Barista

Saiba quem são competidores do Brasileiro de Aeropress 2018

O Campeonato Brasileiro de Aeropress será no dia 8 de setembro, em Brasília, na Cervejaria Criolina. O vencedor da fase nacional representará o Brasil no Mundial de Aeropress (World Aeropress Championship), que acontecerá no final do ano em Sydney, na Austrália.

Confira os participantes. Atenção para a lista de espera!

Adriano Felipe Oliveira Lopes (DF)
Camila Silva (SP)
Carlos Araújo (GO)
Ciro Mecenas (SP)
Daniel Alvarez (PR)
Décio Mendonça (GO)
Estela Simões (SP)
Fabiola Jungles (PR)
Felipe Possebon (RJ)
Hugo Rocco (PR)
Isaias Secchetti (RS)
Isair Becker (SC)
João Ribeiro (ES)
João Foster (RJ)
Leonardo Machado (ES)
Leonardo Gonçalves (RJ)
Lucas Hamu (DF)
Marcelo Silva (DF)
Marcelo Henrique Moreno de Carvalho (ES)
Márcio Tsuyoshi Suzaki (DF)
Marcos de Araujo Furtado (DF)
Maria Antonia Mion (PR)
Pedro Foster (RJ)
Pedro Kalil (SP)
Rodrigo Moll (DF)
Tatiana Medeiros (DF)
Túlio Fernando (PB)

Lista de espera
Durval Martins Pontes Junior (MG)
Naara Paletta (ES)
Vagner Benezath (ES)

TEXTO Redação

Barista

Conheça os participantes dos Campeonatos de Barismo 2018!

Foi dada a largada! Os Campeonatos Brasileiros de Barismo estão chegando! Confira a lista dos competidores que irão disputar o título de campeão.

Latte Art – os juízes avaliam a agilidade do barista em fazer desenhos no espresso utilizando leite ou outros ingredientes. De 15 a 19 de agosto, em São Lourenço (MG).

Foto: Érico Hiller

João Augusto Michalski – Cascavel (PR)
Aiko Nataly Kono – Rio de Janeiro (RJ)
Emerson do Nascimento – São Lourenço (MG)
Daniel Acosta Busch – Curitiba (PR)
Garam Victor Um – São Paulo (SP)
Raquel Gomes Alencar – Curitiba (PR)
Leonardo Pires de Araújo – Curitiba (PR)
Alexandre Tasso Sartori – Itajaí (SC)
Eder Ferreira Delfino – São Paulo (SP)
Isis Dayene Rodrigues Correa – Canoas (RS)

Brewers Cup – dividido em dois rounds, o barista deve preparar o serviço obrigatório e o serviço livre. Os competidores podem utilizar qualquer tipo de infusão para preparar e servir três bebidas individuais para cada juiz. De 15 a 19 de agosto, em São Lourenço (MG).

Foto: Gui Gomes

Classificados na Seletiva da Alta Mogiana
Anderson Minamihara – Franca (SP)
Franciele Gomes – Campinas (SP)
Lucas Salomão – São Bernardo

Classificados na Seletiva  Amazônica
Analice Pereira – Manaus (AM)
Barbara Rebeca – Manaus (AM)
Aldo Bittencourt – Manaus (AM)
Rodrigo Torii – Manaus (AM)

Classificados na Seletiva do Cerrado Mineiro
Otávio Augusto – Patrocínio (MG)
Fernando Santana – Campinas (SP)

Via Inscrição no site
Bruno Giorgi Schiavon Borgo – Curitiba (PR )
Leo Moço – Curitiba (PR)
Gabriel da Cruz Guimarães – São Lourenço (MG)
Ricardo Aguirre Ramos – São Paulo (SP)
Thais Borsa das Graças – Cascavel (PR)
Antônio Cordeiro Sobrinho – São Paulo (SP)
Juliana Melo – São Paulo (SP)
Daniel Munari – Curitiba (PR)
Camila Franco de Souza – Curitiba (PR)
Daniel Acosta Bosch – Curitiba (PR)
Juan Pereira Monteiro – Poços de Caldas (MG)
Luciano Costa Barrozo – Rio de Janeiro (RJ)
Leonardo Gonçalves – Rio de Janeiro (RJ)
Eliabe Bastos Banca – Campos dos Goytacazes (RJ)
José Kizner – Itajaí (SC)

Cup Tasters – a competição consiste em basicamente testar a habilidade do degustador em separar corretamente os cafés diferentes. De 10 e 11 de agosto, em Pedregulho (SP).

Foto: Gui Gomes

Classificados na Seletiva Alta Mogiana
André Luis Aguila Ribeiro – Ibiraci (MG)
Carlos Henrique da Silva – Franca (SP)
Alberto Dias Ribeiro – Cravinhos (SP)
Leandro Salles Andrade Dias – São Sebastião da Grama (SP)

Classificados na Seletiva Amazônica
Elena Boscato – São Paulo (SP)
Ana Pimentel Lopes – Manaus (AM)
Rodrigo Torii – Manaus (AM)
Antônio Paulino – Manaus (AM)

Classificados na Seletiva Cerrado Mineiro
Felipe Gonçalves Pacheco – Patrocínio (MG)
Ricardo Eugênio – Patrocínio (MG)

Inscrição no site
Gilmar Reis Cabral – Boa Esperança (MG)
Maria Antônia Mion de Freitas – Curitiba (PR)
Luiz Eduardo Melo – Curitiba (PR)
Léo Moço – Curitiba (PR)
Pedro Ferreira Rezende Bras – Piumhi (MG)
Phelippe Nacimento -Carmo de Minas (MG)
Paula Magalhães Paiva – Machado (MG)
Renata Eller Santos – Varginha (MG)
Edimilson Batista Generoso – Varginha (MG)
Wellington Carlos Pereira – Carmo de Minas (MG)
Ricardo Aloise Junior – São Sebastião do Paraíso (MG)
Dério Brioschi Junior – Venda Nova do Imigrante (ES)
Julian José Raimundo – Varginha (MG)
Emerson do Nascimento – Rio de Janeiro (RJ)

Coffe in Good Spirits  – o campeonato se baseia em bebidas a base de café com álcool, sendo combinações escolhidas pelo próprio competidor e vencendo a com melhor coerência. De 15 a 19 de agosto, em São Lourenço (MG).

Foto: Fernando Sciarra

João Antônio Bim – Londrina (PR)
Igor Sales de Lima – Curitiba (PR)
Danilo Conceição Bananeira – São Paulo (SP)
Nelson Fabiano de Carvalho – Cascavel (PR)
Ricardo Koji Matsuoka – São Paulo (SP)
Gabriel de Cruz Guimarães – São Lourenço (MG)
Eduardo Scorsin – Curitiba (PR)
Juliano André Lamur – Curitiba (PR)
Leonardo Gonçalves – Rio de Janeiro (RJ)
Murilo Guedes Casado Semeghini – São Paulo (SP)
Vinícius Kodama Yoshinaga – Curitiba (PR)
Ariel Todeschini da Motta – Curitiba (PR)
Isair Becker – Itajaí (SC)

Coffee Roasting (Torra) – os participantes terão que planejar e elaborar a melhor torra para o café oficial do evento, passando por três etapas: treinos com os grãos e equipamentos disponibilizados, elaborando o plano de torra; classificação física do café oficial por defeitos e peneiras; e torra oficial do café. De 1 e 5 de agosto, em Curitiba (PR).

Foto: Alexia Santi/Agência Ophelia

Inscrição no Site
Jack Robson Silva – Varginha (MG)
Hugo Souza Rocco – Curitiba (PR)
Luiz Eduardo Melo – Curitiba (PR)
Fábio Nakasato – São Paulo (SP)
Léo Moço – Curitiba (PR)
Fabiola Jungles dos Santos Lima – Curitiba (PR)
Daniel Munari – Curitiba (PR)
Jonathan de Campos P. Pereira – Vitória (ES)
Amandha Locatelli – Curitiba (PR)
Philipe Glazer – Florianópolis (SC)
Saimithon G.A. Souza – Patrocínio (MG)
Leandro Carlos Paiva – Machado (MG)
Ton Rodrigues – São Paulo (SP)
Juliana Ganan – Itajubá (MG)
Orlando Luís Salvatti – Curitiba (PR)
Acauã Auler Rolim – Joinville (SC)
Jéssica Maciel de Oliveira – Cascavel (PR)
Eduardo Affonso Scorsin – Curitiba (PR)
Thiago Ximenes Naves – Três Corações (MG)
Sidinei Moura da Silva – Carmo de Minas (MG)
Reginaldo Cesar Durigão – Arapongas (PR)

Classificados Seletiva da Alta Mogiana
Donieverson Afrânio dos Santos – Poços de Caldas (MG)
Arthur Malaspina – Pedregulho (SP)
Thiago de Oliveira Sidney – Pedregulho (MG)

TEXTO Redação

Barista

Nossa homenagem para Erna Knutsen, criadora do termo Cafés Especiais

A norueguesa Erna Knutsen, criadora do termo Cafés Especiais, faleceu aos 97 anos no mês de junho. Em nossa homenagem para Erna, separamos um pouco da sua história, contada por Mariana Proença, na Coluna Barística.

Nascida na cidade de Bø, região no condado de Nordland, se mudou para Nova York (EUA) aos cinco anos com sua família. Erna seguiu boa parte da vida sem nem pensar em trabalhar com café. Somente por volta dos 40 anos assumiu o cargo de secretária de Bert Fullmer, na B. C. Ireland, uma empresa de importação de café em São Francisco.

Na década de 1970, Erna, já muito interessada no setor, recebeu do chefe a missão de cuidar de um pequeno nicho da empresa, pequenos lotes que não enchiam um contêiner e chegavam a no máximo 250 sacas. Apesar de serem quebras de outras importações, esses grãos de “sobra” eram de altíssima qualidade. Por causa disso, Erna passou a comercializá-los em microtorrefações da Costa da Califórnia que começavam a pipocar na região. A ideia deu muito certo.

O passo seguinte foi aprender a provar café. Uma função ainda muito masculina à época. Nas mesas de classificação, depois de muito treino, ela passou a chamar a atenção de torrefadores e compradores americanos. Sua reputação, construída com bastante persistência, atravessou continentes. Em 1974, em entrevista para o tradicional Tea & Coffee Trade Journal, Erna usou o termo “specialty coffee” para definir os cafés que trabalhava, para ela “diamantes”.

A definição batizou um movimento, que já começava nos Estados Unidos e na Europa, de cafés de qualidade, lotes menores com origem definida e que, depois de quase uma década, ganhou força e levou à criação da Associação Americana de Cafés Especiais (SCAA), em 1982. Ela, participante de todo esse movimento, fundou em 1985 a própria empresa, a Knutsen Coffees.

Na última edição da Revista Espresso a barista e proprietária da cafeteria e torrefação Coffee Lab, Isabela Raposeiras, relembra um momento com Erna que destacamos aqui:

“Oslo, 2002. Uma senhora se aproxima e pede um cappuccino. Com a típica e tola pompa dos jovens que tentam esconder (de todos e de si mesmos) sua inexperiência, preparei a bebida e a levei a ela. Estávamos no estande da BSCA — sigla em inglês para Associação de Cafés Especiais do Brasil —, que já patrocinava o Campeonato Mundial de Barista havia dois anos e tinha organizado o Primeiro Campeonato Brasileiro de Barista a fim de ter um representante na terceira edição do evento internacional. A senhora se aproximou de mim, disse que havia tomado o melhor cappuccino de sua vida e saiu do estande. Alguém sussurrou no meu ouvido que se tratava de Erna Knutsen. Eu trabalhava com cafés fazia pouco mais de um ano e fui elogiada por aquela que em 1974 cunhara a expressão café especial para definir os grãos de melhor qualidade e com procedência conhecida. Mais importante ainda, naquele estande, numa feira internacional, eu testemunhava o encontro da história do café especial no mundo e no Brasil”.

TEXTO Redação • FOTO Roast Magazine

Barista

Curso de Formação para Campeonatos chega ao Brasil

A Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA) traz pela primeira vez ao Brasil o Curso de Formação para Campeonatos (World Competitors Educational – WCE) para competidores, treinadores e juízes.

Com duração de cinco dias no mês de agosto, será ministrado por Lukasz Jura e Danilo Lodi, representantes do WCE que contam com experiência como juízes em campeonatos mundiais de barismo e torra de café.

O curso, que é uma realização do World Coffe Events, BSCA e Lucca Cafés Especiais, acontecerá em Curitiba e será em inglês com tradução simultânea. As vagas são limitadas (16) e as inscrições devem ser feitas através do email competicoes@bsca.com.br.

O que o curso irá oferecer para os treinadores, competidores e juízes?

Competidor – irá aprofundar o entendimento sobre regulamento, potencializar o desempenho e esclarecer o que os juízes buscam em um campeonato mundial;

Treinador (coach) – ampliar a capacidade de orientar competidores para obter sucesso nos campeonatos;

Juiz – calibrar a sua performance para buscar a certificação oficial de juízes para os mundiais que ocorrerão no Brasil.

Serviço
Curso de Formação para Campeonatos (World Competitors Educational – WCE)
Local: Curitiba (PR)
Quando: de 5 a 9 de agosto
Valor: R$ 1950
Inscrições: através do e-mail competicoes@bsca.com.br

TEXTO Redação • FOTO Giulianna Iannaco

Barista

Primeira barista vence o mundial

Em 2000 um grupo de amantes do café criou o Campeonato Mundial de Barista para incentivar o trabalho desses profissionais. Em Montercarlo, comuna na Itália perto da Toscana, foi realizada a primeira competição com doze participantes. Anualmente o evento ocorre em diferentes países pelo mundo. Já foram campeões Noruega, Dinamarca, Austrália, Inglaterra, Irlanda, Estados Unidos, El Salvador, Guatemala, Japão e Taiwan.

Dentre os vencedores nunca uma mulher havia ganhado. E chegou a hora! Em Amsterdã, na Holanda, a grande vencedora foi Agnieszka Rojewska, uma barista independente, representando a Polônia. Além do feito de ser a primeira a vencer em 18 anos de competições, Aga, como é conhecida, tem sido uma grande vencedora nos últimos anos. É a atual campeã do nacional de Latte Art pelo seu país (já venceu quatro vezes), campeã do Coffee Masters em Londres, em 2018, e terceiro lugar no mundial de Latte Art, em 2017.

Aga é uma competidora e tanto. Trabalha com café há mais de dez anos, já teve sua cafeteria, mas hoje se dedica a dar treinamentos na cidade de Poznan. Para o mundial treinou muito e teve o apoio de ninguém menos que Sasa Sestic, da Ona Coffee. Com o café da Etiópia e uma apresentação muito minimalista, com poucos objetos na mesa dos juízes, Aga veio com a temática da surpresa e foi desvendando os sabores com o uso das cores e bolas para representar o que estava servindo.

Veja a apresentação completa no link 

 

O barista brasileiro Thiago Sabino, representando a cafeteria IL Barista, de São Paulo, fez a sua melhor apresentação da carreira. Muito calmo e seguro, Thiago veio com a temática da brasilidade trazendo uma variedade de café desenvolvida no País pelo Instituto Agronômico de Campinas (IAC), a obatã. O drinque de assinatura foi guaraná artesanal com espresso e gelo. Thiago conquistou a 34ª posição entre 55 países.

Trajetória de Agnieszka
2018 Polish Barista Champion
2018 Polish Latte Art Champion
2018 London Coffee Masters – Winner
2017 New York Coffee Masters – Runner-up
2017 World Latte Art Championship – 3rd Place
2017 Polish Brewers Cup – Runner-up
2017 Polish Latte Art Champion
2016 World Latte Art Battle, Seoul – Best Performance Award
2016 Polish Barista of the Year
2016 World Latte Art Championship – 5th Place
2016 Polish Barista Champion
2016 Dublin World Barista Championship – 34th Place, Round One
2015 Seattle World Barista Championship – 34th Place, Round One
2016 Polish Latte Art Champion
2015 Milano Latte Art Challenge
2015 Polish Barista Champion
2014 Polish Barista Championship – Runner-up
2014 World Latte Art Championship – 17th Place, Round One
2014 Polish Latte Art Champion

TEXTO Mariana Proença • FOTO Café Editora

Barista

Thiago Sabino segue para a Holanda para representar o Brasil

Entre os dias 20 e 23 de junho, a Holanda sediará o Campeonato Mundial de Barista, uma das competições mais importantes do café. Com o objetivo de selecionar o melhor barista do mundo, o evento será realizado na capital do país, Amsterdã, e conta com profissionais de diversas nacionalidades.

Após ganhar a fase nacional, que aconteceu na cidade do Rio de Janeiro no começo do ano, Thiago Sabino será o representante do Brasil no exterior. Na disputa, o barista terá 15 minutos para preparar quatro espressos, quatro bebidas com leite e quatro drinques de assinatura, sendo avaliado por juízes técnicos e sensoriais.

Thiago, que já participou do Mundial outras duas vezes, em 2014 e 2015, diz que para este espera um melhor resultado. “Espero ir muito bem. Este ano estou indo mais preparado, tive um suporte muito maior de excelentes profissionais”.

Para ajudar o barista com os gastos da viagem, é possível contribuir através deste crowdfunding.

Thiago se apresentará no dia 21/06 (quinta-feira), às 14h30 (horário da Holanda) e 9h30 (horário de Brasília). Será possível acompanhar a competição, via livestream, no site do campeonato – www.worldbaristachampionship.org.

TEXTO Redação • FOTO Giulianna Iannaco

Barista

Colombiano é o grande vencedor da 4ª edição do Barista & Farmer

A Colômbia recebeu de 1º a 10 de junho, a 4ª edição do Barista & Farmer, um evento criado pelo barista italiano Francesco Sanapo, que visa não só treinar embaixadores do café especial, mas também ser uma ponte cultural entre a Colômbia, o terceiro maior produtor de café do mundo, e a Itália.

250 profissionais se inscreveram e apenas 10 foram selecionados, entre eles, o brasileiro da Argenta Cafés (Curitiba-PR) Daniel Munari. Eles tiveram a oportunidade de descobrir o processo do café, desde o grão até a xícara, diferentes tecnologias, degustações e várias maneiras de consumo.

O grande vencedor foi o jovem colombiano de 28 anos, Diego Campos, que em 2014 e 2016 já havia vencido o Campeonato Nacional de Barista.

“Tem sido a melhor experiência da minha vida. Acredito que esta vitória representa um futuro melhor para o meu país e melhores oportunidades para os agricultores”, afirmou Diego.

Para o criador, Francesco Sanapo, esta é uma experiência super positiva para valorizar os talentos. “Já estamos pensando no que melhorar para a próxima edição. Não esperava a vitória do Diego, foi a primeira vez que um barista local ganhou, acredito que sua postura de liderança e carisma foram essenciais para a vitória”, afirmou.

Luisa Fernanda Gallo, Assessora de Relações Internacionais do Serviço Nacional de Aprendizagem (SENA), conta que o projeto traz uma experiência enriquecedora para os produtores, além de conectar a cultura do café colombiano com baristas do mundo todo. “Estamos muito felizes com o Barista & Farmer e acredito que é apenas o começo de muitas oportunidades para promover o café colombiano e as pessoas incríveis que estão por trás da nossa produção”.

TEXTO Redação • FOTO Divulgação

Barista

Cerrado Mineiro possui representantes para nacional de Cup Tasters e Brewers

No último final de semana aconteceram, em Uberlândia (MG), as pré-seletivas para os Campeonatos Brasileiros de Cup Tasters e Brewers. As seletivas foram realizadas no Mundo Café, da barista Paula Dulgheroff, e os dois primeiros colocados, de cada um, representarão a região do Cerrado Mineiro nas etapas nacionais em agosto.

O Campeonato Nacional de Cup Tasters acontecerá na O’Coffee em Pedregulho (SP) – 10 e 11 de agosto – e o Campeonato Nacional de Brewers em São Lourenço (MG) – de 16 a 19 de agosto.

Cup Tasters – Cerrado Mineiro

1º lugar – Fellipe Pacheco (Rio Brilhante Café de Origem)
2º lugar – Ricardo Eugênio (Cafebras)
3º lugar – Warley Oliveira (Fazenda Barinas)

Brewers – Cerrado Mineiro

1º lugar – Otávio Augusto (Federação dos Cafeicultores do Cerrado)
2º lugar – Fernando Santana (Baristando)
3º lugar – Midori Carolina (Um Coffee)

TEXTO Redação • FOTO Sônia Lopes - Federação dos Cafeicultores do Cerrado

BaristaMercado

Método com referências da cultura pernambucana chega ao mercado

O Koar foi desenvolvido no final do ano passado pela barista Lidiane Santos, o engenheiro mecatrônico Filipe Santiago e o publicitário Fernando Sá, que se inspiraram em filtros de papel e outros métodos com ranhuras laterais para confecção do equipamento.

É composto por um filtro de cerâmica, que na parte interna apresenta 16 sulcos (ou ranhuras) com cerca de 1 cm de profundidade em forma de onda, que permitem uma passagem de água direta e com maior fluidez. O coador também possui uma pequena abertura na sua base, que colabora na retenção do líquido. Resultando, segundo os criadores, em uma bebida com a doçura ressaltada, corpo alto e uma acidez equilibrada.

O design chama atenção não só pelas linhas localizadas na parte interna, mas também pelas cores na parte externa, fazendo alusão às peças do artista pernambucano Francisco Brennand.

Você sabia que além do Koar, existem ainda dois métodos criados aqui no Brasil?
O primeiro é o Aram, fruto de um financiamento coletivo online, que preza pela praticidade e grande vida útil do aparelho. Ecologicamente correta, a máquina foi desenvolvida para uso totalmente manual, sem precisar de energia elétrica e fogo, assim é capaz de preparar um espresso de qualidade.

Outro método 100% brasileiro é a Pressca. Com sete cores e formato moderno proporciona uma experiência gastronômica bem similar à french press e muito simples: basta adicionar água quente, café e aguardar alguns minutos. O método dispensa o filtro de papel e assim como a Aram, a peça é portátil, o que possibilita apreciar um bom café, em qualquer lugar e a qualquer momento!

Onde encontrar?
Koar
www.koar.com.br
Valor: R$ 85 (em madeira) e R$ 150 (em acrílico)

Aram
www.aram.coffee
Valor: R$ 1160 e R$ 1360 (cafeteira + base de aço)

Pressca
www.cafestore.com.br
Valor: R$ 124,90

TEXTO Redação • FOTO Eudes Santana

Barista

Resultado pré-seletivas de Torra da Alta Mogiana

No último dia 26 aconteceu a Pré-seletiva de Torra da Alta Mogiana, na cidade de Pedregulho (SP). Realizada na O’Coffee, a etapa integrante dos Campeonatos Brasileiros de Barismo relevou seus três vencedores:

1º lugar Donieverson Afrânio dos Santos, da Bourbon Specialty Coffees – Poços de Caldas (MG)
 Arthur Malaspina, da O’Coffee – Pedregulho (SP)
 Thiago de Oliveira Sidney, da Octavio Cafés – Pedregulho (SP)

“Achei muito bacana, um campeonato muito bem organizado que reuniu pessoas de várias regiões que trabalham com café, com um objetivo comum de melhorar a qualidade. Foi uma experiência única e espero me preparar agora para o nacional, em Curitiba”, disse Donieverson.

Nesta edição, o café especial utilizado foi doado pela Fazenda Campo Belo, da cidade de Altinópolis (SP). Os grãos foram produzidos pela cafeicultora Graziela Castro, que acompanhou de perto a competição.

Agora, os três irão competir na etapa nacional, que será realizada em Curitiba (PR). Promovido pela Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA), o evento acontecerá no mês de agosto.

TEXTO Redação • FOTO Divulgação