CafezalMercado

Martins Café lança microlotes e propõe novas experiências com os grãos

martinscafe_novoslotes

Na última quinta-feira (22/1) a Martins Café apresentou novidades de sua safra 2014 de cafés. Como bem disseram Fabíola Filinto e Mariano Martins, sócios da empresa, a produção do ano tinha tudo para dar errado devido à seca, mas para a alegria da dupla, a história foi diferente.

As novidades são três cafés da mesma variedade (bourbon amarelo), que foram colhidos na mesma hora, no mesmo talhão, no mesmo dia e nas mesmas condições, mas que apresentaram notas sensoriais tão distintas ao se variar apenas o método de processamento. Os grãos também trazem perfis bem diferentes, mas uma mesma característica: a torra média/clara.

Os cafés, segundo Fabíola e Mariano, não apresentam nenhum amargor. “Acreditamos que o café não deve ser amargo para que você consiga desfrutá-lo a qualquer temperatura, sem angústia. Afinal, café amargo só dá para tomar pelando de quente”, afirmam.

De acordo com os empresários, essa variação de aromas e sabores do mesmo café só foi possível graças, quem diria, à estiagem do ano passado, que estabilizou variáveis que normalmente não permitem experiências mais agressivas de fermentação do café na fazenda Santa Margarida. “A quantidade de café na fazenda foi menor, mas os grãos que nasceram em 2014 maturaram lentamente e, assim, eles ficaram mais doces”, explica Mariano. Com a ausência da chuva, que impediu a fermentação dos grãos na árvore, houve a liberdade para se fazer experiências mais ousadas de processamento no terreiro.

Conheça os novos cafés da marca:

Guaranóia:
Processamento: cereja descascado com mucilagem aderida (não passou pelo processo para remover a mucilagem, o café secou com ela. Isso foi feito para intensificar ainda mais a fermentação), seco em terreiro suspenso, coberto para fermentação com cepas nativas (leveduras nativas da planta, ou seja, o café foi fermentado com as leveduras que já estão presentes nele, não sendo introduzido nenhuma levedura “externa” para esta fermentação) por 72 horas.
Sensorial: esse lote traz notas secas de guaraná e mel; e úmidas de dama da noite, mel e suco de caju. Corpo e acidez médios, finalização longa, com notas de guaraná.

Encorpator:
Processamento: café natural, de seca rápida em terreiro tradicional (um tipo de asfalto próprio para cafés especiais. Chamado de tradicional porque esse tipo de secagem é o procedimento mais comum no Brasil hoje) com leiras finas, para reduzir a fermentação.
Sensorial: seu ponto mais forte é o corpo. Esse lote tem muita doçura natural que se sobrepõe a sua acidez cítrica. Notas aromáticas de caramelo e mel, com leve toque de morango. Corpo alto, acidez delicada e finalização longa e doce, com notas de amêndoas.

Acid Base:
Processamento: cereja descascado no método colombiano via tanques de fermentação por 24 horas.
Sensorial: mistura o toque macio do ácido láctico com um corpo interessante. Com notas aromáticas florais, frutas secas e caramelo, traz corpo e acidez altos, finalização doce e prolongada com notas de amêndoas.

Novas experiências
A marca sugere brincar com os três cafés, misturando os grãos para fazer um blend próprio. A pessoa pode misturar as quantidades como bem entender e fazer diversas experiências, ressaltando as diferentes características dos cafés e buscando o sabor que mais a agrada. A produção é limitada, com apenas cinco sacas de cada microlote.

Serviço
Onde comprar: www.martinscafe.com.br

TEXTO Natália Camoleze • FOTO Divulgação/Martins Café

Mercado

Cafeteria adota medidas para combater crise hídrica em SP

sofa_cafe_caneca A crise hídrica e energética que afeta o Estado de São Paulo está fazendo com que diversos estabelecimentos adotem medidas sustentáveis para enfrentar o problema. Preocupada com suas operações e com o atendimento ao público, a cafeteria Sofá Café implantará, a partir do dia 26 de janeiro, novas ações com o objetivo de colaborar com a cidade e população, combatendo o desperdício. A empresa apresentará um plano de ação com mais de 10 iniciativas fundamentais para enfrentar o problema. Algumas das ações planejadas são: alteração no cardápio e forma de preparo dos alimentos para ajudar na redução do consumo de água; descontos para clientes que trouxerem suas próprias canecas; treinamento interno para lidar com a falta de água em um ambiente de cafeteria; utilização de material biodegradável; melhor aproveitamento interno da luz solar no local. Para Diego Gonzales, fundador do Sofá Café, “água e luz são recursos que estão diretamente interligados e fazem parte do processo de atendimento da cafeteria. Combater o desperdício desses recursos deve ser uma das diretrizes de todas as empresas”. A meta do Sofá Café é reduzir 15% do consumo de energia em até 45 dias e manter a redução em 20% permanentemente. Para debater o assunto e criar novas alternativas neste sentido, a cafeteria promove, ainda, uma palestra aberta ao público, direcionada aos proprietários de cafeterias e restaurantes. A palestra acontece no Sofá Café do Centro Brasileiro Britânico, em Pinheiros, e contará com a presença da engenheira ambiental, Taiana Homobono. Serviço Como sobreviver a crise hídrica e de energia em SP? Local: Sofá Café Centro Brasileiro Britânico – Rua Ferreira de Araújo, 741 Pinheiros – São Paulo Dia: 24 de janeiro, sábado Horário: 16h Vagas: 50 pessoas Inscrição: contato@sofacafe.com.br

TEXTO Da redação • FOTO Fernando Sciarra/Café Editora

Mercado

TRES lança novas cápsulas de café e chá

3coracoesamenoatento A TRES, marca do grupo 3Corações, ampliou sua linha de bebidas em cápsulas com dois novos espressos, o Ameno e o Atento, além de um chá de hortelã. As novidades complementam o portfólio da empresa, que agora conta com 16 sabores de monodoses. O lançamento dos cafés espressos busca agradar diferentes paladares. Segundo a TRES, “as bebidas chegam em diferentes níveis de intensidade, para atender a demanda do mercado por bebidas marcantes”. O espresso Atento, blend mais intenso da marca, é ideal para quem prefere sabores fortes. Com notas de caramelo, fruta e acidez média, é um café de corpo elevado, com grãos cultivados no Cerrado Mineiro, no Sul de Minas Gerais e no Espírito Santo. 3coracoesatentoameno Já o espresso Ameno é mais leve e composto por café arábica, da variedade bourbon amarelo, produzido no Sul de Minas Gerais. A torra é média e ressalta certa doçura. Com pouca acidez, a bebida tem notas de cereais e avelã. A equipe da Espresso harmonizou, com exclusividade, os novos cafés com sobremesas preparadas pelo chef Alex Atala. Confira na próxima edição da revista.

TEXTO Da redação • FOTO Roberto Seba/Café Editora

Mercado

Amma lança barra de chocolate com café

chocolateamma_tadeubrunelli

A Amma Chocolate lança neste mês as novas barras da marca. Café, açúcar de coco, nibs de cacau e flor de sal são os ingredientes que compõem os produtos.

Todos os novos chocolates apresentam diferentes porcentagens de cacau orgânico. A barra Qah’wa, que leva café, é 60% cacau; a Gula Merah (açúcar de coco) é 70% cacau; a Nibirus (nibs de cacau) é 75% cacau; a Flor do Mar (flor de sal) é 75% cacau.

Os ingredientes utilizados nas novas barras vêm de diferentes regiões. O açúcar de coco do Gula Merah é importado da Indonésia, a flor de sal do Flor do Mar vem do Ceará, o café do Qah’wa vem da Bahia e o nibs de cacau do Nibirus é de produção própria, das plantações de cacau da Amma. Segundo a marca, “os produtos foram desenvolvidos com diferentes ingredientes para que as pessoas tenham a experiência de provar o chocolate com sabores diferenciados do que estamos acostumados a encontrar no mercado”.

Assim como as outras barras já produzidas pela Amma, as embalagens dos novos produtos também foram desenvolvidas pela artista plástica e fundadora empresa junto com Diego e Frederick Shilling, Luiza Olivetto. Os desenhos de cada uma das embalagens remetem diretamente ao ingrediente utilizado na barra.

TEXTO Da redação • FOTO Tadeu Brunelli/Divulgação Amma Chocolate

CafezalMercado

Caffeinated: novo filme sobre a indústria do café especial será lançado ainda este mês

Após o lançamento do documentário “A Film About Coffee” no final do ano passado, mais um filme promete um belo registro sobre a indústria do café especial. Intitulado “Caffeinated”, o vídeo tem previsão de estreia no dia 31 de janeiro, durante o Santa Barbara International Film Festival, na Califórnia, Estados Unidos.

caffeinated

Dirigido por Hanh Nguyen e Vishal Solanki, há quatro anos trabalhando para produzir a película, o novo documentário explora o universo do café por meio da paixão de pessoas que orientam essa indústria. Caffeinated conta a história da comunidade que evolui ao redor do grão, desde o plantio até o consumo na cafeteria, e traz relatos de importantes profissionais do café.

Para os realizadores, a bebida ressurgiu nos últimos anos. E não só como um combustível para o consumo de massa, mas também como uma experiência culinária, aumentando o desejo das pessoas em saber mais sobre o café consumido, as cafeterias e seus proprietários, e sobre a origem do grão, as fazendas e os produtores.

Confira, abaixo, um teaser do filme.

TEXTO Hanny Guimarães • FOTO Divulgação/Courtesy: Caffeinated - The Coffee Movie

Oi, tudo bem?

aftertaste_pedrocirne

Às vezes eu me vejo como um alienígena dos filmes de ficção científica, daqueles que caem na Terra e vão parar na mão de cientistas, que passam dias e dias examinando-o. No fim, nem os pesquisadores entendem o ET, nem o visitante entende o planeta Terra.

Falo isso de uma maneira geral, mas muito especificamente quando olho essa geração nova, que há quem chame de geração Y ou Z. Para mim, é a Geração @, já que eles estão sempre enviando ou recebendo e-mails, ou tuitando, ou citando alguém no Facebook.

Por outro lado, às vezes eu me vejo como um cientista dos filmes de ficção científica, daqueles que examinam um alienígena de tudo o que é jeito, e nunca entendem nada. Enfim, dia desses resolvi fazer uma experiência “científica”: descobrir quanto tempo demorava para ver o quanto alguém, de fato, se interessava em saber como eu estava.

Convenhamos: nem todo mundo que te encontra pessoalmente e diz “oi, tudo bem?” quer saber a resposta. Da mesma maneira, no WhatsApp, no Facebook, no Google Talk, Skype, ou em qualquer um desses ambientes em que a Geração @ habita. A pergunta, então, era: quanto tempo levaria para alguém ao menos ouvir a resposta ao “oi, tudo bem?” antes de começar a falar de si mesmo? Podia ser on-line ou off-line, tanto fazia.

Eu encontrava as pessoas e perguntava “como você está” e ouvia a resposta. Depois, ninguém me perguntava um mísero “e você?”. Idem nos ambientes da Geração @. Nunca um “e vc?” – acho que eles comem as letras “o” e “ê” da palavra “você” porque não têm tempo a perder, e não por preguiça. Eles são muito ocupados: são centenas de amigos em cada rede social, como acompanhar tudo isso? Temos de compreendê-los.

Como pesquisador, descobri que sou um fracasso. Após uma semana, desisti. Estava ficando triste. Onde estavam aqueles amigos virtuais todos? Não posso julgá-los, é claro. Devem estar ocupados demais dando “likes” em centenas de perfis, não têm tempo para se preocupar com alguém que não conhecem no mundo real.

E as pessoas do mundo real? Não posso julgá-los, é claro. Devem estar ocupados demais com o trabalho, o trânsito, o tempo, o pós-Copa, o pré-Olimpíada. É, a vida está corrida. E encontrar alguém ao vivo dá trabalho: não dá para você dar um like no queixo da pessoa e seguir em frente com a sensação de dever cumprido.

Com tanto noticiário online, jornais, seriados na TV, webseriados, é preciso ter um dia de 36 horas para acompanhar tudo e ter assunto para o caso de encontrar, por acaso, alguém ao vivo. E se, pior, essa pessoa dispor de cinco minutos para conversar contigo, como você vai preencher esse tempo imenso se não estiver por dentro de absolutamente tudo que se passa na internet, na TV, nos seriados?

Deixo a resposta contigo, é claro. Eu, particularmente, prefiro ocupar esses infinitos cinco minutos ouvindo o que a pessoa tem a dizer quando eu pergunto “oi, tudo bem?”. Mas raramente a resposta demora mais que quatro segundos. Deve ser o equivalente da vida off-line para o “like” da Geração @.

*Pedro Cirne é chefe de reportagem do UOL Notícias. Fale com o colunista pelo e-mail aftertaste@revistaespresso.com.br

FOTO Divulgação • ILUSTRAÇÃO Eduardo Nunes

CafezalMercado

Curso de marketing e estratégia no café pode ajudar a ampliar vendas

cafe_fruto_cafezal

O marketing é uma das ferramentas mais importantes para o bom andamento de um negócio. No setor cafeeiro, lideranças defendem que é preciso investir mais neste trabalho.

Em busca de suprir essa necessidade, o consultor em marketing e estratégia no agronegócio Paulo Henrique Leme, especializado em café, certificações, indicações geográficas e qualidade, inicia seu curso online “Marketing Estratégico no Agronegócio do Café” no dia 15 de janeiro. As aulas seguem até 5 de março. No curso, os participantes aprendem como fazer uma análise crítica de seu negócio em termos de estratégias de posicionamento de sua marca e de seu café.

O público alvo é diverso e inclui cafeicultores de grande, médio e pequeno porte, empresários ligados ao café, torrefadores, exportadores, donos de cafeterias e consultores, líderes de cooperativas, associações e instituições do café. A amplitude do tema se estende a quase toda a cadeia. “O setor varejista, hoje, sente que precisa esclarecer o consumidor sobre o porquê das diferenças de preço, explicar que existe o café de maior qualidade e os cafés tradicionais, de preço mais baixo. O próprio consumidor agora se faz essas perguntas”, comentou Américo Sato, presidente da Associação Brasileira da Indústria de Café (Abic) à época do início de campanha em comemoração aos 25 anos do Selo de Pureza da Abic, que certifica marcas de café nacional quanto a pureza de seus produtos, no segundo semestre de 2014.

Para orientar os alunos, o instrutor Paulo Henrique traz a experiência de sua didática na atuação como professor na Universidade Federal de Lavras (Ufla) e coordenador do Grupo de Estudos em Marketing e Comportamento do Consumidor (Gecom) da Universidade.

Saiba como se inscrever no curso clicando aqui.

TEXTO Da redação • FOTO Alexia Santi/Agência Ophelia/ Café Editora

Cafeteria & AfinsMercado

Santos inaugura passeio de Bonde Café com degustação

Bonde do café - Museu de Santos O Bonde Café é a nova atração turística da cidade de Santos (SP). O veículo, lançado nesta sexta-feira (9/1), faz parte das comemorações do 469º aniversário de Santos e passa a integrar a linha de bondinhos. O bonde temático é inédito na América Latina e, para a execução do projeto, um modelo italiano foi adaptado para funcionar como linha turística, espaço para divulgação das atividades e programações culturais do museu. A ideia do projeto é oferecer, também, degustação gratuita de café gourmet. Para isso, o bondinho comporta até 24 passageiros, além do guia, barista e maquinista. O convênio prevê, ainda, o treinamento de jovens selecionados pela Secretaria de Assistência Social (Seas) para atuar como baristas no veículo. Promovido pelo Museu do Café da cidade em parceria com a Prefeitura de Santos, por meio da Secretaria de Turismo, e a CET, o novo passeio conta com um trajeto de 25 minutos pelos principais pontos turísticos do Centro Histórico de Santos pelo valor de R$ 6,00. Investimento e estrutura O espaço interno do veículo é equipado com ar condicionado, duas televisões, elevador para deficientes físicos, um frigobar, uma pia, uma máquina de café espresso e mesas e cadeiras para acomodação. O diferencial do Bonde Café está na estilização criada durante sua restauração, além de um layout exclusivo na adesivagem externa. O investimento total para as adaptações foi de R$ 80 mil. Serviço Bonde Café Quando: Terça a domingo, das 12h às 17h Ponto de partida: Praça Mauá, s/n – Centro Histórico – Santos (SP) Mais informações: www.museudocafe.org.br. / (13) 3201-8000 / (13) 3213-1751 Bonde do café - Museu de Santos -2

TEXTO Redação • FOTO Divulgação

Cafeteria & AfinsMercado

McDonald’s abre cafeteria-conceito em Sidney, na Austrália

fachada_thecorner_mcdonalds Não fosse pelo pequenino texto “Mc Café” na logomarca, talvez ninguém notasse que a nova cafeteria de Sidney, na Austrália, a The Corner, se trata do mais novo empreendimento do McDonald’s. O espaço, diferente das lanchonetes fast-food e cafés comuns da marca, traz a proposta de comida saudável, fresca, cafés coados e bebidas artesanais. As fritas e os hambúrgueres dão lugar aos sanduíches naturais, sopas do dia, saladas, além de pães, doces e bolos frescos. mcdonalds_thecorner_mccafe O visual do lugar lembra o das cafeterias independentes da cidade, conhecida pela cena de cafés especiais. Chamado de “laboratório de aprendizado” pelos representantes da marca, a The Corner apresenta um conceito que a gigante Starbucks também abraçou no final do ano passado. mcdonalds_mccafe_thecorner Em entrevista ao site Good Food, o porta-voz do McDonald’s na Austrália, Chris Grant, disse que “se trata de ouvir os clientes”. A demanda crescente dos consumidores por uma alimentação mais saudável e produtos de comércio justo, quando não orgânicos, tem feito grandes marcas reverem seus conceitos e buscarem a melhoria da qualidade do que servem. fachada_thecorner_mcdonalds2 A assessoria da marca no Brasil também confirma a abertura do novo espaço. Ainda não se confirma a abertura de novas lojas do tipo em outras localidades. fachada_thecorner_mcdonalds3

TEXTO Hanny Guimarães • FOTO Divulgação/McDonalds/The Corner

10 horas em Lima: cultura, arte e gastronomia

e43_Lima ao anoitecer

Lima, capital e maior cidade do Peru, é a bola da vez da gastronomia mundial. Colocada no mapa pelo casal Astrid Gutsche e Gastón Acurio, fundadores do Astrid y Gastón em 1994 e hoje sócios de uma extensa rede de restaurantes que inclui o La Mar, o Tanta e muitos outros, a cidade fervilha com novidades e chefs de sucesso. Estive na capital peruana em novembro, acompanhando um grupo para um roteiro gastronômico e tivemos ótimas surpresas, além de refeições memoráveis. Para aqueles que passarem por Lima, mesmo que para uma curta conexão, algumas dicas do que ver e onde comer nesta bonita cidade na beira do Pacífico.

10h
Comece o dia pelo bairro de Miraflores, uma das regiões mais sofisticadas da capital, onde ficam dois parques lindíssimos: o Parque Kennedy, com bonitos jardins e wi-fi grátis, e o Parque del Amor, de frente para o mar, cujos bancos trabalhados com pastilhas foram inspirados no trabalho de Gaudí (do Parque Guell, em Barcelona), tradicional ponto de encontro para casais apaixonados no fim de tarde.

12h
Continue a pé até o Larcomar, um dos símbolos da renovação da cidade, moderno centro comercial a céu aberto, com vista para o Oceano Pacífico. Além de ótimas lojas, os bares e restaurantes garantem lindas panorâmicas da costa. Boa pedida para um café antes de continuar o passeio!

14h
Pegue um táxi para almoçar no prestigiado CALA, no bairro boêmio de Barranco. À beira-mar, com grandes janelas de vidro, atrai um público diferenciado. Peça para sentar na varanda enquanto degusta o clássico ceviche, acompanhado de um pisco sour, a bebida nacional por excelência. O restaurante serve pratos deliciosos, com destaque para a fideua, espécie de paella, os mariscos e pescados.

17h
Depois, vale explorar Barranco, onde estão diversas galerias de arte e lojas de decoração, com destaque para a Dédalo, que vende peças finas elaboradas por artistas locais. Reserve ao menos uma hora para conferir os vários ambientes com móveis, quadros, itens para sala e cozinha, brinquedos educativos, roupas e bijuterias. Dá vontade de comprar tudo! Nos fundos da casa, está um charmoso café, ideal para repor as energias.

20h
Feche o dia com chave de ouro jantando no Central, o melhor restaurante da América Latina (e 15° melhor do mundo) na lista da publicação inglesa Restaurant. Comandada pelo chef Virgílio Martinez, a casa celebra a biodiversidade do Peru; suas criações complexas são um deleite para o olhar e para o paladar, com sabores inusitados e apresentações marcantes. Uma verdadeira viagem pelos sabores do país!
*Maria Fernanda Brando é hoteleira, apaixonada por viagens, livros e café, e fundadora da TravelBox, empresa de consultoria para viagens e roteiros personalizados. Com mais de 25 países carimbados no passaporte, elabora roteiros independentes e criativos, para destinos ao redor do mundo. Para falar com a colunista: contato@travelbox.com.br / (11) 99738-8089 / Facebook: travelboxviagens

FOTO Divulgação/Promperu