Mercado

Evento conecta mulheres que trabalham com cafés especiais

Espresso Degustacao Café Entre os dias 4 e 5 de março, o primeiro encontro Women Connect by Coffee pretende reunir mulheres de todo o Brasil, que trabalham com cafés especiais, para difundir conhecimento, promover a troca de experiências e aprimorar ainda mais a atuação feminina no setor por meio da informação. O evento, organizado por Estela Cotes, barista vencedora do 5º Campeonato Brasileiro de Preparo de Café e sócia da cafeteria Barista Coffee Bar, será realizado na Universidade Positivo, em Curitiba, e contará com palestras com profissionais da área e mesa de cupping. Estão confirmadas as participações de Brígida Salgado, presidente da International Women Coffee Association (IWCA), Marcia Yoko, QGrader e especialista em exportação de café, Julia Fortini, da Academia do Café, e Leo Moço, bicampeão brasileiro de Barista e proprietário do Barista Coffee Bar. Serviço Women Connect by Coffee Data: 4 e 5 de março Local: Universidade Positivo – Rua Professor Pedro Viriato Parigot de Souza , 5300, Bloco Azul, Cidade Industrial – Curitiba (PR) Valor: R$ 280 Mais informações: www.sympla.com.br/women-connect-by-coffee__53317

TEXTO Da redação • FOTO Felipe Gombossy/Café Editora

CafezalMercado

Produção de café em 2016 pode ser segunda maior da história do País

café_grão_safra_bourbon

A produção de café no Brasil em 2016 pode ser a segunda maior da nossa história, aponta a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). Os dados relativos a esse ano foram divulgados nesta quarta-feira (20/1), e apontam uma produção total ente 49,13 e 51,94 milhões de sacas de 60 quilos de café beneficiado.

A expectativa da Conab leva em consideração a média de produção (50,5 mi), que coloca esta safra atrás apenas da colheita de 2012, que foi de 50,8 mi. A previsão indica um acréscimo de 13,6% a 20,1% em relação à produção de 43,24 milhões de sacas obtidas em 2015. Uma das explicações para o rendimento é o ciclo de bienalidade do café, que neste ano no Brasil é considerado alto. “A característica dessa cultura faz com que a planta obtenha melhores rendimentos em anos alternados, especialmente o café arábica, e independe de tratamento do solo ou de outras ações tecnológicas”, comenta o texto da Companhia.

Arábica e conilon
Espécie que o País mais produz, o arábica (76,5% de todo café brasileiro) tem estimado em um crescimento de 17,8% a 24,4%. A Conab aponta que sejam colhidas entre 37,74 e 39,87 mi sacas. O resultado deve-se principalmente ao aumento de 67,6 mil hectares da área em produção, à incorporação de novas áreas que se encontravam em formação e renovação e às condições climáticas mais favoráveis.

Já a produção do conilon, que representa 23,2% do total, é estimada entre 11,39 e 12,08 milhões de sacas, representando um crescimento entre 1,8 e 8% em relação à safra 2015. “Esse resultado deve-se, sobretudo, à recuperação da produtividade nos estados do Espírito Santo, Bahia e em Rondônia, bem como ao maior uso de tecnologias”, afirma a Conab.

Regiões produtoras
Para Minas Gerais, maior Estado produtor, a Conab explicou que na região do Sul de Minas (Sul e Centro-Oeste) houve aumento de área e produtividade, que devem refletir numa produção superior à safra anterior entre 26 e 33%. O Cerrado Mineiro (Triângulo, Alto Paranaíba e Noroeste) aumentou sua área e produtividade, o que pode resultar numa produção com crescimento entre 49,5 e 57,8%. A entidade considera também a Zona da Mata Mineira (Matas de Minas, Rio Doce e Central) onde, apesar do leve aumento na área em produção, a produção deve ser 0,2 a 5,4% menor do que a safra anterior, tendo em vista a bienalidade negativa para a cultura nesta safra. Por fim, o Norte de Minas (Norte, Jequitinhonha e Mucuri) deve ter aumento de área e produtividade, com produção superior entre 22,3 e 29,1%.

Já o Espírito Santo, onde mais se produz conilon no Brasil, a Conab tem perspectiva de recuperação de produtividade, com safra superior de 6,9 a 13,5% a 2015. O aumento total no estado é puxado pelos dados do café arábica produzido no sul do estado, com acréscimo de 17,93%.

Apesar do norte do estado, onde há maior concentração do café conilon, em todos os meses analisados, ter sofrido com restrições no desenvolvimento da safra, principalmente, devido às chuvas abaixo da média e às temperaturas elevadas, a Conab afirma que essa restrição pode ter sido amenizada em função da irrigação de parte das lavouras. O resultado é calculado em perda de 0,82% na produção do conilon.

Produtividade
Quanto à produtividade total, a estimativa situa-se entre 24,84 e 26,27 sacas por ha, equivalendo a um ganho de 10,4% a 16,8%, em relação à safra passada. Com exceção de Paraná, Rondônia e região de Matas de Minas, todos os demais estados apresentam crescimento de produtividade. Os motivos são as condições climáticas mais favoráveis nas principais regiões produtoras de arábica, aliadas ao ciclo de bienalidade positiva. A Conab observou os maiores ganhos na região do Triângulo Mineiro, em São Paulo e no Sul de Minas e centro-oeste mineiro.

(Texto publicado originalmente no site CaféPoint)

TEXTO Da redação • FOTO Alexia Santi/Café Editora

Mercado

Nova roda de sabores do café é lançada

SCAA_FlavorWheel.01.18.15

Criada há mais de 20 anos, a roda de sabores do café recebe releitura, ganha 110 descrições e foi lançada oficialmente nesta terça-feira (19/1). A primeira versão foi desenvolvida nos anos de 1990 pelo especialista norte-americano Ted Lingle, na época diretor-executivo da Associação Americana de Cafés Especiais (SCAA). A cientista Ann Noble, da Universidade da Califórnia, Davis, criara a roda de sabores de vinhos, que servira de inspiração e de ferramenta importante para o desenvolvimento dos parâmetros de avaliação do café.

Em 1985 Ted já havia lançado o livro Coffee Cuppers’ Handbook e, dez anos depois, em 1995, o Coffee Brewing Handbook, que também foram peças imprescindíveis para o desenvolvimento de referências para o mercado.

Em post publicado hoje, o atual diretor-executivo da SCAA, Ric Rhinehart, relembra da importância da roda de sabores para o mercado de cafés especiais: “A roda deu origem a uma abordagem replicável, significativa e útil na avaliação da qualidade do café. Ela efetivamente conectou o café de qualidade ao preço pago por ele e pavimentou o caminho para milhões de produtores, torrefadores e empresários se beneficiarem economicamente da produção à entrega do café especial.”

Ric também cita que, de vinte anos para cá, muitos novos conhecimentos foram desenvolvidos e que a nova roda de sabores é um trabalho em conjunto de muitos pesquisadores e especialistas da indústria do café, como a World Coffee Research, encabeçada por Edgar Chambers, da Kansas State University, também a Texas A&M e a própria Universidade da Califórnia, em Davis.

Segundo a publicação de hoje da SCAA no seu Chronicle o trabalho não termina aqui: A SCAA reconhece que outros recursos que oferecemos vão exigir atualizações com o lançamento da nova roda sabor e que o trabalho começa agora. Este será um processo contínuo, com adições para a roda e atualização de atributos. Todos os léxicos são documentos vivos e este trabalho não para com o lançamento da roda. Na verdade, a roda é projetada de tal forma a permitir alterações de novas informações.

O novo trabalho foi apresentado há cinco dias pelos especialistas Emma Sage e Molly Spencer para um grupo restrito de alunos do curso Sensory Summit, organizado pela Roasters Guild e SCAA e a imagem da nova roda foi apresentada hoje no site da associação.

Segundo Ric: “será ferramenta fácil de usar para avaliar e categorizar os sabores do café e parte integrante dos materiais educacionais da SCAA a partir de agora”.

Para ver a roda em mais detalhes, clique em cima da imagem para ampliar.

Mais informações: Specialty Coffee Chronicle

TEXTO Mariana Proença • FOTO Divulgação

Mercado

TAM renova parceria com o Suplicy Cafés para 2016

suplicy_cafeteria

A TAM Linhas Aéreas renovou a parceria com o Suplicy Cafés Especiais para 2016. O blend da marca, desenvolvido especialmente para a companhia, continua a ser servido em todos os voos nacionais, também na Classe Econômica, Premium Business, Premium Economy dos voos internacionais para a América Latina, Estados Unidos e Europa e, ainda, na sala vip do grupo Latam no aeroporto internacional de Guarulhos, em São Paulo.

Desenvolvido em 2013, o processo de escolha do café especial servido a bordo levou cerca de um ano, desde a concepção até a escolha, e foi conduzido pela consultora Isabela Raposeiras, barista, mestre de torra e proprietária da cafeteria Coffee Lab. A bebida é preparada com grãos 100% arábica, cultivados em fazendas localizadas no Cerrado Mineiro e no Sul de Minas, além de propriedades na Alta Mogiana.

O sucesso do grão a bordo entre os clientes foi grande. Mais de 10 milhões de cafés foram servidos nos voos domésticos e internacionais ao longo de 2015.

TEXTO Da redação • FOTO Divulgação

Mercado

Cafeteria Dulcerrado serve grão vencedor do III Prêmio da Região do Cerrado Mineiro

Dulcerrado_lançamento café Adauto Guimarães

A família Guimarães: Rogério, Francisco, Adauto e Ricardo

Na última terça–feira (5/1), a Dulcerrado Cafés Especiais do Produtor lançou a 13ª Edição do Produtor. O café escolhido para ser servido na cafeteria durante todo mês de janeiro, nas versões filtrado e espresso, foi o da Fazenda Lavrinha, do produtor Adauto Guimarães, vencedor do III Prêmio da Região do Cerrado Mineiro, na categoria Cereja Descascado.

O café da Fazenda Lavrinha é um topázio amarelo, com notas de caramelo e chocolate em pó e foi fruto da terceira colheita da família Guimarães. Segundo Rogério Guimarães, filho de Adauto, quando optaram por produzir o café, o foco sempre foi na qualidade e, para isso, tiveram o auxílio da Expocaccer (Cooperativa dos Cafeicultores do Cerrado). “Este primeiro lugar nos deixou em uma posição muito satisfatória e ao mesmo tempo muito difícil. Fazer café de qualidade e se manter no topo é algo de muita responsabilidade, mas não vamos nos acomodar. Vamos continuar trabalhando pela qualidade, pois tudo que aconteceu até agora, mostra que estamos no caminho certo, pois começamos com o pé direito”, afirma Rogério.

Conheça, abaixo, a história do produtor Adauto Guimarães e Família

A Edição do Produtor é lançada mensalmente, sempre com grãos produzidos em microrregiões do Cerrado Mineiro. O café é oferecido nas versões torrado e moído e em grão e pode ser adquirido na Dulcerrado ou na loja virtual da marca. O valor é de R$ 45.

Serviço
13ª Edição do Produtor
Dulcerrado Cafés Especiais
Endereço: Avenida Faria Pereira, 3945 – Dist. Industrial-Patrocínio (MG)
Mais informações: www.dulcerrado.com.br

TEXTO Da redação • FOTO Divulgação

BaristaCafé & PreparosMercado

Starbucks passa a oferecer latte macchiato no cardápio fixo de suas cafeterias

Winter_2016-Latte_Macchiato_+_Brownie A partir desta terça-feira (5/1), as lojas Starbucks dos Estados Unidos, do Canadá e grande parte das lojas da América Latina irão oferecer uma nova bebida no cardápio: o latte macchiato. Trata-se de um drinque que combina leite integral vaporizado, uma generosa espuma de leite e espresso. Primeiro, o barista adiciona o leite vaporizado no copo, acrescenta a espuma do leite – uma textura de merengue, segundo a marca – e, a seguir, dois shots de espresso são derramados sobre o creme. Lattes convencionais são preparados em uma sequência distinta, com a adição primeiro do café e depois do leite vaporizado. O preparo dá um pequeno tempo para que o leite possa descansar no copo, o que causa a separação do café, quando é introduzido lentamente ao leite. A pequena diferença, diz a empresa, acentua o sabor do espresso na mistura, que segue com o doce e a cremosidade do leite. Winter_2016-Latte_Macchiato_+_Flat_White A bebida, que passa a integrar o portfólio fixo da marca, na verdade, é um tipo de café com leite já conhecido na Itália, tradicionalmente mais consumido por crianças. No gráfico abaixo, veja a diferença entre as bebidas oferecidas pelas lojas Starbucks. Starbucks_Espresso_Classics  

TEXTO Da redação • FOTO Divulgação/Starbucks

Mercado

Que venham os panetones! Listamos 16 para você escolher o seu preferido

O Natal está chegando e os tradicionais panetones já estão decorando as prateleiras das lojas. Há opções de todos os tipos. Do doce mais inusitado ao estilo clássico, é quase impossível passar as festas de fim de ano sem eles. Com muito chocolate, frutas, sorvete ou mesmo com recheio salgado de parmesão, o importante mesmo é preparar a sua xícara de café e curtir com o quitute, que é tão tradicional por aqui. Abaixo, como fazemos anualmente, selecionamos alguns tipos para ajudá-lo nesta difícil tarefa que é escolher um favorito. Panettone BauduccoBauducco Há 64 anos, produz o tradicional panetone. Para este Natal, traz novas embalagens e ingredientes. A novidade fica por conta do Panetone Especial, que é feito de uvas passas, damasco e cobertura de amêndoas. Preço sugerido: R$ 22,49 Mais informações Site: www.bauducco.com.br Panetone Cacau Show IntensidadeCacau Show O Panettone Intensidade é feito de gotas de chocolate, recheio de trufa com cacau 34% e cobertura com cacau 55%. Outra opção é o Panettone La Creme, com cacau 28% ou o Panettone Doce de Leite, para quem aprecia o doce mineiro. Panetone Intensidade – Preço sugerido: R$ 58,90 Panetone La Creme – Preço sugerido: R$ 58,90 Panetone Doce de Leite – Preço sugerido: R$ 34,90 Mais informações Site: www.cacaushow.com.br Panetone Confeitaria Dama Confeitaria Dama Os panetones da marca têm massa fofinha e recheada na medida certa. Além do tradicional de frutas, a novidade fica por conta do panetone de brigadeiro de colher, que vem em uma embalagem bonita, imitando uma panelinha, e é perfeita para presentar. Há, também, o de brigadeiro no formato convencional, em dois tamanhos 750g e 120g. Panetone Brigadeiro de Colher – Preço sugerido: R$ 74,50 Panetone Brigadeiro – Preço sugerido: R$ 69,50 (750g); R$ 20 (120g) Panetone Frutas – Preço sugerido: R$ 52 (600g) Mais informações Site: www.confeitariadama.com.br Panetone de Sorvete Dolcie Dolci Magie E quem disse que em uma gelateria não dá para ter o gostinho natalino? O chef Andrea Beccaria criou um sorvete em que a massa não leva ovo, apenas creme de leite, açúcar e é preparada com o panetone triturado. As frutas secas são jogadas por cima. Copinho Pequeno / Médio / Grande – Preço sugerido: R$ 10/12/14 Casquinha Pequena / Média – Preço sugerido: R$ 10/12 Para viagem – Preço sugerido: R$ 37 (500g) Para viagem – Preço sugerido: R$ 62 (1000g) Mais informações Site: facebook.com/dolcimagie Panetone Alice Café Alice Café O chef Márcio Kimura preparou deliciosos panetones com fermentação natural, ingredientes selecionados, farinha italiana e sem itens artificiais. O fermento e a manteiga servem de conservantes naturais, conferindo a durabilidade de um mês. Os sabores desenvolvidos foram: damasco com amêndoas, tradicional frutas secas e passas e chocolate amargo, não leva cremes ou coberturas exageradas. Panetone Damasco com Amêndoas – Preço sugerido: R$ 44 (500g) Panetone Tradicional – Preço sugerido: R$ 35 (500g) Panetone Chocolate Amargo – Preço sugerido: R$ 39 (500g) Mais informações: Site: www.cafealice.com.br panetone Dona Deola - Cenoura com chocolate Dona Deola Os panetones da marca contam sempre com uma massa macia e muito recheio. As novidades são: panetone de cenoura trufado (massa de cenoura com creme de chocolate); leite ninho (massa tradicional com brigadeiro de leite ninho) e chocolate com brigadeiro (massa de chocolate com brigadeiro tradicional). Há ainda os sabores já conhecidos de bem casado, nutella e os tradicionais de frutas e chocotone. Panetone de Cenoura Trufado – Preço sugerido: R$ 51,60 (o quilo) Panetone de Leite Ninho – Preço sugerido: R$ 51,60 (o quilo) Panetone de Chocolate com Brigadeiro – Preço sugerido: R$ 51,60 (o quilo) Panetone de Bem Casado – Preço sugerido: R$ 51,60 (o quilo) Panetone de Nutella – Preço sugerido: R$ 51,60 (o quilo) Panetone de Frutas – Preço sugerido: R$ 42,80 (o quilo) Chocotone – Preço sugerido: R$ 42,80 (o quilo) Mais informações Site: www.donadeola.com.br Panetone Salgado Empório Santa Maria Empório Santa Maria Para quem não é fã das versões doces ou prefere algo diferente para a época, a dica é o Pãonetone, uma versão salgada do tradicional panetone. Composto de presunto de Parma, alho-poró e lascas de parmesão, traz a maciez da massa tradicional. Preço sugerido: R$ 49,42 (750g) Mais informações Site: loja.emporiosantamaria.com.br Panetone Le Pain Doce de Leite Le Pain Quotidien A marca é especializada em produtos orgânicos e lançou seus panetones, feitos com fermentação natural. A gerente de alimentos e bebidas da marca, Roberta Nepomuceno, produziu uma essência para a massa que leva raspas de laranja e limão, suco de laranja e pasta de baunilha. Disponíveis nas versões: chocotone, com lascas de chocolate belga; doce de leite, recheado com o doce orgânico e com cobertura de lascas de amêndoas; e o panetone clássico, com uva-passa, laranja e limão cristalizados. Chocotone, com Lascas de Chocolate Belga – Preço sugerido: R$ 39,90 (500g) Panetone Doce de Leite – Preço sugerido: R$ 39,90 (800g) Panetone Tradicional – Preço sugerido: R$ 39,90 (500g) Mais informações Site: www.lepainquotidien.com.br Panetone Mendoa Cupuaçu Mendoá Panetones com ingredientes brasileiros, elaborados em parceria com a chef Giuliana Cupini. A versão de cupuaçu leva a própria fruta, brigadeiro branco e cobertura de castanha-do-pará e caramelo. Já o de brigadeiro é recheado com leite condensado e chocolate 70% cacau e coberto com chocolate. Panetone de Cupuaçu – Preço sugerido: de R$ 85,00 a R$ 115,90 (800g) Panetone de Brigadeiro – Preço sugerido: de R$ 85,00 a R$ 115,90 (800g) Mais informações Site: www.mendoachocolates.com.br Padaria Artesanal Orgânica Padaria Artesanal Orgânica O padeiro Rafael Rosa traz o Bolo de Natal, feito com especiarias como canela, além de gengibre, vinho do Porto, tâmara, uva-passa, nozes, amêndoas, melado de cana e mel. Há também o chocotone, com massa amanteigada, recheado de amêndoas torradas, chocolate Callebaut 70% e cobertura de farofa de amêndoas. Chocotone – Preço sugerido: R$ 46 (500g) Mais informações Site: www.padariaartesanal.com.br Bolo de Natal – Preço sugerido: R$ 56 Panetone Cau Chocolate Cau Chocolates O panetone recheado com ganache de chocolate amargo e cobertura de chocolate ao leite é a aposta da marca. Preço sugerido: R$ 120 (1,1kg) Mais informações Site: www.facebook.com/CauChocolates Panetone Cervejaria Nacional Cervejaria Nacional Para os fãs de cerveja, a marca traz o panetone recheado com ganache de chocolate, cerejas e cerveja Sa´Si Stout. Já o panetone de doce de leite leva a cerveja Mula Ipa como ingrediente. Panetone de Ganache de Chocolate – Preço sugerido: R$ 32 (750g) Panetone de Doce de Leite – Preço sugerido: R$ 32 (750g) Mais informações Site: www.cervejarianacional.com.br Panetone Starbucks Starbucks Entre os produtos especiais para o Natal, os panetones Caramelo e Chocolate Trufado fazem sucesso nas lojas. Com receita exclusiva, possui uma massa macia, bem recheada e dois tamanhos diferentes, o padrão e o mini. Panetones Caramelo e Chocolate Trufado – Preço sugerido: R$ 54,90 (750g) e R$ 19,90 (130g) Mais informações Site: www.starbucks.com.br Panetone Maria BrigadeiroMaria Brigadeiro A loja, famosa por seus brigadeiros, prepara um panetone artesanal, recheado com brigadeiro e coberto de chocolate ao leite cacau 45%. Preço sugerido: R$ 99 (750g) Mais informações Site: www.mariabrigadeiro.com.br Panetone Braz Bráz Pizzaria Sucesso há dez anos, o panetone Bráz tem massa leve, úmida e bem macia. Recheado com gotas de chocolate e pedaços de laranja cristalizada, leva cobertura de amêndoas. O panetone vem em uma lata vermelha para quem quiser colecionar. Preço sugerido: R$ 65 (1kg) Mais informações Site: www.brazpizzaria.com.br Panetone Amor aos PedaçosAmor aos Pedaços Especializada em diversos sabores de bolos, a Amor aos Pedaços, traz como novidades para esse ano o Panetone de Bem Casado, inspirada no tradicional doce servido em casamentos, conta com a massa macia e recheio de doce de leite e o Panetone de Frutas Cristalizadas e Uva-Passa. A casa oferece, ainda, os Panetones de Brigadeiro, Bicho de Pé, Especial de Passas e Zero Açúcar. Panetone Bem Casado – Preço sugerido: R$ 59 Panetone Bicho de Pé – Preço sugerido: R$ 59 Panetone Brigadeiro – Preço sugerido: R$ 59 Panetone Especial de Passas – Preço sugerido: R$ 51 Panetone Frutas Cristalizadas – Preço sugerido: R$ 51 Panetone Zero Açúcar – Preço sugerido: R$ 56 Mais informações Site: www.amoraospedacos.com.br

TEXTO Natália Camoleze • FOTO Dona Deola - Foto Tadeu Brunelli/ Cervejaria Nacional - Foto Mariana Buck/ Demais - divulgação

Mercado

Isso é Café promove encontro com Blue Bottle Coffee, Mocha Mill e FAF

isso é café_cafeteria

Na próxima terça-feira (1/12), a cafeteria Isso é Café, em São Paulo, recebe dois grandes nomes do cenário mundial de café, além de cinco produtores do grupo da Fazenda Ambiental Fortaleza (FAF).

O comprador de cafés da empresa americana Blue Bottle Coffee, Stephen Vick, é um dos convidados. A marca possui lojas em São Francisco, Nova York, Los Angeles e Tóquio e, atualmente, investe na estratégia de expansão nos Estados Unidos.

Mokhtar Alkanshali, exportador da Mocha Mill, responsável pelo envio de cafés do Iêmen para os Estados Unidos, para a França e agora para o Brasil, também participa da conversa. Ele irá contar sua história no setor e mostrará fotos de sua jornada por terras iemenitas, na qual precisou organizar uma escolta armada para que um grupo de produtores levasse os grãos até o porto em Mocha. Sua visita faz parte de uma parceria com a FAF, com o objetivo de criar uma conexão entre o Brasil e o Iêmen.

Os produtores do grupo FAF vão destacar as mudanças implementadas em suas produções nos últimos 10 anos, desde que firmaram parceria com a empresa. O investimento em qualidade e o crescimento do pequeno e do médio agricultor serão temas discutidos.

O bate-papo marca o lançamento do café Al Haymah, uma das regiões com colheita mais tardia do Iêmen devido a altitudes elevadas. O longo período de maturação deste café, segundo informações da Isso é Café, “produz açúcares complexos e sabores que se mostram excepcionais na xícara”.

Serviço
Data: 1/12 (terça-feira)
Horário: 17h
Local: Isso é Café – Rua Carlos Comenale, s/nº (no Mirante 9 de Julho, próximo à estação Trianon/MASP do metrô)
Entrada: gratuita
Mais informações: www.facebook.com/issoecafe

TEXTO Da redação • FOTO Mariana Proença

Mercado

ES e MG estão na final do Concurso Colheita Premiada

Nescafé Dolce Gusto anuncia os classificados para a próxima fase do Concurso Colheita Premiada, iniciativa que vai eleger o melhor café produzido no Brasil. Após análise das amostras inscritas, que vieram de várias regiões produtoras do País, a organização selecionou 16 lotes para a etapa classificatória. Entre os finalistas estão representantes dos estados de Minas Gerais e Espírito Santo. Clique e veja a lista completa. A partir de agora, para a escolha do melhor café, as amostras serão degustadas utilizando a metodologia de avaliação de qualidade da Nestlé, com acompanhamento da Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA) e auditoria da Safe Trace Café. Uma comissão julgadora vai avaliar o café e selecionar os finalistas para as categorias Arábica Via Seca, Arábica Via Úmida e Conilon. O lote vencedor do Concurso Colheita Premiada será anunciado no dia 27 de novembro. O produtor ou grupo de produtores do lote campeão terá 850 sacas adquiridas pela Nestlé para a produção de uma edição especial de cápsula 100% brasileira de Nescafé Dolce Gusto. O novo produto será produzido no Brasil, na fábrica de Montes Claros (MG), e comercializado a partir de julho de 2016 em todos os países em que a marca está presente. O concurso desenvolvido pela Nestlé tem parceria com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), e é organizado pela Associação Brasileira de Cafés Especiais. A produção certificada por um padrão independente de sustentabilidade foi um dos requisitados para participação. Fábrica no Brasil A edição limitada 100% brasileira de Nescafé Dolce Gusto será produzida na nova fábrica de cápsulas que será inaugurada em dezembro deste ano, na cidade de Montes Claros (MG). Esta é a primeira fábrica de marca fora da Europa e está recebendo um investimento de aproximadamente R$ 200 milhões em sua construção.

TEXTO Da Redação • FOTO Daniel Ozana

Mercado

Have a Coffee lança operação de clube de cafés na Dinamarca

O clube de assinatura de cafés Have a Coffee acaba de fechar uma parceria com investidores da Dinamarca para estender suas operações ao país nórdico. Os empresários dinamarqueses Mark Fries e Janus Fischer fecharam negócio com a marca brasileira e passam a trabalhar com o clube, focado em cafés especiais brasileiros, na europa. O clube na Dinamarca irá funcionar da mesma forma que o brasileiro, a equipe Have a Coffee seleciona os cafés, envia os microlotes para o país, onde são torrados, embalados e enviados para os clientes locais. Apenas participam dessa ação os cafés brasileiros. O lançamento da operação aconteceu há apenas 12 dias e, portanto, a marca ainda está na primeira seleção. Nesse primeiro momento, o produtor que se destacou foi Carlos Alberto Altoé, da região do Caxixe Quente, em Castelo, no Espírito Santo. A equipe de seleção avisa que se algum produtor tiver interesse em apresentar os cafés para a empresa, deve enviar um e-mail para contato@haveacoffee.com.br e a Have a Coffee entrará em contato para realizar a avaliação dos lotes e visita nas propriedades. Oficinas de café no Rio de Janeiro

Felipe Souza (Fundador do Have a Coffee); Hans (Barista do Have a Coffee); Diogo Cypriano (Mixologista); Guilherme Loureiro (Comercial do Have a Coffee), na loja Reserva do Shopping Rio Sul

Felipe Souza (Fundador do Have a Coffee); Hans (Barista do Have a Coffee); Diogo Cypriano (Mixologista); Guilherme Loureiro (Comercial do Have a Coffee), na loja Reserva do Shopping Rio Sul

No Brasil, a empresa fechou uma parceria com a marca de roupas Reserva, loja Rio Sul, no Rio de Janeiro, para servir cafés de pequenos produtores. O conceito do espaço é fazer com que o cliente se sinta mais relaxado, podendo pedir um café, jogar videogame ou usar a barbearia do local. O café exclusivo Reserva, composto da variedade catuaí vermelho, do produtor Alexandre Emerich, do Sítio Bela Vista (Alto Jequitibá-MG), selecionado pelo Have a Coffee, leva o nome de Pretinho Básico e pode ser degustado como espresso ou coado. Para promover ainda mais a parceria, no próximo sábado (21/11), a loja oferece uma Minioficina de Métodos Coados, com o barista Jonathan Piazarolo, da Trentino Cafés Especiais. Aberto ao público, o evento terá início às 14h e contará, também, com prova do café Pretinho Básico e alguns cafés do Espírito Santo e de Minas Gerais. Já no dia 19 de dezembro, quem for à loja, a partir das 14h, poderá provar um cold brew com lúpulo, elaborado pelo barista Vagner Benezath, da Kaffa Cafeteria, ao lado dos amigos Marcelo Costa e Bruno Reis, do Abridor – Interações Cervejeiras. Vagner explicará como foi feito o processo do cold brew com o café Reserva e levará cinco litros da bebida para degustação. Serviço Have a Coffee na Dinamarca Contato: contato@haveacoffee.com.br Mais informações: www.haveacoffee.dk Minioficina de Métodos Coados Data: 21/11 Local: Reserva Rio Sul – Rua Lauro Müller, 116 – 2° Piso, Shopping Rio Sul – Botafogo (RJ) Valor: gratuito Mais informações: www.haveacoffee.com.br Degustação de cold brew com lúpulo Data: 19/12 Local: Reserva Rio Sul – Rua Lauro Müller, 116 – 2° Piso, Shopping Rio Sul – Botafogo (RJ) Valor: gratuito Mais informações: www.haveacoffee.com.br

TEXTO Natália Camoleze • FOTO Divulgação