Mercado

Em campanha global, Nespresso lança curta com George Clooney

A fim de mostrar a devida importância de todas as partes do setor cafeeiro, a Nespresso apresentou sua segunda fase da campanha global com o embaixador da marca, o ator George Clooney.

Chamado de “Sério, George?”, o curta conta com a participação de produtores, agrônomos e especialistas de café, visando reforçar a relevância desses profissionais e o compromisso da empresa com a sustentabilidade. Assista abaixo:

As filmagens aconteceram em Los Angeles, nos Estados Unidos. A campanha já está disponível nas mídias digitais e boutiques da Nespresso desde o dia 5 de novembro. Todos os curtas da marca também estão acessíveis no site.

Mais informações: www.nespresso.com/br/pt/abusca

TEXTO Redação

Mercado

Nova fábrica da Nestlé chega ao México

No último dia 19, a Nestlé anunciou o investimento de US$ 154 milhões em uma nova fábrica de café na cidade de Veracruz, no México. O espaço terá capacidade para processamento de 20 mil toneladas de café verde por ano (cerca de 333 mil sacas de 60 kg).

O crescimento do café nos últimos anos fez com que a empresa buscasse novos investimentos, percebendo no México um grande potencial. De acordo com a editora financeira internacional dos Estados Unidos, Dow Jones Newswires, a nova fábrica empregará inicialmente cerca de 250 funcionários, com o objetivo de alcançar 1.200 pessoas , conforme crescimento. A Nestlé estima que a planta deva gerar de 2.500 a 12 mil empregos em plena atividade.

TEXTO Redação • FOTO Alexia Santi

Mercado

Panetone já está liberado!

Então é Natal…..com muito panetone, chocotone, café e o que mais você quiser. Pensando nessa data querida selecionamos algumas novidades para você se deliciar, desde o tradicional até o lambuzado de chocolate. Aproveite!

Starbucks – Panettone Café Latte

O sabor foi desenvolvido especialmente no Brasil, conta com a massa do panetone tradicional e um leve recheio com o sabor do café latte Starbucks e cobertura crocante de castanhas. Acompanha bem um café espresso.

Preço: R$ 75
Degustado pela reação: achamos a massa bem macia, o café latte deu um toque especial.
Mais informações: www.starbucks.com.br

Casa Bauducco

Marca tradicional que combina Panettones e Chocottones de sabores variados com embalagens já prontas para presentear nas festas de fim de ano. São diversas opções, recebemos o tradicional de frutas; pandoro (tradicional bolo italiano, quando cortado em fatias seu formato se transforma em estrelas decorativas. É possível recheá-lo com o sabor que quiser); Chocottone Maxi e Chocottone Snickers. Acompanha bem um café coado pela manhã.

Preços: variam de acordo com a loja
Tradicional Frutas: em torno de R$ 27
Pandoro: em torno de R$ 20
Chocottone Maxi: em torno de R$ 26
Chocottone Snickers: em torno de R$ 27
Mais informações: www.bauducco.com.br

Choco Pane

Produzido pela Chocolat du Jour traz um pão doce em pedaços rústicos coberto com o chocolate da marca. São três versões de sabores: coberto com chocolate Au Lait, Noir e o Choco Pane que além da cobertura, traz o panetone com chocolate. Acompanha bem um café na french press.

Preço:
Choco Pane:
G – R$ 140 | M – R$ 89
Choco Pane Noir: M – R$ 89
Choco Choco Pane:  G – R$ 140 | P – R$ 89
Mais informações: www.chocolatdujour.com.br

Felice e Maria

Produzido pelo chef Massimo Ferrari, segue a receita da família, desenvolvida por sua mãe. Para garantir a exclusividade e qualidade do produto, a produção se limita um número reduzido de unidades, vendidas apenas no club gourmet Felice e Maria.  O panettone traz frutas e amêndoas, é fermentado naturalmente e conservando a umidade. Acompanha bem um café coado para o lanche da tarde.

Mais informações: www.felicemaria.com.br

Dona Deola

A marca apresenta três novidades: creme de Amaretto coberto com crocante de amêndoas; Laranja combinada com nozes pecan e macadâmia com cobertura de chocolate branco, e uma versão salgada com massa de fermentação natural, queijo Grana Padano, mussarela e calabresa. Recebemos o Amaretto que combina com um café preparado na Chemex e o tradicional de chocolate que combina com um café na aeropress.

Preços:
Lançamentos
R$ 11,90 o mini, R$ 61,80/kg o grande
Recheados: Panetone Bem Casado, Panetone Nutella, Panetone Leite Ninho – R$ 11,90 o mini, R$ 59,90/kg o grande
Tradicional – R$ 28,90/kg – R$ 4,90 o mini
Chocotone – R$ 34,90/kg – R$ 5,90 o mini
Não degustamos…

Casa Bonometti

Os panetones são receitas próprias da confeiteira, que além de produzi-los com fermentação natural, elabora a essência da massa a base de mel, baunilha em fava, raspa de laranja e limão siciliano.

Preços:
Panetones nos sabores frutas vermelhas com chocolate branco e chocolate ao leite; tradicional e damasco com chocolate: 
R$ 14 – 90 g | R$ 54 – 500 g | R$ 99 – 1 quilo
Kit com mini panetone e pacote com três biscoitos sortidos ou o sabor que cliente desejar (R$ 34) e pacotinhos avulsos (R$10)
Mais informações: www.casabonometti.com.br

Cacau Show

 

Aos chocólatras de plantão, a marca, conta com opções com receitas a base de chocolate.  Uma das novidades é o Panettone Petit Gâteau, preparado com massa de gotas de chocolate e recheio cremoso, que pode ser aquecido e saboreado quente. Já o Panettone Trufado GranCherie, acompanham pedaços de cereja na massa, recheio de trufa de chocolate no sabor cereja e cobertura de chocolate ao leite.

Preço: Panettone Trufado GranCherie 750g – R$ 64,90
Panettone Petit Gâteau 620g – R$ 49,90
Mais informações: www.cacaushow.com.br

Dama

A confeitaria conta com o panetone tradicional de frutas secas e os recheados de brigadeiro e caramelo salé. Quem visitar uma das unidades encontra, ainda, sobremesas especiais para o Natal como: mousse de morango, banana caramelizada, Cheesecake de Pistache, Torta de Pêra, entre outras.

Preço:
Brigadeiro
R$ 105,00
Caramelo Salé R$ 110,00
Tradicional R$ 75,00
Mais informações: www.confeitariadama.com.br

TEXTO Natália Camoleze • FOTO Divulgação

Mercado

Você sabia que agora é a melhor época para tomar café?

Aqui no Brasil a nova safra 2018/2019 á está sendo comercializada. Segundo a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), nossa produção apresentou um crescimento de 37% em comparação com o ano passado: beiramos as 61 milhões de sacas, compostas por grãos arábica e canéfora das mais diversas regiões do País.

Este número recorde foi graças ao bom tempo e a bienalidade alta das plantações. Para quem não sabe, essa é uma característica comum na cafeicultura. Em um ano, os cafeeiros terão uma grande produtividade, já no próximo, devido a sua necessidade de recomposição, apresentarão queda na produção.

Justamente pela boa qualidade adquirida neste ano-safra, tivemos excelentes resultados em campeonatos nacionais e internacionais. O Coffee of The Year (COY), por exemplo, recebeu mais de 400 amostras, com os primeiros colocados surpreendendo não só na pontuação, mas também na qualidade e no cuidado com os grãos. Já no Cup of Excellence – Brazil 2018, os grãos vencedores da categoria “Pulped Naturals” (via úmida) receberam uma pontuação de 93,89 pontos no ranking internacional, superando países como Bolívia, Colômbia, Costa Rica e El Salvador.

Mas sabe por que essa é a melhor época para se tomar café? Justamente pela excelência conquistada nas lavouras. Os estabelecimentos que trabalham com cafés especiais já estão fazendo conexões com produtores e associações em busca de novos grãos para compor os cardápios Brasil afora (e isso inclui esses cafés campeões!).

Por exemplo, para quem quer degustar os grãos vencedores do Cup of Excellence – Brazil 2018, cultivados na Chapada de Minas, a IL Barista irá comercializar em edição limitada a partir do dia 20/12. Já para quem busca experimentar cafés do COY, o Zcoffee, em São Paulo, está servindo o 2° colocado na categoria “arábica”: do cafeicultor Deneval Vieira, produzidos nas Montanhas do Espírito Santo.

Além dos grãos vencedores, as cafeterias estão se abastecendo de cafés novinhos dessa safra recorde. O Suplicy Cafés Especiais (unidade Mirante 9 de Julho, em São Paulo), por exemplo, está com grãos de 83 pontos do produtor Paulo Tassinari, da região Serrana do Rio, disponíveis durante o mês de dezembro. Paulo foi campeão deste ano do Concurso de Qualidade do Café do Estado do Rio de Janeiro.

Quer tomar cafés frescos e de boa qualidade? Então aproveite! Vá a uma cafeteria de cafés especiais, pergunte ao barista sobre os grãos da casa e as regiões produtoras e peça seu escolhido em um método favorito. O Brasil possui qualidade e cuidado, que começa com o produtor, passa por diversos profissionais do mercado e termina com um preparo bem feito. Bons cafés!

TEXTO Gabriela Kaneto • FOTO Lucas Albin / Felipe Gombossy

Mercado

Melhores cafés de São Paulo são apresentados pelas torrefações e cafeterias

O 17º Concurso Estadual de Qualidade do Café de São Paulo – Prêmio Aldir Alves Teixeira teve seu término ontem, dia 17/12, em cerimônia no Palácio dos Bandeirantes, em São Paulo (SP), quando os cafés premiados da safra foram apresentados pelas indústrias, cafeterias e torrefações em embalagens finais para o consumidor. Esses cafés adquiridos no leilão são identificados por selos numéricos que levam a identificação da 16ª Edição Especial dos Melhores Cafés de São Paulo.

O concurso, que elege os melhores cafés de São Paulo, começou há meses atrás e recebeu 77 lotes que foram selecionados nos 10 concursos regionais realizados por associações, cooperativas e sindicatos. Para a etapa final, foram escolhidos 13 produtores de café de diferentes regiões do Estado.

Depois da premiação dos cafés as indústrias realizam lances. O Grupo 3 Corações foi o campeão na categoria Diamante, pelo maior investimento em qualidade, num total de R$ 10.200,00 e na categoria Ouro, pelo maior valor pago por saca.

A 3 Corações arrematou o lote de duas sacas do café produzido por Arnaldo Alves Vieira, de São Sebastião da Grama, por R$ 3.800,00, pagando R$ 1.900,00 por saca.

Na categoria Especial, que distingue a empresa que adquiriu o maior valor por uma saca do Microlote, a campeã foi a IL Barista Cafés Especiais, que pagou R$ 1.800,00 pela saca de café produzida por Carlos Nobukazu Makimoto, de Serra Negra.

A produtora campeã deste 17º Concurso foi Lucia Maria da Silva Dias, a Tuca, de São Sebastião da Grama, com a nota máxima de 9,01, conferida pelo Júri Técnico. Ela teve seus 8 lotes adquiridos pela Suplicy Cafés Especiais, ao custo total de R$ 9.600,00, sendo R$ 1.200,00 por lote.

Para o presidente da Câmara Setorial do Café, Eduardo Carvalhaes, esse é um dos mais importantes concursos de qualidade do Brasil, pioneiro e que estimula os cafeicultores paulistas a produzirem cafés de Qualidade. “É o único que resulta numa edição especial, possibilitando ao consumidor paulista e mesmo de outras regiões, apreciarem a qualidade do café de São Paulo”, explica Eduardo.

A cerimônia no Palácio dos Bandeirantes foi marcada pela presença de autoridades, como Francisco Sergio Ferreira Jardim, Secretário de Estado da Agricultura e Abastecimento de São Paulo, pelo homenageado que dá nome ao prêmio, Aldir Teixeira, Nathan Herszkowicz, diretor-executivo da ABIC, Carlos Brando, presidente da P&A Marketing, Gelma Franco, da IL Barista, e Marco Suplicy, da Suplicy Cafés Especiais, Ana Mazzi, da Mazzi Café e do Café Baronesa, executivas da 3 Corações, Aline Germano e Patricia Carvalho, dentre outros.

O concurso seguido do leilão e do lançamento da edição especial é uma promoção da Câmara Setorial de Café de São Paulo e da CODEAGRO – Coordenadoria de Agronegócios da Secretaria da Agricultura do Estado, e conta com a parceria do Sindicato das Indústrias de Café de São Paulo, da ABIC – Associação Brasileira da Indústria de Café, da ACS – Associação Comercial de Santos e do Museu do Café.

TEXTO Mariana Proença • FOTO João Luiz/SAA

Mercado

3corações faz parceria com restaurante de Erick Jacquin

Ontem (10), a 3corações lançou uma parceria com o restaurante paulistano Le Bife, do chef francês Erick Jacquin. A casa servirá, por tempo limitado, dois drinques que levam café e chá em sua composição: o TRES Amaretto Sour e o Honey Camomila TRES.

As bebidas estarão disponíveis a partir de janeiro e ainda não possuem preços definidos. Mas, para aqueles que querem tentar reproduzi-las em casa, nós trazemos as receitas! Separe os ingredientes!

TRES Amaretto Sour

Ingredientes:
– 50 ml de Espresso Safras Especiais Mogiana Paulista
– 50 ml de licor Amaretto
– 15 ml de suco de limão
– 6 pedras de gelo
– açúcar para a borda da taça

Preparo:
Resfrie uma taça de Martini com duas pedras de gelo. Quando estiver gelada, descarte as pedras. Umedeça levemente a borda da taça e faça uma crosta de açúcar. Em uma coqueteleira, misture todos os ingredientes restantes. Bata vigorosamente e despeje o líquido delicadamente na taça.

Honey Camomila TRES

Ingredientes:
– 100 ml de infusão de camomila TRES
– 20 g de mel
– 50 ml de whiskey
– 1 zest (raspas) de laranja
– 8 pedras de gelo

Preparo:
Em uma coqueteleira, misture a infusão, o mel, o whiskey e quatro pedras de gelo. Bata vigorosamente. Complete um copo Old Fashioned com o restante das pedras de gelo, derrame a bebida e aromatize com a zest de laranja.

Serviço
Le Bife
Onde: Rua Pedroso de Alvarenga, 1088 – Itaim Bibi – São Paulo (SP)
Mais informações: www.lebife.com.br

TEXTO Redação • FOTO Divulgação

Mercado

Informação do café na palma da mão

A Associação Brasileira da Indústria de Café (ABIC) possui um aplicativo que ajuda o consumidor a ver as certificações e qualidades de diversos cafés. Com o software, desenvolvido pelo Instituto Totem, o app De Olho no Café conta com informações de várias marcas do mercado cadastradas na ABIC.

O download da ferramenta é gratuito e permite que o usuário saiba a procedência dos grãos de forma instantânea. O uso é muito simples: basta abrir o aplicativo e escanear o código de barras da embalagem ou digitá-lo, o resultado é imediato e traz na tela as características principais do café, como a classificação, corpo, acidez e aroma. O serviço também possibilita que cada usuário avalie os produtos, criando uma interação entre os consumidores.

De acordo com Nathan Herszkowicz, diretor da ABIC, a plataforma, além de auxiliar na hora da compra, pode ajudar na educação do paladar e ainda promover o consumo de café especial no Brasil. A novidade está disponível na Google Play Store e na Apple Store.

TEXTO Redação • FOTO Lucas Albin/Agencia Ophelia

Mercado

3ª edição do Coletivo de Portas Abertas acontece amanhã

Espírito Santo recebe amanhã, 1º de dezembro, a 3ª edição do Coletivo de Portas Abertas. O evento será realizado no Coletivo Café, com uma programação especial voltada para o setor, o evento acontecerá das 8h às 20h.

Vários nomes importantes da cadeia estarão presentes, sendo alguns deles Isabela Raposeiras, barista e proprietária do Coffee Lab; Leo Moço, atual campeão brasileiro de Brewers e Clayton Barrosa, da fazenda Ninho da Águia.

Além destes, estarão também os vencedores do Coffee of the Year 2018, Afonso Lacerda, campeão da categoria arábica, e Luiz Cláudio de Sousa, campeão da categoria canéfora. Eles, juntamente com Deneval Vieira, vice campeão na categoria arábica, falarão sobre a experiência de participar do concurso e do caminho até chegarem aos melhores grãos do Brasil.

Com palestras, oficinas, exposições, agroturismo e varanda coletiva, o Coletivo de Portas Abertas visa promover informações sobre a valorização do café, funcionando como um encontro de todos os pilares do café especial, englobando desde o produtor até o consumidor final.

A entrada é gratuita. Para participar, basta realizar a inscrição clicando aqui. As oficinas possuem um valor de R$ 80 cada. A Revista Espresso estará realizando a cobertura, não perca nas nossas mídias!

Serviço
3ª edição do Coletivo de Portas Abertas
Quando: 1/12
Horário: 8h às 20h
Onde: Coletivo Café – Comunidade de São João do Alto Viçosa, Zona Rural
Mais informações: https://www.facebook.com/events/173748830205457/

TEXTO Redação • FOTO Mariana Proença

Mercado

Nós, brasileiros, consumimos cada vez mais café!

Pesquisa da Euromonitor International aponta que, mesmo com a instabilidade financeira, o brasileiro aumentou o consumo do café, deixando para trás os Estados Unidos e alcançando o título de maior consumidor da bebida (os dados excluem as bebidas prontas à base de café).

O crescimento deve girar em torno de 3% a 3,5% neste ano, quando comparado a 2017. O número total representa 16% do consumo mundial do grão. Em média, o brasileiro toma 839 xícaras de café de 40 ml por ano, sendo que a grande maioria é da categoria de grão torrado e moído, que ainda dominam o mercado nacional.

Entretanto, a perspectiva apresentada por Angelica Salado, Analista Sênior de Bebidas e Tabaco da Euromonitor, durante a Semana Internacional do Café, em Belo Horizonte (MG), indicou que os cafés torrados em grãos devem conquistar uma boa parcela do mercado, já que os consumidores estão cada vez mais interessados em como preparar um café de qualidade.

A pesquisa da organização também afirma que cerca de 8% dos lares brasileiros contam com máquinas de cápsulas de café e a perspectiva é que em cinco anos esse valor chegue a 15%. A categoria concorre em ascensão com o café solúvel e o torrado moído.

Independente da crise, uma coisa é certa: nós brasileiros não vivemos sem café. E o mercado vem se inovando cada vez mais para trazer diversidade aos amantes da bebida!

Angelica fez uma análise sobre os cinco países mais promissores para o mercado de café, para acessar a coluna completa clique aqui!

TEXTO Redação • FOTO Felipe Gombossy

Mercado

Nespresso firma parceria para produção de cápsulas ecológicas

A Nespresso firmou um acordo com a mineradora anglo-australiana Rio Tinto para trabalhar em conjunto e cumprir com o compromisso de aquisição de 100% de alumínio sustentável até 2020, com o intuito de reduzir o impacto que o alumínio tem sobre o planeta.

Segundo Claudia Leite, gerente de Cafés e Sustentabilidade da Nespresso, a ideia é utilizar os padrões que vem sendo desenvolvidos a alguns anos, da certificação da ASI (Aluminium Stewardship Initiative). Atualmente, a Rio Tinto é a única que produz o alumínio.

“A Nespresso e a Rio Tinto trabalharão juntas para garantir que a Nespresso adquira alumínio 100% certificado pela ASI. As ações resultarão na redução nas emissões de carbono e irão assegurar direitos da população indígena, além da proteção de patrimônios mundiais e gestão de resíduos e reciclagem”, comenta Claudia.

A ideia é que daqui 12 meses já existam cápsulas fabricadas com o alumínio. Segundo Claudia, os valores das cápsulas não serão alterados.

TEXTO Redação • FOTO Beatriz Cardoso