Café & Preparos Archives - Revista Espresso

Café & Preparos

Nespresso lança websérie gastronômica

Com estilo documental e intimista, a Nespresso lançou a websérie Talentos da Gastronomia – onde estrelas são braços direito de chefs renomados. Mostrando a trajetória, o talento e a essência de oito cozinheiros, os episódios serão postados às quintas-feiras, no canal da marca, no YouTube, no total de oito. O primeiro episódio foi lançado oficialmente em São Paulo, no dia 9 de agosto, em noite de celebração com apresentação de Gio Ewbank e de convidados da área de gastronomia, no Hotel Pullmann Ibirapuera. A Revista Espresso foi convidada e acompanhou em primeira mão as novidades.

Um dos objetivos do programa é aproximar os espectadores dos participantes, dando vida às histórias. “Nosso principal desafio foi criar algo que fugisse dos modelos já muito explorados para este tipo de atração”, disse Guilber Hidaka, diretor da Búfalos, empresa responsável pela produção.

Os participantes, pupilos de grandes profissionais, foram indicados pelos chefs parceiros da linha profissional da Nespresso. “São pessoas que fazem o show acontecer e estão onde a luz do palco não chega, a cozinha”, disse Priscila Sabará, CEO da FoodPass, curadora do projeto. “Nosso objetivo foi dar espaço para que eles pudessem mostrar seus talentos e processos criativos, em uma jornada de aprendizado e co-criação, não de competição”, completou.

Além de participarem dos episódios, os cozinheiros estarão concorrendo ao posto de grande revelação da gastronomia brasileira. O vencedor ganhará uma viagem para a Suíça, onde terá a oportunidade de conhecer a fábrica da Nespresso e realizar um estágio em um restaurante estrelado Michelin.

O programa conta com a presença de Adriana Alves como apresentadora, do chef Laurent Suaudeau, da Escola de Arte Culinária Laurent Suaudeau, como jurado; e da nutricionista Priscila Sabará, da FoodPass. Alguns episódios terão a presença de convidados especiais que atuarão junto ao júri, que avaliará, após os testes, fatores como postura, criatividade, organização da bancada, limpeza, comportamento e liderança.

O desafio irá envolver provas práticas, como o desenvolvimento de pratos autorais utilizando alimentos variados para as propostas de refeições. O café permeará todos os capítulos, sendo ingrediente principal ou permitindo que os participantes explorem diferentes formas de harmonização da bebida.

Cada episódio possuirá uma dinâmica específica, dando a oportunidade dos participantes conhecerem diferentes cozinhas, cenários e ingredientes. “Queremos mostrar o universo e as relações que envolvem a gastronomia, valorizando principalmente quem conduz a cozinha no dia a dia”, comenta Claudia Leite, gerente de Cafés e Sustentabilidade da Nespresso no Brasil.

A novidade possui curadoria da FoodPass e da Escola de Arte Culinária Laurent Suaudeau, identidade visual criada pela FutureBrand São Paulo, estratégia de mídia coordenada pela VML e produção da Búfalos. Para acessar o canal da Nespresso no YouTube, clique aqui.

Mais informações: www.talentosdagastronomia.com.br 

TEXTO Redação • FOTO Divulgação

Café & Preparos

Bota pra ferver!

É comum as pessoas se perguntarem se vale a pena ou não comprar mais um objeto para casa, seja ele um utensílio ou um pequeno eletrodoméstico. A chaleira elétrica vale. Também conhecida como kettle (tradução para o inglês), é prática e eficaz, tem modelos com design bacana e é útil, muito útil. Principalmente se você prepara café e chá muitas vezes ao dia. Produto novo no mercado brasileiro, ganhou popularidade apenas em 2012, apesar de existir há muitos anos e ser muito utilizada na Europa e nos Estados Unidos. Ao comprar uma chaleira elétrica é importante avaliar itens como tempo de fervura, potência, consumo de energia, segurança (pois atinge altas temperaturas) e, por que não, design. Para ajudar, a Espresso analisa a seguir o desempenho de algumas marcas. Veja a seguir os detalhes de cada uma:

Cadence Supreme

PESO – 722 g
CAPACIDADE MÁXIMA – 1,7 litros
VOLTAGEM – 127 V
POTÊNCIA – 1.200 W
CONSUMO DE ENERGIA/MÊS –1,2 kWh (127 V) e 1,85 kWh (220 V)
TEMPO DE FERVURA DA ÁGUA: em 60º ela aqueceu em 4’09” e atingiu a fervura (100°) em 8’46”
VARIEDADE DE TEMPERATURAS: Sim (varia entre 60°; 70°; 80°; 90° C)
MANTÉM TEMPERATURA – Sim
SINALIZA QUE FERVEU: Sim
DESLIGAMENTO AUTOMÁTICO: Sim
JARRA SEM FIO: Sim
ALÇA ANTITÉRMICA: Sim
TAMPA ARTICULADA E COM BOTÃO AUTOMÁTICO PARA ABRIR: Sim
BASE GIRATÓRIA E COM PORTA-FIOS: Sim
FILTRO COADOR E REMOVÍVEL – Não
EXTENSÃO DO FIO – 76 cm
FORMATO DO BICO – pequeno
DESIGN – básico, mas com uma tampa bem desenhada. Apenas na cor cinza
MATERIAL – Inox
AVALIAÇÃO GERAL – É ideal para o preparo de bebidas delicadas, pois permite a programação em diferentes temperaturas, com diferentes cores no visor.

Kenwood

PESO – 1.041 g
CAPACIDADE – 1,6 litros
VOLTAGEM – 127 V
POTÊNCIA – 3.000 W
CONSUMO DE ENERGIA/MÊS – 1,6 kWh (124 V) e 1,85 kWh (220 V)
TEMPO DE FERVURA DA ÁGUA – 4’45’’
VARIEDADE DE TEMPERATURAS – Não
SINALIZA QUE A ÁGUA FERVEU – Sim
DESLIGAMENTO AUTOMÁTICO – Sim
TAMPA ARTICULADA E COM BOTÃO AUTOMÁTICO PARA ABRIR – Sim
BASE GIRATÓRIA COM PORTA- FIOS – Sim
FILTRO COADOR E REMOVÍVEL – Sim
EXTENSÃO DO FIO – 81 cm
FORMATO DO BICO – moderno
DESIGN – moderno, disponível nas cores rosa, amarelo, azul, verde, vermelho e preto
MATERIAL – aço inoxidável
AVALIAÇÃO GERAL – De design muito bonito e muito potente foi a chaleira que ferveu a água mais rapidamente. Pena ser um pouco pesada e ter um bico arredondado que não promove tanto controle sobre o fluxo.

Electrolux EKC 10

PESO – 924 g
CAPACIDADE MÁXIMA – 1,5 litros
VOLTAGEM – 127 V
POTÊNCIA – 1.250/2.000 W
CONSUMO DE ENERGIA/MÊS –1,25 kWh (127 V) e 2,4 kWh (220 V)
TEMPO DE FERVURA DA ÁGUA – 7’20”
VARIEDADE DE TEMPERATURAS – Não
MANTÉM TEMPERATURA – Sim
SINALIZA QUE FERVEU: Sim
DESLIGAMENTO AUTOMÁTICO: Sim
TAMPA ARTICULADA E COM BOTÃO AUTOMÁTICO PARA ABRIR: Sim
BASE GIRATÓRIA E COM PORTA-FIOS: Sim
FILTRO COADOR E REMOVÍVEL – Sim
EXTENSÃO DO FIO – 75 cm
FORMATO DO BICO – pequeno
DESIGN – básico. Apenas na cor cinza
MATERIAL – aço escovado
AVALIAÇÃO GERAL – A chaleira atingiu a fervura em uma velocidade boa, porém sua boca é estreita não permitindo colocar a mão dentro do recipiente para lavá-lo.

Mondial Smart Hot

PESO – 623 g
CAPACIDADE – 1,7 litros
VOLTAGEM – 127 V
POTÊNCIA – 1.500 W
CONSUMO DE ENERGIA/MÊS – 1,7 kWh (127 V e 200 V)
TEMPO DE FERVURA DA ÁGUA – 8’40”
VARIEDADE DE TEMPERATURAS – Não
SINALIZA QUE A ÁGUA FERVEU – Sim
DESLIGAMENTO AUTOMÁTICO – Sim
TAMPA ARTICULADA E COM BOTÃO AUTOMÁTICO PARA ABRIR – Sim
BASE GIRATÓRIA E COM PORTA – FIOS – Sim
FILTRO COADOR E REMOVÍVEL – Sim, mas difícil de retirar
EXTENSÃO DO FIO – 76,5 cm
FORMATO DO BICO – pequeno
DESIGN – básico, apenas na cor preta
MATERIAL – aço inox
AVALIAÇÃO GERAL – Uma chaleira com um design básico, mas que vale a pena por atingir fervura em um tempo curto e por seu preço, o mais acessível de todos.

Arno Collection

PESO – 777 g
CAPACIDADE MÁXIMA – 1,5 litros
VOLTAGEM – 127 V
POTÊNCIA – 1.500 W (110 V) e 2.000 W (220 V)
CONSUMO DE ENERGIA/MÊS – 0,6 kWh (127 V) e de 0,8 kWh (220 V)
TEMPO DE FERVURA DA ÁGUA – 16’33”
VARIEDADE DE TEMPERATURAS – Não
MANTÉM TEMPERATURA – Sim
SINALIZA QUE FERVEU – Sim
DESLIGAMENTO AUTOMÁTICO – Sim
JARRA SEM FIO – Sim, não possui visor de água
ALÇA ANTITÉRMICA – Sim
TAMPA ARTICULADA E COM BOTÃO AUTOMÁTICO PARA ABRIR – Sim
BASE GIRATÓRIA E COM PORTA-FIOS – Sim
FILTRO COADOR E REMOVÍVEL – Sim
EXTENSÃO DO FIO – 72,5 cm
FORMATO DO BICO – Pequeno e delicado
DESIGN – Moderno, apenas na cor rubi e branca
MATERIAL – Aço inoxidável
AVALIAÇÃO GERAL – É uma chaleira moderna que chama atenção por sua cor. O tempo para ferver a água foi o mais longo de todos.

Dicas para manter uma chaleira em bom funcionamento
– Nunca ligue a chaleira elétrica sem água ou com a tampa aberta, para não danificá-la;
– Não ligue em tomadas ou extensões sobrecarregadas, pois isso pode provocar acidentes;
– Antes de usar pela primeira vez, ferva a água e jogue-a fora, para eliminar possíveis resíduos do interior da chaleira;
– Nunca prepare o chá diretamente dentro dela para não deixar resíduos de sabor e aroma;
– Para limpar: encha até a metade com água da torneira e acrescente suco de um limão ou vinagre; ferva esta mistura e deixe descansar durante 15 minutos; repita o processo de 2 a 3 vezes; após a limpeza, deixe o aparelho funcionar mais duas vezes apenas com água para enxaguar.

(Texto originalmente publicado na edição impressa da Revista Espresso – única publicação brasileira especializada em café. Receba em casa. Para saber como assinar, clique aqui).

TEXTO Natália Camoleze • FOTO Daniel Ozana/Studio Oz

Café & Preparos

Projeto social em cafeteria muda a vida de jovens

De dentro pra fora. É mais ou menos assim que funciona a ideia do projeto Fazedores de Café, organizado pela cafeteria paulistana Sofá Café. Criado em 2014, a iniciativa visa não apenas disseminar a cultura do café especial na cidade de São Paulo, mas também abraçar a causa social, incluindo e dando oportunidade a jovens carentes através do barismo.

“Eu não queria ser alguém que só vendesse café”
Foi com esse desejo na cabeça que Diego Gonzales, engenheiro florestal e proprietário da casa, começou a realizar diversas pesquisas, buscando alguma ideia que abrangesse o café, o ambiente e a sociedade.

Segundo ele, a ideia de criar algo que desse um retorno para as pessoas era fundamental para que seu negócio atingisse o objetivo certo. “Depois que abri o Sofá, senti a necessidade de ter alguma coisa que trabalhasse o social e o ambiental, mas sem deixar o café de lado. Eu não queria ser alguém que só vendesse café, sabendo que eu podia fazer mais”.

Diego Gonzales, proprietário do Sofá Café e idealizador do projeto Fazedores de Café. Foto: Roberto Seba

Partindo disso, foi só questão de tempo para que a iniciativa saísse do papel. Reunindo os três pilares desejados por Diego – e cabendo dentro do orçamento – o Fazedores de Café busca dar um novo rumo para jovens de baixa renda, ensinando, demonstrando e inserindo estes aprendizes no grande universo do café.

Hoje, a iniciativa conta com vários apoiadores, sendo a Revista Espresso um deles. Mariana Proença, diretora de conteúdo do veículo, já conferiu de perto o trabalho realizado e diz que a ideia é positiva para o cenário atual do café. “É uma iniciativa muito importante porque no mercado cafeeiro faltam profissionais qualificados, principalmente baristas”, comenta.

Como tudo acontece…
De 2014 até os dias atuais, o Fazedores de Café já fez parte da vida de mais de 20 jovens. Selecionados por ONGs parceiras, muitos deles cumpriam medidas socioeducativas e hoje enxergam novas oportunidades e fazem suas próprias carreiras.

Paulo Gabriel foi um deles. Formado na primeira turma do projeto, o barista diz que ter tido a oportunidade de participar dessa experiência foi algo positivo. “Foi através do Fazedores que consegui arranjar meu primeiro emprego e começar a pagar minha faculdade”.

Na época com 18 anos, Paulo conseguiu conciliar o café com seus estudos, melhorando o desempenho na escola e concluindo o ensino médio. “As aulas com café me ajudaram a ter uma relação melhor com os meus professores”, relata.

Aluno da primeira turma do Fazedores de Café, Paulo Gabriel atualmente é barista e professor do projeto. Foto: Felipe Gombossy

Desde lá o projeto não parou. Com turmas pequenas de até seis alunos, as aulas teóricas e práticas acontecem no próprio espaço da cafeteria, na unidade de Pinheiros, e são totalmente gratuitas. “Nós servimos café da manhã para os alunos das 8h às 8h30. Depois, das 8h30 às 12h, eles têm aulas com professores do próprio Sofá Café ou voluntários, todos os dias”, conta Diego.

Nessa rotina que dura por quase três meses, os alunos aprendem não só a extrair a bebida, mas também a harmonizar, criar receitas e lidar com temas como gestão do ambiente e normas de vigilância sanitária. Além das aulas no período da manhã, eles também podem praticar os ensinamentos durante a tarde.

“Esses jovens podiam estar entrando em um universo no qual é muito difícil de sair, podiam não ter nenhuma chance de mudança de vida”, diz Diego. “Quando a gente consegue converter o jovem e acompanhar de perto sua vontade de aprender e de fazer, se espelhando muitas vezes em ex-alunos que já se formaram e estão trabalhando no ramo, nós vemos que estamos fazendo a coisa certa”.

Para concluir o processo de aprendizagem, o Fazedores de Café proporciona um mês de estágio aos participantes, onde eles trabalham em diversas cafeterias parceiras, criam responsabilidade com o cliente e o produto, colocam o estudo em prática e podem conseguir uma vaga fixa.

Após o curso, grande parte dos estudantes continua no café, como o Paulo, que hoje além de barista dá aulas no projeto e tem a oportunidade de ver mais uma leva indo no caminho do café.

Uma xícara e muito sucesso!
Depois de quatro anos de caminhada, ensinamentos e vidas mudadas, o Fazedores de Café está formando sua 5ª turma amanhã, dia 4/8. Neste dia, todo o funcionamento da cafeteria, das 10h às 18h30, será comandado pelos alunos. O serviço será interrompido as 16h30 para a realização da formatura.

Com o mesmo intuito e dedicação para inserção na sociedade, a próxima classe será uma novidade: alunos refugiados! Com previsão para este ano, será um novo desafio para todos os colaboradores e organizadores do Fazedores.

Para Diego, é muito gratificante ver que sua ideia se tornou a oportunidade para muitos jovens terem um caminho digno e seguro. “Quando a gente vê a mudança na vida de um deles, todo o esforço vale a pena”.

Serviço
Formatura da 5ª turma do Fazedores de Café
Onde: Rua Bianchi Bertoldi, 130 – Pinheiros – São Paulo (SP)
Quando: 4/8
Horário: 16h30

TEXTO Gabriela Kaneto

Café & Preparos

Que papelada!

Além dos métodos de preparo, os filtros de papel possuem diferentes características que influenciam o resultado final do seu café. Conheça seis opções e veja qual se encaixa melhor no seu perfil!

Kalita

O método utiliza filtro de papel branqueado, em formato ondulado, que lembra uma forminha de muffin. Tem fundo plano e fino que possibilita uma drenagem por igual da bebida e as ondas do papel ajudam a promover uma extração mais consistente. Para alguns baristas, isso ressalta a doçura do café e resulta em uma bebida mais equilibrada. Também evita acúmulo de água e extração em excesso.

Melitta

Segundo o barista Lucas Salomão, é preciso atentar para a moagem e o tempo de extração da bebida, quando preparada nesse filtro. Por ser poroso, retém o líquido por mais tempo e, se a granulometria do café for fina em excesso e o tempo de extração muito longo, isso pode resultar em uma bebida com um pouco de amargor. Ele tem a forma de um V e algumas ranhuras, que ajudam na percolação. É um filtro muito prático, de baixo custo e disponível em diversos estabelecimentos.

Aeropress

Criado em 2005, esse método é composto de base, porta-filtro, êmbolo, funil, armazenador de filtro extra, dosador e mexedor. Extrai as propriedades do pó durante infusão e por pressão de ar, quebrando sólidos e mantendo os óleos essenciais do café. É possível utilizar moagens variadas para obter diferentes resultados da bebida. O filtro de papel utilizado para a aeropress é circular, pequeno, e de material semelhante ao dos demais filtros.

Hario V60

O método desenvolvido pela empresa japonesa Hario foi feito em espiral pensando no fluxo contínuo e homogêneo da extração. O filtro usado é de papel fino e poroso, cônico, podendo ser branqueado ou cru. O resultado na xícara, sobretudo, depende do café utilizado, mas o filtro, se escaldado, pode resultar em uma bebida limpa, que dá destaque para as notas mais delicadas do grão. Os filtros convencionais não se encaixam corretamente nesse porta-filtro.

Clever

Lembra um porta-filtro tradicional Melitta. Feito de acrílico, a outra diferença é quanto à extração do café, já que possui um tipo de engrenagem na base que permite o controle da infusão e libera a bebida direto na xícara no tempo desejado, ou seja, é possível manter o pó em contato com a água quente por mais tempo. Segundo a Abid, fabricante do produto, o método não possui filtro de papel próprio. Normalmente, para o preparo do café nesse método, os baristas utilizam o filtro 103 da marca Melitta, que se encaixa com facilidade no equipamento.

Chemex

Criada em 1941, utiliza um filtro de papel de textura mais grossa, circular, para ser dobrado como um cone e encaixado na garrafa. A parede tripla formada pela dobra em um dos lados do papel impede a passagem de sólidos para a xícara, resultando em uma bebida mais limpa e leve. Para o método, há também um filtro de papel em forma de meia-lua, que serve três xícaras, e o pré-dobrado, para quatro a oito xícaras, além do papel cru, sem branqueamento e pré-dobrado.

E O COADOR DE PANO?
Um dos preparos mais antigos – e mais comuns no Brasil –, o coador de pano, como o próprio nome diz, utiliza um tecido, a flanela, para fazer a extração da bebida. Ela permite a passagem de um pouco mais de óleo para a bebida, o que não a deixa livre de resíduos. Quando o filtro não é tratado adequadamente, o resultado pode ser um café amargo. Ele deve ser lavado só com água e sua duração é de, no máximo, três meses. A bebida leva, em média, de quatro a oito minutos para ser filtrada nesse coador, dependendo da quantidade de pó.

VOCÊ SABIA?
O filtro de papel foi criado em 1908 por Amalie Auguste Melitta Bentz. Segundo João Michaliszyn, gerente de Marketing da Melitta no Brasil, Amalie queria melhorar a qualidade do café que preparava para sua família e produziu artesanalmente o primeiro filtro de papel – feito com uma lata de estanho e papel mata-borrão –, que mudou para melhor o sabor do café. Foi a partir daí que os negócios da família se iniciaram, tornando a marca reconhecida mundialmente.

QUALIDADE
O filtro deve ser resistente a rupturas e ao calor. A ideia é que ele possa reter as partículas sólidas de acordo com o diâmetro de seus furos e “limpar” a bebida, ou seja, não deve deixar que passem resíduos do pó.

POROS
Quanto maiores os poros, mais substâncias sólidas passam junto com a água. Por exemplo, em uma peneira, quanto menor o tamanho dos furos, maior a sua retenção. Alguns filtros possuem uma tecnologia de microfuros, que permitem a passagem dos óleos essenciais, obstruindo a passagem do pó, o que mantém as características sensoriais da bebida.

PAPEL
Atualmente, estão disponíveis no mercado os filtros de papel branqueado, feitos com papel virgem – derivado diretamente da celulose –, e os de papel cru, sem branqueamento, também conhecido como ecológico, feito com cerca de 50% de papel branco (virgem) e 50% de papel reciclado (que já foi usado), o que torna a sua coloração diferente. Por ser reciclado, é necessário colocar um pouco mais de fibra no filtro para que ele seja resistente. Para perceber a influência de cada tipo de filtro de papel no sabor da bebida final, o barista Lucas Salomão indica escaldá-lo várias vezes e separar essa água que passou pelo filtro para usar depois, analisando se a intensidade do gosto varia. A marca Hario possui dois tipos de filtro para o seu coador. Um ecológico, feito de papel reciclado, e um branco, de papel virgem. Segundo a barista Carolina Franco, escaldar bem o filtro, seja ele qual for, diminui o impacto do gosto do papel no café.

(Texto originalmente publicado na edição impressa da Revista Espresso – única publicação brasileira especializada em café. Receba em casa. Para saber como assinar, clique aqui).

TEXTO Natália Camoleze • FOTO Daniel Ozana/Studio Oz

Café & Preparos

Coffee Week conta com promoções em casas de São Paulo e Curitiba

Visando proporcionar experiências únicas com o café e apresentar diferentes estabelecimentos aos consumidores, neste ano, a 7ª edição do Coffee Week Brasil irá acontecer nas cidades de São Paulo (SP) e Curitiba (PR), de 10 a 26/8.

Desta vez, está previsto a participação de cerca de 50 casas na capital paulista e 15 na cidade paranaense, todas com promoções de combos que podem englobar cafés de diversas regiões feitos em diferentes métodos, drinques variados e comidinhas. Os preços estão entre R$ 9,90 e R$ 14,90.

Para a barista Flavia Pogliani, criadora e curadora do evento, o café está em toda parte e é o elo para diferentes motivos de encontro, sejam profissionais ou de lazer. “A ideia do Coffee Week Brasil é ressaltar os lugares em que os consumidores encontram a bebida”.

Para esta edição, os organizadores esperam impactar mais de 50 mil apreciadores de café durante os 16 dias. A lista com as casas participantes estará  no site até segunda-feira, dia 30/7.

Mais informações: www.coffeeweekbrasil.com.br

TEXTO Redação • FOTO Roberto Seba

Café & Preparos

Torra lovers: Roaster Camp of Brazil acontece em Londrina (PR)

Entre os dias 22 e 29 de julho, Londrina (PR) receberá o Roaster Camp of Brazil. Promovido pela Capricórnio Coffees e Brazilian Coffee Academy, com apoio da Associação Brasileira da Indústria de Café (ABIC), o evento busca compartilhar informação, educação, tendências e novidades sobre a torra de café.

Para que haja troca de informações entre torradores e interessados, a programação conta com palestras e cursos ministrados por convidados internacionais. Alguns dos instrutores serão Rubens Gardelli, da Itália; Benjamin Pozsgai, da Alemanha; Henrik Arvidsson, da Suécia; e Anne Cooper, da Austrália.

Além disso, haverá uma competição no quadro de programações. Buscando desenvolver mais atividades na direção dos cafés de qualidade, o campeonato irá reunir 50 pessoas divididas em cinco grupos (dessas, as 30 primeiras vagas do desafio estão reservadas para os 30 participantes do curso “Expressões da Torra”). As equipes receberão um desafio relacionado a um aspecto de torra de café, irão se reunir para desenvolver a meta e serão julgados por um corpo de jurados.

“Eu participo do evento da SCA há muitos anos. Nesses encontros de torradores, além de palestras, há competições de cunho educacional, que permite a troca de experiências e conhecimentos. É uma oportunidade de aprender sobre torra e máquinas”, destaca Edgard Bressani, um dos sócios da Capricórnio Coffees.

O Roaster Camp of Brazil será realizado no Instituto Agronômico do Paraná (IAPAR). Aos interessados nos cursos, é necessário realizar a pré-inscrição no site.

Mais informações: www.roasterguildofbrazil.com.br

TEXTO Redação • FOTO Alexia Santi/Agencia Ophelia

Café & Preparos

Festival Santos Café 2018 encerra com recorde de cafés servidos

A quarta edição do Festival Santos Café aconteceu no último final de semana, no Arcos do Valongo – Santos (SP). Foram três dias de muita música, gastronomia, artesanato e claro, café! O evento contou com mais um recorde: foram 35 mil cafés servidos.

Os visitantes e apreciadores puderam conhecer um pouco mais sobre o café de qualidade em uma degustação que teve a curadoria da Revista Espresso e da Café Editora e apoio da Ânima Café, Café Santa Mônica, Revo Café, Rei do Café, Swiss Coffee, Café Store, Da Hora Bike Café, Grupo UTAM, Brasil Espresso, Astro Café, Café do Centro, Bunn, Orfeu Cafés Especiais e Santo Grão.

Segundo a diretora de conteúdo da Café Editora, Mariana Proença, a degustação de café nasceu junto com o Festival e atrai cada vez mais um público interessado em conhecer os aromas e sabores dos grãos brasileiros. “A cada ano o número de marcas participantes cresce e os visitantes têm a oportunidade de provar gratuitamente uma seleção de preparos especiais”, afirma.

Para a barista chefe, responsável pela Qualidade e Treinamento e instrutora dos cursos do Santo Grão, Keiko Sato, foi surpreendente ver as pessoas interessadas e abertas para entender mais sobre o que é um café especial.

A Café Store, loja online de produtos de café, esteve presente e fez sucesso com os diversos produtos apresentados. “O festival está na cidade do principal porto brasileiro e conta com um lado cultural e artístico muito valioso. É fundamental a presença da Café Store no evento para apresentar os produtos voltados para o café”, afirma Edgar Haddad, diretor da Café Store.

“Somos a única torrefação de cafés especiais da região, participar para gente tem dois motivos: levar o café especial ao consumidor em geral que não tem acesso a Revo e representar um movimento de qualidade da cidade. Quem sabe não inspiramos outros empreendedores a focar na qualidade do grão?”, conta o Sócio fundador da Revo, Vitor Ladaga de Araujo.

“Santos tem sido um polo de cultura e gastronomia envolvendo o café. Estar no festival de Santos é muito importante para marcas que buscam se diferenciar dentro do mercado gourmet de café, através de qualidade e inovação. Ficamos muito orgulhosos por mais uma vez sermos convidados para participar” Eder Garcia, Supervisor de food servisse da Utam.

“Como todos os anos, foi muito bom participar do evento. Pra quem trabalha com café em Santos é muito importante. Tomara que no próximo ano venham outras marcas de café, bikes, Kombi, etc”, contou Ricardo Henrique, proprietário do Da Hora Bike Café.

Segundo o barista do Santa Monica Café Gourmet, Ewerton Almeida, o festival proporciona uma divulgação das novidades e curiosidades da marca. “A gente consegue trazer o público para perto. Por isso buscamos algo diferente, seja no café, em um método de extração, em uma forma de preparo, para explicar ao consumidor”, afirma.

“O festival nos ajuda a divulgar a marca, que lançamos no terceiro ano do próprio festival. Esse ano recebemos as pessoas que visitaram o evento no ano passado e voltaram para procurar os nossos produtos, é um feedback positivo, pois vieram em busca das novidades. O Festival também é ótimo para relacionamentos, fechar novos negócios e descobrir o que o consumidor gostou ou não para melhorarmos cada vez mais. Aguardo o convite para o próximo ano, afirma Abel Martins, proprietário do Swiss Coffee.

Para o Ricardo Rodrigues, da Auma Café, Santos é uma cidade que respira café, participar do Festival é embarcar em toda a história do café. “A gente percebe o gosto das pessoas. O Festival passa a ser um termômetro que mede a qualidade do nosso café, além de uma oportunidade de rever os amigos e parceiros que fazem esse movimento acontecer”.

Assim, a 4ª edição do Festival Santos Café se encerra com a sensação de missão cumprida. Esperamos vocês na próxima, até o ano que vem!

Confira mais fotos do evento.

Café & Preparos

Se liga! Inscrições para Brasileiro de Aeropress já tem data marcada

O Campeonato Brasileiro de Aeropress deste ano já tem data e local definidos! Desta vez, a cidade de Brasília receberá a 5ª edição da competição, que será realizada na Cervejaria Criolina no dia 8 de setembro, às 16h.

Aos interessados em participar do evento, fiquem ligados! No valor de R$ 40, as inscrições serão abertas nesta quinta, dia 19/7, a partir das 20h, onde ficarão disponíveis por apenas 24 horas. São 27 vagas para competir e, diferente da edição anterior, somente mais três para lista de espera. Para se inscrever clique aqui.

O café usado na competição ainda não foi divulgado, mas a torra dos grãos será feita pela torrefação brasiliense AHA! Cafés. O vencedor da fase nacional representará o Brasil no Mundial de Aeropress (World Aeropress Championship), que acontecerá no final do ano em Sydney, na Austrália.

A programação conta com algumas atrações gratuitas e pagas pós-competição, como a Experiência Coffea, do Portal Coffea; happy hour no Clandestino Café, que será realizado no dia 7/9; e visitas a Produções Agroflorestais com café no dia 9/9 (pago).

O IV Campeonato Brasileiro de Aeropress é organizado por AHA! Cafés, 3ª Onda Consultoria em Café e Clandestino Café e Música.

Mais informações: www.campeonatodeaeropress.com

TEXTO Redação • FOTO Divulgação

Café & Preparos

2ª edição do Campeonato Brasileiro de Torra já tem data marcada

Entre os dias 1 e 5 de agosto, Curitiba (PR) recebe a 2ª edição do Campeonato Brasileiro de Torra de Café. Realizado pela Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA) e pela Agência Brasileira de Promoções de Exportações e Importações (Apex-Brasil), o evento acontece no Mercado Municipal de Curitiba e conta com a empresa Probat Leogap e a cafeteria Lucca Cafés Especiais como anfitriãs.

Na competição, os participantes terão que planejar e elaborar a melhor torra para o café oficial do evento, passando por três etapas: treinos com os grãos e equipamentos disponibilizados, elaborando o plano de torra; classificação física do café oficial por defeitos e peneiras; e torra oficial do café.

O polonês Lukasz Jura, representante da World Coffee Events (WCE) e expert em competições de torra, irá presidir o júri do evento. Os quatro juízes sensoriais e o principal irão analisar o desempenho dos torrefadores com base em critérios como comparação da torra executada com o plano de torra informado, avaliação sensorial do café torrado e classificação física correta, que é novidade neste ano. Vence quem for mais fiel à curva de torra planejada e obtiver maiores notas na bebida.

O campeão brasileiro representará o País no World Coffee Roasting Championship, que ainda não possui data e local divulgados. Em 2017, o Campeonato Brasileiro de Torra de Café contou com 16 participantes e teve como ganhador o mineiro Robson Rodrigues Ribeiro, de Carmo de Minas.

Serviço
Campeonato Brasileiro de Torra de Café
Quando: 1 a 5/8
Onde: Mercado Municipal de Curitiba (PR)
Mais informações: www.brazilcoffeenation.com.br

TEXTO Redação • FOTO Alexia Santi/Agencia Ophelia

Café & Preparos

Festival Santos Café chega a sua 4ª edição

Está sem saber para onde ir no próximo feriado? Que tal aproveitar para participar de um Festival sobre café e ainda, se o clima permitir, curtir uma praia?

A 4ª Edição do Festival Santos Café acontece de 6 a 9 de julho, e tem como objetivo de promover o turismo e o café ao lado da gastronomia, através de oficinas, palestras, exposições fotográficas, apresentações culturais e um festival de artesanato.

Quem passar por lá terá a oportunidade de conhecer marcas de cafés especiais e degustar, gratuitamente, nos métodos espresso e coado, no Espresso Degusta. Este ano, houve uma mudança de endereço e será no Arcos do Valongo (esquina da Rua do Comércio,  atrás do Museu Pelé).

As degustações irão acontecer de 7 a 9 de julho, das 11h às 17h. Além disso, o público irá conferir novidades em acessórios, utensílios, cafés embalados para comercialização e distribuição de revistas por parte da Revista Espresso.

A degustação tem a curadoria da Revista Espresso e da Café Editora e apoio da Ânima Café, Café Santa Mônica, Coopinhal, Revo Café, Rei do Café, Café Baronesa, Mazzi Café, Swiss Coffee, Café Store, Da hora Bike Café, Grupo UTAM, Brasil Espresso, Astro, Café do Centro, Bunn, Orfeu Cafés Especiais e Santo Grão.

A abertura ficará por conta da banda Beatles Abbey Road no dia 6, às 20h. Ao longo do Festival irão acontecer vários shows, além de novidades como: oficina de estética e receitas de beleza com pó e café; performances artísticas itinerantes pelas ruas; Cine Café com Leite, para o público infantil; arte circense; exposição de motos antigas, Bonde Brincar e utilização do Espaço Arcos do Valongo.

O 4º Festival Santos Café é uma realização da Setur (Secretaria de Turismo) – com parceria da Secult (Secretaria de Cultura) e outros setores da Prefeitura, da Secretaria de Estado da Cultural e do Museu do Café.

Para conferir a programação completa, ou se inscrever nas oficinas, basta acessar o Portal de Turismo de Santos ou o Portal da Prefeitura.

O evento conta ainda com o apoio da Alemoa Imobiliária, American Ciclo, Bel Coelho Estética, Café Editora, Clube de Automóveis Antigos de Santos, Estação Bistrô Restaurante-escola, Revista Espresso e Senac.

Serviço
4ª Edição do Festival Santos Café
Horário: 6/7, das 18h às 21h, 7, 8 e 9/7 das 10h às 20h
Locais: Arcos do Valongo, Museu do Café, Museu Pelé, Praça Mauá, Valongo, Boulevard da Rua XV de Novembro e restaurantes parceiros do Centro Histórico de Santos.
Mais informações: www.turismosantos.com.br/festivalsantoscafe

TEXTO Redação • FOTO Café Editora