Os cinco países mais promissores para o café

Muitas empresas acreditam erroneamente que mercados maduros não oferecem oportunidades para novas marcas. No entanto, o café pode apresentar muitos espaços para inovação em diferentes canais e formatos, mesmo em mercados maduros onde a concorrência é alta. O estudo “Cinco Mercados Mundiais mais Promissores em Café”, apresentado durante a Semana Internacional do Café 2018, analisa os maiores mercados de café do mundo – Brasil, Estados Unidos, Indonésia, Alemanha e Japão – e apresenta tendências de crescimento distintas em cada um deles.

As ondas do café
Ao contrário do que acontece com a maioria das categorias de alimentos e bebidas, o mercado de café, felizmente, tem passado por constantes ciclos de reinvenção. As chamadas “ondas do café” indicam diferentes momentos pelos quais o produto passou em cada mercado, pautadas pelo nível de desenvolvimento, entendimento das especificidades do produto pelos consumidores, profissionalização e inovação da categoria.

A primeira onda do café é marcada pela “descoberta” da bebida e dos seus benefícios funcionais. Já na segunda, as cafeterias ganham relevância e os consumidores passam a experimentar novos formatos, como cápsulas e solúveis. A terceira onda, por sua vez, é marcada pela necessidade de inovar para se manter no mercado, considerando a forte concorrência. A quarta onda, por fim, ainda não tem limites bem definidos: são muitas as possibilidades para o futuro do café, que está presente em quase todos os momentos da vida dos consumidores.

Brasil: Crescimento constante durante a crise econômica
Mesmo em mercados considerados mais maduros como o do Brasil – país que alcançou o primeiro lugar no ranking mundial de café em 2014, ultrapassando os Estados Unidos – as vendas continuam crescendo a uma taxa de 3%, acima da média mundial, apesar do cenário de crise interna. Ainda que o setor seja dominado pelo café torrado e moído, outros formatos passam a ganhar relevância, especialmente conforme o mercado encaminha-se para a terceira onda: marcada pela inovação e diferenciação das marcas como um atributo decisivo no momento da compra.

Estados Unidos: Consumo fora do lar impulsiona as vendas
Já no caso dos EUA, segundo maior mercado de café do mundo, que atualmente encontra-se na quarta onda, o crescimento concentra-se no canal de foodservice, representado principalmente por cafeterias e restaurantes. Apesar de ser um mercado mais maduro em volume de vendas e apresentar desaceleração no varejo, as principais oportunidades se apresentam para produtos com maior valor agregado e que universalizem as ocasiões de consumo de café, como as versões prontas para beber, que trazem atributos como premiunização e conveniência.

Indonésia: Busca por conveniência impulsiona versão solúvel
Para a Indonésia, que ocupa o terceiro lugar no ranking mundial, o produto ganha relevância à medida que os consumidores menos afluentes buscam reproduzir em casa a experiência que teriam na cafeteria, ainda restrita àqueles com renda mais alta. A tendência de urbanização e os novos estilos de vida levam os consumidores a buscar produtos convenientes e isso se traduz em um aumento na demanda pelo café solúvel. O país, que se encontra na primeira onda, ainda possui um caminho muito dinâmico a percorrer conforme os habitantes descobrem não só os benefícios funcionais do produto, mas o quão diferentes podem ser cada marca.

Alemanha: Inovação como fator-chave de sucesso
Um dos mercados mais equilibrados entre as vendas de todos os tipos de café é o da Alemanha, quarto maior país do mundo em vendas do produto. Independentemente do tipo de café, no entanto, sustentabilidade e rastreabilidade são atributos de peso na decisão de compra dos alemães, indicando um interesse crescente dos consumidores em entender os processos por trás de toda a cadeia de produção e distribuição, além de manter um consumo responsável. Como um traço forte da terceira onda do café, o mercado alemão é marcado também pela forte inovação como fator de diferenciação entre as marcas.

Japão: Espaço urbano limita vendas de cápsulas
Com características muito distintas dos mercados anteriormente mencionados, o Japão figura no quinto lugar no ranking mundial de café, cujo consumo deverá ser duas vezes maior que o de chá até 2022. O setor é dominado pelo formato em grãos, que detém mais de 30% do volume de vendas, com forte presença também dos solúveis, evidenciando a busca por conveniência e praticidade. As cápsulas, ao contrário dos demais países, mostram pouca relevância, especialmente devido aos espaços limitados dos lares japoneses em áreas urbanas, o que desestimula a aquisição de mais um eletrodoméstico.

É interessante notar que mesmo os maiores mercados do mundo em volume total de venda de cafés ainda apresentam oportunidades promissoras de crescimento para novos tipos e marcas. Para poder se destacar em novos mercados, no entanto, é imprescindível que se entenda a fundo o cenário interno de cada país e as particularidades de cada “onda”, ou seja, em que estágio de desenvolvimento ele se encontra.

Mais do que isso, com a crescente concorrência entre fabricantes e marcas de café, é preciso lembrar que a diferenciação também é um fator fundamental de sucesso: seja explorando novos canais de consumo, como o foodservice, criando uma experiência de consumo inovadora ou até mesmo usando a tecnologia para gerar mais eficiência e qualidade. Qualquer que seja a estratégia escolhida, o futuro guarda excelentes oportunidades aqueles que ousarem se reinventar assim como o café vem fazendo ao longo dos anos.

Faça o download do estudo “Five Most Promising Markets in Coffee”: http://bit.ly/world_coffee

*Angelica Salado, Analista sênior – Bebidas & Tabaco da Euromonitor

TEXTO Angelica Salado • FOTO Roberto Seba

“O melhor café da minha vida”

A profissão de barista no Brasil é ainda muito nova. Tem pouco mais de 10 anos. Mas em muitos países da América do Sul e Central é ainda mais recente. Estive no Peru em 2010, momento em que efervescia o café especial. Na época, produtores começavam a ver valor em seus grãos e surgiam jovens, muito jovens, dispostos a aprender essa nova profissão, assim como empreendedores que abriam cafeterias muito bacanas em Lima. Um movimento que dava gosto de ver e sentir o delicioso aroma. Lá os cafés, em geral, têm sabores muito exóticos e acidez bem pronunciada. Lembro-me de ter provado alguns bem incríveis.

Um dos entusiastas dessa nova etapa foi o barista Harrysson Neira, na época com 20 anos, que provava os cafés com dedicação, perguntava muito e tinha sede de aprender. Harry (Rare, para os peruanos), como é conhecido, abraçou a profissão de barista e, desde então, vem sendo um dos porta-vozes desse mercado no país. Junto com os baristas Karen Pisconte, da Café Verde, e Roberto Pablo, o Tito, da Arabica Espresso Bar, campeões nos anos de 2010 e 2012, eles são a primeira geração de baristas do país.

Logo que terminou a escola, Harry fez um curso na área de cozinha e trabalhou em alguns restaurantes de sua cidade-natal, Lima. “Não me encontrava ali, sentia que a cozinha não era minha vocação. Procurei outro trabalho e cheguei até uma cafeteria, onde comecei a descobrir algo totalmente novo.”

Em novembro de 2013, recebi de Harry a notícia de que ele havia vencido o campeonato nacional de barista, depois de dois anos em segundo lugar. Ele é autônomo e, desde 2011, criou a sua própria marca El Café de Harry. Ele seleciona, torra e ajuda a promover o consumo de cafés especiais em restaurantes e cafeterias: “Parte da missão desse café é fazer com que nos restaurantes ele seja um real protagonista e que deixe de ser um simples complemento da refeição”, ele diz. E está dando certo, pois há muitos estabelecimentos que vêm investindo no café: “com o auge gastronômico que vive hoje Lima, há diversos chefs respeitando o café e colocando no cardápio grãos especiais preparados por baristas muito bem treinados”.

A dedicação de Harry representa muito essa gana do povo peruano. Apesar de eles não serem ainda grandes consumidores de café, com pouco mais de 1 quilo por pessoa/ano, a relação deles com o fruto é muito forte, principalmente os que vivem no campo.

É o caso de Harry: “meus avós tinham plantações de café, em Piura, ao norte do Peru, e nas minhas férias eu os via colhendo café e assistia a todo o processo. Eles faziam café natural, secavam no teto da casa e logo tostavam e preparavam o café filtrado. Chamavam toda a família. Recordo-me com muita saudades desse café, super aromático, delicioso, especial. Até hoje é, com certeza, o melhor café que provei em minha vida.”

Junto com essa paixão de Harry vem o crescimento nacional de cafeterias especializadas, com ofertas de cafés de origem. “Já podemos dizer que há um novo tipo de cliente, que começa a conhecer o café, que tem habilidade para diferenciar as qualidades e transmite isso aos amigos e gera um efeito multiplicador.”

Esse movimento de voltar a atenção para o campo e valorizar produtos frescos já não é de agora, mas, no café, produto de cadeia complexa e cheia de etapas, ainda é algo muito distante do consumidor. “Quando um cliente prova um café que conhecemos muito bem o produtor, que a torra tem alguns dias e que finalmente é servido contando a ele todos os detalhes por trás da xícara, não há nada melhor do que o ver desfrutando contente tudo de especial que tem ali.”

Neste ano, a maior feira de café do mundo, a SCAA (Associação Americana de Cafés Especiais), terá o Peru como país homenageado. O país dobrou, em 11 anos, a produção, de 2,4 milhões de sacas para 4,7 milhões. O cafeicultor vem acreditando no café especial de lá, e os jovens abraçaram essa causa. Sorte nossa!

(Texto originalmente publicado na edição impressa da Revista Espresso referente aos meses março, abril e maio de 2014 – única publicação brasileira especializada em café. Receba em casa. Para saber como assinar, clique aqui).

TEXTO Mariana Proença • ILUSTRAÇÃO Eduardo Nunes

Receitas

Scrumble de tofu

Por Thiago Medeiros

Ingrediente
– 100 g de tofu extrafirme
– 1 berinjela média
– 2 talos de alho-poró
– 1 dente de alho
– 1 cebola-roxa
– 1 colher (sopa) de açafrão-da-terra/cúrcuma
– Azeite
– Sal
– Pimenta-do-reino

Preparo
Em uma tigela, amasse o tofu com um garfo até que ele fique em grumos. Tempere com azeite, cúrcuma, sal e pimenta-do-reino. Em uma frigideira, refogue a cebola, cortada em julienne, com azeite, adicione o tofu, refogue por 2 minutos e reserve. Refogue então a berinjela com azeite, o alho picado e o alho-poró picado até que a berinjela fique macia. Misture tudo e sirva em fatias de pão tostado.

(Texto originalmente publicado na edição impressa da Revista Espresso referente aos meses junho, julho e agosto de 2018 – única publicação brasileira especializada em café. Receba em casa. Para saber como assinar, clique aqui).

FOTO Daniel Ozana/Studio Oz • RECEITA Thiago Medeiros

Receitas

Pudim de chia

Por Thiago Medeiros

Ingredientes
– 1/2 litros de leite de amendoim ou de outra castanha
– 1/2 xícara (chá) de chia
– 1 colher (sopa) de açúcar mascavo
– 1 colher (chá) de canela em pó
– 1 banana
– 1 colher (sopa) de semente de abóbora
– 1 colher (sopa) de geleia de maracujá com manga (ou outra de sua preferência)
– 1 colher (sopa) de nibs de cacau

Preparo
Misture em uma tigela a chia, o açúcar mascavo, a canela e o leite vegetal, e deixe repousar por no mínimo 2 horas. Se ficar muito firme, adicione mais leite vegetal. Sirva com a banana, as sementes, a geleia e os nibs de cacau, ou ainda com outro acompanhamento, como granola e cereais.

(Texto originalmente publicado na edição impressa da Revista Espresso referente aos meses junho, julho e agosto de 2018 – única publicação brasileira especializada em café. Receba em casa. Para saber como assinar, clique aqui).

FOTO Daniel Ozana/Studio Oz • RECEITA Thiago Medeiros

Mercado

Nespresso firma parceria para produção de cápsulas ecológicas

A Nespresso firmou um acordo com a mineradora anglo-australiana Rio Tinto para trabalhar em conjunto e cumprir com o compromisso de aquisição de 100% de alumínio sustentável até 2020, com o intuito de reduzir o impacto que o alumínio tem sobre o planeta.

Segundo Claudia Leite, gerente de Cafés e Sustentabilidade da Nespresso, a ideia é utilizar os padrões que vem sendo desenvolvidos a alguns anos, da certificação da ASI (Aluminium Stewardship Initiative). Atualmente, a Rio Tinto é a única que produz o alumínio.

“A Nespresso e a Rio Tinto trabalharão juntas para garantir que a Nespresso adquira alumínio 100% certificado pela ASI. As ações resultarão na redução nas emissões de carbono e irão assegurar direitos da população indígena, além da proteção de patrimônios mundiais e gestão de resíduos e reciclagem”, comenta Claudia.

A ideia é que daqui 12 meses já existam cápsulas fabricadas com o alumínio. Segundo Claudia, os valores das cápsulas não serão alterados.

TEXTO Redação • FOTO Beatriz Cardoso

Barista

É do Brasil! 1° Campeonato de Aram acontece neste domingo

Para comemorar os 7 anos da Rause Café + Vinho e um ano da Rause Batel, a casa preparou uma programação especial para o dia 25 de novembro. Dentre as atividades, haverá drinques e comidinhas, muita música, degustação de cafés com Amanda Lafayette, mestre de torra e sócia da 4beans Coffee Co. e a realização do 1° Campeonato Brasileiro de Aram!

Com início às 11h, a competição conta com 16 vagas e qualquer pessoa pode participar. Cada competidor terá sua estação equipada e ganhará 200g do Blend Rause 2019, café que será lançado no evento. Estará a disposição: um moinho EK43 Malkonig para uso no tempo de pré-preparo, uma chaleira elétrica, uma balança e uma Aram por estação. A apresentação deverá ser feita em 10 minutos.

A partir do dia 20, os participantes poderão retirar 200 gramas do Blend Rause 2019 para testes. Já para o campeonato, a quantidade para o preparo é livre e cada um poderá criar sua receita, desde que esteja dentro do tempo permitido.

Funcionando no formato mata-mata, dois baristas por vez farão a preparação da bebida simultaneamente, sendo avaliados em quesitos técnicos. Três juízes sensoriais provarão as duas bebidas e escolherão às cegas a melhor, tendo um ganhador por rodada. As chaves serão fechadas conforme o número de participantes.

Os juízes da primeira fase serão os baristas Daniel Acosta, Fabiola Jungles e Amandha Locatelli. Já na segunda, Otavio Linhares, Amanda Lafayette e Maycon Aram. Será avaliado aspectos visuais (a bebida deve apresentar crema) e sensorial (equilíbrio, acidez, corpo, doçura e amargor). Se liga nos prêmios para quem ficar no pódio:

1° lugar
– 1 Aram
– 1 Pacote Blend Rause 2019
– 1 Grand Estandon Brise Marine Rose
– 1 Avental Karuf
– 1 Revista Espresso
– 1 Pão Rause Café + Vinho
– 1 Geleia Rause Café + Vinho
– 1 Meia Jaca
– 1 Caneca Vida Feita a Mão

2° lugar
– 1 Estandon Brise Marine Rose
– 1 Pacote Blend Rause 2019
– 1 Revista Espresso
– 1 Pão Rause Café + Vinho
– 1 Geleia Rause Café + Vinho
– 1 Meia Jaca
– 1 Caneca Vida Feita a Mão

3° lugar
– 1 Mini Estandon Brise Marine Rose
– 1 Pacote Blend Rause 2019
– 1 Revista Espresso
– 1 Meia Jaca
– 1 Caneca Vida Feita a Mão

A inscrição custa R$ 35 e deve ser feita através do WhatsApp (41) 9673-5418 (corra, restam só 3 vagas!). Para quem vai competir, fica a dica: será reservado um tempo para conhecimento dos equipamentos e estações (das 10h às 10h30), das 10h30 às 11h você poderá treinar sua receita.

Programação completa
11h – 15h: campeonato de Aram
11h – 15h: conversa e degustação de cafés com a 4beans Coffee Co.
15h: parabéns e bolo
16h – 18h: apresentação da banda Las Courtney Lovers
18h – 20h: discotecagem com Gisele Dias

Além do Blend Rause 2019, também serão lançadas as novas canecas da casa! O evento é patrocinado pela Aram e apoiado pela 4beans Coffee Co., Grand Cru Vinhos, Kuruf Têxtil, Vida Feita a Mão e Meia Jaca.

Serviço
1° Campeonato Brasileiro de Aram
Quando: 25/11
Horário: das 11h às 15h
Onde: Avenida Nossa Senhora Aparecida, 48 – Batel – Curitiba (PR)
Mais informações: https://www.facebook.com/events/1187957298023577/

TEXTO Gabriela Kaneto • FOTO Felipe Gombossy

Mercado

Café Cultura aposta em novidades para o natal

A rede de cafeterias Café Cultura acaba de lançar algumas novidades para quem quer dar um presente bem cafeinado neste natal. Dentre os produtos, o principal é o novo microlote de edição limitada: o Santa Blend 2018.

Composto por grãos 100% arábica cultivados em fazendas do circuito das Águas Paulistas, na Serra da Mantiqueira (SP), o café possui notas de pêssego, noz moscada e doçura de melaço. A latinha natalina custa R$ 40.

O Café Cultura também criou modelos de kits que levam os campeões de venda das lojas: hario v60, french press e as canecas da marca. É possível criar kits personalizados a partir das combinações dos produtos oferecidos.

Aos interessados, as novidades estão a venda nas 11 lojas da rede, que ficam nas cidades de Florianópolis, São José, Balneário Camboriú, Criciúma e Tubarão. Para quem não é de Santa Catarina, é possível adquirir através do site.

TEXTO Redação • FOTO Michel Teo Sin

Cafezal

Cafés de Piatã vencem concurso Florada Premiada

Promovido pela 3corações, em parceria com a Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA), a primeira edição do concurso Florada Premiada anunciou suas vencedoras durante a Semana Internacional do Café, feira do setor que ocorreu em Belo Horizonte (MG) durante os dias 7, 8 e 9 de novembro.

Creusa Silva Santana, de Piatã (BA), ficou em primeiro lugar na categoria via úmida, com um café de 91,09 pontos. Já na categoria via seca, a ganhadora foi a cafeicultora Tainã Bittencourt Peixoto, da Chapada Diamantina (BA), com grãos que ganharam 91,27 pontos. Confira o pódio abaixo:

Via úmida
Creusa Silva Santana – Piatã (BA)
Patrícia Rigno de Oliveira Rosa – Piatã (BA)
Deuseni de Oliveira – Piatã (BA)

Via seca
Tainã Bittencourt Peixoto – Piatã (BA)
Inácia de Fátima Silva Juliano – Pedralva (MG)
Luciene Aparecida Santos Mota – Pedralva (MG)

Além de ter tido os lotes comprados pelo dobro da cotação, os primeiros lugares também receberam uma premiação em dinheiro: R$ 25 mil para as primeiras colocadas, R$ 15 mil para as segundas e R$ 10 mil para as terceiras.

Com objetivo de dar visibilidade à força feminina no campo e promover conversa e troca de experiências, a premiação contou com 650 produtoras inscritas de 15 regiões diferentes. Dos cafés recebidos, 113 foram comprados pelo grupo 3corações e outros 182 vendidos com as mesmas condições de compra (R$ 200 acima do valor de mercado).

Os 100 lotes mais pontuados e os melhores cafés das regiões participantes também foram comprados. Confira abaixo as vencedoras de cada local:

Região Chapada Diamantina – Tainã Bittencourt Peixoto
Região Mantiqueira – Inácia de Fátima Silva
Região Cerrado Mineiro – Maria Denise Piva
Região Montanhas – Silvania Veiga Teixeira
Região Matas de Minas – Sônia Maria Lopes
Região Sul de Minas – Elisa Paiva Lamounier
Região Planalto de Vitória da Conquista – Lais Rangel de Souza
Região Rio de Janeiro – Sandra Lúcia Gaspar
Região Alta Mogiana – Elaine Aparecida Cunha
Região Norte Pioneiro do Paraná – Maristela de Fátima da Silva
Região Média Mogiana – Iolanda Benta de Oliveira
Região Goiás – Cristiane Zancanaro Simões
Região Ourinhos e Avaré – Daniella Pelosini
Região Chapada de Minas – Isabel Silvestre
Região Marília e Garça – Ana Cristina Satiro

Desde seu início, o projeto já impactou mais de 1200 produtoras brasileiras. Além do concurso, a Plataforma Florada Educa oferece capacitação através de vídeo aulas com Sílvio Leite sobre dicas de manejo.

TEXTO Redação • FOTO Bruno Correa / NITRO

Café & Preparos

Campeonato Mundial de Aeropress acontece no próximo sábado

Infelizmente o Campeonato Mundial de Aeropress não foi no Brasil, mas quem estiver em Sydney, na Austrália, terá a chance de no dia 17 de novembro acompanhar de pertinho a apresentação de 61 campeões nacionais. João Ribeiro, da Tulha Cafeteria, em Vitória (ES), é quem irá representar o nosso país.

A competição funciona da seguinte forma: a cada rodada, três competidores enfrentarão um ao outro, simultaneamente, preparando uma única xícara de café na Aeropress. São oito minutos para o preparo e entrega aos juízes, que provam às cegas e apontam para o melhor café da rodada. Apenas um competidor é classificado e assim segue até a escolha do grande campeão.

Para acompanhar tudo sobre o evento acesse o Instagram ou o site.

Boa sorte João!

TEXTO Redação

Café & Preparos

3ª edição do Cartão Infidelidade em Recife começa nesta sexta

Atenção galera de Recife! Começa nessa sexta-feira (16/11) a 3ª edição do Cartão Infidelidade das cafeterias do Recife Coffee. A ação vai até o dia 16 de dezembro e conta com 27 cafeterias do circuito Recife, Olinda, Jaboatão e Porto de Galinhas.

Algumas regras desse ano mudaram, então se liga: os cartões serão distribuídos nas cafeterias participantes. A cada visita a uma das 27 cafeterias da lista abaixo, o cliente receberá um carimbo no cartão!

– Café mais Prosa
– Café da Moeda (Porto de Galinhas)
– Café do Bonde
– Livraria Jaqueira
– Café da Praça
– Cordel Cafés Especiais
– Olinda Café (Olinda)
– Fridda Café (Jaboatão do Guararapes)
– Fervo Coffee Shop
– Zoco Cafés e delícias (Olinda)
– Organico 22
– Lalá Café e Cozinha Afetiva
– Leiva Café
– Grão Chef Cafés Especiais
– Dom Afonso Café
– Café com dengo
– Na Venda Chocolates e Cafés
– Clandestino Café
– Moinho do Porto
– A Vida é Bela
– Apolo Beer Cafe
– Café do Brejo
– Malakoff Café
– Mon Cher
– Ernesto Café
– Kaffe
– Tokyos

Quem completar o cartão primeiro ganhará um kit com uma chaleira de inox de bico longo, um par de xícaras exclusivas, um pacote de café especial de 150 g da Fazenda Santa Rita e um ingresso para uma tarde de experiências sensoriais com os baristas Gabriel Althof e Rodrigo Gonçalves.

Os próximos 20 que preencherem os carimbos também receberão brindes: um par de xícaras exclusivas, um pacote de 150 g de café especial da Fazenda Santa Rita e um ingresso para a tarde sensorial.

Todos que conseguirem completar o cartão concorrerão ao prêmio super kit com maleta de couro do Koar, que contém um Koar número 2, uma jarra de vidro personalizada e um pacote de 150 g de café especial da Fazenda Santa Rita.

TEXTO Redação • FOTO Gustavo Baxter / NITRO