Barista

Campeonato Brasileiro de Latte Art 2024 divulga lista de competidores

A Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA) anunciou hoje (18) os 18 competidores que disputarão o Campeonato Brasileiro de Latte Art 2024. O evento acontece de 22 a 24 de março, em Brasília (DF), no Mercado do Café. 

Os 18 baristas competidores:

César Romano – Curitiba (PR)
Cristian Limas da Rosa – Porto Alegre (RS)
Eduardo Olímpio – São Paulo (SP)
Elves Albino – João Pessoa (PB)
Gabriel Duarte Zanotelli – Porto Alegre (RS)
Leo Mesquita – Rio de Janeiro (RJ)
Isis Rodrigues – Porto Alegre (RS)
Joabner Santana Azevedo – Brasília (DF)
João Michalski – Cascavel (PR)
Jota de Paula – São José dos Campos (SP)
Jonatha Nascimento – João Pessoa (PB)
Juliano Souza – Porto Alegre (RS)
Juliano França – Birigui (SP)
Gael Lirian – Porto Alegre (RS)
Ramon Dallabona – Curitiba (PR)
Tiago Rocha – Curitiba (PR)
Vinicius Dias – São Paulo (SP)
Wesley Oliveira – Porto Alegre (RS)

Os baristas têm que demonstrar criatividade e habilidade ao desenhar com o leite vaporizado sobre o espresso. A competição tem três fases – eliminatórias, semifinal e final –, e a grande final acontece domingo (24).  

O café oficial da edição de 2024 foi torrado pela equipe do Ernesto Cafés Especiais, cafeteria e torrefação brasiliense. Os grãos escolhidos são da variedade catuaí amarelo, de processamento natural, cultivados pelo produtor Augusto Borges, na Fazenda Capadócia, em São Gonçalo do Sapucaí, Mantiqueira de Minas. Na xícara, apresenta notas de chocolate ao leite, com doçura elevada, acidez presente e finalização refrescante.

A Espresso é mídia oficial do Campeonato Brasileiro de Latte Art. Acompanhe os resultados no nosso Instagram.

Serviço
Campeonato Brasileiro de Latte Art
Quando: 22 a 24 de março, a partir das 12h
Onde: Mercado do Café – 509, bloco C – Asa Sul – Brasília (DF)
Mais informações: www.bsca.com.br

TEXTO Redação • FOTO Divulgação

Barista

Google homenageia flat white

O doodle do Google de hoje, 11 de março, chamou atenção dos aficcionados (ou não) por café ao estampar xícaras e porta-filtros em ilustrações alegres e convidativas. A animação refere-se ao flat white, uma bebida à base de café criada na Austrália ou na Nova Zelândia – os países disputam sua origem – entre as décadas de 1980 e 1990. Tornou-se popular mundialmente, graças à influência das cafeterias de cafés de qualidade. Várias grandes cadeias de café incluem o flat white em seus cardápios, o que ajudou a aumentar sua visibilidade e demanda.

O flat white é feito com uma quantidade maior de espresso e menor de leite vaporizado, e resulta numa bebida de textura mais aveludada do que a de um cappuccino além de sabor predominante de espresso. O tamanho varia com a região e a preferência do barista, mas é geralmente menor que um latte, e costuma ser servido em xícaras pequenas ou copos.

Existem variações regionais. Nos Estados Unidos, costuma ser feito com uma dose dupla de espresso, enquanto na Austrália e na Nova Zelândia a dose única é mais comum. 

TEXTO Redação • FOTO Daniel Ozana/Estúdio Oz

Barista

Daniel Munari é bicampeão do Campeonato Brasileiro de Coffee in Good Spirits

O barista curitibano Daniel Munari, da Royalty Quality Coffee, foi consagrado, pela segunda vez, campeão no Campeonato Brasileiro de Coffee in Good Spirits, que aconteceu em Porto Alegre (RS) entre 1º a 3 de março. Mari Mesquita, de Brasília (DF), conquistou o segundo lugar e Leo Oliva, também de Curitiba (PR), ficou em terceiro. Assista a final da disputa aqui.

A competição, que julga as habilidades no preparo de drinques alcoólicos com café, contou com oito participantes em busca do título. Em sua apresentação, que teve como tema a sustentabilidade na cafeicultura, Munari preparou primeiro o drinque quente, chamado Upcycle, composto por folha seca de figo, óleo de pequi, conhaque sherry cask, licor de umê, cordial de amora e beterraba, soro de leite e café filtrado na clever, que, segundo ele, atribuiu notas de frutas roxas à bebida. Na montagem do drinque gelado, nomeado Deserto, o campeão utilizou tequila, cordial de goiaba, suco de pitaya, solução salina e espresso. Usado em ambos os drinques, o grão escolhido foi um catucaí S2L, fermentado, cultivado por Jean Faleiros na Fazenda Santa Mônica, em Ibiraci (MG), Alta Mogiana. 

Já no irish coffee, o barista utilizou whisky kavalan taiwanês finalizado em barril reaproveitado de vinho do porto, xarope de mel, xarope de agave, creme de leite gaúcho e café – dessa vez, escolheu um catuaí vermelho, seco em terreiro suspenso na Fazenda Santa Mônica, que, na xícara, diz o campeão, apresenta notas cítricas e de laranja. “Escolhi o café do Jean porque ele faz um trabalho de sustentabilidade e regeneração bastante pioneiro. É um produtor que questiona o sistema na cafeicultura”, explicou Munari à Espresso.

Quando perguntado pela nossa equipe sobre a preparação para essa edição, após ter ganhado no último ano, Munari responde: “Os feedbacks que recebemos depois das competições ajudam muito a ganhar pontos importantes, mas garanto que o nervosismo pré-competição é o mesmo todo ano”. 

Munari vai representar novamente o Brasil no Campeonato Mundial da categoria, que acontece em Copenhague, Dinamarca, em junho. No ano passado, ele ficou em oitavo lugar na mesma competição, em Taipei. “A participação no Mundial de Taipei mostrou que é possível sonhar alto, então estou mirando na final. Acredito que na final o jogo muda e todos ficam muito emparelhados. Quem errar menos, ganha”, comenta.

O Campeonato Brasileiro de Coffee in Good Spirits é realizado pelo projeto “Brazil. The Coffee Nation”, em parceria com a Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA) e a Apex-Brasil.

TEXTO Gabriela Kaneto • FOTO Matheus da Silva/BSCA

BaristaCafé & Preparos

Nova roda sensorial busca identidade para grãos produzidos na Austrália

Recentemente, especialistas em café na Austrália propuseram mais uma roda sensorial para a avaliação de cafés especiais. A novidade foi divulgada por meio do paper “Coffee is more than flavor, the creation of a coffee character wheel”, publicado no periódico Journal of Sensory studies. Nele, os pesquisadores australianos buscam explorar a complexidade do café para além do sabor, introduzindo uma nova ferramenta denominada Roda de características do café (Coffee character wheel), para auxiliar a categorizar e descrever diferentes aspectos dos grãos de maneira mais precisa. A roda foi desenvolvida como parte do projeto Defining terroir of Australian coffee to increase demand and investment (Definindo o terroir do café australiano para aumentar demanda e investimento) desenvolvido pela organização AgriFuture Australia, uma colaboração entre a Southern Cross University, a empresa Processing Methods Bootcamp e a indústria de cafés do país.

O argumento dos investigadores é de que as outras características sensoriais do produto – textura, acidez e sabor residual – precisam também de uma ferramenta, assim como a Coffee taster’s flavor wheel, roda desenvolvida em 1995 pela antiga SCAA para padronizar a comunicação internacional do aroma e do sabor dos cafés especiais.

A nova roda de características do café tem 95 termos, selecionados a partir de 679 palavras utilizadas por provadores durante o desenvolvimento da pesquisa, dispostos em roda e em três níveis, que vão do geral ao específico. 

Projetada para ser uma ferramenta útil para profissionais e entusiastas na compreensão da complexidade dos grãos, a nova roda pode auxiliar a padronização das avaliações sensoriais do café para além dos sabores e aromas, incrementando a consistência para a indústria dos cafés de qualidade. 


De acordo com a AgriFuture Australia, os australianos consomem mais de seis milhões de xícaras por ano, e 99% dos grãos são importados pelo país. Mas a Austrália tem uma indústria cafeeira (embora pequena) estabelecida há muito tempo, que reúne cerca de 50 produtores de qualidade entre o norte e o sudeste de Queensland e o norte de New South Wales.

Diferentemente do vinho australiano, que já faz sucesso no mundo inteiro há décadas, seu café é pouco conhecido. A partir da nova roda e dos estudos em torno do território, a corporação australiana tem como objetivo ajudar os cafeicultores locais a definirem e comunicarem as características e sabores únicos dos seus grãos.

TEXTO Por Cristiana Couto • FOTO Agrifuture Australia

Barista

Daniel Vaz é o novo Campeão Brasileiro de Barista!

Entre cuppings, degustações, troca de conhecimento e negócios fechados, a Semana Internacional do Café também foi palco do Campeonato Brasileiro de Barista, realizado pela Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA), em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (ApexBrasil).

Na competição, 20 profissionais foram julgados por sua habilidade e por seu conhecimento no preparo e na apresentação de cafés espressos, bebidas com leite vaporizado e drinques de assinatura, assim como pelo conhecimento da indústria e dos produtos que utilizam. Depois de dois dias de classificatórias, os nomes dos seis finalistas foram divulgados: Maurício Maciel (MG), Tainá Luna (SP), Daniel Vaz (RJ), Hugo Silva (SP), Juliana Morgado (DF) e Marcondes Trindade (DF).

A final foi realizada no último dia de SIC, 10 de novembro. Depois das seis apresentações, foi divulgado o novo campeão brasileiro: Daniel Vaz, da Five Roasters, do Rio de Janeiro! “Eu acho que este é o título mais desejado do Brasil, a competição mais difícil, e eu estou muito feliz de ter conseguido conquistar na primeira vez. Este ano está sendo muito especial”, destacou o vencedor, que participou de quatro campeonatos recentemente e conseguiu uma boa colocação em todos: primeiro lugar na Copa Barista e no Brasileiro de Barista, e segundo lugar no Desafio Barista e no Brasileiro de Brewers, competição de cafés filtrados.

Agora, os próximos passos é lá fora, onde Daniel representará o Brasil no Mundial de Barista, que ocorrerá entre 1º e 4 de maio de 2024, na World of Coffee Busan, na Coreia do Sul. Os olhos estarão mais do que nunca voltados para o nosso País, uma vez que o atual campeão mundial da categoria é o brasileiro Boram Um. “A expectativa está altíssima porque o Boram colocou a régua lá em cima. Vou dedicar toda a minha energia pra manter esse título em casa”, disse.

Confira a ordem final de classificação:

Daniel Vaz @daniel_vaz
Marcondes Trindade @ondes27
Juliana Morgado @ju._morgado 
Tainá Luna @tainalunaa
Maurício Maciel @baristamaciel 
Hugo Silva @hugosilva.barista   

O campeão Daniel Vaz recebeu R$ 10 mil pelo título. O segundo lugar da competição, que ficou com Marcondes Trindade, da Acorde 27 Cafés Especiais, de Brasília (DF), recebeu R$ 3 mil. Já a terceira colocada, Juliana Morgado, da Studio Grão Coffee Roasters, também de Brasília, teve como prêmio R$ 2 mil.

“Isso significa não só um título, mas sim tudo que a gente sonha. Parece clichê, mas não é. Pra mim não existe sorte, existe dedicação. Transpiração vence talento”, comemorou Daniel.

TEXTO Gabriela Kaneto • FOTO NITRO/Semana Internacional do Café

Barista

NotCo lança linha barista de leite vegetal

De olho no crescimento do consumo dos leites vegetais em cafeterias, a NotCo lançou duas novidades: o Clube Why Not Barista e o NotMilk Barista. O clube tem o objetivo estreitar o vínculo entre a empresa e os baristas por meio de um grupo que oferece experiências exclusivas e conhecimento especializado aos profissionais. Os convidados terão acesso a eventos de degustação, TNTs (competições de Latte Art) patrocinadas pela própria startup, uma newsletter mensal com conteúdos relacionados ao tema e surpresas que chegarão na casa dos participantes.

Já a expansão da linha NotMilk traz um produto com crema densa e consistente, espumação a quente e frio, sabor que não mascara o gosto do café e, de acordo com a marca, uma versatilidade que permite a utilização em diferentes preparos. 

Os dois lançamentos foram apresentados oficialmente em um evento exclusivo no Dela Café, em São Paulo, no mês de outubro. A Espresso pôde degustar o NotMilk em três tipos de bebidas (cappuccino, com matchá e uma bebida gelada) e, ainda, colocar a mão na massa e participar de um TNT para testar as habilidades e a consistência do produto.

De acordo com Vanessa Giangiacomo, Head de Marketing da NotCo, a ideia da apresentação era provar aos baristas que o leite vegetal pode ser um protagonista nos cardápios das cafeterias. “A degustação e o desafio de latte art foram amostras de que estamos do lado dessa classe de especialistas, seja estimulando o aprendizado de novas técnicas com o clube ou lançando novidades que supram as suas demandas”, diz. 

A executiva ainda reforça que o café é uma paixão nacional e, uma vez que o mercado plant-based está em crescimento constante, esses profissionais são essenciais para garantir um futuro inovador e delicioso ao público. “Eles são os tomadores de decisão no momento de criar opções à base de plantas maravilhosas e trazer uma boa diversidade de alternativas aos amantes dessa bebida tão querida no Brasil, além de ajudarem as pessoas a incluir produtos sem ingredientes de origem animal no dia a dia”, conclui.

TEXTO Redação • FOTO Divulgação

Barista

Rubens Vuolo, de Cuiabá (MT), leva a melhor no campeonato nacional de café filtrado

Pódio do Campeonato Brasileiro de Brewers, da esquerda para a direita: Tiago de Mello (3º colocado), Rubens Vuolo (campeão) e Daniel Vaz (vice-campeão) – Foto: Gabriela Kaneto

A cidade de Curitiba ficou pequena para o time de peso que disputou o Campeonato Brasileiro de Brewers Cup deste ano. A competição, que elege o melhor café preparado em um método filtrado, foi realizada pela Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA), em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (ApexBrasil), de 12 a 14 de outubro, na Supernova Factory, e contou com a participação de 20 baristas de diferentes estados brasileiros.

Na fase classificatória, realizada nos dois primeiros dias, cada competidor teve dez minutos para se apresentar aos juízes e entregar três xícaras preparadas no mesmo equipamento. Além do sensorial, os avaliadores julgam a apresentação e a técnica de cada barista. Destes, dez foram classificados para a próxima etapa, chamada de compulsório, que foi novidade nesta edição da competição brasileira, mas que já acontece no Mundial da categoria.

O compulsório consiste em avaliar individualmente a técnica de cada barista. Aqui, a organização entrega o café oficial do campeonato, a torre de água e o mesmo moedor para cada classificado, que, a partir disso, elabora a melhor receita no método escolhido para apresentar aos juízes. O café utilizado foi o da Fazenda Califórnia, do Norte Pioneiro do Paraná, e a torre de água e o moedor foram da empresa Bunn. Renan Dantas, Tiago de Mello, Rubens Vuolo, Daniel Vaz, Edson Maisonnette e Leo Moço levaram a melhor e passaram para a final, que aconteceu no sábado (14). 

Na última fase, Rubens Vuolo, sócio da Amado Grão, de Cuiabá (MT), conquistou o lugar mais alto do pódio! O barista apresentou aos juízes um blend das variedades bourbon rosa e laurina. Cultivado no Sul de Minas pela Fazenda Um, o bourbon rosa foi fermentado por 48 horas, o que evidenciou notas de ameixa seca. Já o laurina, produzido pela Fazenda Daterra no Cerrado Mineiro, possui um baixo teor de cafeína e foi fermentado por 96 horas, ressaltando notas florais e acidez málica. 

Apresentação de Rubens Vuolo na final do Campeonato Brasileiro de Brewers – Foto: Gabriela Kaneto

No preparo, Rubens utilizou o MK Dripper, um método de porcelana e fundo plano, que permite uma distribuição mais homogênea da água no café. Com uma extração dividida em três ataques, totalizando 2 minutos e 20 segundos, a bebida foi composta por 15 gramas de café (sendo 9 g de bourbon rosa e 6 g de laurina) para 240 ml de água.

O segundo lugar ficou com Daniel Vaz, do Rio de Janeiro (RJ), que escolheu um catuaí amarelo natural do Espírito Santo para entregar aos juízes uma xícara com mais corpo e complexidade sensorial. Já a terceira posição foi para Tiago de Mello, de São Paulo (SP), que preparou o seu café a partir do blend de dois geishas: um cultivado no Cerrado Mineiro e outro produzido na Mantiqueira de Minas. 

Confira a ordem final:

Rubens Vuolo – Amado Grão – Cuiabá (MT)
Daniel Vaz –  Five Roasters – Rio de Janeiro (RJ)
Tiago de Mello – Pato Rei – São Paulo (SP)
Leo Moço – Fazenda O Cafezal – Curitiba (PR)
Edson Maisonnette – Niterói (RJ)
Renan Dantas – Oficina do Barista – São Paulo (SP)

O Campeonato Brasileiro de Brewers Cup deste ano teve patrocínio prata da empresa Nude e café oficial da Fazenda Califórnia. Os equipamentos da competição foram fornecidos pela Bunn. O brew bar contou com o patrocínio de marcas como Lucca Cafés Especiais, Pressca, Rituá Café, Pasquali Máquinas e Moka Clube. O apoio técnico foi da Achega Café e o anfitrião da etapa foi a Supernova Coffee. A Espresso foi a mídia oficial.

TEXTO Gabriela Kaneto • FOTO Gabriela Kaneto

Barista

Curitiba (PR) sedia pela primeira vez o Campeonato Brasileiro de Brewers

Entre os dias 12 e 14 de outubro, a cidade de Curitiba (PR) sediará o Campeonato Brasileiro de Brewers Cup, realizado pela Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA), em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (ApexBrasil), como ação do projeto setorial “Brazil. The Coffee Nation”.

Na competição, 20 baristas colocarão em prática suas técnicas e habilidades para saber quem extrai o melhor café pelo método filtrado e manual (coado). Cada competidor terá 10 minutos para apresentar a bebida, o método filtrado escolhido e entregar três xícaras, que serão avaliadas pelos juízes. 

Confira os competidores:

  • Aline Camila Paes de Farias (PR)
  • Anderson Corrêa (SP)
  • Andréia Braga Inácio Sarmento (MG)
  • Daniel Souza Vaz (RJ)
  • Edson Maisonnette Junior (SP)
  • Gabriel Agrelli Moreira (SP)
  • Gleiziele Ferreira Oliveira Santos (BA)
  • Jarlam Silva de Oliveira Kepe (SP)
  • Laís Matos de Queiroz (DF)
  • Leonardo Moço Ribeiro (PR)
  • Leonardo Pires Araújo (PR)
  • Mauricio Henrique Maciel (MG)
  • Renan Dantas de Brito (SP)
  • Renato Cipriani da Rosa (SP)
  • Rubens Vuolo Neto (MT)
  • Thais Borsa Das Graças (PR)
  • Thiago Aparecido Sabino (SP)
  • Tiago de Mello Felipe (SP)
  • Túlio Fernando De Souza (PB)
  • Walter Salgueiro Júnior (SP)

As disputas começam às 14h nos dias 12 e 13. A final, com os seis melhores classificados, ocorrerá no sábado (14), a partir das 15h30. O anúncio do novo campeão brasileiro, que representará o país no mundial da categoria em abril de 2024, na Specialty Coffee Expo, em Chicago (EUA), será às 19h.

“A realização do campeonato em Curitiba é um reconhecimento da maturidade do mercado local para os cafés especiais. A expectativa é que tenhamos excelentes apresentações e baristas competindo em um dos palcos mais importantes para o cenário brasileiro”, comenta Vinicius Estrela, diretor executivo da BSCA.

O evento é gratuito ao público e ocorrerá na Supernova Factory, no Batel. O espaço será aberto a partir das 10h para que os presentes possam conhecer e acompanhar as novidades das marcas presentes no espaço Coffee Factory, que trará degustações e experiências para os apreciadores de café e palestras sobre hospitalidade, cafés e suas combinações na gastronomia, além da presença de baristas campeões nos anos anteriores, que compartilharão suas experiências.

Esta edição do Campeonato Brasileiro de Brewers Cup conta com patrocínio prata da empresa Nude. Os equipamentos oficiais da competição serão fornecidos pela Bunn. Já o brew bar tem o Lucca Cafés Especiais, Pressca, Rituá Café e Pasquali Máquinas como patrocinadores. O apoio técnico será da Achega Café e o anfitrião da etapa é a Supernova Coffee. A Espresso é a mídia oficial.

Serviço
Campeonato Brasileiro de Brewers Cup
Quando: 12 a 14 de outubro de 2023
Horário: abertura do espaço e palestras às 10h. Competições começam a partir das 14h
Onde: Supernova Factory – Alameda Dr. Carlos de Carvalho, 695 – Batel – Curitiba (PR)
Ingressos gratuitos: clique aqui

TEXTO Redação • FOTO Gustavo Baxter / NITRO

Barista

8ª edição do Campeonato Brasileiro de Aeropress acontece em Campinas (SP)

O Campeonato Brasileiro de Aeropress (CBA) deste ano está marcado para acontecer entre os dias 28 e 29 de outubro, a partir das 9h, na cidade de Campinas (SP). Com conteúdo e espaço para troca de experiências com pequenos produtores, torrefações e cafeterias, é um programa ideal para quem quer aprender mais sobre a bebida e fazer conexões com o mercado.

O evento aberto ao público (gratuito) será realizado no CIS Guanabara e contará com convidados internacionais e também com a primeira barista indígenas do Brasil, Celesty Suruí. Além disso, temas como “plantar água”, agricultura regenerativa e Amazônia estão na programação.

“Celebrar o café e fazer festa é ótimo, mas aprender e ajudar a comunidade cafeeira crescer é melhor ainda. O principal objetivo é ir além da competição, e, com certeza, fortalecer a comunidade do café no Brasil.”, afirma Kelly Stein, jornalista e empreendedora responsável pelo CBA Brasil. 

Como funciona o Campeonato de Aeropress?

Os competidores não precisam ser profissionais do café para participar, basta gostar da bebida e ousar em receitas usando o mesmo método de extração: a Aeropress. Uma parte curiosa é o fato de que todos os competidores recebem o mesmo café e vão usar a mesma água.

O vencedor de cada rodada precisa agradar o paladar da comissão julgadora, sem discursos ou apresentações elaboradas, como é comum em competições do mundo do café. O objetivo é apenas surpreender no perfil sensorial da bebida servida. Ao todo serão 10 juízes e, entre eles, estão importantes nomes, como: Marco de la Roche, Maria Mion, Karina Barreto, o norte-americano Joel Eastlick, etc. 

No estilo “mata-mata”, o competidor passa para a próxima rodada quando convencer o paladar dos juízes. “Além de desafiar as habilidades técnicas dos competidores, queremos trazer diversão e leveza na competição. Então, todo o público em geral – mesmo quem não entende de café – está convidado para animar nossa competição”, convida Kelly.

Premiação

O campeão ou campeã representará o Brasil no World AeroPress Championship, em 2023, em Melbourne, na Austrália, com passagem aérea e hotel com café da manhã pago por 3 dias. Além disso, leva uma viagem para Colômbia com patrocínio de Know Where Coffee e COFFEA Trips, uma chaleira Bonavita e um moedor Comandante.

Já o segundo e o terceiro lugares ganham uma experiência COFFEA Trips na cidade de Campinas ou São Paulo, uma chaleira Bonavita e um moedor Comandante.

Serviço
Campeonato Brasileiro de Aeropress
Onde: CIS Guanabara – Rua Mário Siqueira, 829 – Botafogo – Campinas (SP)
Quando: 28 e 29 de outubro (sábado e domingo)
Horário: a partir das 9h
Mais informações: https://www.campeonatodeaeropress.com/
Entrada gratuita

TEXTO Redação

BaristaCafezal

Dionatan Almeida leva a melhor no Campeonato Brasileiro de Cup Tasters

O último domingo foi de emoção com a descoberta do atual Campeão Brasileiro de Cup Tasters! Entre muitas provas e rodadas, a competição contou com 43 participantes e aconteceu de 22 a 24 de setembro, na sede da Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA), em Varginha (MG). 

O objetivo principal da disputa é identificar, através do sensorial, as amostras diferenciadas em um menor tempo possível. Cada competidor recebe oito trios de café, sendo que, em cada um, há uma amostra diferente das demais. O tempo limite das provas é de 8 minutos.

As rodadas classificatórias aconteceram durante toda a sexta-feira (22) e continuaram pela manhã do sábado (23). Desta etapa passaram, para a próxima fase, os 16 competidores que identificaram corretamente a maior quantidade de amostras em menos tempo. Ainda no sábado, foram realizadas as quartas de final, onde continuaram na disputa os 8 melhores:

José Augusto Naves – 7 acertos em 5:43
Dionatan Almeida – 7 acertos em 7:23
Marcos Dominguito – 6 acertos em 4:06
Alessandro Hervaz – 6 acertos em 5:04
Fernando Silva – 6 acertos em 5:59
Carolina Pereira – 6 acertos em 7:32
Edimilson Generoso – 6 acertos em 7:52
Ruhan Corrêa – 5 acertos em 4:21

No domingo, último dia de competição, foram realizadas a semifinal e a final. Dividida em duas rodadas, a semifinal classificou Dionatan Almeida (8 acertos em 4:45), Edimilson Generoso (8 acertos em 5:51), Marcos Dominguito (6 acertos em 3:44) e José Augusto Naves (6 acertos em 3:45), que disputaram a final logo na sequência. Com 7 acertos em um tempo incrível de 3:47, Dionatan Almeida, das Fazendas Caxambu e Aracaçu, levou a melhor e consagrou-se Campeão Brasileiro de Cup Tasters! Confira o pódio:

1º Dionatan Almeida – 7 acertos em 3:47
2º José Augusto Naves – 6 acertos em 5:00
3º Edimilson Generoso – 6 acertos em 5:37
4º Marcos Dominguito – 4 acertos em 3:38

“Foi uma honra ser campeão disputando com tantos campeões. O nível dos profissionais e dos cafés estava muito alto. Quero agradecer demais a BSCA e a ApexBrasil por todo apoio, por toda estrutura que montaram aqui. Estou muito feliz e muito grato. Agora é focar e me preparar para o Mundial, pegando algumas dicas com nossos campeões para tentar trazer esse título para o Brasil”, celebrou o campeão. Dionatan representará o Brasil no Campeonato Mundial de Cup Tasters, marcado para abril de 2024, em Chicago, nos Estados Unidos. A Equipe Espresso deseja boa sorte e está na torcida! 

O Campeonato Brasileiro de Cup Tasters foi realizado pela BSCA e pela ApexBrasil como ação do projeto setorial “Brazil. The Coffee Nation”. A edição de 2023 contou com o patrocínio do Centro do Comércio de Café do Estado de Minas Gerais (CCCMG) e apoio da BUNN e da Associação Brasileira de Classificadores e Degustadores de Café (ABCD). A Revista Espresso foi a mídia oficial.

TEXTO Gabriela Kaneto • FOTO Gabriela Kaneto