA + 10 kg de café verde + premiação em dinheiro. Para o segundo lugar, o prêmio será o Curso de Análise Sensorial Fundamental SCA + premiação em dinheiro.

Todos os equipamentos e cafés utilizados nas provas serão disponibilizados pelos organizadores do evento. Para participar, é necessário realizar a inscrição em qualquer unidade da Supernova Coffee.

O 1º Desafio Mestres do Universo acontecerá na Supernova Hub e possui entrada franca. Além da competição, uma festa será realizada para quem estiver assistindo, com música, chopp da Cervejaria Vosgerau e pizza da Maçã – Padaria Artesanal Brasileira.

Serviço
1º Desafio Mestres do Universo – Edição Barista
Quando: 24/3
Horário: das 18h30 às 23h30
Onde: Supernova Hub – Rua Barão do Rio Branco, 222 – Centro – Curitiba (PR)

TEXTO Gabriela Kaneto • FOTO Felipe Gombossy; Érico Hiller

BaristaMercado

Preparação de barista para Campeonato Mundial pode virar documentário

A preparação de Thiago Sabino, atual campeão brasileiro de barista, para o Campeonato Mundial de Barista e sua relação com o café podem virar documentário. Uma equipe de quatro produtores audiovisuais tem acompanhado as atividades de Thiago, que irá disputar o Mundial entre os dias 20 e 23 de junho, em Amsterdã, na Holanda.

“Já produzimos algumas séries de forma independente. Estamos em busca de patrocínio para acompanhar o Thiago até Amsterdã”, disse Kyo Silva, responsável pelo projeto.

No momento, o barista está escolhendo o grão que usará no café espresso e pensando no drinque de assinatura. De 30 amostras de grãos, quatro foram selecionadas. Um grupo de dez pessoas ajudará o campeão nessa escolha, avaliando corpo, doçura, acidez e notas sensoriais. Após definir o grão, Thiago visitará a fazenda do produtor.

“Quero ficar lá uns três dias estudando tudo sobre a produção, região, como foi desenvolvido e o que foi feito de diferente”, disse o barista. Todas as atividades serão gravadas pelo time de produtores de vídeos. Nos próximos dias, Thiago terá encontros com profissionais do setor para começar a definir o drinque de assinatura.

Thiago foi campeão brasileiro pela segunda vez. O primeiro título foi em 2015. No ano passado, ele ficou em terceiro, atrás dos baristas Martha Grill, vice-campeã, e Léo Moço, campeão em 2017.

TEXTO Redação • FOTO Giulianna Iannaco

Barista

“A gente vai pra cima”

Da periferia de São Paulo, os irmãos Eraldo e Alex empreenderam na área do café, e hoje, há treze anos no mercado, têm suas cafeterias, coffee trucks e ainda auxiliam outros empresários do setor

“Somos sete irmãos em casa e, ao contrário de muitos, não nascemos embaixo de um pé de café.” Assim começa descontraída a nossa conversa com Eraldo e Alex Pereira Santos. A família, grande e vinda da cidade de Tremedal, no Sul da Bahia, encontrou no bairro de Grajaú, na periferia da cidade de São Paulo, o seu lugar para viver. O pai, mestre de obras, mudou-se para a capital paulista em busca de oportunidades. Aos poucos a mãe e os filhos também construíram sua vida no bairro, onde muitos estão até hoje. Eraldo é baiano, Alex, paulistano. “Dos irmãos, eu e Eraldo sempre andamos muito juntos“, conta Alex. “Jogávamos futebol, dançávamos break nos anos 90. Eu o levava pros lugares. E no café foi igual. Comecei a trabalhar no Santo Grão como caixa, em 2004, mas tinha que fazer o curso de barista. Fiz o básico e aí me apaixonei. Conheci o Santo Grão através do meu outro irmão, que é pedreiro e mexe com hidráulica. Ele que fez a hidráulica dessa cafeteria. Eu tinha 20 anos. Vira e mexe eu estava na máquina fuçando, porque queria aprender”, relembra.

Com esse aprendizado, Alex incentivou o irmão a seguir o mesmo caminho, e Eraldo conta: “Eu trabalhei como manipulador de medicamentos por oito anos. Estava cansado desse trabalho, era muito desgastante, fazia mal pra mim porque mexia com muita química. Minha entrada no mundo do café foi através da Copa Barista, quando fui assistir o Alex, em 2009. Foi lá que conheci o universo do café. Ver todo aquele mercado, no maior evento de café, me chamou atenção. Assistindo à competição, vi que cada barista tinha seu jeito, seu toque. Isso me fez lembrar nosso passado na dança. Tem o lance de ser uma competição, como era na dança, e onde cada um dá a sua identidade na apresentação. Decidi arriscar e mudar de área. Falei com o Alex e ele me indicou uma cafeteria na Augusta, que ele estava auxiliando. Comecei a trabalhar lá e depois fui pra cafeteria Cafezim”, relembra.

Em 2013, Alex teve a ideia de montar um coffee truck: “Tinha muita pressa porque queria ser o primeiro com esse serviço, mas não sabia que, ao mesmo tempo, também tinha outros caras se mexendo pra lançar food trucks”. Na época, em São Paulo, houve um grande “boom” de comida de rua, depois da aprovação da lei municipal. “Procurávamos Kombis na internet. Um dia, andando na rua, vi uma Kombi de produtos de limpeza com uma placa de venda. Ela era do jeito que eu queria. Comprei. Deu muito trabalho. Fui um dos primeiros de São Paulo nesse negócio, em 2014, e logo comecei a receber pedidos. Tínhamos uma grana guardada e investimos nisso, compramos outra Kombi pela internet, em 2016, e reformamos. Foi indo assim”, explica Alex.

Depois de alguns anos trabalhando nesse setor e abrindo muitas portas, os irmãos estacionaram temporariamente as Kombis para projetos pessoais “fixos”. Eraldo abriu, no ano passado, a cafeteria Espresso Arte, dentro do Vila Butantan, área em São Paulo que reúne dezenas de contêineres com lojas de diversos segmentos, principalmente, gastronômico. “Tenho a empresa desde 2012 para consultoria. A Espresso Arte é uma aposta de realização profissional como barista. É ter meu próprio cantinho para poder também ministrar meus cursos. É um lugar em que tenho liberdade pra trabalhar”, destaca Eraldo.

Alex também resolveu fazer seu investimento em um espaço próprio. Depois de alguns anos com a Kombi no prédio do jornal Folha de S.Paulo, o barista criou uma clientela fiel e aposta em uma cafeteria próxima ao local para manter os apaixonados por café. “Fui buscando lugares, estudando a região e decidi abrir meu ponto na esquina da Rua Barão de Limeira com a Rua Helvetia. Vai ser uma cafeteria estendida pra happy hour, algo também noturno porque tem público. Vou servir café de manhã e, à noite, teremos cervejas artesanais e drinques. Eu e minha esposa, que é gerente de cafeteria, ficaremos no período da manhã, e meu cunhado, que é bartender, junto com a equipe dele, assumirá na parte da noite.” A cafeteria Bio Barista abrirá ainda em março, sem deixar de ter como referência, é claro, a ilustração da Kombi na parede, que tanto sucesso faz pelas ruas de São Paulo.

Durante a conversa, os irmãos contaram diversas lembranças das batalhas que tiveram que travar em diferentes situações para se destacar no mercado. Hoje, Alex e Eraldo, além das consultorias, desenvolvem outras atividades, como a prestação de serviço de manutenção de máquinas para a italiana La Marzocco, no caso de Alex, e os cursos ministrados pelo Brasil, como os de latte art e barista de Eraldo.

(Texto originalmente publicado na edição impressa da Revista Espresso – única publicação brasileira especializada em café. Receba em casa. Para saber como assinar, clique aqui).

TEXTO Mariana Proença • FOTO Lucas Albin/Agência Ophelia

Barista

Thiago Sabino vence, pela segunda vez, Campeonato Brasileiro de Barista

O título do Campeonato Brasileiro de Barista foi, pela segunda vez, para Thiago Sabino. O bicampeão havia vencido a competição em 2015 e, mesmo assim, não deixou de se emocionar ao receber novamente o troféu de primeiro lugar. No ano passado, ele ficou em terceiro, atrás dos baristas Martha Grill e Léo Moço.

Com o título de campeão de 2018, ele tem direito a representar o Brasil no Campeonato Mundial de Barista, que acontece em Amsterdã, na Holanda, de 20 a 23 de junho. O nacional aconteceu de 26 a 28 de janeiro, no Jardim Botânico do Rio de Janeiro.

Em segundo lugar ficou o paranaense João Augusto Michalski, do Café du Coin. O terceiro colocado também veio do Sul do Brasil: André Martinelli, da Baden Torrefação, único gaúcho da competição.

O Campeonato reuniu 24 competidores, do Sul, Sudeste e Nordeste. Entre eles, figurinhas famosas, como Lucas Salomão, da Pasquale Máquinas; Estela Cotes, do Café do Moço; e Martha Grill, do Octavio Café. A competição ainda contou com novatos, que não deixaram a desejar. Uma surpresa foi a barista autônoma Franciele Gomes, de Campinas (SP), que participou pela primeira vez, encantou os juízes com sua apresentação e emplacou um lugar na grande final. Ela ficou na sexta colocação.

A escolha do Rio de Janeiro se justifica, de acordo com a Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA), organizadora do evento, com a necessidade eminente de se estimular o consumo de cafés de qualidade na capital fluminense. Essa preocupação se manifestou nas apresentações de alguns baristas: afinal, o Rio é a porta de entrada de turistas estrangeiros no Brasil, e é muito difícil encontrar boas cafeterias na cidade. A ideia da competição foi estimular o consumo desse mercado entre os cariocas.

Veja as colocações dos finalistas:

1º lugar Thiago Sabino, do Cafés Especiais do Brasil (SP)
João Augusto Michalski, do Café du Coin (PR)
André Martinelli, da Baden Torrefação (RS)
Lucas Salomão, da Pasquale Máquinas (SP)
Fernando Santana, da Baristando (SP)
Franciele Gomes, autônoma (SP)

TEXTO Clara Campoli • FOTO Mariana Proença

Barista

Saiba dia e horário das apresentações dos baristas do campeonato nacional

Os 24 baristas que participarão do Campeonato Brasileiro de Barista já têm dia e horário marcados para entrar na arena de apresentação. Entre os dias 26 e 27 de janeiro serão realizadas as classificatórias e, no dia 28 de janeiro, a grande final com os seis melhores baristas do ano. Tudo isso na Casa Camolese, no Rio de Janeiro, no bairro Jardim Botânico.

A competição será de 10h às 18h, nos dias 26 e 27 de janeiro, e as finais começam no dia 28/1, das 10h às 15h. O anúncio do campeão será no domingo por volta das 16h30. A entrada é gratuita.

Veja a lista e prepare-se para torcer para o seu barista preferido!

Classificatórias

26 de janeiro (sexta-feira)

10h – André Martinelli dos Santos Jr, da Baden Torrefação (RS)
10h45 – Gabriel da Cruz Guimarães, da Unique Cafés Especiais (MG)
11h25 – João Marcelo Casarini Vieira, do Carolina Café (SP)
12h05 – Rafael Rodrigues Alves, da Brasil Espresso (SP)
12h55 – Rodolfo Soares Barbosa, do Armazém 331 (RJ)
13h35 – Estela Candido Cotes, do Café do Moço (PR)
14h15 – Hugo Santos Silva, da IL Barista (SP)
14h55 – João Augusto Michalski, do Café du Coin (PR)
15h35 – Rafaela Rodrigues Oliveira, do Guima Café (MG)
16h15 – Arthur Malaspina Jr, da O’Coffee (SP)
16h55 – Thiago Sabino, do Cafés Especiais do Brasil (SP)
17h35 – Martha Barcellos Grill, do Octavio Café (SP)

27 de janeiro (sábado)

10h – Juca Santarosa Esmanhoto, do Rause Café (PR)
10h45 – Juliana Ferreira de Melo, da Brasil Espresso (SP)
11h25– Leonardo Correa Ribeiro, da Unique Café Store (MG)
12h05– George Gepp, do Borsoi Café Clube (PE)
12h55– Franciele Gomes, autônoma (SP)
13h35– Jefferson Faria de Moura, autônomo (MG)
14h15– Fernando Santana, da Baristando (SP)
14h55– Antônio Cordeiro Sobrinho Neto, da Astro Torrefação (SP)
15h35 – Lucas Salomão, autônomo (SP)
16h15 – Raphael Ferraz de Souza, do Grassy Café (SP)
16h55 – Cauã Sperling Prado Silva, da Fora da Lei Café (SP)
17h35– Leonardo Gonçalves, do Stella Cafés Especiais (RJ)

Local
Casa Camolese
Rua Jardim Botânico, 983 – Jardim Botânico
26 e 27/1 – das 10h às 18h
28/1 – das 10h às 16h30

O Campeonato Brasileiro de Baristas é uma ação integrada do projeto setorial “Brazil. The Coffee Nation” e é realizado pela Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA), pela Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) e pela Alliance for Coffee Excellence (ACE).

Para saber mais sobre os competidores, acesse aqui

Mais informações: www.bsca.com.br

TEXTO Texto Mariana Proença • FOTO Fotos Giulianna Iannaco/Café Editora

Barista

Lista do campeonato de barista tem maioria de São Paulo

A Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA) divulgou nesta sexta-feira (12/1) a lista dos 24 participantes do Campeonato Brasileiro de Barista, que acontece de 26 a 28 de janeiro no Rio de Janeiro, na Casa Camolese. O vencedor da competição será o representante do Brasil no Campeonato Mundial de Barista, marcado de 20 a 23 de junho em Amsterdã, na Holanda.

Treze competidores são do estado de São Paulo, seguido por quatro de Minas Gerais. O único representante do Nordeste do país é George Gepp, do Borsoi, de Recife (PE), e Curitiba vem com dois fortes competidores: Estela e Juca, já veteranos em competições. Ela, campeã do Brewers Cup (Preparo de Café), em 2015.

Participam também: Lucas Salomão, bicampeão de Brewers, em 2013 e 2014 e da Copa Barista em 2011 e 2016. Hugo Silva, atual campeão da Copa Barista, em 2017, e Thiago Sabino, campeão brasileiro em 2014. Da cidade anfitriã, Rio de Janeiro, Leo Gonçalves estreará nesta modalidade após vencer o Campeonato Brasileiro de Aeropress 2017.

Também retornam neste ano alguns finalistas de 2017, como Gabriel Guimarães, da mineira São Lourenço, Rafaela Oliveira, de Belo Horizonte, e Martha Grill, representando São Paulo. Veja como foi o campeonato no ano passado.

Conheça a lista completa dos participantes:

– André Martinelli dos Santos Jr, da Baden Torrefação (RS)
– Antônio Cordeiro Sobrinho Neto, da Astro Torrefação (SP)
– Arthur Malaspina Jr, da O’Coffee (SP)
– Cauã Sperling Prado Silva, da Fora da Lei Café (SP)
– Estela Candido Cotes, do Café do Moço (PR)
– Fernando Santana, da Baristando (SP)
– Franciele Gomes, autônoma (SP)
– Gabriel da Cruz Guimarães, da Unique Cafés Especiais (MG)
– George Gepp, do Borsoi Café Clube (PE)
– Hugo Santos Silva, da IL Barista (SP)
– Jefferson Faria de Moura, autônomo (MG)
– João Augusto Michalski, do Café du Coin (PR)
– João Marcelo Casarini Vieira, do Carolina Café (SP)
– Juca Santarosa Esmanhoto, do Rause Café (PR)
– Juliana Ferreira de Melo, da Brasil Espresso (SP)
– Leonardo Correa Ribeiro, da Unique Café Store (MG)
– Leonardo Gonçalves, do Stella Cafés Especiais (RJ)
– Lucas Salomão, autônomo (SP)
– Martha Barcellos Grill, do Octavio Café (SP)
– Rafael Rodrigues Alves, da Brasil Espresso (SP)
– Rafaela Rodrigues Oliveira, do Guima Café (MG)
– Raphael Ferraz de Souza, do Grassy Café (SP)
– Rodolfo Soares Barbosa, do Armazém 331 (RJ)
– Thiago Sabino, do Cafés Especiais do Brasil (SP)

TEXTO Redação • FOTO Giulianna Iannaco/Café Editora

Barista

Italiano leva a melhor no Mundial de Torra 2017

Créditos: Coffee T&I Magazine

Ontem foi o último dia do Campeonato Mundial de Torra. O evento, que estava rolando desde o dia 12/12, na cidade chinesa de Guangzhou, contou com a participação de 21 competidores de diferentes países, todos em busca de um único objetivo: ser o melhor do mundo. Para isso, os participantes tiveram que mostrar trabalho.

Com máquinas que suportam de 3 a 6 kg de café, a primeira etapa funcionou como uma espécie de treino, onde cada torrador recebeu cafés verdes para testar e decidir qual perfil de torra iria seguir.

Já na competição, eles tiveram que torrar dois tipos de café: o Single Origin e um blend próprio. Cada competidor contou com meia hora para torrar o Single Origin e uma hora para torrar o blend. Além dos cafés, foi preciso fazer um “plano de trabalho de torra”, onde especificaram informações como perfil, quantidade para cada uso e resultados esperados nos quesitos corpo, aroma, acidez e sabor.

Na última etapa, os participantes entregaram 1,5 kg de cada café aos juízes que, degustando às cegas e seguindo o plano de torra entregue, foram dando as notas para cada participante.

Créditos: World Coffee Roasting

O grande vencedor desta edição foi o italiano Rubens Gardelli, com 479,25 pontos. Jack Allisey, da Austrália, ficou em segundo lugar, com 472,67, e Benjamin Pozsgai, da Alemanha, em terceiro, com 468,75. O brasileiro Robson Rodrigues Ribeiro, de Carmo de Minas (MG), vencedor do Campeonato Brasileiro de Torra 2017, ficou em 19º lugar, pontuando 427,42.

Realizado pela World Coffee Events, o Campeonato Mundial de Torra contou com o patrocínio da Vortecs Machine Co., Cafetto, Pentair, Everpure e Giesen Coffee Roasters.

Mais informações: www.worldcoffeeroasting.org

TEXTO Gabriela Kaneto

Barista

“Amo ver como as pessoas se apaixonam por café”

Lidiane Santos é um dos nomes fortes da cena cafeeira de Pernambuco e, depois de se tornar barista e professora, agora segue em novo espaço com os desafios da torra

No meio do caminho de Lidiane tinha um cappuccino. Ela já tinha começado seu percurso na cultura do café quando o cappuccino virou um latte e não a deixou tirar o certificado de barista do Centro de Preparação do Café, em São Paulo. Mas ela voltou no mês seguinte, porque desistir não estava nos planos.

“Meu cappuccino de novo não ficou perfeito. É fato que não tenho perfil de competidora, mas de barista e de conhecedora de café!”, conta ela que voltou para casa naquele junho de 2011 com o diploma na mão e a confiança que precisava para repassar seus conhecimentos.

O fato é que o nome de Lidiane Santos tem muito a ver com o desenvolvimento da cena cafeeira do Recife. Quando ela começou a se interessar por café, em 2009, não havia cursos ou muitas opções por lá. “Eu sou de Gravatá, que é uma cidade turística a 80 km do Recife e minha família tem por lá uma confeitaria. Muita gente entrava lá procurando por café e não tinha. Um dia eu dei um basta nisso e fui atrás de entender como ter um bom café. Meu desafio era que os moradores, não só os turistas, frequentassem o local para beber café e conhecessem mais sobre a bebida, não queria só apertar botões”, lembra.

Ela foi a São Paulo, fez um primeiro curso no Coffee Lab com a barista Regina Machado e na volta deu início à viagem cafeeira sem volta: cautelosa, alugou uma máquina automática primeiro. Viu que daria certo, comprou uma máquina e logo depois passou para uma profissional. Com o tempo e a administração da Arte Café Gravatá ela deixou o emprego de pedagoga em uma escola. Assinou a Espresso – sim, essas páginas fazem parte da história de Lidiane e agora ela faz parte da nossa história também – e começou a fazer todos os cursos possíveis, ir a todas as feiras e eventos que conseguia.

Visitou fazendas, foi convidada para dar treinamentos por representantes de fazendas e produtos e um dia já estava sendo procurada por uma universidade de gastronomia para dar aulas na disciplina de serviço de café e chás. “Mas quem era Lidiane? Eu não era ninguém, por isso fui atrás de me certificar.” Então foi reprovada por aquele famigerado cappuccino-latte no primeiro curso de certificação. Mas nada que uma segunda tentativa não resolvesse.

Nova torrefação pernambucana
No final das contas, a ideia de estudar café tirou Lidiane da sala de aula para colocá-la…na sala de aula. Trocou crianças por adultos. Seja na universidade ou no Kaffe, o espaço que Lidiane recém-inaugurou para vender equipamentos e utensílios, grãos e para fazer sua própria torra, além de degustações da bebida. Lá ela ensina e forma baristas, pessoas apaixonadas por café e quem tem interesse em aprender um pouco mais. Da universidade saem chefs mais entrosados com a bebida.

“Hoje o mercado do Recife já tem mais de 30 cafeterias autorais, mas ainda há muito espaço para quem quer trabalhar bem com o café. Acho que o barista tem responsabilidade com muita gente. Ele precisa ter amor, precisa ter informação, técnica e comprometimento para dar ao trabalho do produtor a melhor possibilidade de chegar à xícara de quem consome a bebida”, conta ela que hoje, além das aulas e dos cuidados com o espaço Kaffe, no Recife, que toca junto com o marido Eudes Santana, ainda volta aos finais de semana e feriados prolongados para ajudar na Arte Café de Gravatá, tocada pela sua família.

As metas de Lidiane agora são aperfeiçoar seu processo de torra e ter consistência em seus grãos. Para testar os cafés e para o dia a dia ela prefere uma extração na hario v60 que, segundo ela, é a que possibilita o melhor de um café. E quando quer se dar um carinho especial, prepara o café no seu xodó, a chemex. “Foi a primeira peça especial de café que comprei e tenho muito carinho por ela. A primeira a gente não vai esquecer, não é mesmo?”.

(Texto originalmente publicado na edição impressa da Revista Espresso – única publicação brasileira especializada em café. Receba em casa. Para saber como assinar, clique aqui).

TEXTO Cinthia Marcucci • FOTO Eudes Santana

Barista

Mundial de Barista começa amanhã!

Leo Moço no Mundial de Barista 2016, na cidade de Dublin, Irlanda.

Este ano, o Campeonato Mundial de Barista, um dos eventos mais esperados pelos apaixonados por café de todo o mundo, acontecerá durante a Café Show, na cidade de Seul, capital da Coreia do Sul, entre os dias 9 e 12/11.

O evento contará com mais de 60 baristas ganhadores das fases nacionais, que disputarão o título de campeão mundial. Avaliados por juízes técnicos e sensoriais, os profissionais terão quinze minutos para preparar quatro espressos, quatro bebidas com leite e quatro drinks de assinatura. A máquina oficial desta edição é a Black Eagle, da Victoria Arduino.

Nosso país será representado pelo tricampeão brasileiro Leo Moço, barista do Café do Moço, de Curitiba (PR). Leo foi o vencedor do 16º Campeonato Brasileiro de Barista, que aconteceu este ano nos dias 25, 26 e 27/8, na cidade mineira de São Lourenço.

Divididos em dez grupos, as apresentações no dia 9 começam às 9h15 (22h15 no horário de Brasília, dia 8/11). No 5º grupo, Leo Moço se exibirá às 12h27 (1h27 no horário de Brasília, dia 9/11).

Em 2016, o campeonato foi realizado na cidade de Dublin, na Irlanda, onde o vencedor foi o barista taiwanês Berg Wu, da Simple Kaffa.

Para acompanhar a competição, basta acessar as livestreams disponibilizadas no site da World Barista Championship. A equipe da Espresso também está em Seul vendo tudo de pertinho e compartilhando imagens e vídeos nas redes sociais. Fiquem de olho!

Mais informações: www.worldbaristachampionship.org

TEXTO Redação • FOTO Jake Olson

Barista

Premiações irão invadir o último dia da SIC

A Semana Internacional do Café termina hoje e todos estão ansiosos para saber as premiações da 6ª Copa Barista e do Coffee of The Year 2017.

Com base nas provas da Associação de Cafés Especiais (SCA) e as notas de qualidade do Instituto de Qualidade do Café (CQI), 150 amostras de cafés acima de 80 pontos foram selecionadas para participar da Sala de Cupping&Negócios, e provadas ao longo da SIC.

Ontem, foram selecionados os 25 melhores cafés e hoje, às 17h, saberemos o grande vencedor.

Já a Copa Barista, que visa premiar os melhores baristas na preparação de espressos, cappuccinos e cafés filtrados, já está nas quartas de final. Confira a lista dos participantes.

14h
Bira Gomes – Hoss Cafeteria
Ton Rodrigues – True Coffee

14h30
Alex Santos – Bio Barista
Ivan Heyden – Academia do Café

15h
Will Martins – Cafeteria do Museu
Hugo Silva –  IL Barista

15h30
Gabriel Guimarães – Unique Cafés Especiais
Alex Gomes – Octavio Café

A semi-final será às 17h e grande final às 19h. Não perca!

TEXTO Redação • FOTO Bruno Lavorato e Vitor Macedo