Mercado

O crescente papel do café no mercado italiano

Você sabia que a Itália é o segundo maior importador de grãos de café verde na Europa? Só em 2015, o país consumiu aproximadamente 5,7 milhões de sacas de 60 kg, o que representou 14% do consumo total da União Europeia.

Segundo o relatório “Crescimento, tendências e previsões do mercado cafeeiro da Itália 2020-2025”, o café já faz parte da cultura italiana e são consumidos em qualquer momento do dia, geralmente com açúcar ou compondo cappuccinos, lattes e macchiatos.

Os italianos preferem as cafeterias independentes para apreciar um bom café e buscam pela qualidade do grão, o que leva algumas cafeterias a ter mais sucesso. Pensando nesse crescimento e curiosidade sobre a bebida, foi inaugurada, em 2018, a primeira loja da Starbucks em Milão.

Nestlé, Starbucks e Lavazza estão presentes na vida dos italianos e cada vez mais buscam trazer inovações de produtos, ofertas, preços e embalagens. Isso levou a uma conclusão de que entre 2020 e 2025 haverá um aumento de 2,8% na CAGR do país, que em português significa Taxa Composta Anual de Crescimento. Ou seja, o mercado italiano será cada vez mais aquecido com o universo do café!

TEXTO As informações são do Business Wire / Tradução Juliana Santin • FOTO Café Editora

Mercado

Quarentena impulsiona venda on-line e marcas aumentam suas demandas

Com a chegada da quarentena no Brasil em meados de março, os empreendedores tiveram que se reinventar e a compra on-line ganhou um destaque enorme. Com as lojas fechadas e todos em casa, muitas pessoas passaram a se aventurar no ambiente virtual.

Uma pesquisa realizada pelo movimento Compre & Confie, em parceria com a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm), aponta que o e-commerce brasileiro faturou 56,8% a mais nos cinco primeiros meses de 2020 em comparação com o mesmo período do ano passado.

Outra pesquisa, realizada pela consultoria IDC, afirma que no Brasil 52% dos entrevistados pretendem fazer mais compras on-line. A consultoria ouviu três mil consumidores da Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, México e Peru para entender a mudança de comportamento na quarentena.

Com o universo do café não foi diferente. As marcas tiveram que se reinventar para conseguir atender o consumidor. Um exemplo é o Suplicy Cafés Especiais, que precisou fechar as cafeterias e viu suas vendas digitais aumentarem muito. “Investimos em reformular nosso conteúdo on-line, bem como a comunicação em redes sociais. Assim, tivemos um aumento de 400% no site e de 585% na receita”, explica Bruna Caselato, COO da marca.

Segundo Bruna, o Suplicy contava com clientes fiéis on-line, porém não era o foco da rede. “Com a pandemia, demos o foco total e em duas semanas fizemos um site do zero, com novos leia mais…

TEXTO Natália Camoleze • FOTO Café Editora

Mercado

Atenção, empresários! Dicas para atrair o consumidor nessa reabertura dos negócios

Após meses fechado, o comércio de São Paulo vem, aos poucos, retomando suas atividades. Com diversas restrições e recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS), o Plano São Paulo foi divido em cinco níveis de abertura econômica. Cada região retoma as atividades em determinados setores, de acordo com a fase em que se encontra.

Além da questão de segurança, os comerciantes enfrentam outro obstáculo nesse novo cenário: fazer com que o consumo retome. O advogado e economista Alessandro Azzoni explica que o País vive atualmente um superávit da caderneta de poupança, com registro de R$ 30 bilhões em abril e R$ 37 bilhões em maio, acumulando 67 bilhões (entre saques e depósitos), o que é um indicativo de que a população está com medo de gastar e guardando mais dinheiro. Ainda de acordo com ele, a economia tende a um estado de estagnação muito grande, com um cenário muito difícil até o fim do ano.

Em relação às cafeterias, o advogado Victor Cerri, afirma que infelizmente foi um ramo muito abalado. “Imagino que o consumidor de café especial sente saudade de toda a experiência que ele encontrava nas cafeterias. Imaginar que isso irá se restabelecer rapidamente é uma utopia, os empresários terão que se reinventar”, explica.

Uma opção seria a ideia do to go como uma alternativa pontual para minimizar os efeitos negativos causados pela Covid-19. “Outra ideia seria pensar na mesma solução que outros países apresentaram, com divisórias plásticas para diminuir o contato entre o funcionário e o cliente, o deixando mais confortável. Importante estimular de alguma forma o consumidor a comprar os produtos em pó ou grão para equilibrar o negócio”, completa.

Segundo o Sindicato dos Lojistas de São Paulo, o comércio paulista teve um fluxo de 10 a 20% do movimento normal nos primeiros dias. Já no Ceará, onde bares e restaurantes também foram leia mais…

TEXTO Redação • FOTO Felipe Gombossy

Mercado

Adiada para 2021, Fipan realiza lives com especialistas nesta semana

A Associação dos Industriais de Panificação e Confeitaria de São Paulo (Sampapão), responsável pela realização da Fipan, informou através de um comunicado que o evento presencial marcado para novembro foi transferido para 20 a 23 de julho de 2021, no Expo Center Norte, em São Paulo (SP). A Fipan é uma feira de negócios, com foco na panificação, confeitaria e estabelecimentos que atuam no food service.

A decisão foi por conta do cenário instável que a Covid-19 reflete no mundo e a segurança de todos os envolvidos. A organização afirma que está produzindo um conteúdo digital e que ao longo desta semana serão realizadas lives no Instagram @fipan.oficial, com o título Semana Fipan Talks.

Confira a programação:

21/7

18h – Panificação: os cases de sucesso de padaria artesanal – com o chef e proprietário da Escola Império do Cacau, Edu Beltrame e diretor comercial, Ferri Fornos, Rinaldo Camargo.

19h – Confeitaria: a retomada e as oportunidades da confeitaria – com o técnico chocolatier, Clifton Stanley e o chef chocolatier, Alexandre Bispo.

22/07

18h – Panificação: fidelização do cliente e produções sazonais – com o presidente da Associação da Indústria de Panificação e Confeitaria de São Paulo e proprietário da leia mais…

TEXTO Redação • FOTO Daniel Ozana/Studio Oz

Mercado

Microempreendedores de São Paulo: Sebrae lança programa de crédito mais barato

Com o objetivo de ajudar as pequenas empresas a se prepararem para a retomada da economia, o Sebrae-SP se uniu às fintechs BizCapital e Nexoos. O primeiro é um time de empreendedores que sabem como pode ser complexo abrir e desenvolver um negócio no Brasil e possuem condições de empréstimo calculadas individualmente de acordo com o perfil de cada empresa. Já o segundo é uma plataforma online que conecta empresas que necessitam de empréstimos a investidores.

A iniciativa visibiliza o Programa de Crédito Retomada, reunindo tecnologias para fazer com que os recursos cheguem mais rápido para empresas que buscam financiamento nesse período.

O Programa prevê condições facilitadas, com carência de seis meses, prazo de pagamento de até quatro anos e taxas de juros que variam de zero a 0,7% ao mês. Criado para ajudar o pequeno empreendedor na superação dos impactos causados pela crise de Covid-19, a expectativa é atender, na primeira fase, cerca de três mil empresas, com desembolso total de R$ 50 milhões. Todo o processo de solicitação do empréstimo é feito on-line e o empreendedor terá a liberação do crédito na conta em até sete dias.

Como funciona

A operação do Programa de Crédito Retomada será feita pelas fintechs e o Sebrae-SP será o orientador. Todos os participantes do programa serão acompanhados por especialistas, através leia mais…

TEXTO Redação • FOTO Café Editora

Mercado

Universidade alemã desenvolve produto de limpeza a partir de resíduos de café

Com o objetivo de criar um produto mais eficaz que os já existentes, pesquisadores da Universidade Jacobs de Bremen, na Alemanha, pretendem desenvolver um novo desinfetante usando resíduos de plantas como o café.

“Podemos aplicar nossos muitos anos de pesquisa a um tópico fundamental que se tornou cada vez mais importante com a crise do coronavírus”, explicou o professor de química, Nikolai Kuhnert. Ele lidera o projeto na Universidade Jacobs com seu colega Matthias Ullrich, professor de microbiologia. A dupla se preocupa há muito tempo com os efeitos antibacterianos e antivirais de substâncias naturais. Eles dizem que os resíduos de café contêm várias substâncias antibacterianas.

“Por exemplo, usaremos a casca externa do grão de café. Ela é removida antes da torrefação e se acumula como lixo nas empresas em Bremen”, explicou Kuhnert. Os pesquisadores também querem usar compostos feitos a partir dos restos de marmelo, dessa forma, os muitos anos de pesquisa dos cientistas resultarão em um produto prático. “E será verde, orgânico e sustentável”, acrescentou o pesquisador.

A pesquisa é realizada em cooperação com as empresas ProPure – Protect e Just in Air, de Bremen, e com financiamento do Bremer Aufbau-Bank, um banco público do Estado Federal de Bremen.

Como parte do seu programa de financiamento da Pesquisa Ambiental Aplicada, o Bremer Aufbau-Bank apoia o projeto com € 100.000 (cerca de US$ 113.000) por um período de dois anos. O objetivo não é apenas aumentar a eficácia do desinfetante, mas também desenvolver ainda mais a tecnologia. Assim, por exemplo, a pulverização de aviões, transportes públicos e hospitais poderá ser auxiliada com o produto.

TEXTO As informações são do Global Coffee Report / Tradução Juliana Santin • FOTO Vitor Barão

Mercado

Semana Internacional do Café 2020 está confirmada e será 100% digital

A Semana Internacional do Café é o maior encontro brasileiro de cafeicultores, torrefadores, classificadores, exportadores, compradores, fornecedores, empresários, baristas, proprietários de cafeterias e apreciadores, e anualmente acontece em Belo Horizonte (MG).

Porém, devido à pandemia de Covid-19 que atinge o mundo todo e diante do cenário incerto para os próximos meses, a equipe da SIC informou, nesta sexta-feira (17), que o evento será realizado de 18 a 20 de novembro, em formato 100% digital!

No comunicado, os organizadores informam que a Semana Internacional do Café reforça o total empenho em realizar o evento digital com os pilares que fazem da SIC uma das cinco maiores feiras de café do mundo, com negócios, oportunidades, relacionamentos e conexões para o mercado de café, e com essa decisão reforçam a segurança de todos.

“Sabendo da importância do evento para toda a comunidade do café, a SIC 2020, trará soluções inovadoras durante esse momento em que é preciso troca de conhecimento e união para ultrapassar os desafios que chegaram com a pandemia”, comunicou a organização.

Produtores reservem suas amostras! A organização já adiantou que o concurso Coffee of The Year 2020 está confirmado. Em breve publicaremos mais informações e o calendário.

A Revista Espresso e o CaféPoint são as mídias oficiais da SIC. Acompanhe as novidades por aqui!

Mais informações: www.semanainternacionaldocafe.com.br

TEXTO Redação • FOTO Giulianna Iannaco

Mercado

Amigos e café: curitibanos se unem em projeto de microtorrefação

Jovens, amigos, apaixonados pelo café, por campeonatos, drinques com café e torra. Da união de tudo isso surgiu a Royalty Quality Coffee, uma microtorrefação em Curitiba (PR).

A iniciativa da empresa aconteceu em 2019 em uma conversa entre os atuais sócios Daniel Acosta Busch, José Luiz Dominico, Daniel Munari e Luis Fernando Machado, que sempre tiveram a intenção de ter uma empresa própria e empreender. “Foi uma evolução profissional de todos, a ideia é trazer algo novo e a nossa visão do café especial”, explica Munari.

Os quatro definem quais cafés querem em relação ao sensorial, assim Daniel Busch é quem vai em busca dos grãos. Os cafés são separados em quatro categorias diferentes: de 84 a 86 pontos são os básicos; 86 a 88 intermediários; 88 a 90 superiores, a linha ouro; e os acima de 90 se encaixam na linha diamante. “Pensamos em buscar grãos com notas sensoriais diferenciadas para sempre diversificarmos. Outra análise que fazemos é se determinado café poderia ser usado em campeonatos, algo que faz parte da nossa história e não poderíamos deixar de vincular de alguma forma”, conta Munari.

Os baristas e sócios José Luiz Dominico, Daniel Acosta Busch e Daniel Munari com seus troféus obtidos em competições de barismo

Ficou confuso sobre essas pontuações?

De acordo com a metodologia de avaliação sensorial da Specialty Coffee Association (SCA), o café especial é aquele que atinge pontuação acima de 80, em uma escala de pontos até 100. Essa pontuação ocorre leia mais…

TEXTO Natália Camoleze • FOTO Divulgação

Mercado

Expansão no centro de produção e menos plástico por ano: marcas optam por inovações durante a pandemia

As empresas buscam a todo tempo diversas ações de melhorias. Um exemplo disso é a Nespresso, que anunciou o investimento de cerca de US$ 170,5 milhões para expandir seu centro de produção em Romont, na Suíça. O objetivo é atender à crescente demanda dos consumidores e apoiar o desenvolvimento internacional nos próximos anos.

“Isso também demonstra nosso compromisso com o desenvolvimento econômico de longo prazo da região e do país, com o qual compartilhamos valores de qualidade, inovação e experiência”, aponta Guillaume Le Cunff, CEO da Nespresso

Segundo a empresa, o investimento no centro de produção sustentável criará 300 empregos nos próximos 10 anos, além de aumentar o serviço de terceiros e o desenvolvimento de negócios locais e regionais. A construção do segundo salão de produção está prevista para iniciar em junho de 2021 e resultará em uma capacidade maior de 10 novas linhas de produção dedicadas à produção de cafés Nespresso para as linhas Vertuo e Professional.

A fábrica em Romont foi a primeira da Nestlé na Suíça a obter a certificação Liderança em Design Ambiental e Energia (LEED), em 2015. Para garantir essa certificação, a Nespresso conta leia mais…

TEXTO Redação • FOTO Café Editora

Mercado

O quanto a pandemia pode afetar o consumo brasileiro de café?

Que o ano de 2020 está diferente, isso não podemos negar. Os hábitos mudaram, muita gente se adaptou ao trabalho em casa e estamos sentindo falta daquela ida a cafeteria para tomar um bom café. Alguns lugares no Brasil e no mundo já reabriram e aqui você confere o que disseram os empreendedores nessa nova etapa.

O consultor de cafés e sócio da Capricornio Coffees, Edgard Bressani, contou para a nossa equipe que amigos com cafeterias na Bélgica, Grécia, França e Itália já reabriram e estão voltando ao normal, algumas regiões com limitações, outras não. “Amigos da Bélgica relatam que estão a todo vapor e que os clientes estão aparecendo aos poucos. A preocupação é com uma possível nova onda de Covid-19 com o final do verão europeu, mas estão seguindo normalmente com suas casas abertas”, relatou.

O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos divulgou um dado intrigante nesta semana de que, com o fechamento das cafeterias e restaurantes, o consumo global de café deve sofrer a primeira queda desde 2011. Em maio, José Sette, diretor executivo da Organização Internacional do Café (OIC), afirmou que o consumo fora de casa teve uma queda grande, mas que pode ser compensada pelo consumo dentro do lar.

Edgard é otimista quanto a isso. Ele acredita que a diminuição do consumo do café é uma fase: “em algumas cidades as cafeterias reabriram, outras não, mas as pessoas gostam de sair, socializar leia mais…

TEXTO Natália Camoleze • FOTO Café Editora