Cafezal

Fazendas Paraíso e Primavera levam a melhor no Cup of Excellence 2018

Ontem (21) foi anunciado o resultado do Cup of Excellence – Brazil 2018, concurso realizado em parceria pela Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA) e Apex-Brasil. A premiação aconteceu na cidade mineira de Guaxupé.

O vencedor da categoria “Naturals” (via seca) foi cultivado por Maria do Carmo Andrade, na Fazenda Paraíso, em Carmo do Paranaíba. O café, que possui Denominação de Origem do Cerrado Mineiro, obteve 93,26 pontos.

Ismael José de Andrade foi quem representou a família e recebeu o prêmio. “É o coroamento de uma vida de trabalho e dedicação, minha, da minha família e de todos os envolvidos, muita gente que acredita no café e no potencial dele. Estou muito feliz”, disse.

Ismael José de Andrade é o vencedor da categoria Natural do Cup of Excellence

Já na categoria “Pulped Naturals” (via úmida) quem levou a melhor foi a empresa Primavera Agronegócios. Os grãos de café “gueixa” produzidos na Fazenda Primavera, no município de Angelândia, Chapada de Minas, ganharam 93,89 pontos. É a primeira vez que esta região ganha o concurso.

“Esse prêmio mostra que o trabalho vale a pena, que a dedicação é importante e que somos profissionais no que fazemos. Muito além do financeiro, o mais importante é poder mostrar para o mundo que o Norte de Minas também produz café de excelência. Esse prêmio é para todos da Fazenda Primavera”, agradeceu Leonardo Montesanto Tavares, diretor do Grupo Montesanto Tavares.

Da esquerda para direita, Leonardo Tavares (campeão Pulped Naturals) e Ismael Andrade (campeão Naturals)

Ao todo, o concurso realizou a análise de mil amostras de café. Dentre os 30 primeiros colocados, a região com maior número de vencedores na categoria “Naturals” foi a Indicação de Procedência da Mantiqueira de Minas, com 15 amostras (40,54% do total). Já na modalidade “Pulped Naturals” o destaque foi para a região da Chapada Diamantina, responsável por 15 das 30 melhores posições.

Entre os dias 29 de novembro e 7 de dezembro, os lotes finalistas das duas categorias irão participar de leilões internacionais, onde 100 potenciais compradores de 40 países aguardam para arrematar as sacas brasileiras. Ano passado, o vencedor da categoria “Pulped Naturals”, Gabriel Nunes, da região de Patrocínio (MG), bateu o recorde mundial no leilão: vendeu seu café por aproximadamente R$ 55,5 mil a saca de 60 kg.

Para Vanusia Nogueira, diretora da BSCA, o Cup of Excellence pode selecionar os cafés nacionais com um nível de excelência diferenciado, apresentando a variedade e qualidade dos grãos brasileiros. “Os juízes ficaram surpresos com a diversidade dos cafés recebidos, principalmente os da categoria Pulped Naturals, que destacaram o que nossas diversas variedades e origens produtoras são capazes de entregar, com excelência e em quantidade, o que há de melhor ao mundo”, comenta.

Confira abaixo os melhores cafés de cada categoria:

TEXTO Redação • FOTO Divulgação

Cafezal

Concurso Florada Premiada divulga amostras selecionadas

O Grupo 3corações lançou em março deste ano o Projeto Florada, que tem como objetivo valorizar e reconhecer o trabalho das mulheres cafeicultoras brasileiras. Em parceria com a Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA) criaram o Concurso Florada Premiada.

O objetivo é premiar cafés de qualidade e com representatividade de todas as regiões produtoras de cafés arábica do Brasil. Foram 650 inscrições dos métodos via úmida (despolpado, cereja descascadas, desmucilados) e via seca (naturais).

O resultado com as amostras classificadas para venda está no site da BSCA. Elas serão compradas pelo Grupo por R$ 200 acima do mercado.

Já as 44 classificadas no processo via seca e úmida participarão de mais uma fase classificatória entre os dias 25 e 27 de outubro.

Classificadas Via Seca

Classificadas Via Úmida

As grandes vencedoras de cada categoria serão anunciadas no dia 9 de novembro na Semana Internacional do Café, em Belo Horizonte (MG), às 10h30, durante a tradicional cerimônia do café da manhã oferecido em parceria com a Aliança Internacional das Mulheres do Café (IWCA).

“O Concurso 3 Corações Florada Premiada abrirá um espaço inclusivo de reconhecimento ao trabalho de mulheres com o café e de fomentação às suas conquistas. Além disso, o Projeto Florada cria uma importante plataforma de visibilidade para que as cafeicultoras também se conectem entre si e tenham acesso a informações sobre as melhores práticas na produção de cafés especiais”, diz Patrícia Carvalho, líder do Projeto Florada na 3corações.

Além da compra do lote pelo dobro da cotação de mercado, as primeiras colocadas receberão o prêmio de R$25.000, as segundas  R$15.000 e as terceiras R$10.000. Todos estes cafés serão disponibilizados ao consumidor pela linha Rituais Florada em 2019.

Serviço
Semana Internacional do Café 
Quando: de 7 a 9 de novembro
Onde: Expominas – Avenida Amazonas, 6030 Gameleira, Belo Horizonte (MG)
Para mais informações: www.semanainternacionaldocafe.com.br

TEXTO Redação • FOTO Divulgação

Cafezal

Entre brasileiros, produtor das Matas de Minas vence Prêmio Ernesto Illy

A noite do dia 4/10 foi de comemoração para o produtor Raimundo Dimas Santana, das Matas de Minas. O produtor foi o grande vencedor entre os três finalistas brasileiros, levando a 4ª edição do Prêmio Internacional Ernesto Illy. O segundo e o terceiro lugar ficaram, respectivamente, para Maria D’Aparecida Vilela Brito, do Sul de Minas, e Ângelo Nascimento, do Cerrado Mineiro.

Foto: Divulgação

A premiação aconteceu nos Estados Unidos e na ocasião Raimundo foi representado pelo filho Raimundo Dimas Santana Filho. A família está há quarenta anos na Fazenda Santo Antônio, localizada em uma área privilegiada entre formações rochosas e topografia que auxilia na produção do café, com até 1.300 metros de altitude.

Foto: Vitor Barão

Com a vitória, o produtor representou o Brasil dentre nove países produtores que estavam na disputa: Brasil, Colômbia, Costa Rica, El Salvador, Etiópia, Guatemala, Índia, Nicarágua e Ruanda. Cada uma das nações também passou pela mesma premiação, tendo o ganhador como representante do seu respectivo país nas categorias “Best of the Best” e “Coffee Lovers’ Choice”.

A competição contou com um júri de especialistas que escolheram o café da Sra. Philotée Muzika, da Estação de Lavagem de Café Ngororero, de Ruanda, como o grande vencedor do “Best of the Best”. Para a segunda categoria, os mesmos grãos passaram pelo júri dos consumidores, que também escolheram o mesmo café de Ruanda como o melhor café, conquistando também o troféu de “Coffee Lovers’ Choice”. Pela primeira vez na história do Prêmio, o mesmo lote venceu as duas premiações.

Foto: Divulgação

Processo de análise das amostras
As amostras de cada representante dos países participantes foram selecionadas após análise dos grãos arábica da safra 2017/2018 nos laboratórios de qualidade em Trieste, na Itália. Após isso, foram enviadas para Nova York, onde o júri determinou o “Best of the Best” depois de avaliações em três preparações diferentes: espresso, coado e cold brew. Já a votação para o “Coffee Lover’s Choice” envolveu consumidores em lojas illy pelo mundo todo e em uma sessão de degustações às cegas em Nova York, no dia 20 de setembro.

Sobre o Prêmio Internacional Ernesto Illy
Desenvolvido inicialmente no Brasil, o programa atualmente denominado Preêmio Ernesto Illy de Qualidade Sustentável do Café para Espresso formou a base do Prêmio Internacional Ernesto Illy. Criado em 1991, direcionou a transformação da illycaffè em uma empresa que atualmente compra café de produtores que atendam aos padrões de qualidade da empresa, recompensando-os por isso. Mais de 1.500 produtores já foram premiados.

“Da semente de uma ideia que meu pai plantou no Brasil há quase 30 anos surgiu um movimento para propagar café sustentável de alta qualidade pelo mundo e, com isso, melhor reconhecimento, conhecimento e bem-estar dos produtores, parte mais importante em toda a cadeia produtiva do café. O Prêmio Internacional Ernesto Illy homenageia este legado, além de mulheres e homens que trabalham incansavelmente para dar o seu melhor ao mundo”, diz Andrea Illy sobre a premiação.

TEXTO Redação

Cafezal

Atenção! Prazo do Coffee of the Year acaba semana que vem

É produtor ou conhece alguém que seja? Fique atento! O prazo para envio das amostras do concurso de qualidade de café Coffee of the Year acaba na semana que vem, no dia 5 de outubro.

Produtores de todas as partes do Brasil podem participar, basta enviar 4 kg de grãos da atual colheita e pagar a taxa de inscrição de R$ 130. A amostra inscrita deverá ser da safra corrente (2018/2019) e das espécies Coffea arabica ou Coffea canephora (conilon/robusta). O envio só poderá ser efetuado após a confirmação do pagamento pela organização.

Após o prazo, os melhores grãos serão selecionados e ficarão disponíveis para prova durante a Semana Internacional do Café (SIC), feira do setor que ocorre entre os dias 7 e 9 de novembro, no Expominas, em Belo Horizonte (MG). Especialistas em prova de café e visitantes poderão experimentar as bebidas e votar na melhor.

Os produtores vencedores receberão menção honrosa e o campeão será anunciado e premiado na própria SIC. Por isso fique atento! Dia 1° de outubro é a data máxima para postagem por Correios ou Transportadoras e 5 de outubro para entrega pessoalmente!

Mais informações: www.semanainternacionaldocafe.com.br

TEXTO Redação • FOTO Lucas Albin/ Agência Ophelia

Cafezal

Cup of Excellence 2018: BSCA divulga pré-finalistas da categoria Pulped Naturals

Nesta semana foram divulgados os resultados da pré-seleção da categoria Pulped Naturals do Cup of Excellence 2018, concurso de qualidade promovido pela Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA) em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) e a Alliance for Coffee Excellence (ACE).

A lista consiste nas 150 melhores amostras de grãos por via úmida (cerejas descascados e/ou despolpados/desmucilados). Do total, 33 pré-finalistas são da região da Mantiqueira de Minas; 31 de Matas de Minas; 29 da Chapada Diamantina; 20 do Cerrado Mineiro; 14 do Sul de Minas; 12 das Montanhas do Espírito Santo; 4 do Planalto de Vitória da Conquista; 3 do Norte Pioneiro do Paraná; 3 da Chapada de Minas; e 1 da Média Mogiana. Para acessar a lista completa, clique aqui.

Além da Pulped Naturals, o Cup of Excellence conta também com a categoria Naturals (cafés por via seca). A pré-seleção deste grupo ainda não foi divulgada, uma vez que os produtores tiveram até o dia 11 de setembro para enviar as amostras.

Os vencedores do concurso serão anunciados no dia 21 de outubro, em cerimônia no Assoxupé Club, em Guaxupé, Sul de Minas Gerais, e terá a cooperativa Cooxupé e a empresa SMC Specialty Coffees como instituições anfitriãs.

Os cafés que forem avaliados na fase internacional com notas entre 84 e 85,99 serão eleitos National Winners. Já os com notas iguais ou superiores a 86 pontos entrarão como Cup of Excellence Winners, onde serão leiloados aos principais compradores mundiais.

TEXTO Redação • FOTO Café Editora

Cafezal

Inscrições abertas para Coffee Of The Year 2018

As inscrições para o Coffee Of The Year Brasil 2018 já estão abertas. O concurso visa premiar o melhor café do Brasil, tanto na categoria arábica quanto conilon/robusta, passando por voto popular e de provadores durante evento em Belo Horizonte.

Para quem deseja concorrer ao título, fique atento aos prazos: as amostras enviadas por correio ou transportadoras possui prazo de 1° de outubro. Já para aqueles que farão o envio pessoalmente, a data limite é de 5 de outubro (o endereço será informado por e-mail). A amostra inscrita deverá ser de quatro quilos de café colhido da safra corrente (2018/2019).

A inscrição deverá ser realizada no site da Semana Internacional do Café e possui um valor de R$ 130. A amostra só poderá ser enviada após a confirmação deste pagamento. Para se inscrever clique aqui.

Premiação
Este ano, a Semana Internacional do Café (SIC) acontecerá entre os dias 7 e 9 de novembro, no Expominas, em Belo Horizonte (MG). No evento, visitantes da feira e especialistas de prova poderão degustar as amostras selecionadas e votar no melhor café. Os produtores vencedores receberão menção honrosa e o campeão será anunciado e premiado durante a SIC.

No último ano, o café arábica vencedor foi o da produtora Sandra Lelis, do Sítio Caminho da Serra, da cidade de Araponga, Matas de Minas (MG). Já o conilon vencedor foi de Osvaldina Alves, do Sítio Boa Vista Dutra, de Manhuaçu, também das Matas de Minas (MG).

TEXTO Redação • FOTO Felipe Gombossy

Cafezal

Boa qualidade do conilon e robusta brasileiros abrem portas

No País, o conilon e o robusta são as duas variedades mais cultivadas da espécie Coffea Canephora, sendo o Espírito Santo, a Bahia e Rondônia os principais estados produtores. Segundo a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), neste ano, os dois grãos representarão aproximadamente 24% da produção nacional, tendo uma colheita estimada em 13,7 milhões de sacas de 60 kg.

Por conta do trabalho que os produtores de robusta e conilon vêm fazendo no Brasil, buscando uma melhor qualidade da variedade, a Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA) informou que os empresários nacionais que trabalham com esses grãos poderão se filiar à entidade.

“O trabalho da BSCA sempre se norteou por evidenciar a excelência de todos os cafés do Brasil e esta é a hora do conilon e robusta nacionais, haja vista a maturidade em qualidade alcançada, a aceitação e o crescente interesse do mercado por esses novos atributos do produto”, disse Vanusia Nogueira, diretora da associação.

Para ela, a iniciativa visa potencializar os negócios relacionados aos cafés conilon e robusta, apresentando ao mundo a qualidade do produto. “Nosso País tem excelência na produção de todos os tipos e variedades. Vamos mostrar ao mundo que a qualidade dos nossos cafés está dentro de cada grão cultivado, independente da espécie”.

As candidaturas são abertas para as categorias armazéns, associação de cooperativas, associação de produtores, cafeterias, cooperativas, corretor(as), exportadores, implementos e equipamentos, membros internacionais, núcleo de degustadores, derivados do café, profissionais, produtores e torrefadores.

A adesão ao quadro de associados da BSCA segue critérios, como ser indicado por algum membro dos Conselhos Diretor, Fiscal ou Permanente e passar pela aprovação do Conselho Diretor da entidade. Os interessados devem entrar em contato com Vanusia Nogueira ou Marina Figueiredo através dos telefones (35) 3212-4705 / 3212-6302 / 99824-9845 / 99879-8943 ou dos e-mails exec@bsca.com.br e marina@bsca.com.br.

TEXTO Redação • FOTO Café Editora

Cafezal

3ª Corrida e Caminhada do Café acontece em agosto

No dia 5 de agosto acontece a 3ª Corrida e Caminhada do Café. Realizada na Fazenda Santa Elisa, do Instituto Agronômico de Campinas (IAC), a atividade dispõe de três categorias diferentes: corrida de 6 km, caminhada de 6 km e corrida kids.

Pelo trajeto, os atletas e participantes poderão contemplar os aspectos históricos da fazenda Santa Elisa, principal centro experimental do IAC, localizado na área urbana de Campinas. O percurso passará por trechos com plantações de café e corredor de bambuzal histórico.

Segundo os organizadores, o evento vai muito além da competição esportiva. Os participantes vão conhecer um pouco mais da história e da importância da cultura cafeeira na região de Campinas e no Brasil, como o Centro de Café Alcides Carvalho, plantações experimentais de café e o trabalho do IAC.

A Corrida é realizada pelo Instituto Jerusalém do Brasil e Campinas Café Festival e conta com a participação do IAC, Unicamp e Prefeitura de Campinas – Secretaria de Esportes e Lazer. Para participar, é necessário se inscrever no site até o dia 3/8. Os valores são R$ 95 (corrida e caminhada de 6 km) e R$ 48 (corrida kids).

Serviço
3ª Corrida e Caminhada do Café
Quando: 5/8
Onde: Fazenda Santa Elisa – Avenida Doutor Theodureto de Almeida Camargo, 1500 – Jardim Nossa Senhora Auxiliadora – Campinas (SP)
Mais informações: www.corridadocafe.org.br

TEXTO Redação • FOTO Felipe Gombossy

Cafezal

Para a família: fazenda organiza passeio em lavoura de café

Neste sábado, dia 28/7, a Fazenda Santo Antônio da Bela Vista, localizada na cidade de Itu, a 110 km da capital paulista, irá realizar o passeio “Do cafezal ao cafezinho”. A ideia da iniciativa é fazer com que os visitantes conheçam todo o processo do café, desde a colheita até o produto final.

Com início às 10h, os participantes serão recepcionados pela Bebel, proprietária da fazenda, e pela Cafeteria Gamela, que oferecerá o café da manhã. Bebel acompanhará todo o passeio, explicando sobre mudas, manejo dos pés, colheita, abanação, terreiro e tulha, onde acontece o beneficiamento.

O passeio pode ser feito em grupos fechados, escolas, estrangeiros e empresas, ou em algumas datas para formação de grupo. Aos interessados, é necessário agendamento com a Bebel através do e-mail bebelcafe@uol.com.br. O valor para adultos é de R$ 107 e para crianças de 6 a 12 anos, R$ 45 (refeições e bebidas inclusas, menos bebidas alcóolicas).

Programação:
10h – Do cafezal ao cafezinho
– Apresentação do café e sua história
– Passeio pela plantação: colheita e abanação
– Acompanhamento da lavagem, secagem e beneficiamento, torra e moagem do café
– Almoço

TEXTO Redação • FOTO Murilo Gagliardi

Cafezal

Os grãos mais cultivados do Brasil e suas características

Grãos de café arábica – Foto: Érico Hiller

Na hora de preparar o café cada detalhe importa e pode diferenciar no resultado final da bebida. Os grãos são parte fundamental nesse processo e justamente por isso separamos as características e diferenças das variedades mais populares do Brasil para você conhecer!

O fruto do café é formado por:

Casca – com o amadurecimento, ela passa de verde à vermelha ou amarela

Polpa – fica situada logo abaixo da casca, sendo bastante carnuda

Mucilagem – camada viscosa, rica em açúcares, situada entre a polpa e o pergaminho

Pergaminho – película interna que envolve a semente

Semente ou grãos – há duas sementes em cada fruto. O fruto do tipo chato é chamado dicotiledôneo. Já o moca tem o nome de monocotiledôneo.

Grãos de café robusta – Foto: Gui Gomes

Duas espécies produzem frutos com grande importância econômica: arábica e robusta. O grão arábica representa a maior parte da produção mundial, é fisicamente alongado e possui cerca de 1,2% de cafeína. O robusta, por sua vez, é menor, mais arredondado e tem 2,2% de cafeína, o que representa uma bebida mais encorpada e com toque mais amargo. Os dois grãos apresentam variedades, que podem ser originárias pelo homem ou de mutações naturais.

Café Bourbon – É uma derivação do arábica e é reconhecido por sua doçura e toques achocolatado,  aroma forte e marcante aliados à uma acidez controlada. Indicado para os que apreciam sabor mais leve.

Café Catuaí – Um dos mais plantados do Brasil nos últimos anos.  Resultado de um cruzamento entre as espécies Mundo novo e Caturra, é dono de uma doçura ímpar. É plantado acima de mil metros de altitude. O Catuaí amarelo é menos encorpado do que o vermelho.

Café Icatu – Possui uma maturação média a tardia. Gera frutos amarelos ou vermelhos que são mais aderentes aos ramos. Grande resistência à ferrugem e qualidade na bebida.

Café Acaiá – Frutos vermelhos e de maturação uniforme, de média para precoce. Apresenta notas frutadas, recomendado para quem aprecia um sabor mais suave. É originário de plantas do cultivar Mundo Novo.

Café Obatã – Quando novos, os frutos têm a coloração verde.  Após sua maturação (média a tardia) os grãos apresentam coloração vermelha. Indicado para plantios adensados ou em renque.

TEXTO Victor Ferreira