Barista

Campeonato de Aeropress tem lista de espera e outras atrações

Em 27 de maio, o Sítio Santa Rita receberá 27 baristas para competirem no Campeonato Brasileiro de Aeropress, a terceira edição nacional. Além dos inscritos que já foram anunciados anteriormente, a organização tem 10 participantes que entraram na lista de espera. O evento é aberto ao público que quiser assistir a competição.

A lista segue o mesmo princípio: são os 10 primeiros inscritos após os 27 classificados. Esses irão participar caso algum dos 27 não possa, seguindo a ordem de inscrição. “A organização do campeonato entrará em contato por e-mail com os 10 participantes da lista de espera para informar como funcionará”, comunica Fred Ayres, anfitrião do concurso.

Lista de espera por ordem de inscrição:

Vagner Soares Benezath (Vitória-ES) Kaffa Cafeteria
Eraldo Pereira dos Santos (São Paulo-SP) Espresso Arte Café
Leonardo Correia Ribeiro (São Lourenço-MG) Unique Cafés Espéciais
Thomas Kossar (Curitiba-PR) Supernova Coffee Roasters
Daniely Gomes Soares (Fortaleza-CE) Amika Coffee House
Priscila Valero (Curitiba-PR) Verd&Co
Pedro Paulo Santos Santiago (Niterói-RJ) Amador
Thiago de Oliveira Sidney Viana Dias (Pedregulho-SP) Sol Panamby
Fernando Lopes da Silva (Santo André-SP) 1268 Café
10º Hélio Pedro do Nascimento (Macaé-RJ) Amador

O evento será aberto para todos. O público visitante do campeonato terá a oportunidade de, além de conhecer o sítio produtor de café, adquirir algumas lembranças desta edição. Acesse o link para saber mais sobre o local e como chegar.

O cartaz, com a arte criada pela Casa da Joana, está à venda no site ou durante o campeonato. Idealizado pela publicitária Roberta Calazans e o artista plástico Rogério Campos, o cartaz tem como objetivo levar toda a sofisticação do método de extração aeropress para a “roça”, como um reencontro às raízes. “No desenho do cartaz, deixamos de lado o cinza das grandes cidades e abrimos espaço para a explosão de cores do cafezal em produção. A xícara de ágata colorida, as montanhas, o verde, a hospitalidade e o café do Caparaó nos inspirou para a realização desse trabalho”, conta Rogério. O cartaz está a partir de R$ 62 e há ainda outros cartazes e artes sobre café no site da Casa da Joana.

Também estará à venda no local e por e-mail (campeonatodeaeropressbrasil@gmail.com) a caneca comemorativa do campeonato. O valor é de R$ 30 e a renda é destinada à realização do campeonato.

O evento tem o patrocínio máster da Atilla, patrocínios da Mahlkönig e Semana Internacional do Café e apoio de Na Casa da Joana, Holp&Cold, Flavors, Rangel, Inque Comunicação Visual, Quatá, Astarica Bazacas, Armazém Caparaó e mídia oficial Revista Espresso.

TEXTO Mariana Proença • FOTO Divulgação

Cafeteria & Afins

Sterna Café – São Paulo (SP)

A sétima unidade da franquia Sterna Café foi inaugurada em setembro na Barra Funda e é tocada pela publicitária Priscila Starcharvski. Dentro de um prédio comercial, a cafeteria atende a quem mora e trabalha na região.

A torra do café é feita a partir de grãos vindos da Fazenda Curitiba, em Poços de Caldas (MG), secos pelo processo natural, o que mantém no sabor a acidez de frutas amarelas e uma doçura de açúcar mascavo tanto nos espressos tirados na Nuova Simonelli quanto na prensa francesa, na hario V60, na clever, na chemex ou na aeropress.

O nome da cafeteria vem de um pássaro: a Sterna é uma espécie marinha que, ao longo de sua vida, de cerca de 34 anos, voa uma distância equivalente a sessenta voltas ao mundo ou três viagens de ida e volta à Lua. Depois de visitar sessenta países, Deiverson Migliatti, franqueador do Sterna Café, criou a ambientação e o conceito da marca. Ele tem como projeto abrir mais unidades em São Paulo e região.

Com wi-fi disponível, o local é propício para reuniões e encontros de negócios, inclusive almoços ou cafés. Os doces mais pedidos são a torta de brigadeiro e a de leite em pó com creme de avelã. A casa dispõe de serviços para eventos corporativos.

(Texto originalmente publicado na edição impressa da Revista Espresso – única publicação brasileira especializada em café. Receba em casa. Para saber como assinar, clique aqui).

Informações sobre a Cafeteria

Endereço Rua Francisco Matarazzo, 1.350
Bairro Barra Funda
Cidade São Paulo
Estado São Paulo
País Brasil
Website http://www.sternacafe.com.br
Telefone (11) 3803-9069
Horário de Atendimento De segunda a sexta, das 7h às 19h
TEXTO Cíntia Marcucci • FOTO Divulgação

Mercado

Serviço on-line oferece moagem customizada

O café adquire sabores e aromas diferentes dependendo de alguns fatores como tipo de grão, moagem e método de preparo, podendo agradar diferentes paladares.

Independente do tipo de processo é muito importante combinar o tipo de moagem com o método que será utilizado para obter o melhor do café. Mas, para um leigo no assunto, muitos processos são desconhecidos, o que torna esse universo de sensações muito mais reduzido.

Para não limitar os horizontes do café, algumas marcas como Martins Café, Academia do Café, Coffee Lab entre outras trabalham com a moagem customizada.

O Orfeu Cafés Especiais entrou nessa onda também e disponibilizou o serviço em sua loja virtual. Por enquanto, o blend oferecido é o Orfeu Clássico, porém outros cafés da linha permanente serão comercializados em breve.

O objetivo da customização é incentivar o consumidor a conhecer outros métodos de preparar um café, podendo escolher a moagem específica para a prensa francesa, aeropress, hario v60 e chemex.

Conheça alguns métodos e o tipo de moagem adequada para cada um:

Prensa francesa – Popular na Europa, todo o processo é feito no próprio utensílio. Com uma grossa malha de metal, permite uma fusão mais densa entre a água e o pó, o que resulta em uma bebida equilibrada, porém mais densa, já que seu filtro permite a passagem de mais óleos presentes no grão. Moagem: grossa.

Aeropress – Nesse método você pode escolher o tempo de fusão no preparo e também a proporção de pó na quantidade de água utilizada, podendo deixar a bebida mais encorpada ou mais suave. Extrai as propriedades do pó por pressão de ar, mantendo os óleos essenciais do café. Moagem: média.

Hario v60 – Possui formato similar aos suportes para filtros de papel tradicionais. Fabricada em cerâmica, possui frisos laterais, também conhecidos por vórtex, que ajudam a água a rodar em uma velocidade maior que a de um coador comum.  Usa-se um filtro de papel fino e poroso que faz com que a bebida fique bastante limpa. Moagem: média-fina.

Chemex – Dispõe de formato afunilado que conserva a temperatura do café. O filtro é feito de um papel mais grosso que o convencional, com formato circular para ser dobrado. Com a parede tripla de filtragem que se forma através do coador, é impedida a passagem de resíduos sólidos para a xícara, deixando a bebida mais leve. Moagem: média-grossa.

Sites em que você pode comprar cafés com moagem customizada:

Orfeu Cafés Especiais

Martins Café

Academia do Café

Coffee Lab

Café Store

TEXTO Redação • FOTO Felipe Gombossy/Café Editora

Cafeteria & Afins

Hoss Cafeteria – Bauru (SP)

De uma chuva torrencial no Carnaval de 2014 nasceu a ideia dos empresários Gustavo Valle e Bruna Ingracia Valle de abrir a Hoss na cidade em que vivem, Bauru, no interior de São Paulo. Eles tinham ido a Curitiba e, com o céu sem dar trégua, acabaram parando em uma cafeteria para se abrigar.
Gostaram tanto das bebidas, do trabalho dos baristas e do clima do lugar que resolveram conhecer as outras cafeterias da cidade.

Na volta para casa, decidiram pesquisar mais sobre o assunto e sobre o ofício de barista e iniciaram o projeto da Hoss Cafeteria, aberta em junho de 2016.

O barista que comanda a brigada da casa é Luiz Gomes, o Bira. Ele tem títulos em campeonatos nacionais e já participou de eventos internacionais, como o Coffee in Good Spirits.

Para compor os blends e as bebidas da casa, são utilizados grãos arábica do Norte Pioneiro do Paraná, do Sul de Minas, da Alta Mogiana, do Cerrado Mineiro e do Espírito Santo.

Além do espresso tirado nos três grupos da S40 da La Spaziale, há outros dez métodos de extração: hario V60, hario de madeira, chemex, aeropress, prensa francesa, cafeteira italiana, globinho (syphon), hand brew, clever e filtro de ouro. A casa também trabalha com a extração a frio (cold brew) e com drinques alcoólicos à base de café.

Comida local
Um dos destaques é a cozinha, totalmente artesanal. Todas as comidas, de pratos a pães, e até temperos como o catchup são fabricados na casa e estão sempre frescos, sem itens congelados. Destaque para os sanduíches em pães ciabatta nas opções vegetariana, filé mignon e frango.

No almoço, dois dos pratos que já são sucesso: nhoque de batata-doce com rúcula e ricota e o espaguete de pupunha ao molho limone. Para acompanhar os cafés, a sugestão, exclusividade da Hoss, é o Red Love, um croissant recheado com creme pâtissière e coberto com calda de frutas vermelhas.

(Texto originalmente publicado na edição impressa da Revista Espresso – única publicação brasileira especializada em café. Receba em casa. Para saber como assinar, clique aqui).

Informações sobre a Cafeteria

Endereço Avenida Getúlio Vargas, 73 Quadra 4
Bairro Zona Sul
Cidade Bauru
Estado São Paulo
País Brasil
Website http://www.facebook.com/hosscafeteria
Telefone (14) 3313-9513
Horário de Atendimento De terça a domingo, das 8h às 14h. Segunda, das 15h à 0h
TEXTO Cíntia Marcucci • FOTO Divulgação

Cafeteria & Afins

Café do Viajante – Curitiba (PR)

A ideia do administrador de empresas Diogo Fernandes, no início de 2016, era comprar um apartamento. Ele queria sair do mercado financeiro e viu no café uma oportunidade que falou tão alto que o foco mudou e ele investiu na casa própria para a cafeteria. A paixão é de nascença: a avó de Diogo planta e torra café orgânico para o consumo da família e um dos seus prazeres é visitar uma cafeteria nova a cada dia em Curitiba. Juntou-se ao amigo Robson Franzói, designer e autor do blog Um Viajante, e, assim, em meados de setembro, estava aberto o Café do Viajante, com temática de viagens e decorado com fotos do próprio Robson, de viagens que ele fez sozinho ou com o amigo Diogo.

Os espressos são tirados de uma Astoria modelo Sabrina com três grupos, que foi personalizada com a cor laranja da cafeteria. A partir deles são preparadas as diversas bebidas tradicionais, como cappuccino e mocha, e o Capuccino do Viajante, uma leitura da casa para a bebida que leva chocolate da marca Callebaut e é servido em xícaras fabricadas a mão por um designer alemão e trazidas de uma viagem dos sócios à Europa.

Pão de queijo na lata
Também são feitos preparos em aeropress, chemex, syphon, prensa francesa e hario V60 na mesa de cada cliente para proporcionar a experiência do preparo. Todos os cafés são feitos com o blend da casa, com grãos das variedades bourbon amarelo, catuaí vermelho e amarelo das fazendas Sertão e Braúna, que ficam nas regiões mineiras de Carmo de Minas, Ervália, e também grãos da Fazenda Pilar, de Cornélio Procópio, no Paraná.

Para acompanhar os cafés, o cardápio tem pães de queijo servidos nas canecas de lata (chamados na casa de mineirinhos) tortas, quiches e empadas salgadas e muffins com sabores originais de pistache com frutas vermelhas e mexerica, sem glúten e sem lactose. A tarte du chef, com limão-siciliano, é ótima pedida para acompanhar o café filtrado.

 
(Texto originalmente publicado na edição impressa da Revista Espresso – única publicação brasileira especializada em café. Receba em casa. Para saber como assinar, clique aqui).

Informações sobre a Cafeteria

Endereço Rua Comendador Fontana, 229
Bairro Centro Cívico
Cidade Curitiba
Estado Paraná
País Brasil
Website http://www.cafedoviajante.com.br
Telefone (41) 3018-2320
Horário de Atendimento De terça a sexta, das 12h às 20h
TEXTO Cíntia Marcucci • FOTO Divulgação

Cafeteria & Afins

Full City Coffee House – Buenos Aires (Argentina)

A moderna e equipada cafeteria no badalado bairro de Palermo, em Buenos Aires, é tocada por uma colombiana e um inglês. Victoria Angarita é jornalista e Allan Dorgan, seu marido, é designer gráfico de profissão, mas ela tem o café na família: seu pai tem uma escola de café na Colômbia, onde ensina sobre qualidade dos grãos, torra e colheita.

Ao chegar a Buenos Aires, o casal procurou por cafés de boa procedência na cidade e percebeu que as pessoas não sabiam reconhecer a qualidade da bebida e que era difícil encontrar bons grãos do seu país de origem. Eles decidiram primeiro importar o grão verde, torrar localmente e vendê-lo em feiras, mercados orgânicos e outros eventos, até que, em 2011, abriram a própria cafeteria, no bairro de Chacarita. Há três anos e meio o casal resolveu focar no turismo e se mudou para o badalado bairro de Palermo.

Colômbia no coração
Os grãos são 100% colombianos, das variedades excelso. Eles têm sabor achocolatado e são da região de Santander. Um é o café Supremo Guanes, com notas de caramelo, e o outro é o Guayatá, um café de zona vulcânica e trabalhado por mulheres camponesas. Este tem notas cítricas. Eles são preparados em uma La Marzocco de dois grupos para os espressos ou em diversos outros processos, como os filtrados na aeropress, sifão, V60, clever, e também as versões cold brew e café frappé. Os clientes contam com a ajuda dos baristas da casa não apenas para escolher a bebida, mas também
para participar de cursos diversos de conhecimento e preparação de café.

No cardápio da casa, um destaque é dado para as arepas, prato típico colombiano que é feito de milho e recheios diversos, além dos sanduíches, dos brownies, dos muffins e dos omeletes especiais. Um ponto forte é o café da manhã em estilo inglês, com salsichas, ovos, tomates, cogumelos, feijões e pão, servido aos finais de semana e que faz sucesso entre turistas e argentinos.

 

(Texto originalmente publicado na edição impressa da Revista Espresso – única publicação brasileira especializada em café. Receba em casa. Para saber como assinar, clique aqui).

Informações sobre a Cafeteria

Endereço Rua Calle Thames, 1.535
Bairro Palermo
Cidade Buenos Aires
País Argentina
Website http://www.facebook.com/Full-City-Coffee-House
Telefone (31) 3786-7888
Horário de Atendimento Domingos e segundas, das 11h às 20h. De terça a sábado, das 10h às 20h.
TEXTO Cíntia Marcucci • FOTO Divulgação

Café & Preparos

Café engarrafado

A torrefação Unique Cafés lançou uma novidade: o café em grãos na garrafa. Depois de encontrar exemplos em países da Ásia, a equipe realizou testes durante dois anos, com vários modelos de garrafas e rolhas, diferentes processos de torra e tempo de envase. Segundo a marca, após a torra e o resfriamento, o café é envasado imediatamente. A rolha é de alta vedação e impede a entrada ou saída de gás carbônico da garrafa. A pressão no interior da garrafa é muito alta e o som do gás é percebido ao abrir o produto. O café dessa reserva especial é da Fazenda Santa Inês, em Carmo de Minas, na Serra da Mantiqueira. Preço: R$ 110.

Mais informações: www.uniquecafes.com.br

(Texto originalmente publicado na edição impressa da Revista Espresso – única publicação brasileira especializada em café. Receba em casa. Para saber como assinar, clique aqui).

FOTO Divulgação

Café & Preparos

Aventais personalizados

A carioca Old Skool Bar tem feito sucesso entre os baristas nacionais. Os aventais feitos a mão são produzidos sob encomenda, em diversos modelos coloridos e usam materiais como jeans, couro e metais. Com opções que permitem até trinta variações, os cortes são manuais e bem modernos.

Mais informações no Instagram ou Facebook.

(Texto originalmente publicado na edição impressa da Revista Espresso – única publicação brasileira especializada em café. Receba em casa. Para saber como assinar, clique aqui).

FOTO Divulgação

Café & Preparos

Cápsula reutilizável

Feita de aço inoxidável, a Mycoffeestar é uma alternativa para quem quer usar as máquinas da Nespresso sem descartar cápsulas. Ela permite ainda o uso de quaisquer grãos e blends, basta seguir o padrão de moagem da amostra de café que acompanha a cápsula. Desenvolvida e premiada por sua sustentabilidade e design na Suíça, ela é distribuída no Brasil pela startup Ecoreciclos.

Mais informações: www.ecoreciclos.com/capsula-reutilizavel

(Texto originalmente publicado na edição impressa da Revista Espresso – única publicação brasileira especializada em café. Receba em casa. Para saber como assinar, clique aqui).

TEXTO Cíntia Marcucci • FOTO Divulgação

Café & Preparos

Colorida e oitentona

Em 1933, o italiano Alfonso Bialetti criou a cafeteira italiana, também batizada de moka. Mundialmente conhecida por seu design icônico, que lhe conferiu o status de estar exposta no Museu de Arte Moderna de Nova York, o MoMa, a mokinha lançou uma novidade mundial: a linha em versões coloridas azul, laranja e vermelho. As novas cafeteiras têm capacidade para o preparo de seis xícaras e chegam às lojas com valor sugerido de R$ 350.

Mais informações: www.imeltron.com.br

(Texto originalmente publicado na edição impressa da Revista Espresso – única publicação brasileira especializada em café. Receba em casa. Para saber como assinar, clique aqui).

FOTO Divulgação