Café & Preparos

O tecido musical de Ná Ozzetti

A cantora e compositora de raiz experimental e independente comemora quarenta anos de carreira fazendo o que sabe melhor: boa música brasileira

No meio do já urbanizado bairro da Água Branca, em São Paulo, surgiu, no final da década de 1950, numa rua de terra batida e sem iluminação, um loteamento. Foi nesse pedacinho de interior dentro da cidade grande que cresceu a cantora Ná Ozzetti.

“Minhas primeiras memórias são todas musicais. Lembro dos almoços na casa do meu avô materno, nos quais os casais dançavam ao som do acordeon tocado pelo meu tio. Eu me encostava na parede e acompanhava as danças”, conta.

“Meu pai ouvia músicas em um radinho à noite e eu me recordo de adormecer escutando as canções. Também tinha facilidade para aprender a cantar. Era afinada desde pequena”, garante.

A incursão pela música se aprofundou quando seu pai comprou um piano. Ná aprendeu a tocar e experimentava novos sons com seu irmão, Dante Ozzetti. Mas, quando chegou a hora de prestar vestibular, o destino quis que ela cursasse Artes Plásticas.

“A faculdade de Música em São Paulo na época era a Escola de Comunicação e Artes (ECA), da Universidade de São Paulo. Ela era voltada para a música erudita e buscava estudantes com histórico em leia mais…

TEXTO Leo Valle • FOTO Marcus Steinmeyer

Café & Preparos

Siga a Espresso: 12 cafeterias para conhecer em São Paulo!

Para nos mantermos sempre atualizados das casas que pipocam na cidade de São Paulo, no segundo semestre de 2019 a Espresso criou o Espresso em SP, ação que consiste em visitarmos cafeterias na capital paulista a cada semana, divulgando os ambientes em nosso Instagram!

Selecionamos as primeiras cafeterias que conhecemos desde que o desafio foi lançado e separamos aqui em forma de listinha para você, que está na cidade da garoa, conhecer também! Dá uma olhada:

Black n’ Load

A casa oferece cafés especiais nos métodos hario V60, aeropress, clever, french press, além de opções à base de espresso. O cardápio conta com comidinhas salgadas, como pão de queijo, pão na chapa, sanduíches veganos e vegetarianos, e queijo quente. Para os fãs de doce, é possível pedir bolo gelado de coco, brownie, cookie com doce de leite e cinnamon roll!

Onde: Rua Bahia, 843 – Higienópolis
Horário de funcionamento: segunda a sexta, das 9h às 19h
Mais informações: www.instagram.com/blacknload

Studios Coffee

Você pode provar cafés especiais nos métodos hario v60 e aeropress, além de bebidas à base de espresso e cold brew. Para acompanhar, a casa oferece croissants, cuca, brownie, bolos, sanduíches, toasts e tortas com salada. Nessa visita nós harmonizamos um café na v60 com uma deliciosa empanada e pão de queijo! Conta ainda com uma lojinha onde você encontra métodos, acessórios e um acervo de discos de vinil!

Onde: Praça Benedito Calixto, 100 – Pinheiros
Horário de funcionamento: segunda a sexta, das 9h30 às 18h30; sábado, das 9h30 às 19h
Mais informações: www.instagram.com/studioscoffee

Coffee Sweet Coffee

A casa antiga preserva os cômodos originais onde você pode degustar seu café nos métodos hario v60, french press, aeropress, clever, kalitta, chemex. Para os apressados, há o filtrado na Bunn, já para os dias de calor, a opção é o cold brew. Comidinhas não faltam! Uma variedade de delícias, como waffles, pães artesanais, croissant, ciabatta, arroz doce, bolos caseiros e gelados, cookies, leia mais…

TEXTO Redação • FOTO Gabriela Kaneto, Fernanda Sophia, Giulianna Iannaco

Café & Preparos

Londres: número de cafeterias aumenta 700% na última década

Novas estatísticas revelaram que o número de cafeterias independentes em Londres cresceu 700% na última década. De acordo com o grupo de pesquisa da indústria Allegra, a quantidade do que chama de cafeterias de cafés especiais na capital inglesa aumentou de cerca de 50, em 2010, para agora mais de 400 hoje.

As cafeterias apresentadas nos dados incluem as que são independentes e as que possuem mais de uma unidade, como a Caravan Coffee Roasters, que opera seis locais, e a Redemption Roasters, que possui nove locais.

O CEO da Allegra, Jeffrey Young, também fundou o London Coffee Festival. Falando sobre os novos dados, ele disse: “Os londrinos estão procurando uma experiência mais polida, mas ainda informal. Os dias de cafeteria suja se foram”.

A pesquisa também revelou outros dados interessantes sobre os hábitos de café na capital, incluindo o pedido de café favorito do londrino, o café com leite, com 51,4% dos pesquisados ​​admitindo que este é o seu pedido usual. 35% das pessoas pedem um cappuccino, enquanto apenas um em cada quatro opta por um tradicional.

Os dados também revelaram que a tendência para o leite alternativo continua crescendo, à medida que mais londrinos optam por seguir dietas veganas ou sem laticínios. O leite de aveia provou ser a alternativa mais popular, com um em cada cinco londrinos solicitando-o em seus cafés.

A atual edição do London Coffee Festival acontecerá de 2 a 5 de abril e contará com workshops de latte art, coquetéis de café, música ao vivo e demonstrações de baristas. Este ano, o evento chega pela primeira vez ao Brasil. O São Paulo Coffee Festival está previsto para acontecer de 26 a 28 de junho, na Bienal – Parque Ibirapuera.

TEXTO As informações são do Squaremeal / Tradução Juliana Santin • FOTO Lucas Albin / Agência Ophelia

Café & Preparos

Lugar de mulher é onde ela quiser

A liderança feminina na cadeia produtiva do café ganha visibilidade com a atuação das mulheres em diferentes frentes, quebrando barreiras e abrindo mercados

A agricultura começou feminina, quando as mulheres passaram a semear o que antes era coletado na natureza. Elas continuam no campo, mas essa atividade que mudou a vida da humanidade e se tornou um expoente econômico – caso do agronegócio no Brasil – passou a ser um setor representado por homens. A cafeicultura segue o modelo. “Há 28 anos, quando comecei a buscar grãos nas fazendas brasileiras, o papel da mulher era servir café”, afirmou Anna Illy, diretora da empresa italiana illycaffè, durante a Semana Internacional do Café (SIC), em Belo Horizonte (MG), no ano passado.

Mas Ana também é testemunha de uma mudança que buscou visibilidade e liderança ao longo do tempo. “Hoje muitas produtoras estão à frente dos seus negócios”, comentou. Esse empoderamento a que ela se refere ganhou representatividade há sete anos com a criação da Aliança Internacional das Mulheres do Café (IWCA-Brasil), rede formada por mulheres envolvidas em toda a agroindústria do café. “É um trabalho lento e longo, mas fundamental para as mulheres saírem da invisibilidade”, afirma a presidente Josiane Cotrim. A entidade lançou em parceria com a Embrapa o livro Mulheres do Café, que retrata o trabalho de cafeicultoras nos principais estados cafeeiros do País.

A ideia de que o homem representa a cadeia produtiva, porém, não é uma particularidade brasileira. O mestrado da antropóloga norte-americana Sabine Parrish sobre a divisão de gênero nas cafeterias especiais dos Estados Unidos mostrou que as gorjetas eram menores quando as mulheres estavam no comando das máquinas de espresso. “Há uma falsa ideia por parte dos consumidores de que os homens são melhores em tecnologia”, diz. Sobre a baixa participação feminina em campeonatos, ela deparou com o clássico estereótipo de que “o homem é mais competitivo”. “Conclusões equivocadas que demoram uma eternidade para ser desfeitas”, diz Sabine.

Na avaliação de Regina Madalozzo, professora do Insper, em São Paulo, essa distorção de competências também acontece nas empresas. A diferença, segundo ela, é que essa discussão no mundo executivo é mais antiga. Regina é cocoordenadora do Panorama Mulher 2018, pesquisa leia mais…

TEXTO Janice Kiss

Café & Preparos

Participe da II Copa São Paulo Hario v60!

Em comemoração ano aniversário de 466 anos da cidade de São Paulo, no dia 25 de janeiro, às 17h, será realizada a II Copa São Paulo Hario v60. O evento, que busca premiar o melhor preparo no método japonês, está previsto para acontecer em Pinheiros, na cafeteria Um Coffee Co.

As rodadas serão compostas por três competidores e três juízes, que farão suas avaliações sensoriais individualmente. Cada barista terá seis minutos para preparar sua receita. O participante com a xícara melhor avaliada avança para a próxima etapa. Os prêmios das três primeiras colocações são:

1º lugar – R$ 700
2º lugar – R$ 350
3º lugar – R$ 150

O café oficial da competição é da variedade Pacamara, um híbrido de Pacas com Maragogipe. Os grãos foram cultivados na Fazenda Ambiental Fortaleza, na região de Mococa (SP). Aos interessados em competir, as inscrições abrem amanhã (11), às 10h, neste link. O valor é de R$ 55.

A II Copa São Paulo Hario v60 conta com organização da 55 Coffee Hub e parceria do São Paulo Coffee Festival, Isso É Café, Flavors, Hario, Bunn, Cropster, Atilla e Coffea Trips. A Espresso é mídia oficial.

Serviço
II Copa São Paulo Hario v60
Quando: 25/1, às 17h
Onde: Rua Paes Leme, 215 – Pinheiros – São Paulo (SP)
Mais informações: www.instagram.com/copasaopaulohariov60

TEXTO Redação

Café & Preparos

Museu do Café realiza programação cafeinada para crianças

A partir de hoje (8), o Museu do Café, localizado na cidade litorânea de Santos (SP), lançou uma programação especial de férias para as crianças. A agenda, idealizada até o dia 2 de fevereiro, conta com atividades extras aos fins de semana e com o ambiente temático chamado de “Espaço Café com Leite”.

Com piscina de bolinha, pula-pula, jogos de tabuleiro e fantasias, a área infantil funcionará de quarta a domingo, das 11h às 17h, dentro do edifício da antiga Bolsa Oficial do Café. Neste mesmo local o público infantil pode encontrar o “Cafezalzinho”, brincadeira lúdica que busca apresentar a rotina realizada na fazenda, incluindo processos como colheita, secagem e torra. Confira as atividades especiais do fim de semana aqui.

O ingresso para participar do espaço custa R$ 10 e dá direito às áreas expositivas do Museu. Crianças de até 5 anos não pagam e estudantes pagam meia entrada. Para participar das atrações adicionais, basta solicitar a adesão às monitoras do local. Aos sábados a visitação é franca, portanto, a mesma gratuidade vale para a área infantil e os eventos realizados no dia.

Mais informações: www.museudocafe.org.br

TEXTO Redação

Café & Preparos

Portugal e suas peculiaridades

Os portugueses são bastante parecidos com os brasileiros quando o assunto é café. E posso afirmar isso em muitos sentidos. Eles bebem café comercial e estão começando a descobrir o “café de especialidade”; é assim que chamam por lá o que intitulamos café especial.

Era 2016 quando resolvi fazer uma longa viagem a Portugal. Quase não se ouvia falar sobre cafés especiais, talvez uma ou duas cafeterias, mas nenhuma microtorrefação especializada. Nove meses se passaram quando voltei para o país e, para minha surpresa, encontrei um cenário diferente.

A velocidade com que o mercado cresceu e continua crescendo chama muito a atenção dos empreendedores, inclusive de brasileiros como o produtor Evaldo Coutinho, que resolveu aproveitar o benefício da dupla cidadania e escolheu Lisboa para montar uma microtorrefação, a Caparaó Specialty Coffees, e ser base de venda dos cafés no mercado europeu. Evaldo desenvolve um trabalho de extrema leia mais…

TEXTO Daniel Carvalho • FOTO Divulgação

Café & Preparos

Moído na hora

Um dos segredos para obter um café gostoso é, sem dúvida, uma moagem fresquinha. Apesar da importância dessa técnica, ainda é comum o uso do café já em pó, por conta da praticidade e pela falta de um moedor em casa. O X da questão é que usar um café que foi moído muito antes do preparo faz com que características fundamentais do fruto sejam perdidas, o que prejudica diretamente o resultado final.

Corpo, doçura e aroma são alguns dos traços encontrados dentro dos grãos, mais especificamente nos óleos, que são voláteis e sofrem oxidação com facilidade, principalmente depois da moagem (em cerca de três minutos). Por isso, para garantir que muitas qualidades do grão sejam mantidas na xícara, é importante que a bebida seja preparada logo após esse processo. Vale lembrar que o café é uma bebida feita de uma fruta e, que assim como qualquer outra, sofre interferência da oxidação se exposta por muito tempo.

O mercado de moedores está crescendo cada vez mais, os modelos vão desde os mais potentes, que aguentam moer uma quantidade maior de café, até os compactos e mais simples, ótimos para quem prepara café em casa. Além disso, há diversos tipos de lâmina e material que fazem com que alguns sejam mais resistentes que outros, ou que entreguem uma moagem mais uniforme.

Tipos de lâmina

Flat: a moagem se dá com a parte de cima girando sobre a parte de baixo. A moagem entregue costuma ser mais precisa, com partículas mais uniformes. No resultado final é possível encontrar poucos fines, porém eles são mais finos. Sua lâmina roda e esquenta menos vezes.

Cônica: em formato de cone, a parte de dentro gira e mói o grão através do atrito com a parte de fora. O resultado é mais desuniforme do que o entregue pela flat, porém os fines são menos finos. O aparelho costuma esquentar mais.

Hélice: a moagem é mais desuniforme do que as encontradas na flat e na cônica. Também é possível achar uma maior quantidade de fines no resultado final. É comum encontrá-la em moedores elétricos.

O que são fines?

São partículas finas que podem interferir no resultado final, tanto positiva como negativamente. Para eliminá-las existem algumas peneiras para usar após a moagem, e assim excluir os fragmentos que podem atrapalhar o sabor da bebida. Mas, antes de peneirar, vale a pena fazer o teste para ver como essas partículas se comportam em determinados métodos.

É importante limpar a lâmina?

Sim! A falta de limpeza faz com que o pó de moagens anteriores vire uma pasta, fixando-se nas lâminas. Com isso, o equipamento perde seu corte, girando mais vezes para alcançar o resultado desejado e, consequentemente, esquentando mais. A elevação da temperatura no processo é algo negativo.

Dica:

Dê preferência a moedores cujos fabricantes tenham representação no Brasil. Caso alguma peça se quebre, fica muito mais fácil realizar a troca e a manutenção.

Moagem ideal para cada método

Italiana: média grossa
French Press: média grossa
Kalita: média fina
Clever: média
Chemex: média
Hario V60: média
Aeropress: média

Média grossa = textura de trigo para quibe
Média = textura de açúcar cristal
Média fina = textura de farinha de rosca

(Texto originalmente publicado na edição impressa da Revista Espresso referente aos meses março, abril e maio de 2019 – única publicação brasileira especializada em café. Receba em casa. Para saber como assinar, clique aqui).

TEXTO Gabriela Kaneto • FOTO Daniel Ozana/Studio Oz

Café & Preparos

Em troca de cappuccinos, Projeto Natalatte recebe 400 brinquedos

Com o intuito de distribuir cafés especiais e fazer a alegria de crianças carentes, o Natalatte foi criado pelo pessoal da cafeteria paulistana True Coffee e da advogada e educadora social Bruna Dorneles.

Este ano, a arrecadação aconteceu no último sábado (14): quem entregava um brinquedo novo ou usado em bom estado para doação, ganhava um cappuccino da casa! Com isso, o projeto recebeu 400 brinquedos.

As doações foram entregues em uma ocupação localizada no bairro do Grajaú, na cidade de São Paulo, conhecida como “Favela da 19”. Além dos brinquedos, foram oferecidos 200 cachorros quentes e, no próximo domingo, também serão distribuídas 45 cestas básicas. Confira a galeria de fotos:

TEXTO Redação • FOTO Divulgação