Mercado

Brasil registra crescimento das exportações de café solúvel em março deste ano

O relatório mensal divulgado pela Associação Brasileira da Indústria de Café Solúvel (Abics) aponta que as exportações nacionais do solúvel, em março de 2021, totalizaram 369.640 sacas de 60 kg, alta de 9,2% na comparação com o mesmo mês de 2020 e de 21,9% em relação a fevereiro deste ano. Com o desempenho, as remessas de solúvel ao exterior, no primeiro trimestre, alcançaram 946.267 sacas.

Para o diretor de Relações Institucionais da Abics, Aguinaldo Lima, o resultado de março foi bom e compensou o ritmo menos acelerado visto em janeiro e fevereiro. “Com a retomada observada no mês passado, consideramos que as exportações de café solúvel do Brasil demonstram estabilidade anual, mas com viés de alta, o que nos faz crer que seja possível alcançar a meta, prevista pela Abics, de crescimento de 3% ante 2020”, projeta.

Nos primeiros três meses de 2021, o Brasil comercializou café solúvel para 94 países, sendo o principal importador os Estados Unidos, com a compra de 163.519 sacas. Na sequência vêm: Rússia, com 96.174 sacas; Argentina, com 75.599 sacas; Japão, com 74.354 sacas; e Indonésia, com a aquisição de 64.621 sacas.

Para Aguinaldo, entre as principais nações compradoras de café solúvel do País, é notório o avanço registrado nas importações realizadas por Turquia e Colômbia. Os turcos incrementaram as aquisições em 132,4%, em relação a 2020, e ocupam a oitava posição no ranking. Já os colombianos, que ocupam a 12ª posição, elevaram suas importações em 115,9%.

Ele também destaca a presença da Holanda entre os 15 principais destinos do produto brasileiro. “Os holandeses estão entre os grandes produtores de café solúvel no mundo e, desde o ano passado, subiram no ranking de nossos clientes, o que demonstra uma aceitação à qualidade e à diversidade de nossas fabricações”, conclui.

Os dados completo do relatório estão disponíveis aqui. https://bit.ly/2OFrgXY.

TEXTO Redação • FOTO Amr Taha

Mercado

Adote Uma Micro Torrefação: Projeto que busca unir cadeia do café entra em nova fase

O projeto Adote uma Micro Torrefação surgiu no ano passado com o objetivo de unir toda a cadeia e levar ao consumidor cafés de diferentes regiões de Indicações Geográficas (IG). O intuito foi ligar produtor, microtorrefação e cafeterias. Clique aqui para conferir como foi o lançamento.

Ao todo, cinco IGs brasileiras que possuem selo de origem participam da campanha, que tem o apoio da Probat Leogap e do Sebrae: Alta Mogiana, Cerrado Mineiro, Mantiqueira de Minas, Matas de Minas e Norte Pioneiro do Paraná.

O objetivo inicial foi que os produtores doassem as sacas de café para as micro torrefações, que por sua vez doaram café torrado para cafeterias com o compromisso de compra de café torrado e verde em retorno. O marketing do selo de origem ficará por conta das cafeterias.

Aproximadamente 47 produtores participaram da iniciativa e 40 micro torrefações preencheram um questionário, que foi analisado e levado em conta alguns itens, como ter mais de dois anos de existência e já trabalhar com o café especial. “Fizemos uma seleção dos inscritos, promovemos um encontro virtual entre todos os micro torrefadores e distribuímos o café que foi doado de acordo com as necessidades. Procuramos levar novidades aos torrefadores para eles divulgarem selos de regiões que ainda não tinham”, explica uma leia mais…

TEXTO Redação • FOTO Divulgação

CafezalMercado

Governador e Secretário de Agricultura de SP falam sobre agronegócio no Fórum SuperAgro

Está sendo realizado nesta quinta-feira (8), de maneira virtual com transmissão via YouTube, o Fórum SuperAgro. Organizado pela Exame, o evento contou com a participação do Governador do Estado de São Paulo, João Doria (PSDB), e do Secretário de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, Gustavo Junqueira, no painel “Como o Estado de São Paulo incentivará o agronegócio em 2021 e 2022”.

Sobre o tema, Gustavo Junqueira destacou alguns projetos criados pelo Governo do Estado para conectar a cidade ao campo. “No caso do agro, nós temos o programa Cidadania no Campo, que busca levar o mesmo nível de cidadania que nós temos nas cidades para o campo. Isso passa fundamentalmente por um trabalho de tecnologia. Desde o início, o Governador tem liderado processos onde o Estado fica mais eficiente pela implementação de tecnologia. Nós fizemos uma parceria com o Google, em 2019, para que fosse feito todo o endereçamento de propriedades rurais no Estado de São Paulo, que são 350 mil propriedades. Isso é importante para a segurança, ganho de eficiência na logística, mas, fundamentalmente, para que a gente possa integrar os mercados e fazer tudo que a gente faz de grande nas cidades, no campo”, explicou.

O Secretário de Agricultura e Abastecimento também destacou o mapeamento digital de todas as estradas paulistas e o cadastramento de pequenos produtores rurais e supermercados a uma plataforma digital. “Há todo um programa de conectividade no campo, porque nada disso funcionará se não tiver uma ligação. Então começa um projeto dentro da Secretaria de Agricultura com o setor privado, que é o Conectar Agro, liderado pelo Governo para que a gente tenha conectividade no campo”, disse.

Relações entre o Brasil e o exterior

Em relação à crise de reputação brasileira quanto ao meio ambiente, que acaba tendo relação com o agronegócio, João Doria disse: “Apesar de nós termos a Ministra Tereza Cristina fazendo um esforço louvável, eu reconheço isso, é muito difícil um esforço isolado dentro de um Governo desconectado”.

Ele também comentou que o Brasil vive hoje a sua pior leia mais…

TEXTO Gabriela Kaneto • FOTO Felipe Gombossy

Mercado

Canal de vendas por WhatsApp e nova embalagem de vidro são apostas de grandes marcas

Foto: Yura Fresh

A Jacobs Douwe Egberts (JDE) divulgou nessa semana o novo canal de vendas das cápsulas L’OR. Trata-se de um chatbot feito exclusivamente para o WhatsApp. A novidade tem o intuito de reforçar o lado digital da companhia, oferecendo uma experiência real de compra pelo aplicativo de mensagens, além de estreitar o relacionamento com o consumidor.

O novo canal tem o objetivo de impulsionar as vendas das cápsulas L’OR para além dos canais tradicionais, como as lojas físicas e o e-commerce, oferecendo mais uma opção para os consumidores durante o período de isolamento social.

De acordo com Tina Cação, Diretora de Vendas da JDE no Brasil, o varejo digital é um dos segmentos que mais crescem no Brasil e no mundo. “A JDE está sempre buscando oferecer as melhores experiências para o nosso consumidor, trazendo os melhores cafés e criando experiências únicas”, afirma.

O novo canal de vendas da JDE pelo WhatsApp pode ser acessado através do número (11) 93281-5600. Durante o mês de abril, lançamento da novidade, quem acessar o canal ganhará 10% de desconto em compras realizadas.

Nas prateleiras

A Melitta acaba de ampliar seu portfólio e os consumidores do sul do País e de São Paulo poderão adquirir o Café Solúvel Melitta Tradicional em embalagem de vidro de 200 g.

Foto: Divulgação

O lançamento chega para atender os consumidores dessas regiões, principalmente nos estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, onde o volume de consumo de café solúvel em embalagem de vidro representa 50,6%, segundo pesquisa da empresa Kantar, que estuda o comportamento do consumidor.

“Adequamos nosso portfólio ao consumidor e ao mercado. Estamos sempre atentos ao comportamento de consumo para inovar e oferecer o melhor Café Solúvel Melitta, com aroma e sabor de café fresquinho”, explica Rosiane Wang, coordenadora de Marketing na Melitta. A nova embalagem já está disponível nos principais pontos de venda das regiões de lançamento.

TEXTO Redação

Mercado

Evento on-line Coffee Retail Summit trará palestras sobre negócios no café e como construir sua marca

Nos dias 13 e 14 de abril acontece o Coffee Retail Summit, um evento global on-line organizado pela Specialty Coffee Association (SCA). Ao todo serão 8 palestras por dia. A participação é gratuita e as inscrições podem ser feitas aqui.

No tema pandemia, serão abordados o cenário do varejo atual e como as empresas devem adicionar os cuidados para prevenção da doença para seguir à frente de todo o desafio.

Em negócios do café, os palestrantes irão debater sobre o que envolve um negócio de qualidade, não basta ter apenas um excelente café, mas a qualidade na administração é essencial. Serão apresentadas ferramentas que auxiliam no entendimento de onde a empresa se encontra agora e como tomar as decisões necessárias para melhoria dela.

Já construindo sua marca apresentará a importância da comunicação empresarial e do marketing para atravessar a pandemia. Segundo a organização, as pesquisas apontam que conectar-se com a comunidade local é a base para o sucesso no varejo.

A programação completa está disponível no site.

TEXTO Redação • FOTO Andrew Neel

Mercado

Pesquisa norte-americana destaca leve queda no consumo de café durante a pandemia

Uma pesquisa realizada nos Estados Unidos pela Associação Nacional do Café (NCA, sigla em inglês) aponta que 58% das pessoas no país tomaram ao menos um café no dia anterior, sendo que, em 2020, nesta mesma pergunta, o volume foi de 62%.

A Associação ressalta que os resultados não necessariamente indicam uma redução nos volumes de café consumidos nos Estados Unidos, já que muitas pessoas, trabalhando de casa, consomem mais café do que nos escritórios.

Grandes varejistas do setor cafeeiro norte-americano registraram aumento nos volumes totais vendidos durante a pandemia. Não está claro, no entanto, se este crescimento compensou a queda no consumo fora de casa. O fato das cafeterias ainda operarem com limitações pode ser um dos motivos para a queda no consumo de café.

A pesquisa afirmou que as pessoas estão consumindo a mesma quantidade da bebida pela manhã, mas que o consumo à tarde, um hábito muitas vezes relacionado a idas às cafeterias, diminuiu em 4 pontos percentuais.

“O café continua sendo, indiscutivelmente, a bebida favorita dos Estados Unidos, mesmo com o país inteiro em vários estágios de lockdown e uma forte queda no público das cafeterias neste ano”, explicou o presidente e CEO da NCA, Bill Murray.

Ele espera que o consumo aumente nos próximos meses, à medida que o país se recupera da pandemia de coronavírus. De acordo com a pesquisa, as pessoas seguiram divididas sobre quando se sentirão confortáveis para sair de casa para tomar café. 33% afirmaram que já se sentem confortáveis para voltar a frequentar as cafeterias, enquanto que 31% indicaram que irão esperar a pandemia terminar.

TEXTO As informações são da Reuters • FOTO Wade Austin Ellis

Mercado

Dúvidas para desenvolver seu negócio? Prefeitura de SP abre inscrições para curso on-line

A Prefeitura de São Paulo, por meio da Ade Sampa, agência vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Turismo, abriu inscrições para o Fábrica de Negócios. O programa, criado para potencializar negócios inovadores em estágio inicial, é realizado totalmente on-line. Os interessados podem se inscrever através deste link.

A atividade é composta por dois módulos, oferecendo workshops, oficinas, palestras e mentorias especializadas em diversas áreas do empreendedorismo. Tudo isso visando colocar no papel diferenciais competitivos para que essas iniciativas se tornem um negócio concreto.

O primeiro módulo tem o objetivo incentivar os participantes a trocarem informações sobre as percepções de seus negócios, reconhecerem oportunidades com base em suas vivências e estudos compartilhados. Com as diretrizes ensinadas, os microempreendedores serão capazes de assimilarem seu público-alvo, dominarem conceitos com maior acessibilidade, se conectarem com a sua região e inovarem nos seus ramos de atividade.

No segundo módulo, os componentes intensificarão suas ideias de projeto, entendendo e adquirindo métodos essenciais para legitimar o empreendimento. Dessa forma, será possível desenvolverem o Mínimo Produto Viável (MVP) e realizarem a primeira distribuição, de forma prática.

Saiba mais sobre o programa no site.

Serviço
Fábrica de Negócios
Horário: 19h às 21h
Quando:
1ª fase – “Tenho uma ideia, e agora?”: 12 e 14 de abril
2ª fase – “Teste o seu negócio pondo a mão na massa”: 16, 19, 22 e 26 de abril

TEXTO Redação • FOTO Green Chameleon

Mercado

Marca italiana Lavazza acredita em recuperação nas vendas de café em 2021

Na última quinta-feira (1º), o presidente-executivo da produtora italiana de cafés Lavazza, Antonio Baravalle, relatou em coletiva on-line que as receitas da empresa poderão se recuperar esse ano, mirando atingir ao menos o patamar de 2,2 bilhões de euros (2,58 bilhões de dólares) visto em 2019 e, ainda, avalia oportunidades de fusões e aquisições.

Em 2020, a Lavazza registrou vendas avaliadas em 2,085 bilhões de euros, com os negócios de varejo compensando apenas parte das perdas relacionadas à queda no consumo de café fora de casa.

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) somou 253 milhões de euros em 2020, queda de 13% em relação a 2019. O grupo também deseja retomar o nível de Ebitda alcançado em 2019, ou um patamar pouco abaixo deste.

Apesar do impacto negativo da pandemia de Covid-19 para o consumo de café em bares, restaurantes e escritórios, o grupo terminou 2020 com uma posição financeira líquida positiva de 102 milhões de euros.

“Se virmos oportunidades de fusões e aquisições, vamos tentar aproveitá-las, embora com grande atenção aos aspectos econômicos e financeiros”, explica Antonio Baravalle, acrescentando que, no momento, o grupo não possui planos concretos de aquisições.

A pandemia não interrompeu os investimentos da empresa. Segundo Antonio, a produtora de cafés irá aplicar um total de 50 milhões de euros para reduzir sua pegada de carbono e atingir a neutralidade em carbono até 2030.

O grupo sediado em Turim, no norte da Itália, não planeja uma listagem em bolsa no momento, já que tem atingido os resultados financeiros de que precisa e seus acionistas não procuram uma estratégia para deixar a empresa.

Antonio Baravalle espera, ainda, que as vendas em restaurantes e bares e o consumo de café em escritórios se recuperem gradualmente, acrescentando que o grupo não planeja mudar sua estratégia de longo prazo, que visa a expansão em todos os três segmentos.

TEXTO As informações são da Reuters, por Francesca Landini • FOTO Jeremy Ricketts

Mercado

Projeto busca ampliar mercado mundial do café solúvel brasileiro

Nesta quarta-feira (30), os presidentes da Associação Brasileira da Indústria de Café Solúvel (Abics), Pedro Guimarães, e da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), Sergio Segovia, assinaram o projeto setorial Instant Coffee Brazil – Explore & Enjoy, que tem como objetivo ampliar os mercados mundiais ao café solúvel nacional.

O evento on-line contou com a participação do diretor de Relações Institucionais da Abics, Aguinaldo Lima, e de profissionais das indústrias associadas à entidade, que respondem por 99,5% da produção nacional de café solúvel.

“As ações do projeto pretendem turbinar as estratégias para alcançar a meta de crescimento de 50% no volume exportado no período de 2016 a 2025, que foi estabelecido no plano estratégico de desenvolvimento do café solúvel do Brasil, que elaboramos em 2015”, explica Aguinaldo Lima.

O presidente da Abics completa que as atividades também serão desenvolvidas para consolidar a marca institucional do café solúvel do Brasil internacionalmente. “A intenção é desenvolver estratégias de inteligência de mercado e marketing, que ampliarão ainda mais a visibilidade dos produtos brasileiros, reforçando o conceito de que o Brasil, a ‘nação do café’, também é a ‘nação do café solúvel’”, comenta Pedro Guimarães.

O novo projeto pretende, ainda, atrelar as estratégias de marketing às de sensibilização de negociações tarifárias. “Queremos estimular acordos comerciais juntos aos governos dos diversos países leia mais…

TEXTO Redação • FOTO Felipe Gombossy

Mercado

Pesquisa mostra que 20% dos brasileiros já foram vítimas de golpes na internet

Um estudo realizado pela Kaspersky, empresa internacional de segurança virtual, aponta que um em cada cinco brasileiros sofreu pelo menos uma tentativa de ataque de phishing em 2020.

Mas você sabe o que phishing? É considerado um crime virtual que pode acontecer por e-mail, telefone ou mensagem de texto. O objetivo dos criminosos é conseguir dados privados da vítima. Com a pandemia, esses ataques cresceram no País. No começo do isolamento social, entre fevereiro e março, o número de ameaças virtuais aumentou mais de 120%.

O levantamento também mostrou que o Brasil é líder em golpes virtuais, à frente de Portugal, França, Tunísia e Guiana Francesa, sendo que o índice de brasileiros alvos de phishing é maior do que a média mundial, 20% contra 13%.

De acordo com a pesquisa, isso acontece porque muitas pessoas têm dificuldade de reconhecer uma mensagem eletrônica falsa. Em torno de 30% dos brasileiros estão nessa situação. “Com o avanço da internet, tudo foi facilitado. É muito mais fácil você obter dados e disponibilizar seus dados. Com isso, a quantidade de pessoas com más intenções aumentou”, afirma Elton Vinicius Rauh, coordenador de Data Center e Administração de Redes do Instituto das Cidades Inteligentes (ICI), organização criada em 1998 com atuação em todo o território nacional, com pesquisa, integração, desenvolvimento e implementação de soluções completas de Tecnologia de Informação e Comunicação para a gestão pública.

Atualmente, é muito difícil alguém não se expor na internet. “Nós nunca estamos 100% seguros, por isso temos que tomar muito cuidado com o que vamos acessar. Você pode ter o melhor antivírus, mas leia mais…

TEXTO Redação • FOTO Austin Distel