Receitas

Cantuccini de café

Ingredientes
• 80 g de manteiga em temperatura ambiente
• 150 g de açúcar refinado
• 100 g de ovos
• 30 g de café forte (espresso frio)
• 230 g de farinha de trigo
• 10 g de cacau em pó
• 4 g de fermento em pó
• 1 g de canela em pó
• 10 g de pó de café
• 1 g de sal
• 140 g de amêndoas cruas e picadas

Preparo
Bata a manteiga com o açúcar até a mistura ficar branca e fofa. Acrescente os ovos e o café aos poucos. Peneire todos os ingredientes secos e, com o auxílio de uma espátula, incorpore-os de uma só vez, incluindo as amêndoas. Faça tiras de 20 cm x 6 cm em uma assadeira untada e enfarinhada ou com um tapete antiaderente (específico para o uso culinário) e leve ao forno a 200 °C por 6 minutos. Deixe esfriar, corte em tiras fazendo riscos diagonais na assadeira e leve ao forno novamente, a 180 °C, por 12 minutos. Retire do forno, deixe esfriar e sirva.

Rende 500 g de biscoitos

*Curiosidade: biscoito é uma palavra que tem origem latina e biscotto (singular de biscotti) significa assado/cozido duas vezes, como nesta receita de cantuccini.

(Receita originalmente publicada na edição impressa da revista Espresso, referente aos meses de junho, julho e agosto de 2015)

FOTO Daniel Ozana/Studio Oz/Café Editora • RECEITA Flavio Federico, chef confeiteiro e consultor

Cafezal

Concurso Colheita Premiada, da Nescafé Dolce Gusto, faz última chamada para inscrições

As inscrições para o concurso Colheita Premiada, da Nescafé Dolce Gusto, que irá eleger o melhor café entre as regiões produtoras do Brasil, se encerram no dia 15 de outubro.

A participação é aberta a todos os cafeicultores, dentro das categorias Conilon, Arábica natural e Arábica lavado. O grande vencedor será anunciado em novembro e terá seu café utilizado em uma edição especial de cápsulas Nescafé Dolce Gusto, 100% brasileira. A produção será realizada ano que vem, na nova fábrica de cápsulas da marca, que fica na cidade de Montes Claros (MG). Os 15 finalistas ainda receberão premiações em dinheiro no valor total de R$ 450 mil (total).

Um dos pré-requisitos para participar é que os lotes tenham sido produzidos em linha com um padrão independente de sustentabilidade, ou seja, possuam certificação válida, como Certifica Minas ou Rainforest Alliance. Os produtores podem se inscrever de maneira gratuita através do site da marca, onde estão mais informações e todo o regulamento. As amostras deverão ser enviadas pelo correio (Sedex ou PAC) ou entregues diretamente, de segunda a sexta-feira das 8h às 17h na Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA).

Fases

O Concurso Colheita Premiada contará com duas etapas. Na primeira fase (eliminatória), serão escolhidos até 45 finalistas, sendo 15 em cada categoria. As amostras serão classificadas quanto ao tipo, qualidade da bebida e outros aspectos, de acordo com a metodologia da Specialty Coffee Association of America (SCAA) para as duas categorias de café arábica e de acordo com o protocolo de avaliação de robustas finos do CQI (Coffee Quality Institute) para a categoria de café conilon.

Na segunda etapa do concurso (classificatória), as amostras finalistas serão degustadas utilizando a metodologia de avaliação de qualidade da Nestlé, com acompanhamento da BSCA e da auditoria Safe Trace. Uma comissão julgadora vai avaliar as amostras, selecionar os cinco finalistas premiados de cada categoria e apontar o grande campeão de acordo com o nível de qualidade dos lotes apresentados. A nova cápsula será parte da série “cafés do mundo”, incrementada com dois novos sabores a cada ano, sendo que esta é a primeira vez que o café brasileiro será escolhido para a ação.

O Concurso Colheita Premiada é uma iniciativa da Nestlé, em parceria com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), e é organizada pela Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA).

Serviço
Concurso Colheita Premiada – Nescafé Dolce Gusto
Inscrições e regulamento: www.nescafe-dolcegusto.com.br/concurso
Entrega de amostras: Rua Gaspar Batista Paiva, 416 – Santa Luiza – Varginha (MG)
Anúncio do vencedor: novembro de 2015

TEXTO Da redação • FOTO Alexia Santi

Cafeteria & Afins

Uma Origem Coffee – Florianópolis (SC)

Entre as bancas de verduras e legumes do Mercado São Jorge, os baristas do café Uma Origem preparam com cuidado, e em diversos métodos, os grãos da Fazenda Califórnia, de Jacarezinho, no Norte Pioneiro do Paraná. A cafeteria, inaugurada em 2013, é ideia dos irmãos Zelio e Luis Gustavo Santana, que aproveitaram a oportunidade de um espaço disponível no mercado e iniciaram o negócio que tanto queriam.

Em 2005, Zelio embarcou no mundo dos cafés especiais durante uma viagem de estudos e surfe em Sidney, na Austrália. Por lá, ele trabalhou como barista para algumas torrefações e cafeterias, como Barefoot Coffee Traders e Toby’s Estate Coffee, e aproveitou para se especializar na profissão. Em uma visita à sua terra natal, Florianópolis, ele percebeu o crescimento dos produtores de qualidade e das microtorrefações e não teve dúvida. Hora de voltar para casa e montar o próprio espaço.

Hoje, no ambiente do Mercado São Jorge, ele e o irmão preparam os grãos catuaí vermelho para o espresso, extraído em uma Nuova Simonelli, e as variedades obatã e catuaí amarelo para os métodos Chemex, Hario V60 e aeropress.

(Texto originalmente publicado na edição impressa da revista Espresso, referente aos meses de junho, julho e agosto de 2015. Sugerimos consultar o lugar para horários de funcionamento e mais informações)

Informações sobre a Cafeteria

Endereço Rua Brejauna, 43 Mercado São Jorge
Bairro Itacorubi
Cidade Florianópolis
Estado Santa Catarina
País Brasil
Website http://instagram.com/umaorigem
Horário de Atendimento De segunda a sexta, das 9h às 20h; sábados, das 9h às 16h
TEXTO Hanny Guimarães • FOTO Divulgação

Café & Preparos

Restaurante, em SP, cria jantar inspirado em café

Nesta terça-feira (6/10), o restaurante Eau, do Grand Hyatt São Paulo, realiza um jantar inspirado em café, em parceria com a Fazenda Ambiental Fortaleza (FAF), de Mococa (SP), fornecedora da casa. O spy on iphone menu, criado pelo chef Thierry Buffeteau, vai colocar write my essay for me o grão em destaque em pratos como foie gras de pato com café, machê, beterraba, rabanete e maçã (entrada); ravióli de faisão caipira com infusão de cascas de café orgânico e legumes (primeiro prato); copa lombo de porco Montau do “João” com molho de café e melaço de cana, acompanhada de abóbora, cenoura, ora-pro-nóbis e orelha de porco frita (segundo prato); e uma espuma de chocolate com crocante de mel e caramelo, servida com sorvete de baunilha e café Bob-o-Link (sobremesa). A experiência, que faz parte da iniciativa do restaurante de trabalhar com fornecedores sustentáveis e de alta qualidade, contará, ainda, com uma degustação de cafés especiais da FAF.
Serviço Jantar especial Eau – Fazenda Ambiental Fortaleza Data: terça-feira (6/10) Horário: a partir das 19h30 Local: Avenida das Nações Unidas, 13301 – Itaim Bibi, São Paulo – SP Valores: R$ 135 por pessoa / R$ 175 por pessoa incluindo harmonização com vinhos Reservas: (11) 2838-3207 / 3208 (antecipadas e obrigatórias) *O menu está sujeito à alterações devido à sazonalidade dos ingredientes utilizados

TEXTO Da redação • FOTO Felipe Gombossy/Café Editora

Cafezal

Seminário do Café reúne produtores no Cerrado Mineiro

Entre os dias 6 e 9 de outubro, a cidade de Patrocínio (MG) recebe o 23º Seminário do Café da Região do Cerrado Mineiro. O evento pretende reunir produtores e entidades ligadas ao setor, pesquisadores, agrônomos e estudantes para debater problemas e soluções de interesse dos cafeicultores na área técnica, econômica, pesquisa e tecnologia. Neste ano, as cooperativas de COOPA e Expocaccer firmaram parceria com a Associação dos Cafeicultores da Região de Patrocínio (Acarpa) para oferecer um ambiente de negócios para os cafeicultores. Uma novidade são os workshops e cursos sobre classificação, degustação e mercado de café. Os workshops acontecem no período da tarde, dentro do espaço das cooperativas, na parte central do evento. Para participar, os interessados devem se inscrever no local. O Seminário conta, também, com uma dinâmica de Show de Máquinas e um roteiro temático com visita programada à Expocaccer, com o intuito de conhecer os caminhos do café até à xícara. Confira, abaixo, os destaques da programação e palestrantes que virão participar do Seminário: 7/10 14h Marcelo Montanari (Engenheiro agrônomo e cafeicultor) e Adriano Gilson Rocha de Carvalho (Engenheiro agrônomo Sebrae Educampo COOPA), realizam um debate técnico com mediação do Diretor da Acarpa e consultor técnico, Kássio Humberto da Fonseca sobre os desequilíbrios ocasionados por controles da broca, que atitude tomar frente às pragas oportunistas. 16h Jackeline Uliana Donna (Gestora de Fortalecimento e Desenvolvimento da CLAC/FAIRTRADE), explica o significado do Fair Trade e sua atuação no mundo e na cafeicultura. No mesmo horário, Jefferson Gitirana Neto (Pesquisador e consultor técnico), comenta sobre o manejo integrado de pragas. 08/10 14h Mesa redonda sobre sementes, mudas e viveiros. Com a participação de André Felipe C. P. da Silva (coordenador de sementes e mudas do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento – Mapa), Maurício Bento da Silva (fiscal agropecuário do Mapa), Márcio da Silva Botelho (diretor-geral do Instituto Mineiro de Agropecuária – IMA), Gláucio de Castro (vice-presidente da Fundação de Desenvolvimento do Café do Cerrado – Fundaccer), Thiago Motta (produtor de sementes), Enivaldo Marinho Pereira (cafeicultor e viveirista), Elisa Muller Veronezi (engenheira agrônoma Sebrae Educampo Expocaccer) e Ramiro Guimarães (engenheiro agrônomo Sebrae Educampo COOPA). 16h Com coordenação do Superintendente Federação dos Cafeicultores do Cerrado, Juliano Tarabal, os convidados Felipe Croce (Fazenda Ambiental Fortaleza – Mococa SP), Mariano Martins e Fabíola Filinto (Fazenda Santa Margarida – São Manoel SP), André Nakao (Fazenda Serra Negra – Região do Cerrado Mineiro) e Marcelo Montanari (Fazenda São Paulo – Região do Cerrado Mineiro), debatem sobre: Painel Experiências e Histórias de Produtores que Agregam Valor com Criatividade. Em um ano de adversidades, como encontrar saídas? 09/10 14h Mesa redonda sobre a preservação da água em tempos de escassez com: Maria de Fátima Dias Chagas Coelho (diretora geral Instituto Mineiro de Gestão de Águas IGAM), Fernando Beloni (membro da Associação dos Usuários das Águas Ribeirão Pavões e Regiões – AUAPA), Claudomiro Aparecido da Silva (coordenador do curso de Ciências Biológicas do Unicerp e conselheiro do Comitê de Bacias Hidrográficas) e Cláudio Moraes Garcia (presidente da Associação dos Cafeicultores de Araguari – ACA). 16h Guilherme Lucas Moreira Dias Almeida (supervisor do departamento de Estudos Econômicos da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Minas Gerais – Fecomércio – MG) apresenta um panorama econômico e político do Brasil e como os temas podem impactar a cafeicultura. Serviço 23º Seminário do Café da Região do Cerrado Mineiro Local: Sindicato Rural de Patrocínio – Av. Márciano Píres, 622 – Marciano Brandão – Patrocínio (MG) Data: de 6 a 9 de outubro Mais informações: www.acarpa.com.br

TEXTO Natália Camoleze • FOTO Alexia Santi/Agência Ophelia

Receitas

Coffee Spritz

Ingredientes
• 30 ml de Aperol
• 20 ml de licor de ameixa – Plum Dew
• 20 ml de espresso frio
• 100 ml de espumante Brut
• 3 lances de Zulu Bitters Orange (pode ser adquirido no site www.obarvirtual.com.br)
• Cubos de gelo

Preparo
Em uma taça para vinho branco, ponha bastante gelo em cubo. Acrescente os ingredientes, montados na ordem da receita – do Aperol ao bitter. Finalize com três grãos de café e uma fatia de laranja fresca.

Rende 1 porção

(Receita originalmente publicada na edição impressa da revista Espresso, referente aos meses de junho, julho e agosto de 2015)

FOTO Daniel Ozana/Studio Oz/Café Editora • RECEITA Laércio Zulu, do La Maison est Tombée

Cafeteria & Afins

Confeitaria Colombo, no Rio de Janeiro, investe em blend próprio

A tradicional Confeitaria Colombo, localizada no Rio de Janeiro, fechou uma parceria com a marca Tassinari Cafés para desenvolvimento de um blend próprio.

O café elaborado é 100% arábica e pode ser preparado na confeitaria nos métodos espresso e coado. “Queremos proporcionar aos consumidores da Colombo uma experiência que os inspire a sentir prazer em degustar um espresso de verdade. O nosso café tem como objetivo fazer com que o consumidor perceba a diferença entre beber, degustar, preparar e saber fazer uma boa bebida”, explica Paulo Tassinari, proprietário da Tassinari Cafés.

Parte do Patrimônio Histórico e Artístico do Rio de Janeiro, a Colombo também está comercializando o café moído ou em grãos na loja, por R$ 29,93. A embalagem em lata celebra os 120 anos da confeitaria, comemorados no ano passado.

Serviço
Confeitaria Colombo
Local: Rua Gonçalves Dias, 32 – Centro – Rio de Janeiro (RJ)
Mais informações: www.confeitariacolombo.com.br

TEXTO Da redação • FOTO Divulgação

Mercado

OIC institui Dia Internacional do Café

Confuso sobre qual data comemorar o Dia Internacional do Café? Embora, aqui na Espresso, dia do café seja todo dia, foram tantas as celebrações do grão este ano que a dúvida realmente paira no ar. Para consagrar a tão querida bebida e esclarecer de vez a confusão, a Organização Internacional do Café (OIC) anunciou que a primeira data oficial que comemora o Dia Internacional do Café será este 1º de outubro de 2015.

O anúncio foi feito pelo diretor-executivo da OIC, Robério Oliveira Silva. Segundo ele, os 74 Estados Membros da OIC e 26 associações do setor cafeeiro de todo o mundo estão unindo forças para comemorar a diversidade, a qualidade e a paixão que existem em todas as pontas da cadeia. “O dia dá aos que amam o café a oportunidade de compartilhar seu amor pela bebida e de apoiar os milhões de cafeicultores que dependem desse produto aromático”, diz o comunicado divulgado pela OIC.

Uma campanha on-line vai gerar publicidade para o dia 1º de outubro e incentivar comemorações. A campanha inclui um site com informações sobre os eventos e outras ações virtuais dedicadas ao dia.

A hashtag #InternationalCoffeeDay está sendo utilizada em redes sociais (Facebook, Instagram e Twitter) para tornar a data oficial cada vez mais conhecida.

Assista ao vídeo promocional da campanha #InternationalCoffeeDay

Também como parte das comemorações, a OIC, através de um Memorando de Entendimento com a Oxfam International, irá colaborar em uma campanha centrada no conceito do “caffè sospeso”, uma tradição italiana que consiste em pagar por uma segunda xícara de café a ser oferecida a uma pessoa que precisa. A campanha de ação social intitulada “Um caffè sospeso contra a pobreza” deve dar aos amantes do café do mundo todo a oportunidade de mostrar sua solidariedade aos pequenos cafeicultores. Usando uma plataforma on-line, eles poderão doar o valor de uma xícara extra de café ao trabalho que a Oxfam realiza em benefício desses cafeicultores.

No mundo todo, em várias datas durante o ano, muitos países celebram seus próprios dias nacionais do café. O primeiro Dia Internacional do Café coincide com a 115ª sessão do Conselho Internacional do Café e o primeiro Fórum Global do Café, que acontecem durante a Expo Milão 2015.

Cafeterias pelo Brasil estão se preparando para a data com programação especial. Na O Giramundo, de Curitiba (PR), por exemplo, o blend da casa será servido no método filtrado, na Hario V60, gratuitamente. O café será oferecido de 17h às 23h e a degustação é aberta ao público. Ainda nesta quinta-feira, a torrefação William & Sons Coffee Company está com frete grátis para todo Brasil, em pedidos acima de R$ 100. Já o coffee truck Bio Barista estará pelas ruas de São Paulo, das 11h30 às 17h, com desconto de 10% em qualquer bebida. Se você também tem uma cafeteria e está preparando eventos exclusivos para comemorar o Dia Internacional do Café oficial, divulgue aqui nos comentários ou marque a Espresso em seu post no Facebook para celebrarmos juntos.

Serviço Dia Internacional do Café oficial
Data: 1º de outubro
Local: comemorações em diversos países e ações pela internet
Mais informações: internationalcoffeeday.org

O Giramundo – Degustação de café #InternationalCoffeeDay
Local: Rua Santa Catarina, 456, Água Verde, Curitiba (PR)
Data: 1º de outubro
Horário: de 17h às 23h
Mais informações: www.ogiramundo.com

Bio Barista – #InternationalCoffeeDay
Local: Alameda Barão de Limeira, 425, São Paulo (SP), na Folha de S. Paulo
Data: 1º de outubro
Horário: de 11h30 às 17h
Mais informações: www.facebook.com/BioBaristaCafesEspeciais

William & Sons Coffee Company – #InternationalCoffeeDay
Local: no site williamsonscoffeecompany.nuvemshop.com.br
Data: 1º de outubro
Mais informações: www.facebook.com/williamsonscoffee

TEXTO Redação • FOTO Julian Lopes

O Medo, esse meu amigo

Ok, Confesso. Sou um homem medroso. E sabe o que é curioso? Não conheço nenhum outro, exceto aquele que vejo no espelho.

O medo é um sentimento deveras curioso. Por que passamos tanto tempo a combatê-lo? Negando sua existência? Quantas pessoas não tentam se explicar, quando usam a palavra “medo” em uma frase? “Medo, eu? Não exagera… É cautela/bom senso/prudência.”

Imagine uma humanidade em que ninguém, mas ninguém mesmo, sentisse medo. Conseguiu? Pois é, não… Porque essa humanidade estaria extinta. Crie, na sua imaginação, um destemido e audaz homem pré-histórico encontrando um dentes-de-sabre (nem sei se foram contemporâneos, é só um exemplo). O destemido e audaz gritaria para a família: “Deixa comigo, resolvo sozinho”. Três mordidas depois o dentes-de-sabre já estaria fazendo a digestão e palitando os dentes com a clava do cidadão.

O medo é um instinto de preservação. É o que nos impede de dar um passo rumo ao desconhecido. Se humanos nascemos, é inevitável que cometeremos erros, perderemos disputas, apanharemos (metaforicamente falando). Ser homem ou mulher é conviver com a possibilidade da derrota. E o que o medo nos faz? Pode ajudar para que não apanhemos muito (metaforicamente falando II – o didatismo contra-ataca) ou, o que é melhor, pode nos ajudar a não apanhar. A pegar o caminho mais iluminado, a escolher a fruta que não vá dar congestão, a evitar tentar saltar o penhasco e caminhar um pouco mais para atravessar pela ponte.

Não finjo que ele, o medo, não existe. Pelo contrário: ele, para mim, é um amigo cauteloso, que me dá conselhos. Uma espécie de Grilo Falante (Lembra? Do Pinóquio?), que fica sobre o ombro esquerdo tentando me ajudar a optar por caminhos menos propensos a erros. (Sobre o ombro direito fica o Cupido. E esse só me leva a caminhos onde é impossível não errar.)

Levo tão a sério o meu Grilo Falante particular que até o batizei: ele se chama… Medo. Assim, com M maiúsculo. Nada original, eu sei. Mas é que se eu desse um nome fantasia, como São Jorge Destruidor de Dragões, seria uma maneira de eu fingir que ele não existe, e não é essa a ideia.

Às vezes o Medo me diz: não vá por aí, e eu o desobedeço. Às vezes, não. Qual o critério? Uma pergunta simples: vale a pena?

Se eu adoraria viajar para aquela cidade, mas tenho medo do voo, vou enfrentar? Sim, porque quero muito ir. E se estou com preguiça de caminhar, vou pegar carona com um motorista bêbado? Não, né? Em casos como esse, obedeço ao meu amigo Medo. E conhecidos que tomam a mesma decisão dizem que não é medo, mas cautela/bom senso/ prudência. Que seja!

O Medo é meu amigo e, às vezes, eu o enfrento. Por exemplo: toda vez que devo uma crônica para a Espresso, tenho medo de que não gostem. Mas envio mesmo assim: não o obedeço. Mas o Medo não se magoa facilmente e continua aí, na luta, firme e forte sobre meu ombro. Valeu, Medo, você é um amigão. Obrigado por já ter me livrado de tantas enrascadas!

*Pedro Cirne é chefe de reportagem do UOL Notícias. Fale com o colunista pelo e-mail aftertaste@cafeeditora.com.br

ILUSTRAÇÃO Eduardo Nunes

Brazil. The Coffee Nation

Mostrar ao mundo a verdadeira nação do café, indo muito além das limitações geográficas de um país cafeeiro. Esse é o start do novo posicionamento de branding ‘Brazil. The Coffee Nation’ que a Brazil Specialty Coffee Association (BSCA) utilizará na promoção dos cafés especiais brasileiros em todo o mundo.

Após um detalhado estudo, identificamos cenários para agregação de valor à nossa oferta para toda a cadeia de stakeholders do café e para a estruturação do setor a fim de que os associados sejam players globais, exportadores de valor agregado, melhorando a percepção atual sobre o produto brasileiro.

E é com a ideia de mostrarmos ao mundo que uma nação é não apenas um território geográfico delimitado por suas fronteiras, mas um lugar que tem cultura própria e única, além de ser composta de um povo que partilha os mesmos interesses, propósitos, valores e paixões, entre elas o café, que a BSCA e seus parceiros levarão ao mundo a vanguarda do Brasil no segmento de grãos especiais, revelando que o nosso produto vai além do despertar matinal. Ele representa o aroma e o aconchego de nossas casas, traz o carinho da família e é uma forma de socializar com amigos, fechar negócios e coroar nossas refeições.

O posicionamento também apresentará a responsabilidade sustentável de nossa produção, focada no respeito ao meio ambiente e aos aspectos sociais e econômicos, demonstrando que seguimos a legislação mais rígida do mundo para termos um posicionamento muito além do posto de maior produtor e exportador. Queremos fortalecer a imagem do Brasil como País de origem de produtos high end, que estão presentes nos mais sofisticados e exigentes centros de consumo mundiais.

A definição do conceito “Brazil. The Coffee Nation” se deu após pesquisas que identificaram “autenticidade”, “conveniência” e “gourmetização” como aspectos valorizados pelos consumidores. São reflexos exatos do mercado de cafés especiais, cujos atores devem exercer o conceito de sustentabilidade em todos os seus trâmites, demonstrando que os cafés brasileiros especiais são voltados para pessoas também especiais.

Assim, nossas ações promocionais apresentarão a cultura e a história de sucesso do País no café, revelando a paixão, a história e a tradição de sustentabilidade, além do sucesso do Brasil como produtor, industrial e exportador, o que traz à tona profissionalismo, conhecimento, diversidade e comprometimento com os compradores.

Através do exposto, traçamos um norte, que é passar de grande exportador, base de blends e de dúvidas em relação à qualidade – por culpa de nosso passado – para, já em 2020, o maior e melhor produtor de cafés, e deixar a imagem de confiança, respeitabilidade, “premium”, além de eliminar todas as dúvidas sobre nossa qualidade.

O mundo demanda produtos únicos e o Brasil é a fonte para que isso seja suprido. Somos o paraíso dos “coffee hunters”, que aqui encontram os grãos que possibilitam bebidas fantásticas que encantarão pessoas em todos os cantos do mundo. Por tudo isso, o Brasil é “the coffee nation”.

Para entender um pouco mais do assunto, a dica é pesquisar o vídeo institucional “Brazil. The Coffee Nation” no YouTube, disponibilizado no canal da BSCA.

Vanusia Nogueira é diretora executiva da Brazil Specialty Coffee Association (BSCA). Fale com a colunista pelo e-mail colunacafe@cafeeditora.com.br

ILUSTRAÇÃO Eduardo Nunes